Grupos

Está aberto até o dia 1° de dezembro o Feirão Limpa Nome, tratando questões de renegociação de dívidas, do Serasa Consumidor. O evento acontece na internet pelo site do Serasa https://www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online/. As empresas que participam do Feirão Limpa Nome são: Santander, Ipanema, Tribanco, Porto, Itaú, Claro, NET, CredSystem, Recovery e Vivo. Quem está com dívidas atrasadas de outros anos pode acessar e participar, negociando com condições novas e acessíveis para fazer o pagamento. No Brasil são cerca de 61,4 milhões de pessoas que estão negativadas e cada negativado tem em média quatro dívidas totalizando 4.462 reais, segundo uma pesquisa feita pelo Serasa Consumidor. No total, todos os consumidores brasileiros que estão endividados somam 268 bilhões de reais. Todas as empresas que participam do feirão estão dispostas a negociar com seus clientes e podem até reativar o cadastro para o cliente ser ativo e utilizar os serviços novamente. Considerando as dívidas recentes, as empresas oferecem um desconto maior para que o cliente possa sair do vermelho. Para participar acesse o site do Serasa https://www.serasaconsumidor.com.br/limpa-nome-online/ e se cadastre na plataforma. Após ser feito login na plataforma, você é direcionado para uma página que exibe todas as suas dívidas que podem ser negociadas a qualquer momento. O site funciona 24 horas por dia e protege todos os seus dados colocados no sistema. Com o sonho de sair do aluguel e ter sua própria casa, o Feirão da Caixa traz diversas facilidades para quem deseja fazer essa aquisição. Após você limpar seu nome, pode estar participando do Feirão Caixa que percorre diversas cidades com opções para comprar um imóvel ou então construir. Para participar do Feirão, não é preciso fazer nenhuma inscrição prévia, somente você deve ficar atento as datas divulgadas no site oficial da Caixa para não perder o dia em que o feirão vai estar em sua cidade. Atenda aos requisitos exigidos pelo programa e saia com a chave da sua nova moradia do Feirão da Caixa.

O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal – CadÚnico foi criado para identificar as famílias que vivem com baixa renda, trazendo o conhecimento para o governo sobre a realidade socioeconômica da população. No CadÚnico são anexadas informações sobre características da residência em que o cidadão mora, dados pessoais, escolaridade, situação de trabalho e renda, entre outras informações. Em 2013, o Cadastro Único se tornou referência na escolha e inclusão de famílias com baixa renda em programas como Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica, Programa Minha Casa Minha Vida , Bolsa Verde e outros. O cadastro também pode ser utilizado por governos estaduais e municipais, funcionando como entrada para famílias conseguir acesso as políticas públicas. Se você busca fazer sua inscrição minha casa minha vida procure a prefeitura de sua cidade e se informe no setor responsável pelos cadastros para adquirir um imóvel. A Caixa Econômica Federal é a gestora responsável pela operação do Cadastro Único e quem realiza os cadastros é o governo federal, os estados, os municípios e o distrito federal. Para fazer a inscrição no Cadastro Único, é preciso que uma pessoa de pelo menos 16 anos se responsabilize por prestar informações sobre todos os membros da família para o entrevistador. O responsável que prestar informações solicitadas durante a entrevista é quem pode garantir que as informações são verdadeiras, além de atualizar o cadastro sempre que acontecer mudanças na família. O responsável familiar tem que procurar o setor responsável pelo Cadastro Único ou Bolsa Família em sua cidade. Busque informações junto ao Centro de Referência de Assistência Social – CRAS mais próximo de sua casa, geralmente o CRAS é responsável pelo cadastramento de famílias. Já vá preparado e leve os documentos obrigatórios para o cadastro: CPF ou título de eleitor. As exceções são as famílias indígenas e quilombolas: - O RF da família indígena pode apresentar o CPF, o título de eleitor, mas também o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI) ou outros documentos de identificação, como certidão de casamento, RG e carteira de trabalho. Caso você não consiga se inscrever no Cadastro Único para o Minha Casa Minha Vida, pode estar participando do Feirão da Caixa. Para conseguir comprar um imóvel pelo feirão, não é necessário fazer nenhuma inscrição prévia, basta somente comparecer ao local do feirão na sua cidade, portando os documentos necessários e atender aos requisitos propostos pela Caixa. No feirão você tem a possibilidade de adquirir uma casa pronta ou construir em um terreno que já é seu.

Foi aprovado pela Câmara de Deputados Federais uma lei de incentivo a sustentabilidade que é referente ao projeto de novas moradias do Minha Casa Minha Vida . O projeto propõe a instalação de painéis solares e dispositivos para reaproveitar a água, exigindo que as novas moradias reutilizem a água já usada e destine um espaço para o funcionamento de associações profissionais, cooperativas e microempresas individuais ou coletivas. O projeto segue para o senado em busca de uma aprovação. A ideia sobre a reutilização da água é para que as famílias possam reduzir o consumo de água e direcionar a água potável para consumos importantes, como beber, preparar alimentos ou para a higiene pessoal. A medida somente será válida para regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste do Brasil, beneficiando cerca de 400 mil pessoas que fizeram a sua inscrição minha casa minha vida . Caso você não tenha feito o cadastro Minha Casa Minha Vida , fique tranquilo! Existe uma chance para você realizar o sonhos de ter a sua casa própria pelo Feirão Caixa, fique atento as datas pelo (http://www.feiraodacaixa2016.com.br/) e faça uma visita ao feirão quando ele estiver em sua cidade. O Feirão da caixa surgiu como uma maneira de simplificar a vida de brasileiros que desejam construir uma casa ou comprar aquele apartamento dos sonhos de uma maneira muito simples, com um preço acessível e sem tantas burocracias. Para conseguir comprar um imóvel pelo feirão, não é necessário fazer nenhuma inscrição prévia, basta somente comparecer ao local do feirão na sua cidade, portando os documentos necessários e atender aos requisitos propostos pela Caixa. No feirão você tem a possibilidade de adquirir uma casa pronta ou construir em um terreno que já é seu. Os documentos que você vai precisar para adquirir um imóvel no feirão são: - RG, CNH ou qualquer documento oficial com foto; - CPF; - Comprovante de residência atualizado nos três últimos meses; - Comprovante de renda de todos os membros da sua família. Caso você tenha restrições em seu nome por estar no SPC ou Serasa, regularize a situação para conseguir aprovação na aquisição de um imóvel. Para mais informações você pode ir a qualquer Caixa próxima de sua casa ou entrar em contato pelo Atendimento ao Cliente (0800 726 0101), disponível 24 horas e também em finais de semana. Visite todos os estandes do feirão e simule as maneiras de pagamento e o melhor valor para você ou utilize o simulador minha casa minha vida (http://www.feiraodacaixa2016.com.br/simulador-minha-casa-minha-vida).

Criado em 2009 pelo governo federal, o Minha Casa Minha Vida surgiu para ajudar milhares de brasileiros sem condições financeiras a realizar o sonho de ter um imóvel próprio. A inscrição minha casa minha vida é feita de forma simples e rápida, somente atendendo a alguns requisitos exigidos pelo programa: - Não ter casa própria ou financiado um imóvel no seu nome; - Não ter recebido nenhum benefício em seu nome com programas de habitação do governo; - Apresentar o carnê do INSS, caso for autônomo; - Ter renda de até três salários mínimos; - Apresentar comprovante de renda com carteira de trabalho e contracheque. Com a oferta de mais moradias para os brasileiros, o Minha Casa Minha Vida foi lançado para financiar imóveis para pessoas com baixa renda, tendo as taxas de juros, subsídios e prestações mais baixas, variando de acordo com o salário do solicitante e pesando na análise se possui o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). Simule pelo http://www8.caixa.gov.br/siopiinternet-web/simulaOperacaoInternet.do?method=inicializarCasoUso e veja em qual faixa você se enquadra. FAIXA 1 A modalidade MCMV Faixa 1 produz empreendimentos habitacionais destinados a famílias com renda mensal bruta até R$ 1.800,00. Os valores dos imóveis variam de acordo com a localidade. Nesta faixa, o subsídio a que o beneficiário tem direito pode ser até 90% custeado. O pagamento será feito em até 120 prestações mensais de no máximo R$ 270,00, sem juros. FAIXA 1,5 A Faixa 1,5 - destinada a famílias com renda até R$ 2.600,00 - oferece subsídios até R$ 47.500,00 para financiamento de imóveis até R$ 135.000,00, com 5% de taxa de juros anuais, dependendo da renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS. FAIXA 2 A Faixa 2 é destinada a famílias com renda entre R$ 2.600,00 e R$ 4.000,00 e oferece subsídios até R$ 29.000,00 e taxa de juros de 5,5% a 7% ao ano, dependendo da renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS. FAIXA 3 Essa modalidade possibilita o acesso à moradia de famílias com renda bruta mensal acima de R$ 7.000,00 e até R$ 9.000,00, com condições especiais de taxas de juros, 8,16% a 9,16% ao ano, dependendo da sua renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS. O Minha Casa Minha Vida é um programa acessível, as prestações geralmente são baixas e as taxas de juros para financiar uma casa ou apartamento é bem abaixo que os tradicionais valores do mercado. Se você tiver menos de R00,00 como renda você deve fazer o cadastro minha casa minha vida na prefeitura da sua cidade ou em alguma organizadora que faça o processo seletivo do programa. Quem possui renda de até R00,00 ou mais, pode se inscrever em uma entidade organizadora Minha Casa Minha Vida. Após a inscrição, a Caixa entra em contato avisando sobre o sorteio das novas moradias.

O programa Minha Casa Minha Vida foi criado em 2009, ajudando milhares de brasileiros sem condições financeiras a realizar o sonho de ter uma casa própria. O programa permite a compra de um imóvel rural ou urbano, seja ele para moradia ou então para comércio. Para realizar a inscrição minha casa minha vida basta atender a alguns requisitos exigidos pelo programa, como: - Não ter casa própria ou financiado um imóvel no seu nome; - Não ter recebido nenhum benefício em seu nome com programas de habitação do governo; - Apresentar o carnê do INSS, caso for autônomo; - Ter renda de até três salários mínimos; - Apresentar comprovante de renda com carteira de trabalho e contracheque. Pensando em oferecer mais moradias no Brasil, o governo lançou o Minha Casa Minha Vida financiando imóveis para pessoas de baixa renda. As taxas de juros, subsídios e prestações variam conforme o salário do solicitante e pesam na análise se possui o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Faça uma simulação pelo site http://www8.caixa.gov.br/siopiinternet-web/simulaOperacaoInternet.do?method=inicializarCasoUso e veja em qual faixa você se enquadra. FAIXA 1 A modalidade MCMV Faixa 1 produz empreendimentos habitacionais destinados a famílias com renda mensal bruta até R$ 1.800,00. Os valores dos imóveis variam de acordo com a localidade. Nesta faixa, o subsídio a que o beneficiário tem direito pode ser até 90% custeado. O pagamento será feito em até 120 prestações mensais de no máximo R$ 270,00, sem juros. FAIXA 1,5 A Faixa 1,5 - destinada a famílias com renda até R$ 2.600,00 - oferece subsídios até R$ 47.500,00 para financiamento de imóveis até R$ 135.000,00, com 5% de taxa de juros anuais, dependendo da renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS. FAIXA 2 A Faixa 2 é destinada a famílias com renda entre R$ 2.600,00 e R$ 4.000,00 e oferece subsídios até R$ 29.000,00 e taxa de juros de 5,5% a 7% ao ano, dependendo da renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS. FAIXA 3 Essa modalidade possibilita o acesso à moradia de famílias com renda bruta mensal acima de R$ 7.000,00 e até R$ 9.000,00, com condições especiais de taxas de juros, 8,16% a 9,16% ao ano, dependendo da sua renda, localização do imóvel e se houve contribuição ao FGTS. O Minha Casa Minha Vida é um programa acessível, as prestações geralmente são baixas e as taxas de juros para financiar uma casa ou apartamento é bem abaixo que os tradicionais valores do mercado. Se a sua renda é de menor que R00,00 você deve se inscrever na prefeitura da sua cidade ou em alguma organizadora que faça o processo seletivo do programa. Quem possui renda de até R00,00 ou mais, pode se inscrever em uma entidade organizadora Minha Casa Minha Vida. Após a inscrição, a Caixa entra em contato avisando sobre o sorteio das novas moradias.

Um projeto aprovado pela Câmara de deputados federais, aprovou uma lei de incentivo e sustentabilidade referente ao projeto Minha Casa Minha Vida (PL 3440/15 da ex deputada Moema Gramacho). A proposta que exige painéis solares e dispositivos que reaproveitem a água, segue para o senado em busca de uma aprovação. O projeto possui 11 itens na pauta. A exigência é que as novas moradias contem com a reaproveitação da água já usada, destine espaço para o funcionamento de associações profissionais, cooperativas e microempresas individuais ou coletivas. Essa ideia de reutilização da água é justamente para que as famílias possam reduzir o consumo de água e direcionar a causas mais importantes a água potável, como beber, preparar alimentos e higiene pessoal. Essa medida será válida somente para regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste do Brasil, atingindo e beneficiando cerca de 400 mil famílias. Se você não fez o cadastro no programa Minha Casa Minha Vida, pode ficar tranquilo porque existe uma chance de realizar o sonho da casa própria. Fique atento as datas do feirão caixa e faça uma visita ao feirão quando ele estiver em sua cidade. O Feirão da caixa surgiu como uma maneira de simplificar a vida de brasileiros que desejam construir uma casa ou comprar aquele apartamento dos sonhos de uma maneira muito simples, com um preço acessível e sem tantas burocracias. Para conseguir comprar um imóvel pelo feirão, não é necessário fazer nenhuma inscrição prévia, basta somente comparecer ao local do feirão na sua cidade, portando os documentos necessários e atender aos requisitos propostos pela Caixa. No feirão você tem a possibilidade de adquirir uma casa pronta ou construir em um terreno que já é seu. Os documentos que você vai precisar para adquirir um imóvel no feirão são: - RG, CNH ou qualquer documento oficial com foto; - CPF; - Comprovante de residência atualizado nos três últimos meses; - Comprovante de renda de todos os membros da sua família. Caso você tenha restrições em seu nome por estar no SPC ou Serasa, regularize a situação para conseguir aprovação na aquisição de um imóvel. Para mais informações você pode ir a qualquer Caixa próxima de sua casa ou entrar em contato pelo Atendimento ao Cliente (0800 726 0101), disponível 24 horas e também em finais de semana. Visite todos os estandes do feirão e simule as maneiras de pagamento e o melhor valor para você ou utilize o simulador minha casa minha vida .