Grupos

INFO - UNIVERSITY CHICAGO

15:03 @ 04/01/2007

01/03/07 -- Fruit flies' ability to discern one sex from another may depend on the number of receptors on the surface of nerve cells, and the number of receptors is controlled by levels of a ubiquitous brain chemical, University of Illinois at Chicago researchers have found.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Everything from the ability to concentrate, perceive and learn to debilitating illnesses such as amyotrophic lateral sclerosis, muscular dystrophy, post-traumatic stress syndrome and schizophrenia is influenced by the number of receptors on nerve cells. The more receptors each cell has at its communication points, or synapses, the better that messages are carried through the brain.

A UIC research team led by David Featherstone, assistant professor of biological sciences, has discovered that receptor numbers are controlled by the brain's level of glutamate. But it is not the same glutamate that most neuroscientists think about -- the neurotransmitter that moves in message packets across the synapse. Instead, it is what Featherstone calls ambient extracellular glutamate, which just floats around the nervous system and has generally been ignored because no one knew where it came from or what it was doing.

For years, scientists failed to identify glutamate as a key neurotransmitter precisely because there was so much of it.

"It made no sense," said Featherstone. "People figured you couldn't use glutamate to send messages because there was too much glutamate background noise in the brain. It turns out that this background noise plays an important part in regulating information transfer."

Featherstone and his lab team found that glia cells are the source of the excess ambient glutamate. Along with neurons, these poorly understood "support" cells fill the brain. v The team discovered proteins in fruit fly glia cells that regulate the amount of ambient glutamate in the brain. Called xCT transporter proteins, they pump glutamate out of glia cells.

"When we mutate the protein, we get less ambient extracellular glutamate, more glutamate receptors, and so a stronger transfer of messages at synapses," Featherstone said.

The gene mutation also made the flies bisexual, leading him to name the gene "genderblind."

"The mutants are completely bisexual, but fertile. It's the first gene that really specifically affects homosexual behavior without affecting heterosexual behavior," he said.

"Trying to understand fly bisexuality sounds silly, but these behavioral changes are important evidence that ambient extracellular glutamate and xCT transport proteins play important, unsuspected roles in brain function," Featherstone said. "We think we'll be able to learn a lot about perception and development from figuring out exactly what's happening in these flies.

"It's amazing how many biomedical breakthroughs have come from crazy directions."

Source: University of Illinois at Chicago

 

Fonte: http://bio.com/newsfeatures/newsfeatures_research.jhtml 

Por: Normando Oliveira.

Site: www.normando.xpg.com.br

E-mail: normando_rj@yahoo.com.br  

 

 

 

TRADUÇÃO.

 

 

01/03/07 – A abilidade de moscas de fruta de discernir um sexo de outro pode depender do número dos receptors na superfície de pilhas do nervo, e o número dos receptors é controlado por níveis de um produto químico ubiquitous do cérebro, universidade de Illinois em investigadores de Chicago encontrou.

cópia esta página email esta página Tudo da abilidade de concentrar, perceber e aprender às doenças debilitating tais como o sclerosis de lateral amyotrophic, o dystrophy muscular, o syndrome borne-traumatic do stress e a esquizofrenia é influenciado pelo número dos receptors em pilhas do nervo. Mais receptors que cada pilha tem em seus pontos de comunicação, ou sinapses, as mensagens são carregadas mais melhor através do cérebro.

Uma equipe de pesquisa de UIC conduziu por David Featherstone, professor assistente de ciências biológicas, descobriu que os números do receptor estão controlados pelo nível do cérebro do glutamate. Mas não é o mesmo glutamate que a maioria de neuroscientists pensam sobre o neurotransmitter que se move em pacotes da mensagem através da sinapse. Instead, é o que Featherstone se chama o glutamate extracellular ambiental, que os flutuadores justos em torno do sistema nervoso e foram ignorados geralmente porque ninguém souberam de aonde veio ou o que fazia. Por anos, os cientistas não identificaram o glutamate como um neurotransmitter chave precisamente porque havia tanto dele. “Não fêz nenhum sentido,” disse Featherstone.

Os “povos figuraram que você não poderia usar o glutamate emitir mensagens porque havia demasiado ruído de fundo do glutamate no cérebro.

Gira para fora que este ruído de fundo faz uma parte importante em transferência de informação regulando.” Featherstone e sua equipe do laboratório encontraram que as pilhas do glia são a fonte do glutamate ambiental adicional.

Junto com os neurônios, estes compreenderam mal a suficiência das pilhas da “sustentação” o cérebro. v a equipe descobriu proteínas nas pilhas do glia da mosca de fruta que regulam a quantidade de glutamate ambiental no cérebro.

Proteínas chamadas do transporter do xCT, bombeiam o glutamate fora das pilhas do glia. “Quando nós mutate a proteína, nós começamos menos glutamate extracellular ambiental, mais receptors do glutamate, e assim transferência mais forte das mensagens em sinapses,” Featherstone disse.

O mutation do gene fêz também as moscas bisexual, conduzindo a lhe nomear o gene “genderblind.” “Os mutants são completamente bisexual, mas férteis.

É o primeiro gene que afeta realmente especificamente o comportamento homosexual sem afetar o comportamento heterosexual,” ele disse. “

Tentar compreender o bisexuality da mosca soa silly, mas estas mudanças behavioral são evidência importante que o glutamate e o xCT extracellular ambientais transportam o jogo importante, papéis unsuspected das proteínas na função do cérebro,” Featherstone dito. “Nós pensamos que nós aprendemos muito sobre a percepção e o desenvolvimento de figurar para fora exatamente o que está acontecendo nestas moscas. “Está espantando-se quantas descobertas biomedical vieram dos sentidos loucos.”

 

Fonte: Universidade de Illinois em Chicago

 

Tradução por tradutor on line: Normando Oliveira.

TRADUÇÃO, por tradutor on line.

 

Hawking dará a amostra do DNA aos cientistas da ajuda compreende ALSJanuary 4 2007 |

 

pesquisa de ALS Judy Siegel-Itzkovich, o BORNE de JERUSALEM Dezembro 13, 2006 O físico que teórico da universidade de Cambridge o Prof. Stephen Hawking se decidiu doar amostras do DNA ao projeto humano do Genome na esperança que a vontade dos dados ajuda a cientistas identificar as causas da doença de Lou Gehrig, o borne de Jerusalem aprendeu.

A doença neurological incurable, sabida também como o sclerosis lateral amytrophic (ALS), afflicted Hawking por 43 anos, desde que era um estudante graduado em Cambridge.

A causa de ALS, que causa o paralysis e a morte eventuais, não é sabida, mas doutores acredita que há um componente genetic.

O cientista renowned - reportedly sobrevivente o mais longo de ALS no mundo - foi oferecido o implantation dos elétrodos em seu cérebro, um procedimento que fosse da ajuda aos pacientes de algum Parkinson em Israel e no exterior, mas ele girou isto traga, dig não quis submeter-se à cirurgia do cérebro.

A maioria de vítimas da doença morrem dentro de alguns anos do diagnóstico.

Os 64 year-old Hawking, aproximando atualmente o fim de uma visita eight-day a Israel e a autoridade Palestinian, físicos Israeli encontrados com no centro para o Excellence em Neveh Shalom antes de visitar a universidade de Telavive em terça-feira. Em quarta-feira, entregará um lecture na universidade de Birzeit em Ramallah; em quinta-feira, falará “na origem do universo” antes de 1.000 invitees no campus do Mt. Scopus da universidade Hebrew. Em segunda-feira, era o convidado em um jantar intimate no rei David Hotel de Jerusalem do Academy de Israel das ciências e das artes, dirigido pelo Prof. Menachem Ya'ari.

Foi brindado pelo embaixador britânico Tom Phillips e Ya'ari, que “comemorado o triunfo e o exhilaration da ciência e de um adversity excedente do espírito humano.”

Phillips, que chegaram aqui em agosto, dito tinha-se encontrado com assim distante dois tipos dos povos - aqueles que não leram livros Hawking no cosmology e na física e aqueles que os leram mas as compreenderam somente algumas das idéias. Era certo que o Academy de membros da ciência os tinha lido e os tinha compreendido.

Dito Phillips que pediu a ministro principal Ehud Olmert, quando recebeu Hawking em seu escritório em domingo, se tinha lido a história breve do A. do físico brilhante. de Tempo, Olmert o assegurou que teve. Hawking dito, “eu sou feliz estar para trás em Israel outra vez. Eu fui aqui três vezes antes, o último em 1990… Eu era sad ver como a parede [da segurança] separa [Israelis e Palestinians].

Há uma diferença grande entre universidades neste lado da parede e aquelas no outro lado. Mas é bom ouvir-se o que você está fazendo na cooperação com os cientistas Palestinian.”

 

 

Fonte: http://www.rideforlife.com/...

 

Por: Normando Oliveira.

www.normando.xpg.com.br

 

 

 

O cientista britânico Stephen Hawking, que sofre de uma grave doença degenerativa que o mantém confinado a uma cadeira de rodas, planeja uma viagem como turista espacial dentro dos próximos três anos.

Hawking quer se preparar ainda este ano com um vôo no qual será simulada a ausência de gravidade à qual são expostos os astronautas, segundo revela o cientista em declarações ao jornal "The Daily Telegraph".

Seu passo seguinte dependerá dos planos do empresário britânico, Richard Branson, criador do império "Virgin", cuja nave espacial SpaceShipTwo levará seis passageiros em viagens suborbitais a partir de 2008.

A nave será lançada por outro veículo a mais de 15 km de altura e viajará depois pelo Espaço a cerca de 110 km da Terra --a uma velocidade de mais de 4.000 km/h, mais de três vezes a velocidade do som.

Embora uma viagem ao Espaço nesse veículo custe, atualmente, em torno de US$ 150 mil, a viagem de Hawking seria financiada pelo próprio Branson, segundo o periódico.

O famoso astrofísico, que completa hoje 65 anos, sofre de esclerose lateral amiotrófica (ELA) --doença degenerativa que causa a perda da tonicidade muscular. Hawking explica que a idade de aposentadoria na Universidade de Cambridge, onde trabalha atualmente, é de 67 anos, mas ele pensa em continuar trabalhando.

O autor de "Uma breve história do tempo", transformado em um autêntico "best-seller" mundial, escreve dois livros.

O primeiro, dirigido às crianças e intitulado "A chave secreta de George para abrir o Universo", será publicado em novembro enquanto o outro, que trata de filosofia da ciência, ficará pronto no próximo ano.

Os médicos diagnosticaram a doença de Hawking quando ele tinha
apenas 21 anos e lhe deram então só um ou dois anos de vida. Obrigado a permanecer em sua cadeira de rodas, Hawking ultimamente utiliza um músculo que fica na parte inferior de seu olho direito para operar um dispositivo aplicado a seus óculos --um sintetizador de voz mediante o qual se comunica com outras pessoas.

Hawking afirma no "Daily Telegraph" que ofereceu doar seu DNA para um projeto destinado ao estudo do código genético humano para o descobrimento das causas da doença que sofre.

"Sabemos que os processos biológicos são controlados pelo DNA, por isso que o primeiro passo lógico é estudar o material genético dos afetados pela doença e compará-lo com o de quem não sofre", explica Hawking.

 

 

Fonte: Folha.uol

 

Por: Normando Oliveira.

 
 
 
Você que é Pesquisador(a), estudiosos(as), e profissionais de diferentes áreas científicas, veja abaixo e depois entre em http://www.ipg.org.br/ para maiores detalhes. Oh ! vale correr atrás viu?!
 
Grande abraço,
Normando Oliveira.
 
 
 
 
O IPG lançou no XXII Congresso Brasileiro de Neurologia, que aconteceu de 19 a 23 de agosto em Recife, a abertura para as inscrições da primeira edição do Prêmio PG - Categoria Medicina.

O Prêmio PG tem como objetivo o incentivo e o fomento a pesquisa científica.

Na Categoria Medicina, o Prêmio PG irá premiar o pesquisador que se destacar em pesquisas publicadas em busca da causa ou cura da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

Maiores informações acesse Prêmio PG.

HORA DE DORMIR.

13:08 @ 12/01/2007

 

 
Hora de dormir

Os cuidados que devem ser tomados na hora do sono para evitar que pessoas com deficiência física possam adquirir escaras

Após um longo dia de trabalho ou estudo, nada como deitar o corpo sobre a cama e relaxar. Mas, para as pessoas com mobilidade reduzida, esse momento exige cuidados. Afinal, sem movimentar parte do corpo durante o sono, as pessoas com deficiência correm o risco de sofrer as temidas úlceras de pressão, mais conhecidas como escaras.
 
O problema surge com a pressão contínua do peso do corpo imóvel sobre o colchão, que interrompe o fluxo sangüíneo no tecido da pele, tornando-a vulnerável à formação das escaras. Em um primeiro momento, a pele fica vermelha, progredindo para a coloração roxa e terminando na formação de bolhas e feridas. O processo de surgimento da escara é rápido, mas a cura pode demorar meses (sem contar a cicatriz que marcará a pele para sempre). Para evitar essas feridas de difícil cicatrização, existem várias respostas que, combinadas, garantem uma pele saudável.
 
O ideal seria contar com alguém para auxiliar durante o sono, evitando que o corpo fique inerte por muito tempo. A dica dos especialistas é trocar de posição a cada quatro horas em média. Mas essa solução nem sempre é possível, principalmente para quem mora sozinho e tem sono pesado. Se você é daqueles que preferem dormir de lado, aconselha-se colocar um travesseiro na cabeça e outro menor entre as pernas, para atenuar o atrito causado pelo peso de uma perna sobre a outra.
Outro fator decisivo está na escolha do colchão onde o corpo repousará durante a noite (ver abaixo Escolhendo o melhor colchão).
 
Cuidados
A higiene pessoal também é muito importante na hora de dormir. Para aqueles que sofrem com incontinência, é imprescindível manter a pele sempre limpa para evitar o atrito e a acidez de urina e fezes.
A regra é a mesma para o suor, por isso o quarto de dormir deve ser bem ventilado e fresco, já que pele saudável não combina com umidade excessiva.
Na hora que acordar, o ideal é fazer uma massagem nos locais onde mais se formam escaras, como as nádegas e a região lombar. A massagem deve ser realizada com cuidado, passando creme hidratante em movimentos circulares para aumentar o fluxo sangüíneo.
Outro cuidado que não pode ser deixado de lado é o controle do peso. Com a mobilidade reduzida, não são poucos os que costumam ganhar uns quilos a mais. Entretanto, o peso é o principal responsável pela pressão do corpo contra o colchão. Dieta eqüilibrada e exercícios regulares ajudam a manter a forma e, com certeza, marcarão pontos positivos na hora de contar carneirinhos durante a noite. Bons sonhos.
 
Escolhendo o melhor colchão
No processo de reabilitação, a escolha do modelo de colchão ideal é fundamental. Nesta hora, a tecnologia também está presente para auxiliar os profissionais de saúde.
O X-Sensor, um sistema de mapeamento digital e tridimensional dos pontos de pressão, é o melhor exemplo de ferramenta tecnológica nesse difícil processo de escolha.
Na Cavenaghi, a pessoa com deficiência é recebido pela equipe de terapeutas ocupacionais que passa a realizar exames para avaliar os pontos de pressão do corpo nos diversos modelos de colchão, tudo isso com auxílio do X-Sensor.
A partir desse diagnóstico, o portador de deficiência terá a certeza de que o modelo de colchão escolhido será o mais indicado para a sua necessidade.
 
Colchões high-tech
Não faz muito tempo que a única solução de colchão para as pessoas com mobilidade reduzida era o famoso colchão "casca de ovo". Feitos de espuma e com cavidades, o casca de ovo é considerado melhor que o colchão tradicional para quem possui deficiência e até hoje são os mais freqüentes nos hospitais da rede pública. Porém, esse tipo de colchão tem pontos negativos, como a dificuldade de limpeza (principalmente para os pacientes com incontinência), baixa durabilidade, alergia e o excesso de atrito da espuma com o corpo.
Graças ao avanço tecnológico, hoje existe uma infinidade de colchões inteligentes, aptos a atender às mais diferentes necessidades. A linha norte-americana da Roho, por exemplo, oferece uma ampla variedade de colchões, todos fabricados com materiais antialérgicos e que reduzem o atrito. A tecnologia "Dry Flotation", por exemplo, exclusiva da marca, assegura que os pontos de pressão do corpo contra o colchão mudem constantemente, o que evita a formação de escaras. A garantia do produto é de dois anos, mas bem conservado o colchão pode durar até dez anos.
Os colchões da Roho, fabricados em neoprene de uso medicinal, contam ainda com outra vantagem: são facilmente laváveis com água e sabão, secando em poucas horas. Eles estão disponíveis no Brasil na Cavenaghi.
 
Fonte: Rede Saci.
(Notícia publicada no boletim Qualità, ano 10, edição 54 - outubro/2006)
_____________________________________________________________________________
 
Maria Isabel da Silva
Jornalista/Assistente Técnico de Direção
Divisão de Medicina de Reabilitação DMR
HC Faculdade de Medicina da USP
(11) 5549.0111 ramal 221 e 9212.1682
www.hcnet.usp.br/haux/dmr
isabel.dmr@hcnet.usp.br
 
Postado por: Normando Oliveira.
 
 

INFO - PDUFA.

18:08 @ 15/01/2007

The Prescription Drug User Fee Act

 

WASHINGTON-(Business Wire)-January 15, 2007 - The ALS Association today issued the following statement from Steve Gibson, vice president of government relations and public affairs, on the Food and Drug Administration's recommendations to reauthorize the Prescription Drug User Fee Act (PDUFA).

"The ALS Association welcomes the FDA's recommendations for reauthorizing the Prescription Drug User Fee Act. The agency has proposed important new initiatives and recommended increased funding levels in key areas that will benefit people with ALS (Lou Gehrig's disease) and help ensure that they have timely access to safe and effective medicines.

"While the recommendations call for additional resources to support FDA's drug safety programs, The ALS Association is particularly pleased that FDA also has proposed increased funding and new initiatives that will enhance the drug approval process and encourage new approaches to drug development.

"The proposal provides increased support for the Critical Path Initiative, an important program designed to streamline drug development. It facilitates partnerships between FDA, the public and industry that will promote new ideas to advance medical science. And it recognizes that the practice of medicine is not a one-size-fits-all proposition by examining new ways to assess the benefits and risks of medications that can save lives. Many of these initiatives were not included in prior versions of PDUFA, and we hope they will help provide new opportunities to bring ALS therapies from the lab to the bedside.

"As the debate on PDUFA reauthorization begins, it is important that Congress take action early this year to ensure the FDA has the resources to fulfill its mission and ensure patients have access to state-of-the-art, life-saving treatments. People with ALS have no time to wait.

"The ALS Association looks forward to working with Congress and the FDA to reauthorize PDUFA this year and improve patient safety by providing timely access to effective treatments."

The ALS Association is the only national not-for-profit health agency dedicated solely to the fight against Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS), more commonly known as Lou Gehrig's disease. ALSA covers all the bases—research, patient and community services, public education, and advocacy—in providing help and hope to those facing the disease. The mission of The ALS Association is to find a cure for and improve living with amyotrophic lateral sclerosis.

 

Fonte: Ride For Life.

 

 

Por: Normando Oliveira.

www.normando.xpg.com.br

 

 

................................................ TRADUTOR ON LINE ....................................

 

WASHINGTON (fio) - janeiro 15 do negócio, 2007. 

 

A associação de ALS emitiu hoje a seguinte indicação de Steve Gibson, vice-presidente de relações do governo e os casos públicos, nas recomendações da administração do alimento e da droga reauthorize o ato da taxa de usuário da droga da prescrição (PDUFA).

“A associação de ALS dá boas-vindas às recomendações do FDA para reauthorizing o ato da taxa de usuário da droga da prescrição.

A agência propôs iniciativas novas importantes e recomendou níveis financiando aumentados nas áreas chaves que beneficiarão povos com ALS (doença de Lou Gehrig) e os ajudarão se assegurar de que tenham o acesso oportuno às medicinas seguras e eficazes.

“Quando as recomendações se chamarem para que os recursos adicionais suportem programas da segurança da droga do FDA, a associação de ALS é particularmente pleased que o FDA também propôs financiar aumentado e iniciativas novas que realçarão o processo da aprovaçã0 da droga e incentivarão aproximações novas ao desenvolvimento da droga.

“A proposta fornece a sustentação aumentada para a iniciativa do trajeto crítico, um programa importante projetado aerodinamizar o desenvolvimento da droga.

Facilita parcerias entre o FDA, o público e a indústria que promoverão idéias novas avançar a ciência médica. E reconhece que a prática da medicina não é um-tamanho-caib-todo proposition examinando maneiras novas avaliar os benefícios e os riscos dos medications que podem conservar vidas.

Muitas destas iniciativas não foram incluídas em versões prévias de PDUFA, e nós esperamos que ajudem fornecer oportunidades novas de trazer terapias de ALS do laboratório ao bedside.

“Porque o debate no reauthorization de PDUFA começa, é importante que a ação da tomada do Congress cedo este ano para assegurar o FDA tem os recursos para cumprir sua missão e para assegurar pacientes ter o acesso aos tratamentos avançados, life-saving. Os povos com ALS não têm nenhum tempo para esperar.

“Os olhares da associação de ALS para a frente a trabalhar com Congress e o FDA reauthorize PDUFA este ano e melhoram a segurança paciente fornecendo o acesso oportuno aos tratamentos eficazes.

” A associação de ALS é a único nacional não-para-lucra a agência da saúde dedicada unicamente à luta de encontro ao Sclerosis de lateral de Amyotrophic (ALS), sabido mais geralmente como a doença de Lou Gehrig. ALSA cobre todos os serviços da base-pesquisa, do paciente e de comunidade, instrução pública, e advocacy-em fornecer a ajuda e a esperança 2 aqueles revestimentos a doença. A missão da associação de ALS é encontrar uma cura para e melhorar a vida com sclerosis de lateral amyotrophic.

Monday, January 15, 2007

DVD for patients and families faced with making the feeding tube decision. - rod @ 07:01 PST

An Educational Project that will be launched shortly. Feeding tubes are such an important intervention for patients suffering with Motor Neuron Disease. Maintaining the best quality of life for such patients can be enhanced with the placing of a simple feeding tube. However, lack of information and sometimes out of fear, patients who can benefit from a feeding tube (PEG) often delay making this decision until a crisis occurs.

Simplified Training is offering a home healthcare DVD for patients and families faced with making the feeding tube decision.
Nutritional Lifeline: The Feeding Tube Decision will help them understand the procedures and see how to use and care for the tube at home. Most important, they will hear real people, who have feeding tubes, talk about how they made the decision and how having a PEG has improved both their lives and those of their loved ones. The 26-minute video is menu-driven and divided into four chapters: Decision Making, Tube Insertion Process, Using the Feeding Tube and Caring for the Feeding Tube.

A team of experienced nurses and a leading gastroenterologist created the materials. The content is targeted to the patient, family and caregivers in plain language that is reinforced throughout by demonstrations that are easy to follow.

The Jim “Catfish Hunter” Chapter of the ALSA in Raleigh, NC has reviewed the video and helped focus the content to serve the ALSA community.

“There is a critical need in the MND/ALS community for a video explaining the importance of feeding tubes. This video does a wonderful job of addressing the emotional and procedural questions a person or a family will have when considering taking such a step”.
Sue Humphries, MSW, Patient & Family Services Coordinator

We will be exhibiting at the ALSA Conference in Newport Beach, California, USA January 25-27, 2007. There is a 10% show discount for all orders placed before January 31, 2007. A sample of the video can be viewed at http://www.simplifiedtraining.com/tools/nutritional_lifeline_sample.asp, You can order copies of the video on-line for plus shipping or by calling 1.800.344.6681 to place an order. For bulk orders or to discuss our resellers’ agreement, please call our 800 number to talk to our Marketing Director.
Patients report that viewing this video which “highlights patients just like me” gives them the confidence and information to move forward.
A step in the right direction.

 

Fonte: ALSA.

 

Por: Normando Oliveira.

www.normando.xpg.com.br

 

 

.....................................TRADUTOR ON LINE ...................................

 

 

Segunda-feira, janeiro 15, 2007.

DVD para os pacientes e as famílias enfrentados com fazer a decisão de alimentação do tubo.

- haste @ 07:01 PST

 

Um projeto educacional que seja lançado logo.

Os tubos de alimentação são uma intervenção tão importante para os pacientes que sofrem com doença do neurônio do motor.

Manter a mais melhor qualidade de vida para tais pacientes pode ser realçado com colocar de um tubo de alimentação simples.

Entretanto, a falta da informação e às vezes fora do medo, os pacientes que podem se beneficiar de um tubo de alimentação (PEG) atrasa frequentemente fazer esta decisão até que uma crise ocorra.

O treinamento simplificado está oferecendo um healthcare home DVD para os pacientes e as famílias enfrentados com fazer a decisão de alimentação do tubo.

Lifeline nutritivo: A decisão de alimentação do tubo ajudar-lhes-á compreender os procedimentos e ver como usar-se e importar-se com o tubo no repouso.

O mais importante, ouvirão os povos reais, que têm os tubos de alimentação, conversa sobre como fizeram a decisão e como ter um PEG melhorou suas vidas e aqueles do seu amaram.

O vídeo 26 minucioso é menu-driven e dividido em quatro capítulos: Tomada de decisão, processo da inserção do tubo, usando o tubo de alimentação e importando-se com o tubo de alimentação.

Uma equipe de enfermeiras experientes e um gastroenterologist principal criaram os materiais.

O índice é alvejado ao paciente, à família e aos caregivers na língua lisa que é reforçada throughout pelas demonstrações que são fáceis de seguir.

Do “o capítulo do caçador peixe-gato” de Jim do ALSA em Raleigh, NC reviu o vídeo e é ajudado ao foco o índice para servir à comunidade de ALSA.

“Há uma necessidade crítica na comunidade de MND/ALS para um vídeo que explica a importância de alimentar os tubos.

Este vídeo faz um trabalho maravilhoso de dirigir-se ao emocional e as perguntas processuais uma pessoa ou uma família terão quando considerando fazer exame de tal etapa”.

Sue Humphries, de serviços de MSW, de paciente & de família coordenador Nós estaremos exibindo na conferência de ALSA na praia de Newport, Califórnia, EUA janeiro 25-27, 2007. Há um disconto da mostra de 10% para todas as ordens colocadas antes janeiro de 31, 2007.

Uma amostra do vídeo pode ser vista em http://www.simplifiedtraining.com/tools/ nutritional_lifeline_sample.asp, que você pode requisitar cópias do vídeo em linha para o transporte positivo ou chamando 1.800.344.6681 para colocar uma ordem.

Para ordens de maioria ou para discutir o acordo dos nossos resellers', chama por favor nosso número 800 para falar a nosso diretor introduzindo no mercado.

Os pacientes relatam a essa visão este vídeo que “destaca pacientes apenas como eu” lhes dá a confiança e a informação ao movimento para a frente.

Uma etapa no sentido correto.

Mouse Ocular

13:16 @ 16/01/2007

A capacidade de comunicação do ser humano com seus semelhantes e o seu ambiente, representa uma das necessidades mais básicas da sua existência, com a qual este expressa seus anseios e sua evolução quanto a sua identidade. Perder tal capacidade pela imobilidade de movimentação e expressão, torna a existência de um indivíduo numa terrível tortura, pelo aprisionamento da sua mente em um corpo que passa a ser o seu cativeiro. Em uma abordagem sistêmica em que foram integrados conhecimentos de diversas áreas da ciência no objetivo de estabelecer uma tecnologia que possibilitasse a comunicação destes indivíduos para recuperar a sua capacidade de expressão, a Fundação Desembargador Paulo Feitoza (FPF) desenvolveu o Mouse Ocular.

A tecnologia utilizada pelo Mouse Ocular integra conhecimentos da fisiologia da movimentação do globo ocular e da caracterização destes movimentos pelos seus sinais elétricos biológicos capturados através de eletrodos de ECG (ver Figura 1). Estes sinais são condicionados (amplificados e filtrados) para que possam ser codificados digitalmente e processados no reconhecimento de seus padrões de movimentação por um hardware específico através da tecnologia de sistemas embarcados. Em seguida, a codificação do movimento do globo ocular é enviada por uma interface de comunicação para um computador pessoal do padrão PC.
 

Módulo de Controle

 

 

Esquema de Funcionamento

Entre as funcionalidades que o Mouse Ocular oferece, destaca-se a possibilidade de pessoas portadoras de necessidades especiais, com tetraplegias, ausência ou alto grau de comprometimento dos membros superiores, possam utilizar plenamente um computador, através da digitação de palavras, frases ou textos, navegação na Web e utilização de qualquer software, usando somente piscados e movimentos oculares. O Mouse Ocular possibilita ainda a seus usuários, o resgate da auto-estima, o aumento da sua autonomia, a reinserção no mercado de trabalho e o retorno aos estudos, proporcionando tanto a sua inclusão social, quanto digital. Sua aplicação é de fundamental importância na comunicação de pacientes com paralisias crônicas, advindas desde acidentes automobilísticos até distrofias musculares e doenças degenerativas congênitas, bem como em pós-operatório de pacientes com graves enfermidades.

O Mouse Ocular pode então ser definido como um transdutor, que converte os movimentos dos músculos que estão ao redor do globo ocular em sinais elétricos que podem comandar o funcionamento de equipamentos eletro-eletrônicos e/ou diversos softwares através do controle do cursor do mouse na tela de um microcomputador. Como mencionado anteriormente, após a sua captura por eletrodos de ECG colocados na face do usuário, os sinais elétricos analógicos são digitalizados, processados e comandam os movimentos e o clique do cursor na tela de um microcomputador, o qual pode ser usado para selecionar em um teclado virtual, especialmente desenvolvido pela FPF para pessoas portadoras de necessidades especiais, letras ou palavras chaves (tais como: sede, fome, frio, calor, etc), as quais representam os pedidos mais importantes para pessoas com total impossibilidade de comunicação tanto oral quanto física. Deste modo, utilizando o Mouse Ocular, o usuário pode com apenas um deslocamento dos olhos para a esquerda, direita, acima ou abaixo, movimentar um cursor na tela do microcomputador. Ao atingir a posição desejada, o usuário pode efetuar com apenas um piscar de olhos, a seleção de uma letra ou palavra.

 

Usuária Maria do Socorro Ferreira Pereira utilizando o Mouse Ocular
 


Declaração Universal dos Direitos Humanos

Versão na Íntegra

Artigos  01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15

                 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30

Preâmbulo

CONSIDERANDO que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da familia humana e seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo, CONSIDERANDO que o desprezo e o desrespeito pelos direitos do homem resultaram em atos bárbaros que ultrajaram a consciência da Humanidade, e que o advento de um mundo em que os homens gozem de liberdade de palavra, de crença e da liberdade de viverem a salvo do temor e da necessidade,
CONSIDERANDO ser essencial que os direitos do homem sejam protegidos pelo império da lei, para que o homem não seja compelido, como último recurso, à rebelião contra a tirania e a opressão, CONSIDERANDO ser essencial promover o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações, CONSIDERANDO que os povos das Nações Unidas reafirmaram, na Carta, sua fé nos direitos do homem e da mulher, e que decidiram promover o progresso social e melhores condições de vida em uma liberdade mais ampla, CONSIDERANDO que os Estados Membros se comprometeram a promover, em cooperação com as Nações Unidas, o respeito universal aos direitos e liberdades fundamentais do homem e a observância desses direitos e liberdades, CONSIDERANDO que uma compreensão comum desses direitos e liberdades é da mais alta importância para o pleno cumprimento desse compromisso,

A Assembléia Geral das Nações Unidas proclama a presente "Declaração Universal dos Direitos do Homem" como o ideal comum a ser atingido por todos os povos e todas as nações, com o objetivo de que cada indivíduo e cada órgão da sociedade, tendo sempre em mente esta Declaração, se esforce, através do ensino e da educação, por promover o respeito a esses direitos e liberdades, e, pela adoção de medidas progressivas de caráter nacional e internacional, por assegurar o seu reconhecimento e a sua observância universais e efetivos, tanto entre os povos dos próprios Estados Membros, quanto entre os povos dos territórios sob sua jurisdição.

Artigo 1
Todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade.

Artigo 2
I) Todo o homem tem capacidade para gozar os direitos e as liberdades estabelecidos nesta Declaração sem distinção de qualquer espécie, seja de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião política ou de outra natureza, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição.
II) Não será também feita nenhuma distinção fundada na condição política, jurídica ou internacional do país ou território a que pertença uma pessoa, quer se trate de um território independente, sob tutela, sem governo próprio, quer sujeito a qualquer outra limitação de soberania.

Artigo 3
Todo o homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

Artigo 4
Ninguém será mantido em escravidão ou servidão; a escravidão e o tráfico de escravos estão proibidos em todas as suas formas.

Artigo 5
Ninguém será submetido a tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante.

Artigo 6
Todo homem tem o direito de ser, em todos os lugares, reconhecido como pessoa perante a lei.

Artigo 7
Todos são iguais perante a lei e tem direito, sem qualquer distinção, a igual proteção da lei. Todos tem direito a igual proteção contra qualquer discriminação que viole a presente Declaração e contra qualquer incitamento a tal discriminação.

Artigo 8
Todo o homem tem direito a receber dos tribunais nacionais competentes remédio efetivo para os atos que violem os direitos fundamentais que lhe sejam reconhecidos pela constituição ou pela lei.

Artigo 9
Ninguém será arbitrariamente preso, detido ou exilado.

Artigo 10
Todo o homem tem direito, em plena igualdade, a uma justa e pública audiência por parte de um tribunal independente e imparcial, para decidir de seus direitos e deveres ou do fundamento de qualquer acusação criminal contra ele.

Artigo 11
I) Todo o homem acusado de um ato delituoso tem o direito de ser presumido inocente até que a sua culpabilidade tenha sido provada de acordo com a lei, em julgamento público no qual lhe tenham sido asseguradas todas as garantias necessárias a sua defesa.
II) Ninguém poderá ser culpado por qualquer ação ou omissão que, no momento, não constituiam delito perante o direito nacional ou internacional. Também não será imposta pena mais forte do que aquela que, no momento da prática, era aplicável ao ato delituoso.

Artigo 12
Ninguém será sujeito a interferências na sua vida privada, na sua família, no seu lar ou na sua correspondência, nem a ataques a sua honra e reputação. Todo o homem tem direito à proteção da lei contra tais interferências ou ataques.

Artigo 13
I) Todo homem tem direito à liberdade de locomoção e residência dentro das fronteiras de cada Estado.
II) Todo o homem tem o direito de deixar qualquer país, inclusive o próprio, e a este regressar.

Artigo 14
I) Todo o homem, vítima de perseguição, tem o direito de procurar e de gozar asilo em outros países.
II) Este direito não pode ser invocado em casos de perseguição legitimamente motivada por crimes de direito comum ou por atos contrários aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

Artigo 15
I) Todo homem tem direito a uma nacionalidade.
II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua nacionalidade, nem do direito de mudar de nacionalidade.

Artigo 16
I) Os homens e mulheres de maior idade, sem qualquer restrição de raça, nacionalidade ou religião, tem o direito de contrair matrimônio e fundar uma família. Gozam de iguais direitos em relação ao casamento, sua duração e sua dissolução.
II) O casamento não será válido senão com o livre e pleno consentimento dos nubentes.
III) A família é o núcleo natural e fundamental da sociedade e tem direito à proteção da sociedade e do Estado.

Artigo 17
I) Todo o homem tem direito à propriedade, só ou em sociedade com outros.
II) Ninguém será arbitrariamente privado de sua propriedade.

Artigo 18
Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observâcia, isolada ou coletivamente, em público ou em particular.

Artigo 19
Todo o homem tem direito à liberdade de opinião e expressão; este direito inclui a liberdade de, sem interferências, ter opiniões e de procurar, receber e transmitir informações e idéias por quaisquer meios, independentemente de fronteiras.

Artigo 20
I) Todo o homem tem direito à liberdade de reunião e associação pacíficas.
II) Ninguém pode ser obrigado a fazer parte de uma associação.

Artigo 21
I) Todo o homem tem o direito de tomar parte no governo de seu país diretamente ou por intermédio de representantes livremente escolhidos.
II) Todo o homem tem igual direito de acesso ao serviço público do seu país.
III) A vontade do povo será a base da autoridade do governo; esta vontade será expressa em eleições periódicas e legítimas, por sufrágio universal, por voto secreto ou processo equivalente que assegure a liberdade de voto.

Artigo 22
Todo o homem, como membro da sociedade, tem direito à segurança social e à realização, pelo esforço nacional, pela cooperação internacional e de acordo com a organização e recursos de cada Estado, dos direitos econômicos, sociais e culturais indipensáveis à sua dignidade e ao livre desenvolvimento de sua personalidade.

Artigo 23
I) Todo o homem tem direito ao trabalho, à livre escolha de emprego, a condições justas e favoráveis de trabalho e à proteção contra o desemprego.
II) Todo o homem, sem qualquer distinção, tem direito a igual remuneração por igual trabalho.
III) Todo o homem que trabalha tem direito a uma remuneração justa e satisfatória, que lhe assegure, assim como a sua família, uma existência compatível com a dignidade humana, e a que se acrescentarão, se necessário, outros meios de proteção social.
IV) Todo o homem tem direito a organizar sindicatos e a neles ingressar para proteção de seus interesses.

Artigo 24
Todo o homem tem direito a repouso e lazer, inclusive a limitação razoável das horas de trabalho e a férias remuneradas periódicas.

Artigo 25
I) Todo o homem tem direito a um padrão de vida capaz de assegurar a si e a sua família saúde e be
star, inclusive alimentação, vestuário, habitação, cuidados médicos e os serviços sociais indispensáveis, e direito à seguranca em caso de desemprego, doença, invalidez, viuvez, velhice ou outros casos de perda de meios de subsistência em circunstâncias fora de seu controle.
II) A maternidade e a infância tem direito a cuidados e assistência especiais. Todas as crianças, nascidas dentro ou fora do matrimônio, gozarão da mesma proteção social.

Artigo 26
I) Todo o homem tem direito à instrução. A instrução será gratuita, pelo menos nos graus elementares e fundamentais. A instrução elementar será obrigatória. A instrução técnic
rofissional será acessível a todos, bem como a instrução superior, esta baseada no mérito.
II) A instrução será orientada no sentido do pleno desenvolvimento da personalidade humana e do fortalecimento do respeito pelos direitos do homem e pelas liberdades fundamentais. A instrução promoverá a compreensão, a tolerância e amizade entre todas as nações e grupos raciais ou religiosos, e coadjuvará as atividades das Nações Unidas em prol da manutenção da paz.
III) Os pais têm prioridade de direito na escolha do gênero de instrução que será ministrada a seus filhos.

Artigo 27
I) Todo o homem tem o direito de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de participar do progresso científico e de fruir de seus benefícios.
II) Todo o homem tem direito à proteção dos interesses morais e materiais decorrentes de qualquer produção científica, literária ou artística da qual seja autor.

Artigo 28
Todo o homem tem direito a uma ordem social e internacional em que os direitos e liberdades estabelecidos na presente Declaração possam ser plenamente realizados.

Artigo 29
I) Todo o homem tem deveres para com a comunidade, na qual o livre e pleno desenvolvimento de sua personalidade é possível.
II) No exercício de seus direitos e liberdades, todo o homem estará sujeito apenas às limitações determinadas pela lei, exclusivamente com o fim de assegurar o devido reconhecimento e respeito dos direitos e liberdades de outrem e de satisfazer as justas exigências da moral, da ordem pública e do bem-estar de uma sociedade democrática.
III) Esses direitos e liberdades não podem, em hipótese alguma, ser exercidos contrariamente aos objetivos e princípios das Nações Unidas.

Artigo 30
Nenhuma disposição da presente Declaração pode ser interpretada como o reconhecimento a qualquer Estado, grupo ou pessoa, do direito de exercer qualquer atividade ou praticar qualquer ato destinado à destruição de quaisquer direitos e liberdades aqui estabelecidos.

Newswise — An injury to the brain can be devastating. When brain cells die, whether from head trauma, stroke or disease, a substance called glutamate floods the surrounding areas, overloading the cells in its path and setting off a chain reaction that damages whole swathes of tissue. Glutamate is always present in the brain, where it carries nerve impulses across the gaps between cells. But when this chemical is released by damaged or dying brain cells, the result is a flood that overexcites nearby cells and kills them.

A new method for ridding the brain of excess glutamate has been developed at the Weizmann Institute of Science. This method takes a completely new approach to the problem, compared with previous attempts based on drugs that must enter the brain to prevent the deleterious action of glutamate. Many drugs, however, can’t cross the blood-brain barrier into the brain, while other promising treatments have proved ineffective in clinical trials. Prof. Vivian Teichberg, of the Institute’s Neurobiology Department, working together with Prof. Yoram Shapira and Dr. Alexander Zlotnik of the Soroka Medical Center and Ben Gurion University of the Negev, has shown that in rats, an enzyme in the blood can be activated to “mop up” toxic glutamate spills in the brain and prevent much of the damage. This method may soon be entering clinical trials to see if it can do the same for humans.

Though the brain has its own means of recycling glutamate, injury causes the system to malfunction, leading to glutamate build up. Prof. Teichberg reasoned that this problem could be circumvented by passing glutamate from the fluid surrounding brain cells into the bloodstream. But first, he had to have a clear understanding of the mechanism for moving glutamate from the brain to the blood. Glutamate concentrations are several times higher in the blood than in the brain, and the body must be able to pump the chemical “upstream.” Glutamate pumps, called transporters, are found on the outsides of blood vessels, on cells that come into contact with the brain. These collect glutamate, creating small zones of high concentration from which the glutamate can then be released into the bloodstream.

Basic chemistry told him that he could affect the transporter activity by tweaking glutamate levels in the blood. When blood levels are low, the greater difference in concentrations causes the brain to release more glutamate into the bloodstream. He uses an enzyme called GOT that is normally present in blood to bind glutamate chemically and inactivate it, effectively lowering levels in the blood and kicking transporter activity into high gear. In their experiments, Teichberg and his colleagues used this method to scavenge blood glutamate in rats with simulated traumatic brain injury. They found that glutamate cleared out of the animals’ brains effectively, and damage was prevented.

Yeda, the technology transfer arm of the Weizmann Institute, now holds a patent for this method, and a new company based on this patent, called “Braintact Ltd.,” has been set up in Kiryat Shmona in northern Israel and is currently operating within the framework of Meytav Technological Incubator. The US FDA has assured the company of a fast track to approval. If all goes well, Phase I clinical trials are planned for the near future.

The method could potentially be used to treat such acute brain insults as head traumas and stroke, and prevent brain and nerve damage from bacterial meningitis or nerve gas. It may also have an impact on chronic diseases such as glaucoma, amyotrophic lateral sclerosis (ALS) or HIV dementia. Teichberg: “Our method may work where others have failed, because rather than temporarily blocking the glutamate’s toxic action with drugs inside the brain, it clears the chemical away from the brain into the blood, where it can’t do harm anymore.”

Prof. Vivian I. Teichberg's research is supported by the M.D. Moross Institute for Cancer Research; the Nella and Leon Benoziyo Center for Neurosciences; the Carl and Micaela Einhorn-Dominic Brain Research Institute; the Mario Negri Institute for Pharmacological Research – Weizmann Institute of Science Exchange Program; the Ruth and Samuel Rosenwasser Charitable Fund; the estate of Dr. Frank Goldstein, Chevy Chase, MD; Mr. and Mrs. Irwin Green, Boca Raton, FL; and the estate of Anne Kinston, UK.

The Weizmann Institute of Science in Rehovot, Israel, is one of the world's top-ranking multidisciplinary research institutions. Noted for its wide-ranging exploration of the natural and exact sciences, the Institute is home to 2,500 scientists, students, technicians and supporting staff. Institute research efforts include the search for new ways of fighting disease and hunger, examining leading questions in mathematics and computer science, probing the physics of matter and the universe, creating novel materials and developing new strategies for protecting the environment.

 

Fonte: Newswise.                

 

Por: Normando Oliveira.

www.normando.xpg.com.br

 

.............................................TRADUTOR ON LINE ...................................................

 

 

Newswise - um ferimento ao cérebro pode ser devastating. Quando as pilhas de cérebro morrerem, se do trauma, do curso ou da doença principal, uma substância chamada glutamate inunda as áreas circunvizinhas, sobrecarregando as pilhas em seu trajeto e ajustando fora de uma reação chain essa swathes inteiros dos danos do tecido. O Glutamate está sempre atual no cérebro, onde carrega impulsos de nervo através das aberturas entre pilhas.

Mas quando este produto químico é liberado por pilhas de cérebro danificadas ou morrendo, o resultado é uma inundação que as pilhas próximas dos overexcites e as matem. Um método novo para livrar o cérebro do glutamate adicional foi desenvolvido no instituto de Weizmann da ciência. Este método faz exame de uma aproximação completamente nova ao problema, comparado com as tentativas precedentes baseadas nas drogas que devem entrar no cérebro para impedir a ação deleterious do glutamate. Muitas drogas, entretanto, não podem cruzar a barreira blood-brain no cérebro, quando outros tratamentos prometedores provarem ineficaz em experimentações clínicas.

O Prof. Vivian Teichberg, do departamento do Neurobiology do instituto, trabalhando junto com o Prof. Yoram Shapira e o Dr. Alexander Zlotnik do centro médico de Soroka e da universidade de Ben Gurion do Negev, mostrou que nos ratos, um enzyme no sangue pode ser ativado “para esfregar acima” dos derramamentos tóxicos do glutamate no cérebro e para impedir muito dos danos. Este método pode logo incorporar experimentações clínicas para ver se puder fazer o mesmo para seres humanos. Embora o cérebro tem seus próprios meios de recycling o glutamate, ferimento faz com que o sistema funcione mal, conduzindo à configuração do glutamate acima.

O Prof. Teichberg raciocinou que este problema poderia circumvented passando o glutamate das pilhas de cérebro circunvizinhas fluidas no bloodstream. Mas primeiramente, teve que ter uma compreensão desobstruída do mecanismo para glutamate movente do cérebro ao sangue. As concentrações do Glutamate são diversas vezes mais altamente no sangue do que no cérebro, e o corpo deve bombeia o produto químico “rio acima.” As bombas do Glutamate, chamadas transporters, são encontradas nos outsides de embarcações de sangue, nas pilhas que vêm no contato com o cérebro. Estes coletam o glutamate, criando as zonas pequenas da concentração elevada de que o glutamate pode então ser liberado no bloodstream.

O chemistry básico disse-lhe que poderia afetar a atividade do transporter tweaking níveis do glutamate no sangue. Quando os níveis do sangue são baixos, a diferença mais grande nas concentrações faz com que o cérebro libere mais glutamate no bloodstream. Usa um enzyme chamado COMEÇADO que esteja normalmente atual no sangue ligar quimicamente o glutamate e inactivate o, eficazmente abaixando nivela no sangue e em retroceder a atividade do transporter na engrenagem elevada.

Em suas experiências, Teichberg e seus colegas usaram este método limpar o glutamate do sangue nos ratos com ferimento traumatic simulado do cérebro. Encontraram que o glutamate cancelou fora cérebros dos animais' eficazmente, e os danos foram impedidos. Yeda, o braço de transferência de tecnologia do instituto de Weizmann, prende agora uma patente para este método, e uma companhia nova baseada nesta patente, chamada “Braintact Ltd.,” foi ajustado acima em Kiryat Shmona em Israel do norte e operado atualmente dentro da estrutura do Incubator tecnologico de Meytav. O FDA dos E.U. assegurou a companhia de uma trilha rápida à aprovaçã0.

Se tudo for bem, as experimentações clínicas da fase I estão planeadas para o futuro próximo. O método podia potencial ser usado tratar insultos agudos do cérebro como os traumas e o curso principais, e impede os danos do cérebro e do nervo do gás bacteriano do meningitis ou de nervo.

Pode também ter um impacto em doenças crônicas tais como o glaucoma, o sclerosis de lateral amyotrophic (ALS) ou o dementia do HIV. Teichberg: “Nosso método pode trabalhar onde outro falhou, porque melhor que temporariamente obstruindo a ação tóxica do glutamate com as drogas dentro do cérebro, cancela o produto químico longe do cérebro no sangue, onde não pode fazer o dano anymore.”

A pesquisa do Prof. Vivian I. Teichberg é suportada pelo instituto de M.D. Moross para a pesquisa de Cancer; o Nella e o Leon Benoziyo centram-se para Neurosciences; o Carl e o instituto de pesquisa do cérebro de Micaela Einhorn-Dominic; o instituto para a pesquisa Pharmacological - instituto de Mario Negri de Weizmann do programa da troca da ciência; o fundo Charitable de Ruth e de Samuel Rosenwasser; a propriedade do Dr. Frank Goldstein, perseguição de Chevy, MD; Sr. e Sra. Irwin Verde, Boca Raton, FL; e a propriedade de Anne Kinston, Reino Unido.

O instituto da ciência em Rehovot, Israel de Weizmann, é uma das instituições de pesquisa multidisciplinary do alto-ranking do mundo. Notável para sua exploração wide-ranging das ciências naturais e exatas, o instituto é home a 2.500 cientistas, a estudantes, a técnicos e à equipe de funcionários suportando. Os esforços da pesquisa do instituto incluem a busca para maneiras novas de lutar a doença e a fome, de examinar perguntas principais na matemática e na informática, de sondar a física da matéria e do universo, de criar materiais da novela e de desenvolver estratégias novas para proteger o ambiente.

Por Wiliam Machado
O presidente do Conselho Municipal de Pessoas com Deficiência da cidade Três Rios (RJ), Wiliam Machado fala da importância em se produzir cadeiras de rodas adequadas com qualidade para a pessoa com deficiência física
Inserida em: 26/1/2007
Por Wiliam César Alves Machado




Não é de hoje que observo, com olhar crítico de maior interessado, o pouco empenho das empresas produtoras de materiais e equipamentos para atender as reais necessidades das pessoas com deficiência física, dependentes de ajuda para as atividades da vida diária, em especial, a higiene pessoal do banho diário, no que concerne à aplicação de novas tecnologias voltadas para o bem-estar dos cidadãos e/ou usuários de seus produtos. É importante ressaltar que a pessoa com deficiência física decorrente de lesão neurológica cerebral ou medular, por exemplo, apresenta singularidades humanas distintas, tanto do ponto de vista físico-funcional que determina seu grau de dependência para ajuda de terceiros, quanto necessidades específicas decorrentes de seu perfil sócio-econômico, grau de escolaridade, estrutura familiar, interação com cuidadores, entre outros, que, influenciam e demarcam seu acesso aos materiais e equipamentos disponíveis no mercado para promoção da saúde e qualidade de vida.

No caso das cadeiras higiênicas que servem também para o banho diário, definitivamente, não existem justificativas plausíveis da parte das empresas para o pouco uso e/ou mínima aplicação de tecnologias voltadas para a melhoria qualitativa dessa mercadoria, considerando a premência na promoção de conforto e segurança para seus usuários. Ameaçam sobremaneira a integridade cutânea das pessoas com lesão medular, devido a perda da sensibilidade dessas e o contato da pele com a superfície dura do assento sanitário e/ou partes metálicas cortantes da estrutura das cadeiras.

Por outro lado, causam desconforto às pessoas com lesão cerebral e preservação da sensibilidade, tomando como referência a textura do material usado na fabricação da peça que serve de "assento sanitário", extremamente rígida e, por isso, responsável pelo desencadeamento de dor, mal-estar, sudorese, além de muita ansiedade para terminar o mais rápido possível o que deveria ser uma rotina mais prazerosa e relaxante. Frequentemente de estrutura frágil que as tornam inseguras e altamente propensas à queda do usuário. Partes removíveis que expõem peças pontiagudas, cortantes, as quais resultam em lesões cutâneas devido à fricção, laceração e escoriação da pele com a consequente formação de escaras. Úlceras de pressão ou escaras, esse fantasma que tantos transtornos causa ao dia-a-dia da pessoa com deficiência, de seus familiares e/ou cuidadores.

Seria tão melhor, se os fabricantes de cadeiras higiênicas testam seus produtos com pareceres emitidos pelos usuários. Teste humanizado é imprescindível quando se trata de materiais e equipamentos para uso de pessoas com percepção além do sensorial. Basta enfocar o experimento na empatia, que requer esforço pra se colocar no lugar do outro. Testem e constatarão o quanto é preciso melhorar e adequar seus catálogos de produtos.

Doze anos de experiência como usuário cotidiano de cadeira higiênica, tive de partir para ajustamentos e improvisos no modelo adquirido no mercado, tamanha inadequação ao meu biotipo ou as necessidades decorrentes da lesão cerebral intrahemisférica com preservação da sensibilidade. Com ajuda e o dom inventivo de um dos meus irmãos carnais, proprietário de uma oficina mecânica, fizemos adaptações simples na estrutura da cadeira higiênica para sustentar assento tipo estofado e flexível, disponível na maioria das lojas de materiais de construção, o que possibilitou maior conforto e segurança nos banhos e evacuações diárias.

O fato de haver soldado peça metálica complementar para sustentação de todo o assento, foi determinante, uma vez que os modelos convencionais de cadeiras higiênicas são projetados com espaço vago na frente, o que inviabiliza utilização de assentos flexíveis. Solução caseira que poderia servir para estimular a criatividade dos fabricantes, caso estivessem sintonizados com o que se passa no cotidiano daqueles que se utilizam de suas mercadorias. Aliás, nada mais providencial que investir na contratação de pessoas com deficiência para a tarefa de planejar, avaliar e produzir materiais e equipamentos comprometidos com a promoção da qualidade de vida e saúde de seus pares. Existem muitos na expectativa de oportunidades e empresas precisando de suas contribuições, será que falta coragem dos empresários para o primeiro passo?

Outro detalhe relevante, as rodas utilizadas pelos fabricantes de cadeiras higiênicas são deveras frágeis, quase descartáveis, parecem ter sido planejadas para uso de pessoas com biotipo infantil ou adolescente desnutrido, de baixo peso, sabe-se lá o que mais. Toda vez que viajo e preciso usar outra cadeira higiênica, tenho a sensação que suas rodas vão entortar, e entortam mesmo. Chega a soltar a parte de borracha que serve de pneus.

A propósito, mais racional seria oferecer produtos que se enquadrassem às variadas necessidades dos usuários, pois somos singulares como os demais humanos. Consultem especialistas do IMETRO. Talvez a solução seja estabelecer parâmetros de peso com relação direta à capacidade de carga das rodas, senão, correremos sempre o risco de quedas com graves comprometimentos na estrutura corporal e seu funcionamento. As rodas da cadeira que faço uso diário foram trocadas por outras mais resistentes tão logo seu primeiro teste, as quais duram bastante, desde que mantidas lubrificadas e secas, após cada rotina de utilização.


Prof. Dr. Wiliam César Alves Machado é presidente do Conselho Municipal das Pessoas com Deficiência de Três Rios - Rio de Janeiro


Fonte: Sentidos