Grupos



Após percorrerem mais de 1.100 km às margens do Rio Paraíba do Sul, os cicloturistas André Alvim e Jorge Pereira chegam à foz do rio, em Atafona, distrito de São João da Barra-RJ, onde o rio desagua no Oceano Atlântico. A recepção além de calorosa, contou com a presença dos amigos miracemenses, que foram até lá receber a dupla.
Parabéns à dupla e a todos aqueles que apoiaram o projeto. Tivemos a oportunidade de ver trabalhos grandiosos de preservação do meio ambiente, bem como ver algumas insanidades cometidas em alguns locais e que matam o rio a cada dia.
Visitem o site www.morroazuleventos.com.br.
Conheçam as maravilhas do PROJETO PEDALANDO PELO RIO PARAÍBA DO SUL.


FALE COM A DEFENSORIA PÚBLICA

16:32 @ 08/07/2008

Como informado anteriormente, a Prefeitura Municipal de Miracema divulgou em seu informativo as obras que estavam em licitação na cidade. A Reforma COMPLETA e iluminação da Praça Dona Ermelinda (A), incluindo a Praça Ary Parreiras (B), também conhecida por "Praça das Mães, é uma delas. Pelo que soubemos o antigo coreto voltará a existir nesta praça, como nos primórdios. As obras são financiadas com verbas federais, em sua maioria, através do MINISTÉRIO DO TURISMO.

"REFORMA COMPLETA DA PRAÇA DONA ERMELINDA com reformulação do paisagismo, projeto elétrico, irrigação e adequação do mobiliário aos moldes da época em que foi projetada. Destacamos a troca do piso onde passaremos a usar a Pedra Miracema, como forma de valorizar os produtos da cidade. Valor Global Estimado: R$ 942.732,83"


Segundo informações divulgadas por moradores locais no blog Miracema e fotos enviadas àquele blog pelo Jornal Dois Estados (anexas), as obras já se iniciaram e estão quebrando todo o piso da praça.

BODAS DE DIAMANTE

21:22 @ 11/07/2008



O Grupo CONTERRÂNEOS E AMIGOS DE MIRACEMA parabeniza o casal Ruth e Hélcio Bastos, ilustres miracemenses, pela comemoração dos 60 anos de casados. Festa de renovação do enlace matrimonial, com toda a família reunida. Ao casal e à família desejamos saúde, paz e que a harmonia e o amor que uniram esse casal, simpático e muito conhecido na cidade, sejam a estrela guia de todos.

Prosa e Verso

11:19 @ 15/07/2008



SHOW DO ACADEMIA DO CHORO, NESTA SEXTA 18 DE JULHO. NO MERCO NOROESTE EM ITAPERUNA ÀS 21:30 hs.

MONITOR CAMPISTA, 14 DE JULHO  DE 2008-ANO 175-EDIÇÃO 186- CAMPOS DOS GOITACAZES-RJ

Seguindo o velho Paraíba

Dupla se lança a uma aventura sobre duas rodas: os dois seguiram o Paraíba, indo da nascente até a foz

 


 Alicinéia Gama

 

Há quem goste de viajar a bordo de um avião ou num luxuoso transatlântico, cheio de conforto e muita sofisticação. Mas há quem prefira os imprevistos de uma estrada cheia de curvas, o vento soprando no rosto e a adrenalina nas alturas. Sensações como essas jamais sairão da mente dos amigos, André Alvim, 42 anos e Jorge Pereira, 46. Durante 21 dias, eles percorreram de bicicleta às margens do Rio Paraíba do Sul, da nascente, em São Paulo, até à foz, em Atafona.

No dia 05 deste mês, um sábado, às 12h30, chegava ao fim a cicloviagem dos dois moradores de Miracema (Noroeste do Estado do Rio). Jorge logo retornou a sua cidade e André, que tem familiares em Campos, ficou na região até segunda-feira (dia 07). Logo pela manhã (às margens do Rio Paraíba, no Cais da Lapa, em Campos), pouco antes de ir embora, ele contou ao Monitor sobre o projeto batizado de ‘Pedalando pelo Rio Paraíba do Sul’.

— Saímos de Miracema no dia 15 de junho, de caminhão e fomos até Queluz (SP). Depois, seguimos de bicicleta até Areias, onde fica a Serra da Bocaina. Foram três dias para conseguirmos subir a serra. Quarenta quilos de bagagem em cada bicicleta (roupa, coberta, barraca, saco de dormir, fogareiro, equipamentos, comida, materiais de primeiros socorros, ferramentas) — enumera André.

Um dos objetivos do projeto, segundo o ciclista, é mostrar que é possível diminuir a emissão de gases que prejudicam o meio ambiente, principalmente os emitidos por automóveis, usando a bicicleta como meio de transporte do dia-a-dia na cidade e também em viagens de turismo. Para deixar a família mais tranqüila, os rapazes contaram com a ajuda da Internet.

— Nós criamos um site, onde íamos colocando todas as informações da viagem, assim, os amigos iam acompanhando — lembra André. A idéia foi aprovada pelo seu irmão, Luís Alberto da Mota Alvim. “Eles documentaram a viagem toda e nós pudemos acompanhar a trajetória deles pela Internet”, diz Luís Alberto. 

O momento mais difícil do percurso foi a chegada à nascente. “Levamos três dias para conseguir chegar à nascente que está a dois mil metros de altitude. Nós chegamos lá por volta das 15h30. Depois, fomos procurar algum povoado perto dali e quando achamos já era meia-noite. Neste dia, passamos frio e fome”, recorda.

Já o momento mais legal da cicloviagem... “Sem dúvida as paisagens e as pessoas que encontramos pelo caminho e que abriram suas portas sem ao menos nos conhecer. Isso foi muito bacana”, lembra André, que tirou cerca de 500 fotografias e também fez duas horas e meia de filme. “A gente pretende fazer um documentário no futuro”, diz.      

Ao todo, a dupla pedalou 1.140 quilômetros, fazendo paradas basicamente para dormir (em barracas, fazendas, hotel e pousada) e se alimentar. “Tinha dia que comíamos um PF (prato feito), mas tinha dia que a gente só ia comer bem tarde”, conta o rapaz que aproveita para descrever como foi a sensação da chegada.

— É nesta hora que a gente vê que tudo o que a gente quer na vida, se tiver perseverança e boa vontade, a gente consegue — comenta André, que em nenhum momento se deixou abater pelas dificuldades. “Cheguei a sofrer uma queda, causada pela quebra do bagageiro dianteiro”, lembra.

HISTÓRICO
Esta foi a terceira cicloviagem da dupla. A primeira, em 2006, teve como roteiro o Noroeste do Estado do Rio e a Zona da Mata Mineira. Já na segunda viagem, a dupla fez o contorno do Parque Nacional do Caparaó e a subida do Pico da Bandeira. “Para 2009 nós ainda estamos estudando, mas será uma viagem pelo Rio São Francisco”, antecipa André, que trabalha no ramo de sonorização e eventos. Já seu colega Jorge é funcionário de uma loja de materiais de construção.

Rio Paraíba do Sul tem 1.120 quilômetros de extensão e histórias
Segundo a Fundação Estadual de Engenharia do Meio Ambiente (Feema), o Rio Paraíba do Sul é formado pela confluência dos rios Paraitinga e Paraibuna, nasce na Serra da Bocaina (SP) e faz um percurso de 1.120 quilômetros até a sua foz, em Atafona (Norte Fluminense). A bacia do Rio Paraíba do Sul estende-se pelo território de três estados: São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro e é considerada, em superfície, uma das três maiores bacias hidrográficas secundárias do Brasil, abrangendo uma área aproximada de 57.000 quilômetros quadrados. Só no Estado do Rio, o Paraíba percorre 37 municípios (praticamente quase a metade do território). Sua importância estratégica para a população fluminense pode ser avaliada pelo fato de que o rio Paraíba do Sul é a única fonte de abastecimento de água para mais de 12 milhões de pessoas, incluindo 85% dos habitantes da Região Metropolitana, localizada fora da bacia, seja por meio de captação direta para as localidades ribeirinhas, seja por meio do rio Guandu, que recebe o desvio das águas do rio Paraíba para aproveitamento hidrelétrico

 Foto do site: www.morroazuleventos.com.br









Olha o Pinheiro aí!


Fotos cedidas pela integrante do grupo "Conterrâneos e Amigos de Miracema", Raquel Bruno Siqueira.









Fotos cedidas pela integrante do grupo "Conterrâneos e Amigos de Miracema", Raquel Bruno Siqueira.


Eucalipto


Teca


Posto de Saúde


Fazena Santa Ignes, próximo à Santa.





2008/7/19 Rachel Bruno Siqueira :
Amigos, estas são dos eucaliptos do Toninho ( Veterinário ), da sua plantação de Teca (para fazer fundo de navios; tirada de dentro do carro pelo meu cunhadinho João Pedro, por isso só aparecem as folhas mais altas, mas a extensão do plantio é grande, das 2 opções ); Posto de Saúde de Paraiso, Ruas de Paraíso bem cedo; Pinheiro na Padaria e seus funcionários limpando os fornos etc....após a confecção dos pães, por isso o aspecto parecer meio desorganizado; mas tem forno elétrico e à lenha, desde " Vovô neném "....rsrsrsr; Vista da Fazenda Santa Inês, casa mais antiga; entrada do Santuário da Santa do Imediato Consolo, lá no Dr. Roberto. Tenho mais, mas deixarei para depois, ok? Boa noite,
Rachel

O dentista e artista plástico, Raul Couto Leal, participa de exposição no Rio de Janeiro. Vejam o convite e vamos prestigiá-lo!




DO BLOG www.guilhermefonsecacardoso.blogspot.com

Os moradores do Noroeste Fluminense terão, nesta sexta-feira a oportunidade de obter orientações sobre registro de infrações ocorridas na área de Direitos Humanos. A secretária de Assistência Social e Direitos Humanos Benedita da Silva vai estar em Santo Antônio de Pádua, com a Ouvidoria Itinerante. Os atendentes estarão à disposição da população no Centro de Referência da Assistência Social(Cras), na Rua Doutor Ferreira da Luz 44, das 14h às 17h.

A Ouvidoria Itinerante começou a percorrer as cidades fluminenses na sexta-feira passada, quando esteve em Itatiaia. Na ocasião, foram realizados 30 atendimentos. Também foi constatada a necessidade da instalação de novos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e clínicas para tratamento de dependentes químicos.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 2299-5351. A Ouvidoria atende também pelos seguintes serviços: Disque-Eficiente: 2299-5403; Disque-Mulher 2299-2121; Ligue Idoso 2299-5700 e Disque Intolerância Religiosa 2299-5351 ou pelo e-mail ouvidoria@social.rj.gov.br.

Do JB On Line