Grupos

http://www.morroazuleventos.com.br/



Dr. Bonzinho.



O Posto de Urgência de Miracema, por indicação do vereador Juedyr Orçay, recebeu o nome de "Dr. Bonzinho". Sebastião Bruno, conhecido por Dr. Bonzinho, foi um benfeitor de nossa cidade, dedicando sua vida profissional e política ao progresso de nossa terra.

Com consultório médico por longos anos na Rua Mattoso Maia, foi também através de sua passagem pela Assembléia Legislativa estadual que levou até Miracema a agência da CEDAE, além de inúmeras outras realizações.

Numa justa homenagem, a Câmara de Vereadores indicou e o prefeito sancionou o nome de Dr. Bonzinho para o P.U.




P. U. de Miracema.

Como divulgado no jornal "O Porta Voz", o vereador Juedyr Orçay apresentou como justificativa as seguintes considerações:

"Que o Dr. Sebastião Bruno teve uma brilhante vida no cenário político, sendo vereador em Miracema no período de 1955 a 1958; Que o Dr. Sebastião Bruno foi Deputado Estadual; Que o Dr. Sebastião Bruno exerceu a medicina durante muitos anos de sua vida, chegando a ser apelidado de "Doutor Bonzinho" e Que o Dr. Sebastião Bruno era pessoa muito benquista no seio de nossa comunidade."

O mesmo jornal publicou também:

"Aprovado na Câmara Municipal no dia 17 de dezembro último, o projeto de lei de autoria do vereador Juedyr Orsay foi sancionado pelo Prefeito Municipal ( Lei nº 1.177 de 17 de dezembro de 2007) e publicado no Boletim oficial do município no dia 30 de dezembro e autorizado a confecção da referida placa que será colocada em local visível na frente do PU de Miracema.

"Dr. Bonzinho era muito querido pela sua maneira carinhosa e atenciosa como atendia a todos, por isso merece todas as nossas homenagens".



Do Blog, com informações e fotografias de Walter Santos, do Jornal O PORTA VOZ.


QUATRO ESTADOS VACINAM CONTRA FEBRE AFTOSA

Criadores de quatro estados brasileiros têm que vacinar, este mês, o rebanho contra a febre aftosa.
O circuito abrange a parte leste de Minas Gerais ao lado direito dos rios Grande e São Francisco. Além de Minas, vacinam no mês de março outros estados: Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia.

Informações do site: www.globo.com/globorural



A Febre aftosa é uma enfermidade altamente contagiosa que ataca a todos os animais de casco fendido, principalmente bovinos, suínos, ovinos e caprinos, e muito menos os carnívoros, mamíferos; os animais solípedes são resistentes. Dá-se em todas as idades, independente de sexo, raça, clima, etc., porém há diferenças de suscetividade de espécie.

A doença é produzida pelo menos por seis tipos de vírus, classificados como A,O,C,SAT-1,SAT-2 e SAT-3, sendo que os três últimos foram isolados na África e os demais apresentam ampla disseminação. Não há transmissores de aftosa, o vírus é vinculado pelo ar, pela água e alimentos, apesar de ser sensível ao calor e a luz. 

A imunidade contra um deles não protege contra os outros. Além disso, constataram-se alguns subtipos dos vírus citados, com a particularidade de que uns causam ataques mais graves que outros e alguns se propagam mais facilmente. Esta complexidade, apresenta um aspecto muito desfavorável, pois um animal atacado por um tipo de vírus, embora ofereça resistência ao mesmo, é ainda suscetível aos outros tipos e subtipos.

PREJUÍZOS CAUSADOS - A gravidade da aftosa não decorre das mortes que ocasiona, mas principalmente dos prejuízos econômicos, atingindo todos os pecuaristas, desde os pequenos até os grandes produtores. Causa em conseqüência da febre e da perda de apetite, sob as formas de quebra da produção leiteira, perda de peso, crescimento retardado e menor eficiência reprodutiva. Pode levar à morte, principalmente os animais jovens; As propriedades que têm animais doentes são interditadas; A exportação da carne e dos produtos derivados torna-se difícil; Provoca aborto e infertilidade; Os animais doentes podem adquirir com maior facilidade outras doenças, devido à sua fraqueza.

TRANSMISSÃO - A febre aftosa é uma doença extremamente infecciosa. O Vírus se isola em grandes concentrações no líquido das vesículas que se formam na mucosa da língua e nos tecidos moles em torno das unhas. O sangue contém grandes quantidades de vírus durante as fases iniciais da enfermidade, quando o animal é muito contagioso.

Quando as vesículas arrebentam, o vírus passa à saliva e com a baba infecta os alojamentos, os pastos e as estradas onde passa o animal doente. Resiste durante meses em carcaças congeladas, principalmente na medula óssea. Dura muito tempo na erva dos pastos e na forragem ensilada. Persiste por tempo prolongado na farinha de ossos, nos couros e nos fardos de feno.

Outras vezes o contágio é indireto e, nesse caso, o vírus é transportado através de alimentos, água, ar e pássaros. Também as pessoas que cuidam dos animais doentes levam em suas mãos, na roupa ou nos calçados, o vírus, o qual é capaz de contaminar animais sadios. Nos animais infectados naturalmente, o período de incubação, varia de dezoito horas e três semanas.


SINTOMAS - A elevação da temperatura e a diminuição do apetite são os primeiros indícios da infecção. O vírus ataca a boca, língua, estômago, intestinos, pele em torno das unhas e na coroa. No inicio, febre com papulas que se transformam em pústulas, em vesículas, que se rompem e dão aftas na língua, lábios, gengivas e entre os cascos, o animal baba muito e tem dificuldade de se alimentar. Devido às lesões entre os cascos, o animal tem dificuldade de se locomover. Nos dois primeiros dias a infecção progride pelo sangue produzindo febre; depois aparecem as vesículas na boca e no pé. Também surgem nas tetas. Então a febre desaparece, porém, a produção de leite cai e a manqueira aparece, bem como a mamite com todas as suas graves conseqüências.

As vesículas se rompem e libertam um líquido transparente ou turvo; aftas,  que aparecem após 24 a 48 horas, resultantes são dolorosas e podem sofre infecção secundária. A secreção de saliva aumenta e fios de baba começam a cair da boca. O animal mastiga produzindo ruído caracterizado, ao abrir a boca, chamado "beijo da aftosa". Nos ovinos e caprinos, as lesões das patas são características, enquanto que as da boca podem ser pequenas e passarem desapercebidas. Os surtos de aftosa surgem repentinamente e com muita freqüência; todos os animais suscetíveis do rebanho apresentam os sintomas praticamente ao mesmo tempo. A intensidade da doença é muito variável. Na forma leve, as perdas podem alcançar uns 3%, enquanto que nas graves alcançam 30 a 50%, porém, em média, a mortalidade é baixa nos adultos e elevada nos jovens , principalmente os em aleitamento, porque as mães não os deixam mamar. Os animais que sobrevivem, se recuperam dentro de vinte duas porém, às vezes, a recuperação é bastante demorada; alguns animais com lesões cardíacas são irrecuperáveis, bem como as perdas de tetas.


PROFILAXIA E CUIDADOS -

  • Nos países livres de febre aftosa o método geralmente empregado consiste no sacrifício dos animais doentes e suspeitos, destruição dos cadáveres e indenização dos proprietários.
  • Vacinação regular do gado de 6 em 6 meses a partir do 3º mês de idade ou quando o Médico Veterinário recomendar.
  • Os animais que receberam a primeira dose de vacina, deverão ser revacinados 90 dias após a primeira vacinação.
  • Suspeitando da existência da doença em sua propriedade ou na de vizinhos, avise imediatamente o Médico Veterinário.
  • Confirmada a doença, isole os animais doentes, proíba a entrada e saída de veículos, pessoas e animais, instale pedilúvios com desinfetantes e siga as orientações do Médico Veterinário.
  • Quando comprar animais, exija que os mesmos estejam vacinados.
  • Só faça o transporte com atestado de vacinação.
  • As vacas prenhes devem ser vacinadas a fim de que elas possam proteger o bezerro através do colostro.
  • A vacinação não causa aborto nos animais. Cuidados especiais devem ser tomados no manejo das vacas prenhes, pois é o mau manejo que poderá causar aborto e nunca a vacina.
  • Exija sempre que o revendedor acondicione bem e faça o transporte correto das vacinas.
  • Animais vindos de outras propriedades devem ser isolados, vacinados e observados por um período mínimo de 15 dias, antes de serem misturados com os outros animais da propriedade.
  • Nos recintos de exposições, feiras e remates, devem ser adotadas rígidas medidas de higiene e desinfecção, e se a situação exigir, as autoridades sanitárias podem suspender os referidos eventos.
  • É muito importante o pecuarista conhecer bem a Febre Aftosa, para que ao aparecer a doença em animais de seu rebanho, ele esteja capacitado para adotar medidas sanitárias, visando ao seu controle.
  • Siga corretamente as orientações do Médico Veterinário. É importante o contato freqüente com o Médico Veterinário, o qual estará sempre pronto a prestar os esclarecimentos necessários.

    VACINAÇÃO - No Brasil, o processo mais aconselhável é a vacinação periódica dos rebanhos, assim como a vacinação de todos os bovinos antes de qualquer viagem. Em geral a vacina contra a febre aftosa é aplicada, de 6 em 6 meses, a partir do 3º mês de idade. A vacinação contra a Febre Aftosa no Estado de São Paulo deve ser feita nos meses de MARÇO E SETEMBRO. Na aplicação devem ser obedecidas as recomendações do fabricante em relação à dosagem, tempo de validade, método de conservação e outros pormenores.


BIBLIOGRAFIA:
Millen, Eduardo, 1983
Guia Técnico Agropecuário - Veterinária e Zootecnia
Guia Rural Abril, 1988

Informações e foto do site: http://www.saudeanimal.com.br/aftosa.htm






ESTRADAS DECENTES JÁ!

22:04 @ 08/03/2008



Rodovia que interliga municípios da Zona da Mata está intransitável, apesar dos apelos de prefeitos e de moradores. Além do perigo, região sofre grande prejuízo Ricardo Beghini - Estado de Minas. Em alguns trechos o asfalto desapareceu e os carros trafegam com lentidão

Além Paraíba - Retrato do descaso com a malha rodoviária federal que corta Minas Gerais, os 38 quilômetros da BR-393 – que inteliga os municípios de Além Paraíba, Volta Grande, Estrela Dalva e Pirapetinga, na Zona da Mata – põem em xeque a seriedade dos programas de recuperação de estradas no país. A pista passou por uma operação tapa-buracos no ano passado, mas crateras maiores e até mais profundas ressurgiram em pouco tempo e tomam conta da pista, prejudicada também pela falta de acostamento, mato alto e barrancos, que ameaçam desmoronar.


 


O Estado de Minas, assim como fez com as BRs 381, 354 e 135, percorreu a 393, condenada até pelo superintendente regional do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit), Fernando Guimarães Rodrigues, e constatou as péssimas condições da estrada, que levaram o Ministério Público Federal (MPF) a ajuizar ação civil pública na 2ª Vara da Justiça Federal de Juiz de Fora, no dia 20. A Procuradoria da República quer o fechamento da rodovia, até que os problemas sejam sanados pelo Dnit. Se a solicitação for atendida pela Justiça, o órgão deverá manter o tráfego em apenas um sentido durante 30 dias para fazer as reformas. Se não começar as obras, o tráfego será interrompido nos dois sentidos.
 
Os planos de emergência do Dnit de Leopoldina para a BR-393, traçados antes da ação do MPF, não são animadores para os motoristas. De acordo com o supervisor regional, Celso Machado, o serviço previsto é paliativo, seguindo os moldes da última operação tapa-buracos. A licitação ainda tramita no departamento. "A obra tem que ser feita antes do período das chuvas", alerta Machado, ao admitir que só uma restauração profunda vai melhorar a pista.
 
"Tenho, muita vezes, que invadir a contramão, correndo o risco de bater em outro veículo", afirma o vendedor Márcio Titoneli, que usa a 393 uma vez por semana. Motorista de uma caminhonete, ele é um dos muitos que tiveram o pneu do carro furado no percurso. "Tive dificuldade para fazer a troca. Era tardinha e não havia acostamento", acrescenta. Por causa da insegurança, Titoneli já pensa em mudar de trajeto entre a sede da empresa, em Cataguases, até Pirapetinga, aumentando a viagem em 40 quilômetros.
 
De janeiro a julho houve 59 acidentes na rodovia. Trinta e nove pessoas ficaram feridas, quatro em estado grave, e uma morreu. Para complicar a situação, a fiscalização é de responsabilidade do 3º Grupamento de Polícia Rodoviária Estadual de Dona Euzébia, que fica a 80 quilômetros da 393. "A estrada nos foi delegada por meio de convênio entre a Polícia Militar e a Polícia Rodoviária Federal (PRF)", revela o sargento Ronald Abati Correia, comandante do grupamento.
 
Na prática, a fiscalização e até o registro de ocorrências são feitos por policiais militares das cidades ao longo da rodovia. "Todas as noites fazemos uma patrulha", conta o sargento José Maçal, comandante do destacamento de Volta Grande. Segundo ele, uma quadrilha, presa há três meses, aproveitava a baixa velocidade dos veículos para assaltar motoristas.
 
REPORTAGEM PUBLICADA EM 30/8/2007.

E VIVA A MULHER MIRACEMENSE!

22:59 @ 08/03/2008


Professoras da E.E. Dr. Ferreira da Luz. Foto cedida por Marcelino de Alvim Tostes.


Essa é uma homenagem do GRUPO CONTERRÂNEOS E AMIGOS DE MIRACEMA à MULHER MIRACEMENSE, em especial NOSSAS PROFESSORAS, pelo Dia 08 de março, DIA INTERNACIONAL DA MULHER.


Oferta do amigo e conterrâneo Gilson Coimbra:

Cora Coralina

Vive dentro de mim
uma cabocla velha
de mau-olhado,
acocorada ao pé do borralho,
olhando pra o fogo.
Benze quebranto.
Bota feitiço...
Ogum. Orixá.
Macumba, terreiro.
Ogã, pai-de-santo...


Vive dentro de mim
a lavadeira do Rio Vermelho,
Seu cheiro gostoso
d'água e sabão.
Rodilha de pano.
Trouxa de roupa,
pedra de anil.
Sua coroa verde de são-caetano.


Vive dentro de mim
a mulher cozinheira.
Pimenta e cebola.
Quitute bem feito.
Panela de barro.
Taipa de lenha.
Cozinha antiga
toda pretinha.
Bem cacheada de picumã.
Pedra pontuda.
Cumbuco de coco.
Pisando alho-sal.


Vive dentro de mim
a mulher do povo.
Bem proletária.
Bem linguaruda,
desabusada, sem preconceitos,
de casca-grossa,
de chinelinha,
e filharada.


Vive dentro de mim
a mulher roceira.
– Enxerto da terra,
meio casmurra.
Trabalhadeira.
Madrugadeira.
Analfabeta.
De pé no chão.
Bem parideira.
Bem criadeira.
Seus doze filhos.
Seus vinte netos.


Vive dentro de mim
a mulher da vida.
Minha irmãzinha...
tão desprezada,
tão murmurada...
Fingindo alegre seu triste fado.


Todas as vidas dentro de mim:
Na minha vida –
a vida mera das obscuras.


Poemas dos becos de Goiás e estórias mais -
Global Editora, 1983 - S.Paulo, Brasil



20/8/2007 11h38

Medida deve durar até que o Dnit efetue reparos emergenciais na rodovia.

O Ministério Público Federal em Juiz de Fora (MG) ajuizou nova ação civil pública pedindo a restauração de mais uma rodovia federal em Minas: desta vez, trata-se de trecho da BR-393, situado entre os municípios de Além Paraíba e Pirapetinga, na Zona da Mata. Os problemas encontrados são os mesmos que se repetem na malha rodoviária: asfalto defeituoso, buracos na pista, erosões, falta de sinalização e de fiscalização.

Segundo a Procuradoria da República em Juiz de Fora, o trecho mencionado encontra-se em estado tão calamitoso que, além dos prefeitos da região, até promotores de Justiça e Juízes de Direito que atuam no estado do Rio de Janeiro, têm procurado o MPF para pedir providências quanto ao estado de conservação da BR-393.

A rodovia, que liga importantes cidades daquela região e é utilizada também pela população de cidades do oeste fluminense, foi excluída, até o momento, do programa federal de concessões que tem premiado os "filões" da malha rodoviária nacional. Segundo o MPF, "o frágil asfalto da rodovia BR-393 está sendo totalmente consumido pelo pesado tráfego que foge das rodovias com pedágio" e, hoje, mais parece uma "colcha de retalhos, pondo em risco a vida de motoristas, passageiros e pedestres".

O procurador da República André Tarquínio Barreto, autor da ação, sustenta que "em virtude das precárias condições da rodovia BR-393, a dotação orçamentária do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transporte (Dnit) tem de ser feita pela União de forma urgente, imediata, através da abertura de créditos suplementares. A se aguardar o lento trâmite da dotação orçamentária pelas vias ordinárias, muitas vidas já podem ter sido ceifadas diante dessa omissão inconcebível do Poder Público". E defende que recursos não faltam para isso, já que, além da arrecadação geral de impostos, os recursos provenientes da Cide somaram, "apenas entre janeiro e junho de 2007, 3,88 bilhões de reais, informação obtida na home page da Secretaria da Receita Federal. Portanto, não é verossímil a alegação de falta de recursos financeiros após esta rentável fonte de receitas. Existe dinheiro suficiente para arrumar as estradas".




Restrição - Em caráter emergencial, diante dos perigos a que os usuários estão expostos, o MPF pede que a Justiça determine, liminarmente, a restrição do tráfego naquele trecho da BR-393, com a implantação de fluxo unidirecional de veículos durante 30 dias. Nesse prazo, o Dnit deverá efetuar reparos emergenciais no pavimento e na sinalização da rodovia, garantindo condições mínimas de segurança. O trânsito deverá ser feito no sistema de "comboios" com intervalos razoáveis, 24 horas por dia, mediante operações organizadas pela Polícia Rodoviária Federal. Somente no caso de essa reparação não vir a ser feita, é que se requer a interdição total do tráfego a partir do 31º dia, até que se realizem as obras emergenciais.

No mérito, o MPF pede a responsabilização do Dnit por danos materiais e morais causados aos usuários em virtude do péssimo estado de conservação da BR-393, devendo os usuários comprovarem apenas o dano e o nexo de causalidade.

Pede ainda que o Dnit seja condenado a realizar, no prazo de 60 dias, contados do trânsito em julgado da decisão, a restauração da BR-393, no trecho entre Além Paraíba e Pirapetinga, promovendo o recapeamento integral, e não paliativas operações "tapa-buracos", por sinal, realizadas em 2006 e já totalmente destruídas. Essa medida é necessária, "para que não seja, novamente, desperdiçado o dinheiro público com obras que não duram sequer um ano", ressalta o procurador. Ele requer também a instalação de sinalização horizontal e vertical e de postos de pesagem, já que "a maior causa de danos ao pavimento de rodovias é o excesso de peso nos caminhões".

A ação, de nº 2007.38.01.004742-7, foi ajuizada perante a 2ª Vara da Justiça Federal em Juiz de Fora.



Maria Célia Néri de Oliveira
Assessoria de Comunicação
Procuradoria da República em Minas Gerais
(31) 2123.9008

 

Site do MPF
Foto de José Souto Tostes

Agricultura: Miracema já tem mais uma colheitadeira de arroz

05/03 - O Prefeito Carlos Roberto está investindo em tecnologia de ponta para o cultivo do arroz irrigado em Miracema, para tanto, a Prefeitura através do programa PRODESA adquiriu mais uma colheitadeira de arroz.

A máquina com mecanismo de separação de grãos com ventilação,  custou R$ 70.000,00 (setenta mil reais), sendo:

R$ 57.730,00 (cinquenta e sete mil, setecentos e trinta reais) de repasse do Programa PRODESA e R$ 12.269,76 (doze mil, duzentos e sessenta e nove reais e setenta e seis centavos, de contrapartida da Prefeitura.




Do site oficial da Prefeitura Municipal de Miracema - www.miracema.rj.gov.br

PROJETO FLORESCER.

15:43 @ 11/03/2008



O objetivo é gerar uma nova fonte de emprego e renda através da cadeia produtiva das plantas ornamentais e flores e folhagem de corte.

O investimento da Prefeitura no projeto até agora está na ordem de três mil reais, na compra de sacolas, vasos e tela para sombreamento que são repassados aos produtores interessados a preço de custo.

Atualmente seis pessoas participam do projeto recebendo assistência técnica semanal, visitando-se uns aos outros para troca de experiência. Neste ano, alguns destes produtores participaram da 4ª Expoflor no Espírito Santo onde fizeram contato com diversos produtores,  cursos, e aquisição de matrizes.


A intenção é criar uma associação de produtores a fim de que os próprios gerenciem as suas ações e finanças.

Novos interessados no Projeto, devem procurar a Secretaria Municipal de Agricultura a fim de levantar um projeto técnico específico para a área disponível, onde se verifica as condições climáticas, espaço físico e principalmente a aptidão do interessado.


Os produtores já pensam numa segunda edição da feira durante a Exposição Agropecuária de Miracema que vai acontecer em maio/2008.



Produtores integrantes do Projeto:


Marta Fernandes

Maria Auxiliadora Borges

Márcia Medeiros

Luci Borges Narciso

Marco Aurélio Braga Tostes

Rosana Lima

Ana Cristina Bittar - Técnica responsável

 

Mais informações: (22) 3852.2076 (Secretaria de Agricultura de Miracema)

Do site Oficial da Prefeitura Municipal de Miracema

www.miracema.rj.gov.br




Miracema comemora no dia 22 de março, o DIA MUNICIPAL DA ÁGUA.

Através da Lei nr. 1164, de 12/11/2007, ficou estabelecido o DIA MUNICIPAL DA ÁGUA, comemorado no dia 22 de março.

Além de estabelecer o dia da comemoração, em seu artigo 2º, a lei diz:

"O Poder Público Municipal, incentivará as empresas, entidades civis e entes públicos a realizarem atividades com  a finalidade de divulgar a importância da água, seu uso e disponibilidade, proporcionando eventos e promoções no DIA MUNICIPAL DA ÁGUA."


Foto do Blog www.miracemarj.blogspot.com

Informações do Site Oficial da Prefeitura.

                                                                      


Haverá RODA DE CHORO neste SÁBADO, dia 15/3/08, no POSTO BEDENGO à partir das 22 hs. com o  grupo "ACADEMIA DO CHORO"



 Comunidade no orku: "ACADEMIA DO CHORO", participe você também:

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=42467718



Valor da aquisição da rede é estimado em R$ 700 milhões

Patrícia Cançado

A varejista Renner anunciou ontem que negocia a compra da rede fluminense Leader Magazine, especializada em cama, mesa, banho e vestuário. O negócio está sujeito à análise dos dados financeiros da empresa, a chamada due diligence, que pode durar até 120 dias. O valor do negócio não foi divulgado. Analistas e fontes do mercado estimam que a rede saia por cerca de R$ 700 milhões. “Não vamos incorporar a Leader. Queremos manter as duas marcas independentes”, afirma José Galló, presidente da Renner.

Embora seja uma grife forte no Rio de Janeiro - Estado onde estão 30 das suas 38 lojas, o objetivo da aquisição não é de ordem geográfica. Segundo Galló, a compra dará à Renner uma oportunidade de vender para o público das classes C e D. “É onde estão acontecendo as coisas hoje. E a Renner não vende para esse público”, diz Galló.

A Leader foi disputada palmo a palmo pela Renner e pelo fundo de private equity Advent, que é dono, entre outros negócios, da rede de restaurantes Viena. As negociações começaram em novembro do ano passado. “A Renner chegou com uma boa proposta e acabou levando”, diz uma fonte do mercado. “A Leader é uma empresa lucrativa e com uma operação de cartões muito bem administrada. Suas lojas têm uma localização muito valiosa.”

A empresa - criada nos anos 50 pela família Gouvêa na cidade de Miracema (RJ), iniciou um processo de profissionalização há dois anos. Contratou a consultoria Alvarez & Marsal para ajudá-la nessa fase e, no ano passado, deu início a um projeto ambicioso de expansão. Foram abertas nove lojas, sendo três em Minas Gerais. Para isso, levantou um financiamento de R$ 29 milhões no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Há quem acredite que a empresa já estava sendo preparada para ser vendida. Outros suspeitam que a Renner é quem foi atrás do negócio, o que acabou atraindo o interesse do fundo de investimentos. Juntas, as duas empresas terão um faturamento bruto acima de R$ 3 bilhões e uma rede de 133 lojas. Segundo Galló, a Leader tinha um problema sucessório. “A geração mais nova tinha outra vocação”, diz o executivo.

Durante anos a empresa carioca foi mais conhecida pelas áreas de cama, mesa e banho, segundo um ex-executivo de uma concorrente da Leader. Hoje, também é forte em vestuário - mais da metade das vendas já vem dessa área.

Com a falência da Pernambucanas no Rio de Janeiro na década de 90, a Leader ocupou o espaço da rede e reforçou sua atuação em vestuário. Foi quando atingiu 15 lojas e abriu uma fábrica no interior do Rio, que atualmente abastece 30% das roupas femininas e infantis vendidas nas lojas. Em 2002, criou a Leadercard, para administrar cartões de crédito de marca própria e prestar outros serviços financeiros aos clientes. Metade do negócio pertence ao Bradesco. Os cartões são usados por 3 milhões de clientes.

Segundo Galló, a Renner só vai decidir o que fazer com a operação da Leader após a análise dos dados financeiros. A Renner, por exemplo, não produz nenhuma peça que vende. Por isso, não sabe se vai manter a fábrica de roupas. É possível que as áreas de cama, mesa e banho, setores em que a Renner não atua, sejam mantidos.

A aquisição foi bem recebida pelo mercado. A analista do Unibanco Juliana Rosembaum revisou o preço da ação da Renner para cima - de R$ 31,41 para R$ 44,20. “A Leader adiciona um valor estratégico para a Renner”, afirma Juliana. “A administração da Renner é muito conservadora e não faria uma aquisição cara só pelo valor estratégico. Eles devem ter oferecido um bom preço.”

VEDETES

As classes C e D são as grandes vedetes do varejo nacional. Com mais renda e mais crédito, o brasileiro dessa faixa de renda passou a comprar mais roupas e alimentos. O público é disputado por grandes cadeias, como Pernambucanas, Riachuelo e Marisa, que levantou R$ 506 milhões na oferta inicial de ações (IPO) no segundo semestre do ano passado. Segundo Galló, a Marisa tem o perfil que mais se aproxima da Leader.

A Marisa tornou-se uma rival de peso para a Renner. Ela teve um crescimento de 37,3% no ano passado, enquanto as vendas da Renner cresceram 22% - no conceito mesmas lojas, a receita líquida cresceu 14,4%. A Marisa tem um plano agressivo de expansão. Só no quarto trimestre inaugurou 23 lojas e ampliou ou reformou outras 11. No ano, foram 35 inaugurações e 24 reformas.

Na época do IPO, em 2005, a Renner tinha um plano de abrir oito lojas por ano. Nos últimos dois anos, extrapolou essa meta - foram 29 lojas no período. A previsão é manter o ritmo em 2008.

 

Do Jornal "O Estado de São Paulo".

Produção de mudas no viveiro da PCARP - do site: USP



É muito comum o questionamento de quais as espécies nativas plantar em uma área degradada, com intenção de se fazer um pequeno bosque ou reflorestamento. Existem aí algumas considerações a fazer:


1- Plantar ou deixar por conta da natureza


Existe uma opinião, endossada por setores do IBAMA, que recomenda deixar a regeneração da mata de forma espontânea, não plantando nem roçando o mato, porém acreditamos que esta não é a melhor forma de se recuperar de maneira rápida e segura, pois muitas vezes a vegetação primária dificultará o surgimento de árvores de grande porte por um tempo acima do pretendido. Desta forma, o plantio de espécies nativas controlado com parte da vegetação espontânea parece ser a melhor opção.


2- Fator de regeneração progressiva.


Em uma área degradada, a recomposição da mata se faz por etapas. Em primeiro lugar aparecem as espécies pioneiras, mais rústicas, de pequeno a médio porte, crescimento rápido e menos exigentes. Após estabelecido o que chamamos "mato", que normalmente são as consideradas pragas da lavoura, começam a surgir as espécies intermediárias, e depois as chamadas "clímax", que são árvores de grande porte e longevidade, que dominarão a mata, reduzindo as pioneiras a um percentual muito menor.

Portanto, quanto a este fator, deve-se evitar o plantio de espécies climax em terreno aberto e limpo. Em grandes reflorestamentos é comum o plantio simultâneo de todas as espécies, misturadas. Considera-se então que as pioneiras se desenvolverão mais rapidamente, fornecendo sombra para as climaxes. Ou então procura-se aproveitar a vegetação existente, e plantar as climaxes em seu meio. Nestes casos, é necessário dosar a proteção fornecida pelas pioneiras com o risco de abafamento, fazendo limpezas seletivas de tempos em tempos.


3- Fator clima, altitude, solo.


Existem espécies que se adaptam melhor a solo mais seco ou mais úmido, arenoso, etc. Algumas espécies preferem climas frios, outras só produzem com muito calor. Algumas exigem altitudes mais baixas ou mais elevadas. Normalmente as espécies climaxes exigem um solo mais rico em adubação. Com uma boa literatura é possível obter muitos destes dados.


4- Fator regional (macro região).


Existe uma vegetação caraterística para cada região do país. As principais são:

  • Floresta Amazônica
  • Cerrado
  • Caatinga nordestina
  • Mata Atlântica
  • Vegetação litorânea
  • Pantanal
  • Mata das Araucárias e campos do sul

Normalmente uma espécie da vegetação típica da região a ser reflorestada sempre se adaptará bem, respeitando-se compatibilidade de clima e solo. Já espécies de outra região podem ou não conseguir se adaptar.


5- Fator aplicação.


Trata-se da finalidade para que se quer o reflorestamento. Normalmente os mais comuns são três requisitos:

  • Árvores frutíferas para atrair e manter a fauna (muitas vezes não são frutos comestíveis para o homem),
  • Árvores de grande porte (as tradicionais),
  • Árvores com floração atraente (procurando-se espécies que floresçam em épocas diferenciadas).

Existem muitas espécies que atendem a mais de um dos requisitos, as vezes até os três.

Alguns exemplos de espécies nativas de cada tipo.

  • Frutíferas: Goiaba, Murici, Papagaio, Pombeira, Cajá.
  • Grande porte: Jequitibá, Sapucaia, Peroba do Campo, Inuíba
  • Com Flores: Ipês, Quaresmeira, Mulungu, Canafístulas.

Bem, na minha opinião é importante observar as matas remanescentes da região, identificando as espécies que se adaptam bem ali, e dar preferência a elas. É muito comum que uma espécie exuberante em uma região não consiga boa adaptação a outra, às vezes a poucos quilômetros do local. Desta forma é muito importante plantar as espécies predominantes da mata original, de preferência originárias de sementes colhidas nas proximidades, que certamente apresentarão desenvolvimento mais rápido e garantido, e depois mesclá-las com outras espécies nativas de interesse.


Informações do site:

http://www.arvores.brasil.nom.br




Santo Antonio de Pádua recebe o Brasileiro de Canoagem descida
12/03/2008 - 15:45:35 - por FS - AI CBCa

Conhecida por ser a primeira modalidade de canoagem praticada no Brasil, a Canoagem Descida busca seu ressurgimento com a realização de eventos oficial e a formação de novos atletas a partir deste ano. Para tanto, já em 2008, foram tomadas pela Confederação Brasileira de Canoagem algumas ações que busquem esta renovação no Campeonato Brasileiro de Canoagem Descida, que acontece no dia 22 de março no distrito de Paraoquena, no município de Santo Antonio de Pádua, no Rio de Janeiro.

 
"A novidade deste ano na modalidade é a premiação em dinheiro e a criação de novas categorias para competição, ambas buscando despertar o interesse em novos canoístas. Nossa intenção também é recadastrar todos os atletas da Canoagem Descida junto à CBCa para dinamizar e prospectar novas etapas da modalidade em todo o Brasil a partir do ano que vem", informou Lúcio Mauro Daher, supervisor da Canoagem Descida na Confederação Brasileira de Canoagem.

 
O Campeonato Brasileiro de Canoagem Descida 2008 será composto de apenas uma prova realizada em Santo Antonio de Pádua com um percurso de 3000 metros, com saída no distrito de Paraoquena e chegada em Três Cruzes. O percurso terá um tempo de descida de aproximadamente dez minutos com corredeiras classe III.

 
A largada dos cerca dos 20 atletas que participarão do Brasileiro será realizada a partir das 15hs seguindo a ordem das respectivas categorias: Categoria Duck – K1 M, Categoria Duck – K1 F, Categoria Open Masculina Júnior, Categoria Open Masculina Sênior, Categoria Open Masculina Master, Categoria Open Feminina, Categoria Duck – K2 M, Categoria Duck – K2 F, Categoria Rotomoldado K1M, Categoria Rotomoldado K1F e Categoria Duck – K2 MISTO.


K1 Sênior, K1 Junior, K1 Máster, Turismo Sênior, Turismo Junior e Turismo Máster. A premiação será composta por troféus e medalhas para os melhores tempos das categorias computados em uma descida única do percurso.

 
O presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, João Tomasini Schwertner, reafirmou que a CBCa dará todo o apoio estrutural para que a modalidade se fortifique nos próximos anos. " A Descida é a mais antiga modalidade da canoagem no Brasil e de muita importância para a divulgação e disseminação de todas as modalidades de canoagem no país", ressaltou Tomasini.

 
O Campeonato Brasileiro de Canoagem Descida é um evento homologado pela Confederação Brasileira de Canoagem com organização Associação Paduana de Canoagem.



Capa do Volume III de LM.


O Volume III pode ser visto e obtido, na sede de´´O PORTA-VOZ´´, Rua Dr. Monteiro, 153, Centro-Redentor, Miracema, Tel. (OXX22) 3852-0969, com Waltinho e com Julinho.

Os Volumes I, II e III podem ser pedidos, por via postal, a mpmemoria@yahoo.com.br esclarecendo: quantidade de exemplares, tipo de edição (preto e branco ou colorido), nome e endereços completos à entrega.

O reembolso para entrega em Miracema, Rio de Janeiro, Niterói e Juiz de Fora continua a:

1) preto e branco: R$ 25,00;

2) colorido: R$ 60,00.


(para São Paulo mais R$ 5,00, para Brasília mais R$ 15,00 e para outros locais, a consultar)

Informações da Coordenação de LM - Luiz Carlos/ MPMemória


Foto: Betinho Cagiano, site www.miracema.rj.gov.br

O DIA MUNICIPAL DA ÁGUA TEM O APOIO DO GRUPO "Amigos do Ribeirão Santo Antônio", idealizado e liderado pela Dra. Cremilda Azevedo.


05/06/2007 01:54:00


Água: desperdício individual deve ser combatido com informação

Diogo Dantas


Rio - Parece que não, mas a água não é infinita. Apesar de o planeta azul ter 75% de sua cobertura repleta do recurso, e o Brasil possuir rios e mares em abundância, é no consumo residencial sem controle que mora o problema. A agricultura ainda é o maior vilão em quantidade, consumindo 60% da água doce do mundo. Mas é você, na sua casam que pode reduzir o desperdício sem perder em qualidade de vida.

É o que pensa o especialista no assunto, engenheiro Paulo Costa. Em entrevista ao Dia Online, Costa explica que o Brasil ultrapassa em muito o consumo de água por dia, por pessoa recomendado pela ONU. "Cada brasileiro consome 340 litros de água por dia, quando o nível exigido seria de 160 litros. Brasília já consome mil litros diários por pessoa".

Água virtual

O Brasil também é um dos líderes do chamado consumo de água virtual, ou seja, o gasto do recurso em atividades onde a água é secundária. Na agricultura, por exemplo, desperdiça-se muito com a técnico da dispersão, em que um pivô esguicha água pelo plantio. "A técnica do gotejamento já está provada que gata um sexto da dispersão e com ampla produtividade. Países exemplos desse cultivo são Israel, Turquia, Egito, Tunísia e Austrália", explica o especialista.

Outras atividades utilizam milhares de litros em suas produções. o cultivo da soja consome 1600 L, o de carne 15000 L, o de queijo parmesão 18 mil L. Um quilo de carne consome 20 mil L.

Concessionárias devem informar para o uso consciente, não construir mais reservatórios

o engenheiro Paulo Costa sustenta que as concessionárias estaduais que cuidam da água e do esgoto devem estimular o consumo consciente da água. De acordo com o especialista, quanto mais se criam reservatórios, mais espécies são afetadas por alagamentos.

"É absurdo falar em novos reservatório quando essas redes consomem 60% a mais que o necessário. A concessionária coloca para a mídia que o índice de desperdício será eliminado, mas na verdade só está beneficiando o acionista. O beneficio do usuário é nenhum. A economia deve acontecer no ponto de chegada, na casa das pessoas. E as ações de conscientização devem acontecer sempre, não só com a estiagem".

Costa ainda evidencia um benefício duplo com o investimento em informação e saneamento. "A cada 100 milhões de reais investidos em saneamento e esgoto, equivale a economizar 300 milhões na saúde", afirma. "Mas para mudar o costume de uma geração é preciso muita informação", completa.

Do Jornal "O DIA".


Foto: MORRO AZUL, Miracema-RJ. Acervo do site www.morroazuleventos.com.br

"O Projeto Pedalando Pelo Rio Paraíba do Sul vai percorrer as margens deste importante rio por três estados brasileiros: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Em aproximadamente trinta dias devemos percorrer os 1.180Km entre a nascente na Serra da Bocaina, em São Paulo até a sua foz em Atafona, no litoral de São João da Barra-RJ.
O Projeto Pedalando pelo Rio Paraíba do Sul pretende visitar várias  represas e estações de tratamento que se encontram ao longo do rio, ver e registrar como vivem os moradores ribeirinhos e como o rio influencia na vida e cultura dessas pessoas.
Em nossa viagem seremos auto-suficientes, levando em nossas bicicletas todo material necessário para alimentação, reparos e consertos, pernoite etc.
Desta maneira, poderemos parar livremente para observarmos o rio.

Nossa equipe é composta por dois ciclistas
miracemenses: André Alvim e Jorge Pereira. André e Jorge fizeram recentemente duas cicloviagens : uma pelo noroeste do Estado do Rio de Janeiro e Zona da Mata Mineira (2006) e o contorno do Parque Nacional do Caparaó e a subida ao Pico da Bandeira, contornando o parque pelo Espírito Santo e subindo o pico pelo lado mineiro (2007). André vai cuidar da navegação e logística do Projeto. Jorge Pereira é ciclista há muitos anos e já participou de várias corridas em nossa região.
Entre em contato conosco, dê sua sugestão ou tire sua dúvida.
Boa Viagem!!"

Contato pelo site: www.morroazuleventos.com.br


 
Acompanhe pelo site da MORRO AZUL EVENTOS os preparativos da dupla:

"
Como a cicloviagem pelo Rio Paraíba do Sul está prevista para julho de 2008, nos meses anteriores estaremos nos preparando aqui em  Miracema e cidades vizinhas. Serão pedaladas por trilhas e estradas, caminhadas por morros, serras, rios, fazendas e cachoeiras de Miracema e região."


Fotos e Informações: www.morroazuleventos.com.br

TODOS CONTRA A DENGUE.

21:55 @ 20/03/2008



O grande problema para combater o mosquito Aedes aegypti é que sua reprodução ocorre em qualquer recipiente utilizado para armazenar água, tanto em áreas sombrias como ensolaradas. Por exemplo: caixas d'água, barris, tambores, vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, tanques, cisternas, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores e muitos outros onde a água da chuva é coletada ou armazenada.

Portanto, considerando essa facilidade de disseminação, podemos imaginar o grau de dificuldade para efetivamente combater a doença - o que só é possível com a quebra da cadeia de transmissão, eliminando o mosquito dos locais onde se reproduzem.


Assim, a prevenção e as medidas de combate exigem a participação e a mobilização de toda a comunidade a partir da adoção de medidas simples, visando a interrupção do ciclo de transmissão e contaminação. Caso contrário, as ações isoladas poderão ser insuficientes para acabar com os focos da doença.

 

Na eventualidade de uma epidemia de dengue numa comunidade ou município, há a necessidade de serem executadas medidas de controle como o uso de inseticidas aplicados através de carro-fumacê ou nebulização, para diminuir o número de mosquitos adultos transmissores e interromper a disseminação da epidemia. Nessa oportunidade, a comunidade deve cooperar com o processo de nebulização, mantendo as portas e janelas das casas abertas, de modo a permitir a entrada do inseticida.



Do Ministério da Saúde.

PÁSCOA!

22:54 @ 22/03/2008

Símbolos da Páscoa

Do hebreu Peseach, Páscoa significa a passagem da escravidão para a liberdade. É a maior festa do cristianismo e, naturalmente, de todos os cristãos, pois nela se comemora a Passagem de Cristo - "deste mundo para o Pai", da "morte para a vida", das "trevas para a luz".

Considerada, essencialmente, a Festa da Libertação, a Páscoa é uma das festas móveis do nosso calendário, vinda logo após a Quaresma e culminando na Vigília Pascal.

Entre os seus símbolos encontram-se:


O Ovo de Páscoa


A existência da vida está intimamente ligada ao ovo, que simboliza o nascimento.

O Coelhinho da Páscoa
Por serem animais com capacidade de gerar grandes ninhadas, sua imagem simboliza a capacidade da Igreja de produzir novos discípulos constantemente.

A Cruz da Ressurreição
Traduz, ao mesmo tempo, sofrimento e r
essurreição.

O Cordeiro
Simboliza Cristo, que é o cordeiro de Deus, e se sacrificou em favor de todo o rebanho.

O Pão e o Vinho
Na ceia do senhor, Jesus escolheu o pão e o vinho para dar vazão ao seu amor. Representando o seu corpo e sangue, eles são dados aos seus discípulos, para celebrar a vida eterna.

O Círio
É a grande vela que se acende na Aleluia. Quer dizer: "Cristo, a luz dos povos". Alfa e Ômega nela gravadas querem dizer: "Deus é o princípio e o fim de tudo".

 

A Páscoa no mundo

Na China
O "Ching-Ming" é uma festividade que ocorre na mesma época da Páscoa, onde são visitados os túmulos dos ancestrais e feitas oferendas, em forma de refeições e doces, para deixá-los satisfeitos com os seus desce
ndentes.

Na Europa
As origens da Páscoa remontam a bem longe, aos antigos rituais pagãos do início da primavera (que no Hemisfério Norte inicia em março). Nestes lugares, as tradições de Páscoa incluem a decoração de ovos cozidos e as brincadeiras com os ovos de Páscoa como, por exemplo, rolá-los ladeira
abaixo, onde será vencedor aquele ovo que rolar mais longe sem quebrar.

Nos países da Europa Oriental, como Ucrânia, Estônia, Lituânia e Rússia, a tradição mais forte é a decoração de ovos com os quais serão presenteados amigos e parentes. A tradição diz que, se as crianças forem bem comportadas na noite anterior ao domingo de Páscoa e deixarem um boné de tecido num lugar escondido, o coelho deixará doces e ovos coloridos nesses "ninhos".

Nos Estados Unidos
A brincadeira mais tradicional ainda é a "c
aça ao ovo", onde ovos de chocolate são escondidos pelo quintal ou pela casa para serem descobertos pelas crianças na manhã de Páscoa. Em algumas cidades a "caça ao ovo" é um evento da comunidade e é usada uma praça pública para esconder os ovinhos.

No Brasil e América Latina
O mais comum é as crianças montarem seus próprios ninhos de Páscoa, sejam de vime, madeira ou papelão, e enchê-los de palha ou papel picado. Os ninhos são deixados para o coelhinho colocar doces e ovinhos na madrugada de Páscoa. A "caça ao ovo" ou "caça ao cestinho" também é utilizada.

Do Site http://www.arteducacao.pro.br/

MIRACEMA, PATRIMÔNIO CULTURAL.

19:45 @ 23/03/2008


Colégio Miracemense, atual Instituto de Educação de Miracema.

"Para que preservar coisas do passado, para que denominá-las, de forma tão pomposa, patrimônio cultural?


Patrimônio é tudo aquilo cuja perda viremos a lamentar, é tudo aquilo que, quando preservado, nos enriquece o espírito, ajuda-nos a conservar referências indestacáveis de nossas existências.

Imagine o mundo sem certos monumentos. Paris sema a torre Eifel, o Louvre sem a Vênus de Milo, Roma sem o Coliseu, a China sem sua muralha. O Rio sem o Cristo Redentor, sem o Pão de Açúcar, Minas sem Ouro Preto, sem os profetas do Aleijadinho.

Imagine Miracema sem sua praça, sem sua igreja, seus casarões. A praça sem a fonte central, sem árvores, sem bancos. A igreja sem os santos, o talude diante dela sem o gramado, quem sabe ocupado por barracas de ambulantes. Miracema sem suas velhas edificações, sem a casa onde nasceram e cresceram tantos cidadãos que contribuíram para a história da cidade.


Praça das Mães remodelada, ao fundo Casarão (Solar da Dona Brasileira) tombado pelo Patrimônio Municipal, Pça Ary Parreiras nr.6, ao lado  casarão da Família Tardin Faver, também preservado.

Imaginemos a praça sem as crianças, sem os jovens enamorados, sem as famílias sentadas. Imaginemos esta praça sem lembranças, sem nenhuma relação conosco.

Muitas cidades perderam tudo isto. A cobiça material eliminou todas as marcas do passado, todas as alusões que as identificavam, tornando-as despersonalizadas, estereotipadas, corriqueias.

Imaginar um mundo sem as referências do passado é o mesmo que nos imaginarmos sem nossa memória. Se eu não me lembrasse quem foi minha mãe, de quem foi meu pai, quem são meus irmãos, quem seria eu? O que seria de mim? E mesmo lembrando do passado, que seria de mim sem uma só referência biográfica, sem uma fotografia de minha família, sem uma toalha bordada por minhas irmãs, sem a receita daquele prato que só minha mãe sabia fazer com perfeição?

A memória seleciona as mais importantes referências de nossas existências, preenche-as de sentidos, confere-lhes significados e valores.

Santo Agostinho compreende a memória como uma faculdade quase tão ampla quanto a consciência. Tudo o que conhecemos reside em nossa memória. No entanto, basta-nos, a nós, seres materiais, acumular recordações em nossas mentes? Serão as lembranças, manifestações de enorme imaterialidade e sutileza, suficientemente, fortes para evocar acontecimentos passados? Como recriá-los, como recriar os mesmos estados de espíritos com que vivemos os fatos mais importantes de nossas vidas sem contas com as referências materiais, com os lugares e os objetos através dos quais se manifestam com a mesma força como nos aconteceram?

Um homem já velho volta à cidade onde nasceu. Essa cidade pode ser Miracema. Ao entrar na praça, tudo lhe fala: as árvores, a luz, a sombra, o vento, a temperatura, um cão que atravessa os canteiros, as pessoas que revê se não em carne e osso, sob a forma de recordações. Na igreja revê as pessoas que conheceu, sob a forma de recordações, reencontra amigos, professores, ainda que já mortos.

À vida presente soma-se uma nova e ao mesmo tempo uma antiga existência conferida pela força da memória. Reminiscências de fatos tão novas como quando ocorreram são despertadas pela contemplação da paisagem, pelos elementos que a compõem. Se esses elementos não tivessem sido preservados, onde estaria a Miracema que ele conheceu, onde viveu, onde amou e foi feliz? Sua vida, seu amor, sua felicidade lhe é devolvida por meio dessas referências. Sem elas nunca teriam sido recuperadas, ainda que por instantes.

A memória não é só uma espécia de consciência, é também uam outra vida.

Rio de Janeiro, 22 de janeiro de 2007.

O autor, CARLOS FERNANDO DE MOURA DELPHIM, é arquiteto (formado pela UFMG) e assessor da Direção da IPHAN no Rio de Janeiro. É o pioneiro na defesa dos jardins históricos no Brasil, passando a tratá-los como bens culturais, segundo as normas internacionais de preservação. É autor do primeiro manual de intervenções em jardins históricos do Brasil e está prestando consultoria à Prefeitura de Miracema no Projeto de revitalização e de reforma da PRAÇA DONA ERMELINDA.

FONTE: INFORMATIVO CCMC - Novembro/Dezembro/Janeiro de 2008.




Igreja Matriz de Miracema.

FOTOS: Blog www.miracemarj.blogspot.com


Foto: Luiz Carlos e Tia Ricarda exibindo o exemplar do volume II de "Logradouros de Miracema", noite de lançamento.


"Liberdade de Expressão acaba de editar sua 100ª edição, o que certamente é motivo de muito júbilo não só à Tia Ricarda, que tão bravamente o mantém, bem como, a sua ilustre equipe de colunistas, mas também de seus leitores e da cultura miracemense."
(Luiz Carlos Martins Pinheiro)


´´EDITORIAL:

Um Mundo Diferente


Por Ricarda Maria Leal Alvim (Diretora do Jornal)


Conheci um mundo diferente. Um universo sem egoísmo, sem orgulho, sem vaidade, sem discriminação, sem grito, sem ira e sem o desejo de pisar ou agredir a quem quer que seja.


Percebi que os passos agigantavam sempre apressados, não com o intuito de competir ou passar um a frente do outro, mas num desejo único de chegarem juntos, pois o objetivo de cada um era o mesmo de ajudar o próximo impossibilitado de se locomover, de falar, sem vontade própria mesmo. Mãos se juntavam, não para formar cercas que separam, mas unir forças - ajuda mútua, contribuição contínua, visando o ato de doação a cada momento de suas vidas, sem medir cansaços, sacrifícios ou noites de sono.


O silêncio total tomava conta daquele ambiente onde se via um amontoado de corpos quase sem vida, mas a esperança que brotava num meio sorriso, espalmando fé, tranqüilidade e o desejo de vencer todos os obstáculos.


Conheci um mundo diferente daquele em que vivemos. Conheci um mundo de fraternidade este sentimento cantado em prosa e verso ou em variadas campanhas não vivenciadas. Conheci o que é a verdadeira fraternidade no CTI Geral do Hospital São José do Avaí - Itaperuna, durante os seis dias em que lá fiquei internada, cujo lema é Carinho - Tempo - Integral. Esta é a verdadeira fraternidade.´´


(Jornal LIBERDADE DE EXPRESSÃO, nº 100, "Editorial")


Informações do Jornal LIBERDADE DE EXPRESSÃO e mensagem de Luiz Carlos - Coordenador de LM.
Foto: Acervo de LM.




Ela já foi o grande terror dos séculos XIX e XX e chegou a ser chamada de “peste branca”. Hoje, com o avanço no diagnóstico, no tratamento e na prevenção, a tuberculose não parece assustar tanto. É exatamente aí, dizem os médicos, que mora o perigo. Neste 24 de março, Dia Mundial da Tuberculose, especialistas alertam para o avanço dos casos super-resistentes da doença e para uma combinação fatal cada vez mais comum: a da tuberculose com o HIV.

Em razão do Dia Mundial, a Sociedade para Doenças Infecciosas da América e a Associação de Medicina do HIV, dos Estados Unidos, pediram urgência na adoção de novas medidas de combate à tuberculose em todo o mundo. Eles alertam que o risco de descuidar da pesquisa e do tratamento da doença são altíssimos.

Em todo o mundo, 9 milhões de casos de tuberculose são diagnosticados ao ano – com 2 milhões de mortes. A doença é extremamente contagiosa, contaminando adultos e crianças perfeitamente saudáveis pelo ar.

Em países em desenvolvimento, a tuberculose é a principal causa de morte de pacientes com HIV. Isso porque as duas doenças se alimentam uma da outra. O HIV torna a pessoa mais vulnerável à infecções e a infecção por tuberculose acelera a progressão do vírus na Aids. Os médicos temem que os avanços que foram feitos no controle do HIV sejam jogados fora pela falta de controle de um inimigo bem mais antigo, a tuberculose.

 Entenda a doença

A tuberculose é uma doença infecciosa causada por uma bactéria, o bacilo de Koch. Os sintomas incluem tosse persistente, falta de ar, perda de peso e dor no peito. Se não for tratada pode se espalhar para os nódulos linfáticos, a espinha e os ossos, levando à morte.

Casos de tosse que não passa por mais de três semanas precisam ser encaminhados ao médico. Se a tuberculose for detectada é importante seguir todas as recomendações e tomar a medicação até o final, mesmo que os sintomas já tenham melhorado, para evitar o fortalecimento da bactéria.

 Do G1.


Dia Mundial de Luta
contra a
Tuberculose – 24 de março


TUBERCULOSE

É uma doença contagiosa, provocada pelo bacilo de Koch, que pode ser transmitida pelo ar, quando o doente fala, tosse ou espirra.

Sinais da doença:


-      Tosse persistente há mais de 3 semanas;
-      Febre baixa, geralmente ao fim do dia;
-      Cansaço físico;
-      Perda de peso; e
-      Suor noturno.

Tratamento:

Tem duração de 6 meses, e não pode ser interrompido

Com apenas 2 semanas de tratamento o doente começa a melhorar. E não transmite mais.


Tuberculose tem cura e
tratamento gratuíto!
Na dúvida, procure um Posto
de Saúde!!!


Foto e informações finais do site: www.acaodacidadania.org.br