Grupos

Ficus benjamina

21:10 @ 11/06/2007

    Olá, pessoal. Eis um trabalho que fiz com um Ficus benjamina de doze anos. Foi desenvolvido a partir de uma estaca que foi abandonada enclinada em um parede do quintal.





Uma interessante curvatura inicial do tronco facilita pensar num estilo moyogi



Um Uro bem evidente na base do tronco.


Retirada da árvore do vaso. Constatamos o incrível entrelaçamento das raízes ocupando todas as dimensões do vaso.


Visão do nebari bem marcado


O novo vaso preparado prar recebê-la. Um legítimo Raimundo Martins em cimento de temperatura ambiente. He-he-he!


Poda das raízes para adequá-las ao novo ambiente.


Outra vista do bloco de raízes.


O substrato feito de cascalho de areia grossa de rio, areia grossa, cacos de tijolo branco, cacos de telha e 10% de matéria orgânica.


Amarração das raízes e do tronco ao vaso com fios de alumínio recobertos por um pedaço de mangueira de nível para não marcá-lo.


Agora o bonsai já montado faltando apenas a poda de galhos e desfolha para uma segunda etapa.

Novo bonsai

17:42 @ 13/06/2007

Oi pessoal.  Este é o meu mais novo bonsai.  Um ficus, fruto de um yamadori feito na calçada do condomínio CECOM, no Alecrim, há aproximadamente dois anos.  Pelo curto espaço de tempo, da coleta para a bandeja, dá para perceber que o bichinho tava quase pronto quando eu o coletei.  Sofria coitado.  O zelador de vez em quando tentava matá-lo podando mas ele sempre rebrotava, formando esses troncos multiplos. 

Piteco no salão de beleza!

21:40 @ 14/06/2007

   
Pithecolobium pedindo poda e aramação!




Será que tem jeito pra esse menino?


Aparando a cabeleira!


Precisamos extrair esse calo!





Pronto! Barba, cabelo e bigode feitos. Ainda falta uns galhinhos para dar profundidade e conicidade, mas os pitecos rapidamente resolvem isso!

Bem, pessoal, aqui estão os passos para montagem de uma mesinha giratória que fiz com as sucatas de um aspirador de pó e de um patinete. Primeiramente  desmontamos o aspirador de pó e só utilizaremos a base plástica que sustenta o motor, mas a colocaremos no sentido contrário para que seja a base da mesinha.


Depois utilizaremos o motor e o fixaremos com dois parafusos longos no lado oposto da base plástica do aspirador.


A rodinha do patinete tem dois pequenos rolamentos. O primeiro já foi simplesmente encaixado na haste do eixo do motor. O segundo rolamento ficara na parte de cima da roda do patinete que será fixado no prato de madeira.


Retiramos também o pneuzinho de silicone que a rodinha tem externamente. Agora compraremos um pequeno prato de madeira que é vendido em qualquer loja de artigos para copa e cozinha. O prato poderá ser feito de qualquer madeira, compensado, etc. Esse prato em especial dá uma certa classe no produto final, só isso.


Pronto! É só encaixar as duas peças. O prato ( que está com a rodinha fixada por baixo) com a base ( que está com o eixo giratório do motor).


Bom, amigos, espero que tenham gostado da idéia. Há várias opções de utilização de sucatas e em vários tamanhos e resistência também. Um abraço!

Eugenia sprengelli

01:11 @ 24/06/2007

   

 Essa eugenia parecia um arbusto desses de topiaria de jardim. Podei um dos troncos. Fiz um sharimiki. Aramado para ereto informal. Devagarzinho ela vai se ajeitando!

Caliandra do mato

16:52 @ 25/06/2007

No início do ano estivemos participando de uma expedição à Cabedelo para visitar o Sergivaldo Costa. Estavam derrubando as matas das duas margens da rodovia 101 para duplicação da mesma. Era um cenário dantesco de devastação e destruição da natureza para dar lugar ao insensível progresso . Restou essa caliandra silvestre, cuja variedade não conheço, de lembrança do safari.






    Estas fotos eternizam a lembrança do que um dia foi o morro do Parque das Serras. São flagrantes singelos, sensíveis, a lembrar o quanto  é delicado o equilíbrio ecológico. Nada que é modificado nesse mundo resulta sem efeito para o homem e para a natureza. É o efeito borboleta! Os homens insensatos à fragilidade da vida na terra decretam paulatinamente a morte da sua própria espécie!



Cogumelos escarlates ( Amanita sp?)






Luciene conseguiu fotografar uma imagem rara em nossos dias. É o famoso anel-das-bruxas! Um círculo perfeito ( aqui parcialmente visualizado) de cogumelos interligados.




Uma diáfana teia de aranha capturando o orvalho da manhã!




Maracujás-do-mato.




Belas e coloridas flores.




Não é que ela conseguiu achar o cogumelo escarlate!




Essa foto é uma poesia! Nada mais simples, nada mais significativo que este instantâneo de Luciene. Itamar, "mô fio"! Você tem uma artista em casa!




A natureza emoldurando ela própria!