Grupos



1º de maio

1º DE MAIO LIBERTÁRIO E VITORIOSO!

CONTRA O TRABALHO SEM DIREITOS E PELA AUTONOMIA SINDICAL!

 

 

 

 

Atendendo ao chamamento do SINDIVÁRIOS-SP e da FOSP/COB-AIT que haviam convocado todos os libertários para um Ato conjunto e Unificado de 1º de Maio para marcar os 100 anos de fundação da COB, muitos companheiros de luta de várias organizações do Movimento Libertário Brasileiro (MLB) assim o fizeram. Realizou-se na tarde de segunda-feira, dia 1º do mês de maio, com início às 13:00H um dos maiores Atos públicos de 1º de Maio do Movimento Libertário no centro da cidade de São Paulo, como há muito tempo não se via.

 

Depois dAS atividades que já haviam atingido uma alta intensidade nas Jornadas Libertárias de Protesto de São Paulo (JLP/SP-06), nos dias 21 e 22 de abril, intensificamos na última semana de abril a atividade de colagens e pixações, cobrindo o centro expandido, todas as regiões – especialmente a oeste e sul –e algumas cidades da Grande São Paulo. Durante essa semana realizamos atividades locais de panfletagens em pontos de concentração popular, escolas, fábricas (Osasco, Poá, São Bernardo do Campo, região do Quarteirão da Saúde/Pinheiros, Anhangabaú, Praça Ramos e 25 de Março). A partir do dia 30 de abril começamos a realizar mini-comícios locais e regionais na região sul (Jardim Ângela, Capão) e cidades do interior (São Roque, Mogi, Baixada).

Começamos o 1º de Maio logo pela manhã, com atividades nos bairros, regiões e cidades a cargo dos núcleos e Seções locais. Essas atividades começaram por volta de 8:30 hs e se estenderam até as 12 hs, combinando mini-comícios, colagens, exposição de murais, panfletagens. Em alguns casos as atividades prosseguiram até a tarde, noutros a partir de 12 hs os militantes começavam a se encaminhar para a Concentração convocada pela FOSP/COB para as 13 hs na ladeira da Memória/Anhangabaú. Lá realizamos nossa primeira Assembléia e em seguida partimos em passeata para o teatro municipal, onde outros camaradas libertários já estavam concentrados. Lá realizamos nova a ssembléia e decidimos sair em passeata. Aglutinamos em torno de 500 pessoas saindo em passeata. Durante todo o evento muitos companheiros levantaram palavras de ordem em um tom de assembléia popular, por onde transitavam muitos trabalhadores que assim se solidarizavam conosco e do qual aproveitamos na distribuição do manifesto proletário e libertário, para o 1º de Maio de 2006, editado no “A PLEBE 45”. Durante boa parte do percurso fomos acossados pela PM e em muitos momentos o clima ficou tenso. Houve uma boa cobertura da imprensa falada (rádios Eldorado e Alvorada transmitiram ao vivo e entrevistaram manifestantes). 

Estiveram presentes companheiros do Sindvários-SP/FOSP/COB/ACAT/AIT, União do Movimento Punk (UMP), O Coletivo Libertário (CL), Coletivo Educar para a Paz (CEPP),  Coletivo Estação Libertária, Fã-Clube Luar Rock Seixas, Comissão de Imprensa do Jornal “A Plebe” e “A Lanterna”, Comitê Nacional de Solidariedade ao MCC/RO, Comitê Contra a Carestia e Pelo Voto Nulo, Membros do Comitê Pró-Haiti, companheiros libertários do Movimento Passe Livre (MPL), Coletivo Carlo Giuliani, Movimento de Reativação da COB-AIT e o Movimento Libertário Brasileiro (MLB), além de populares que aderiram durante a manifestação. 

120 ANOS DE LUTA DA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO! 1886/2006!

100 ANOS DE FUNDAÇÃO DA COB! 1906/2006!

VIVA O MOVIMENTO DE REATIVAÇÃO DA COB/AIT!

VIVA O SINDICALISMO REVOLUCIONÁRIO!

LONGA VIDA AO MOVIMENTO LIBERTÁRIO BRASILEIRO-MLB!

VIVA A REVOLUÇÃO SOCIALISTA LIBERTÁRIA!

 

Comitê de Imprensa do SINDIVÁRIOS/FOSP/COB/AIT

 

O COLETIVO LIBERTÁRIO DIVULGA ATO ANTI-CLERICAL CONTRA A VISITA DO PAPA-NAZI AO BRASIL

O COLETIVO LIBERTÁRIO DIVULGA ATO ANTI-CLERICAL
CONTRA A VISITA DO PAPA-NAZI AO BRASIL

NESTE SÁBADO
DIA 12 DE MAIO
a partir das 17 horas
GIG
O PAPA DE VISITA AO INFERNO
com muiito punk rock
EXCOMUNGADOS
ESGOTO
DZK
PÉS SUJUS
PLEBEUS URBANOS
INVASORES DE CÉREBROS
no
Espaço Impróprio - no Bexiga
(Rua Antonia de Queiros 40
- Travessa da rua Augusta
perto do Shoping Frei Caneca
e da Avenida Paulista)

http://www.improprio.org/

O COLETIVO LIBERTÁRIO
cldvulg1985@yahoo.com.br

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

(Aconteceu hoje a tarde - 9-5-07)

Grupo Gay da Bahia Protesta Contra a Visita do Papa
Cerca de 350 integrantes de movimentos de gays e simpatizantes da Bahia,
liderados pelo Grupo Gay da Bahia (GGB) promoveram hoje em Salvador uma
manifestação contra a visita do papa Bento XVI ao Brasil. Eles ocuparam as
escadarias da Catedral da Sé, no Centro da capital baiana, e queimaram uma
foto ampliada do pontífice. Além disso, fizeram apitaço e estenderam
faixas de mensagens de protesto. Na maior delas, lia-se "Papa Bento XVI,
chega de inquisição! O amor não tem sexo!".

"Nosso protesto é contra os pensamentos da igreja, representados e
promovidos pelo papa", afirma o presidente do GGB, Marcelo Cerqueira. "Ele
não relativiza o conceito de família, apesar de existirem muitos católicos
gays - o que cria um grande constrangimento social na sociedade."

Católico de formação, mas com simpatia pelo candomblé ("porque interpreta
melhor o amor"), Cerqueira aproveitou o evento para sugerir a criação de
uma pastoral para os homossexuais. "É nosso desejo propor essa ação à
CNBB. É uma questão social, que não pode ser escondida", acredita
Cerqueira.

MANIFESTO LIBERTÁRIO CONTRA A VISITA DO PAPA AO BRASIL

O COLETIVO LIBERTÁRIO
Órgão de Divulgação do Anarkismo – Amigos da COB/AIT
(Lembre Sempre: ANARKIA NÃO É BAGUNÇA!)

MANIFESTO LIBERTÁRIO
CONTRA A VISITA DO PAPA-NAZISTA AO BRASIL
-----

SEM ESTADO, SEM DEUS!
SEM PARTIDO, SEM PÁTRIA, SEM PATRÃO!

A Igreja Católica deseja revitalizar o latim, de acordo com o Cardeal
Grocholewski, Prefeito da Congregação para a Educação Católica. Isso não é
a toa, a própria história da seita crist㠖 de religião de bárbaros a
instituição de Estado – tem grande ligação com o império romano, talvez a
época em que a vilania mais tenha se tornado ética social. Em meio a uma
sociedade de reis e aristocratas patrícios, sustentados por plebeus e
escravos – mantidos no terror pela tortura, a absoluta falta de direitos e
de dignidade e aos espetáculos públicos de execuções cruéis. Assim é que
os cristãos, que perseguidos pelo império e lançados aos leões ou
crucificados e queimados, foram alçados pelo imperador Teodósio a condição
de religião oficial do mesmo Estado escravagista – numa tentativa de
salva-lo de um processo de auto-destruição. E por 3 séculos a Igreja de
Roma e Pedro sustentou o regime agonizante antes de cair – inclusive
tentando apagar a figura histórica de Espartacus, o escravo que se rebelou
contra o Império e foi por ele agonizado no ano 71 A.C..

Oficializada para bem servir ao poder o clero da Igreja Universal dos
Apóstolos de Roma soube se preservar com a queda do Império ocidental. Se
a putaria dominava a instituição até o final do século 3, abençoados que
eram pelos favores dos senhores feudais, passaram a se tornar uma
estrutura de poder econômico com a concentração de terras e riquezas. Aí
instituíram o celibato para evitar que seu patrimônio se diluísse nas
heranças aos filhos (dos padres ) de Roma. Assim foi que foram o mais
concentrado poder durante a Idade Média, a era de maior escuridão da
humanidade – com suas pestes, suas guerras religiosas, seus massacres de
camponeses e das seitas milenaristas (que defendiam uma volta da igreja
aos princípios cristãos originais, com seus votos de pobreza e de
igualdade), suas caças as bruxas e das formas de tortura da Santa
Inquisição (da tortura sobre milhares, dos quais destacamos Giordano Bruno
e Galileu Galilei). Por fim a Igreja que vendia perdões para os pecados
(se para matar uma pessoa você pagava 3 moedas de ouro, por 10 moedas você
podia matar a família inteira e estuprar as crianças!!! – o Deus da Igreja
perdoava, o papa garantia!).

Essa mesma Igreja, que sempre serviu aos poderosos, justificou o massacre
da Santa Inquisição, a escravidão dos povos da África e o massacre das
populações originárias das Américas, após a Revolução Industrial continuou
seu papel conservador: sustentou a nobreza, contra a Revolução Francesa e
a República, defendeu a Monarquia espanhola e foi o berço do fascismo -
que formalmente surge após o final da 1ª Guerra Mundial. Fez acordos com
Mussoline e abençoou as tropas que invadiriam a África, se calou frente
aos Campos de Concentração nazistas, chegando a participar de fuzilamentos
de anarkistas durante a Revolução Espanhola de 1936-39.

Hoje a Inquisição continua viva, reacionária como sempre, no poder com seu
antigo presidente, o nazista Hatzinger, como chefe supremo da gang, o papa
Bento 16. Bendito: papa-no-cu-do-Bush e dos nazi-fascistas que apóiam as
Guerras Imperialistas sem fim, pelo controle mundial das reservas de
matérias-primas e de rotas comerciais. São estes caras e essas igrejas que
transformam a vida do trabalhador em qualquer parte do mundo num inferno
cotidiano, com a violência o desrespeito e a exclusão. São seus dogmas que
conduzem a humanidade para o cadafalso. Nenhum milagre salvará o mundo da
destruição que o capitalismo promove com sua sociedade de escravos!

As máscaras caíram! Não há teologia da libertação! O que há é a dura voz
da hierarquia eclesiástica, dos porta-vozes de deus. E o supremo
pontífice, além de ex-chefe da moderna Inquisição, foi ativista das
juventudes nazistas em sua adolescência. Os sonhos que ele acalentava
naquela época ele realiza hoje! Ao crente comum, das ruas, ao trabalhador
crente só há a certeza do pecado original – que nos mancha a todos -, o
medo do julgamento e o terrível fim, nos infernos... em que vivemos a cada
dia.

Mais uma vez só há uma saída: tomarmos nosso destino em nossas próprias
mãos! Paremos de mirar o sobrenatural quando a nossa volta a tanto a
consertar. Façamos por nós mesmos tudo o que a nós cabe fazer: Acabar com
o mundo hierarquizado criando, na prática, uma sociedade de iguais e
livres, sem pecados originais e sem infernos astrais.
CONTRA A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA E O PRECONCEITO!
CONTRA A VISITA DO PAPA NAZISTA!
PELO DIREITO AO ABORTO!
CONTRA A HOMOFOBIA!
PELO AMOR LIVRE!

O COLETIVO LIBERTÁRIO-BRASIL (2007-05-09)
E-mail: cldvulg1985@yahoo.com.br

O 1º DE MAIO DO MLB EM SÃO PAULO

REPORTAGEM SOBRE O 1º DE MAIO OPERÁRIO E LIBERTÁRIO 2007 EM SÃO PAULO

Como uma re-afirmação do seu caráter proletário e internacionalista o
Movimento Libertário Brasileiro (MLB), em apoio ao chamamento lançado pelo Movimento Pela Reativação da COB/AIT, deu uma demonstração de organização, unidade e luta neste 1º de Maio.

O 1º de Maio de luto e de luta do MLB começou na parte da manhã. Enquanto
as centrais sindicais institucionalizadas iniciavam seus rituais e
festinhas a partir das 10 horas – com missa na Sé, shows financiados pelo
Estado e até sorteio de carros e apartamentos – nos bairros e nas regiões
mais longínquas realizávamos panfletagens e os mini-comícios denunciando a
situação de penúria do trabalhador. Na verdade a orientação dada pela
FOSP/COB-AIT para se intensificarem ações regionais já vinham sendo
efetivadas desde a semana anterior que se intensificaram a partir da
quarta-feira (25/04). Assim é que a região de Osasco, do Alto Tietê e da
região central da cidade de São Paulo já vinham sendo atingidas desde
então. Mas no dia 1º ações, como a de setores da UMP e a FOSP/COB-AIT na
favela de Vila Remo (zona sudoeste), na região de Santo Amaro (zona sul),
Parque Edu Chaves (zona norte), etc., iniciaram o 1º de Maio apartidário
de São Paulo.

A FOSP/COB-AIT convocou uma concentração no antigo Mercado de Escravos de
São Paulo, na Ladeira da Memória – região central da cidade (entre a Praça
da Bandeira, o metrô Anhangabaú e a Biblioteca Municipal Mario de Andrade)
a partir do meio dia – já se sabia que as pessoas chegariam das atividades
locais entre 12 e 14 horas. Esse chamamento foi apoiado por diversos
setores do MLB (o Coletivo EPP, a UMP, O COLETIVO LIBERTÁRIO (CL), além de
diversos grupos punks). Mas também houveram diversas tentativas de sabotar
a iniciativa do MLB de se manifestar de forma unificada
(convocatórias-fantasma para manifestações em outros locais, além de se
convocarem de fato outros eventos –filmes, palestras e debates em locais
fechados). Isso tudo para tentar mascarar o fato de que setores que se
advogam do anarkismo terem preferido convocar e participar como
coadjuvantes (massa de manobra) das manifestações organizadas pelos
partidos bolcheviques ou pela Igreja. Devido a esses fatos, que mostram
uma luta intestina dentro do movimento social, o relato aqui contido deve
ser visto e interpretado.

Quando as primeiras pessoas chegavam ao local da Concentração, no antigo
Mercado de Escravos, por volta de 12:15 hs já encontraram uma situação
crítica: um camarada punk, acabara de sofrer uma violenta e covarde
agressão fascista, atacado pelas costas quando se dirigia, e já próximo, à
Concentração. Um indivíduo fora identificado e algumas pessoas se
apressaram em ir atrás dele. Nesse meio tempo a região já estava coalhada
de PMs. A tensão crescia e outros companheiros formavam grupos para
localizar o cara. Frente ao risco dos fascistas de fato conseguirem, com
essa manobra, desbaratar a manifestação libertária de 1º de Maio – fato
que muito os alegraria – foi organizada uma assembléia com as pessoas
presentes para decidir o que fazer. Nesse contexto a proposta de se unir a
manifestação partidarizada do CONLUTAS/PSTU, da INTERSINDICAL/PSOL e das
Pastorais Operárias na Praça da Sé que se discutia de forma a dividir as
pessoas, antes de se iniciar a assembléia, nem ao menos foi sustentada por
ninguém. Ao fim se decidiu pela antecipação da Passeata, programada para
sair entre 13:30 e 14 hs, e por volta de 12:40 hs se seguiu em Passeata
até as escadarias do Teatro Municipal, onde promovemos o primeiro
ato-comício-panfletagem no centro da cidade. Estávamos então em cerca de
100 pessoas.

Ali foram repartidos 2000 cópias do Manifesto Obreiro e Libertário,
lançado pela FOSP/COB-AIT, além de outros – lançados por diferentes grupos
punk (como o “1º de Maio - Luto e Luta’, lançado pelos punks de Taboão da
Serra). Também foi afixado um mural sobre a história do 1º de Maio e sobre
os 90 Anos da GREVE GERAL de 1917, bastante concorridos. Palavras-de-ordem
e falações contra o desemprego, a repressão, a carestia da vida e em pró
da redução da jornada de trabalho, pela liberdade de organização, por
aumento de salários, pela revolução agrária, entre outros, deram a tônica
desse Ato. As pessoas iam chegando e em paralelo as agitações repassávamos
informes sobre a situação geral e mantínhamos o ambiente de assembléia
permanente. Por volta de 14:30 hs chega uma passeata que vinha de uma
concentração que havia sido chamada para a Avenida Paulista, com cerca de
200 pessoas, que são recebidas aos gritos de PUNK NA RUA A LUTA CONTINUA!,
1º DE MAIO É LUTO É LUTA!, VIVA A ANARKIA! Quando já estávamos sem
material para distribuir chega um novo bloco – vindo dos rincões de Santo
Amaro – com mais 2000 cópias do Manifesto Obreiro e Libertário da FOSP. A
essa altura, contando com a presença de mais de 500 pessoas decidimos sair
em Passeata pelas ruas do centro, até as escadarias da Igreja da Sé.

A Passeata parte das escadarias do Teato Municipal e entra no Viaduto do
Chá puxada por uma enorme faixa negra/vermelha onde se lia: ‘FOSP/COB-AIT
NA LUTA!’. Ao passar pela sede da prefeitura palavras-de-ordem contra o
prefeito Kassab/Democrata são gritadas com ódio. Atravessamos a Praça do
Patriarca e entramos na Rua Direita, chamando os trabalhadores das lojas
que estavam funcionando a aderir à luta ‘VOCÊ AÍ PARADO, TAMBÉM É
EXPLORADO!’ Policiais de carro e da tropa motorizada acompanham a
manifestação, mas não interferem.

Invadimos a Praça da Sé aos gritos de “O POVO UNIDO GOVERNA SEM PARTIDO!’
e “CONTRA O DESEMPREGO E A REPRESSÃO!”. Depois de uma rápida para nas
escadarias da Catedral prosseguimos a Passeata passando pela Pç. João
Mendes, subindo a Avenida Brigadeiro Luiz Antonio e entrando na Av.
Paulista até o MASP – mesmo trajeto que tentamos fazer o ano passado e
fomos impedidos por uma mega-operação policial-militar. A passeata, na
subida da Brigadeiro, utilizando 2 faixas da pista, ocupava 2 quadras,
cantando o refrão da Internacional “BEM UNIDOS FAÇAMOS NESSA HORA FINAL
UMA TERRA SEM AMOS A INTERNACIONAL”, assim como palavras-de-ordem contra o
desemprego e chamando à luta direta e apartidária. Na Paulista a tônica
foi para ‘O POVO ORGANIZADO NÃO PRECISA (ou GOVERNA) SEM ESTADO!’, ‘ABAIXO
A REPRESSÃO!’ (devido a um atrito com a PM quando se tentou fechar todas
as 4 pistas) e ‘PÃO, FEIJÃO, SAÚDE E AUTO-GESTÃO!’

Ao chegar ao MASP, cerca de 16:30 horas, estendemos as faixas e murais,
fizemos um rápido comício e, finalmente, realizamos uma assembléia de
balanço e encerramento. Nessa assembléia tomaram a palavra pessoas ligadas
ao Movimento Punk e ao Movimento Pela Reativação da COB/AIT. Foram
levantados os aspectos importantes ligados ao processo de organização e
unificação do movimento libertário – onde se destacou a importância das
Jornadas Libertárias de São Paulo (JLP/SP-2007) marcadas para os dias
6,7,8 e 9 de julho – para marcar o período crítico da Greve Geral de 1917-
que culminou com o tiro desferido por policiais contra o
operário-sapateiro José A. Martinez no dia 9 de julho de 1917. Aspectos
ligados as recentes denuncias de grupos ‘punks’ (a gang ‘Devastação’)
estar agredindo homossexuais em conjunto com os cabeça-de-ovo skins também
foram discutidos se deixando claro que punks não são fascistas ou
homofóbicos, bem como que grupos/indivíduos que mantenham essas práticas
sejam denunciados como fascistas e não punks. Também foram reafirmados
aspectos de segurança, em especial na INTERNET, e se falou da necessidade
da constituição de um Comitê de Auto-Defesa Anti-Fascista. Assim como
colocações gerais contra os partidos políticos, os sindicatos atrelados ao
Estado, a truculência policial, as fronteiras e as bandeiras, etc. Foi
dada orientação para que as pessoas se retirassem em conjunto e em grupos.
Quando nos retirávamos a PM, que se manteve a frente do MASP até então,
entrou na área do vão e deu uma geral em todos que ainda lá se
encontravam. Ninguém foi detido até nos retiramos por volta de 18:30 hs,
com o MASP já vazio.

Além das organizações já citadas (FOSP/COB-AIT, UMP, CL, CEPP, A LANTERNA,
Coletivo Semente de Fogo) participaram e apoiaram a manifestação o
Coletivo Humanitudes, o Comitê Avante Zapatista e elementos ligados ao
Levante Anarquista, ao MAP, ao SP-Punk e diversos outros grupos do
movimento punk paulista, além de raulseixistas, desempregados, sem-teto e
grupos punks independentes de cidades da Grande São Paulo.

Essa manifestação histórica do 1º de Maio de 2007, seguindo os passos do
movimento, mostra o nível de unidade, organização e maturidade do MLB e
foi uma vitória de todos nós trabalhadores libertários, punks, etc.
Colocamos claramente nossa posição de luta sem trégua, sem fronteira e
pela revolução social para todos que se dirigiam às missas e festas
promovidas pelos sindicatos atrelados ao Estado.

VIVA O MLB!
VIVA A FOSP/COB-AIT!
VIVA O 1ºDE MAIO DE LUTA!
LONGA VIDA À AIT-IWA!
VIVAS À ANARKIA!

"A emancipação dos trabalhadores será obra dos próprios trabalhadores."

O COLETIVO LIBERTÁRIO
cldvulg1985@yahoo.com.br

MAIS DE 30 ANOS DE LUTA ANTIFASCISTA

+ de 30 ANOS NA LUTA ANTI-FASCISTA
O MOVIMENTO PUNK DOS PRIMÓRDIOS ATÉ O SÉCULO XXI

Para marcar o momento histórico em que o movimento punk surge como uma
onda furiosa que varreu o mundo o ‘Coletivo Humanitudes’ chama um evento
com a apresentação de vídeos, murais e debates sobre o movimento punk no
Brasil e no mundo. Marcado por sua atitude de inconformismo e marcado pelo
individualismo anarquista, a 'nova onda' punk calou os cultores da guerra
fria, o capitalismo de Estado e o espírito fascista de nossos dias. Murais
e debates sobre a luta antifascista do movimento punk serão o pano de
fundo. Culminando com uma GIG com um apanhado do underground paulista em
atividade. Com a participação de bandas em atividade desde a década de 80,
protagonizado eventos históricos como o famoso “Projeto APOCALIPSE, NÃO!”
e bandas q no próprio século XXI mostram que o Punk está mais vivo do que
nunca!

PROGRAMAÇÃO:
(Mesa de zines durante o evento)
15 HS: VÍDEOS E MURAIS

15:30 hs: DEBATE
O MOVIMENTO PUNK NA ATUALIDADE

16:30 HS: Início da GIG de Protesto
Com as bandas:
16:30 hs: GERAÇÃO SUBURBANA
(Banda Hard Core da zona norte, formada em 2005)
17:30 hs: RESISTÊNCIA PUNK
(Banda Hard Core anarcopunk da zona Oeste, formada em 2004)
18:30 hs: THE PENDENTS
(Banda Punk Rock da zona Sul, formada em 2003)
19:30 hs: CARNE MOÍDA
(Banda Hard Core da zona Sul, formada em 2000)
20:30 hs: EXCOMUNGADOS
(Banda Punk da zona Sudoeste, formada em 1986)
21:30 hs: DZK
(Dizikilibriu Social)
(Banda Punk Rock do ABC, formada em 1984)

Data: 19 de Maio de 2007 (Sábado) a partir das 15 hs
Local: Casa de Cultura de Santo Amaro
(Praça Francisco Ferreira Lopes, 434
- Altura do nº 800 da Av. João Dias
- Telefone: 5522-8897)

Iniciativa: Coletivo Humanitudes
Apoio: O COLETIVO LIBERTÁRIO, Coletivo Semente de Fogo, Coletivo Educar
Para a Paz, SINDIVÁRIOS/SP-FOSP/COB-ACAT/AIT

Contatos e informações:
cldvulg1985@yahoo.com.br

Repassando:
@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@
O filme Terráqueos já disponível na internet para fins educacionais. Não
deixe de assistir este que é um dos filmes mais armados de argumentos
abolicionistas. Reserve alguns minutos para refletir.

Earthlings (Terráqueos) - Português (Legendado)
Versão completa (95 minutos)

Assista aqui:
http://video.google.com/videoplay?docid=-5923245618644065423

“De todos os filmes que eu já fiz, este é o que as pessoas mais comentam.
Para cada pessoa que ver EARTHLINGS, elas contarão para outras três.”
-Joaquin Phoenix, ator/narrador

“Se eu pudesse fazer com que todos no mundo vissem um filme, eu os faria
ver EARTHLINGS.” -Peter Singer, autor Libertação Animal

EARTHLINGS (Terráqueos) é um documentário sobre a absoluta dependência da
humanidade em animais (para companhia, comida, roupa, entretenimento, e
pesquisa científica), mas também demonstra nosso completo desrespeito por
estes chamados "provedores não-humanos." O filme é narrado pelo indicado
ao Oscar Joaquin Phoenix (GLADIADOR) e apresenta música pelo artista de
platina renomado pela crítica Moby.

Com um estudo profundo em pet shops, fábricas de filhotes e abrigos de
animais, como também em fazendas industriais, o comércio de couro e de
peles, as indústrias de esportes e entretenimento, e finalmente a
profissão médica e científica, EARTHLINGS usa câmeras escondidas e imagens
nunca antes vistas para demonstrar as práticas cotidianas de algumas das
maiores indústrias do mundo, todas as quais dependem totalmente em animais
para o lucro. Poderoso, informativo e provocador, EARTHLINGS é de longe o
documentário mais compreensível já produzido na correlação entre a
natureza, animais, e os interesses econômicos humanos. Existem muitos
filmes valiosos de direitos dos animais, mas este transcende o cenário.
EARTHLINGS grita para ser visto.

"Por favor, mostre este vídeo para outras pessoas. Obrigado por assistir."

Assista aqui:
http://video.google.com/videoplay?docid=-5923245618644065423


Para maiores informações em como adquirir o vídeo legendado, entre em
contato:
Gato Negro - Núcleo Libertação Animal
gatonegro@riseup.net



Outros vídeos traduzidos pelo grupo:

Mundo vegetariano:
http://video.google.com/videoplay?docid=6550301632794706439

Engula isso (Chew on this):
http://video.google.com/videoplay?docid=-8533586834187470003

Meet your Meat:
http://video.google.com/videoplay?docid=195777870900147944
"A emancipação dos trabalhadores será obra dos próprios trabalhadores."

6,7,8 E 9 DE jULHO DE 2007

 

 

Manifestation against G-8 is brutally dispersed by the Military Police in Brazil (San Paolo) 

The anti-G-8 protest accomplished by about 500 people, mostly young proletarians, in the avenue Paulista, in São Paulo ( Brazil ), finished in battle with the Military Police, in afternoon of this Thursday. About 150 young were arbitrarily prisoners.

San Paolo (Br): Manifestação contra G-8 imperialista é brutalmente dispersada pela Tropa de Choque da Polícia Militar

Destaque pela ausência: “Esquerda” partidarizada não participou dos protestos, nem mesmo realizando sua próprias manifestações

O protesto anti-G-8 realizado por cerca de 500 pessoas, principalmente jovens proletários, na avenida Paulista, terminou em batalha campal com a Polícia Militar, na tarde desta quinta-feira.

O confronto resultou em várias fachadas de bancos estilhaçados. Sofreram danos, pelo menos, uma lanchonete MacDonalds, uma agência Sudameris, outra do Santander-Banespa e um café grã-fino “tahitiano”.

Cerca de 150 jovens foram arbitrariamente presos. Sem conseguir identificar os jovens que apedrejaram a polícia, os bancos e a lanchonete norte-ameriKKKana, a tropa de choque da PM passou a perseguir, espancar e prender todos os jovens com visual punk ou que simplesmente usavam roupas pretas. Os soldados chegaram a invadir o cinema Top Cine e a prender pessoas que estavam assistindo um filme.

Devido ao confronto, a avenida Paulista ficou totalmente interditada por meia hora. Depois a PM bloqueou duas faixas da pista sentido centro, na altura do cruzamento com a rua Augusta.

Os jovens e populares protestavam contra a realização da reunião do G8 --grupo dos sete países imperialistas-- que se realiza na Alemanha. Eles se concentraram no vão livre do Masp e às 15h30, saíram em passeata no sentido bairro-centro, interditando a avenida, o que provocou a agressiva reação policial (c.tovarich).

 

Documento: DA REPRESSÃO NA PAULISTA A CONSTITUIÇÃO DO COMITÊ DE AUTODEFESA

Por Coordenação Estadual FOSP/COB-AIT 08/06/2007 13:24

fospcobait@yahoo.co.uk

http://fospcob.blogspot.com/

DA MANIFESTAÇÃO ANTI-G8 NA PAULISTA

 

Chegamos de Santo Amaro por volta das 15:30 hs. Havia então de 300 a 500 pessoas concentradas (a maioria punks, nenhum partido político e nenhum representante de nenhuma das centrais sindicais institucionais - somente militantes sindicais da FOSP/COB-AIT apoiaram a manifestação). A concentração ficou nos fundos do MASP e as pessoas realizaram uma Assembléia dos concentrados para ver o que fazer. Não havia dirigentes ou dirigidos e a manifestação era espontânea, a maioria das pessoas era jovem e inexperiente.

 

Entre a Assembléia e a avenida Paulista havia uma grande fila de pessoas para comprar ingressos cerca de 80 pessoas (entre 50 e 100). Na frente do Parque Trianon, nas laterais do MASP e nas ruas paralelas havia várias tropas da PM espalhadas (motorizados, infantaria, choque, GOE, GRADE e helicóptero).

 

A Assembléia decidiu, levando em consideração a dura condição do cerco policial e a iminente possibilidade de repressão policial, sair em passeata pela Avenida Paulista - em princípio rumo a sede do Banco Central. Eram cerca de 16:00 hs. Ao sair do MASP foram ocupadas todas as cinco pistas da Avenida Paulista - aos gritos de ALCARALHO COM O FMI! e PUNK NA RUA A LUTA CONTINUA! - e a PM prontamente respondeu a esse movimento: as motos - que estavam no Pq. Trianon - atravessaram a pista - a passeata ia na direção da Consolação - e tentaram empurrar a massa para as duas faixas laterais, desocupando as outras pistas; a infantaria e carros e camburões passaram a ir por trás e pelas laterais, fechando a entrada do Banco Central. A manobra da tropa motorizada não deu certo e eles ficaram no meio da massa que fechou novamente toda uma pista da Paulista - o que irritou profundamente o comando da PM.

 

A imprensa, abastecida pelas informações policiais, já que chegaram depois do ocorrido - em grande medida - davam informações contraditórias. Assim uma emissora de rádio após dar os números da PM - de que a manifestação tinha por volta de 120 na passeata -,e logo depois, entrevistando o Comandante da operação, ele afirmar que já havia mais de 150 pessoas detidas!!! Isso por volta das 17:30 hs!

 

Na verdade a passeata saiu com cerca de 500 pessoas - ocupação das cinco faixas da Avenida paulista, por uma quadra, não pode ser realizada por 100 ou 200 pessoas. Havia pelo menos 500 policiais na operação! Então aos que tentam descaracterizar a manifestação, abram os olhos, vocês estão apoiando as versões policiais!

 

Os números oficiais falam em 152 detidos. Algumas pessoas, cerca de 20 a 30 foram indiciadas - por acusações variadas: vandalismo, porte de arma-branca, desobediência civil, etc. Os casos mais graves estão entre umas cinco pessoas que forma 'escolhidas' para assumir as coisas mais pesadas: porte de explosivos (falava-se em coquetéis molotov e de uma granada de uso exclusivo do exército - que teriam sido plantados pela própria policia - que não usava os crachás de identificação no confronto da Paulista (e já a noite, no 4º DP, muitos ainda estavam sem identificação!

 

Alguns manifestantes e PMs foram encaminhados para hospitais, a maioria com ferimentos leves - alguns causados por balas de borracha (parece que uma pessoa perdeu uma vista). Houve dois casos mais graves de manifestantes encaminhados em coma para os hospitais, um deles agredido por vários PMs no chão, na Avenida Paulista, teve afundamento craniano e foi encaminhado para o Hospital do Servidor Público, outro foi espancado no 4º DP, teve um ataque epiléptico durante o espancamento e não retornou a consciência - sendo encaminhado ao HC.

 

É preciso constituir um Comitê de Auto-Defesa e Solidariedade para acompanhar os processos e fazer a defesa coletiva dos processados.

 

O SINDIVÁRIOS-SP/FOSP/COB-ACAT/AIT se prontifica a participar dessa defesa coletiva e da constituição do Comitê de Auto-Defesa Proletária.

 

VIVA OS QUE LUTAM!

SOLIDARIEDADE É UMA ARMA QUENTE!

CONTRA A GLOBALIZAÇÃO CAPITALISTA , INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO!

 

Outro relato: os fatos

Por CAOS 08/06/2007 13:17

 

uma passeata espontânea, autônoma, independente, sem lideres ou lideranças... que foi convocada por NINGUEM SABE QUEM tomou a avenida Paulista na tarde dessa quinta.

 

foi feita uma votação no MASP, local do encontro, para decidir os rumos da manifestação.

 

tinha cerca de 200 pessoas no local qdo decidimos protestar em frente ao BC, ao consulado da itália, e é claro, parar a avenida paulista, para mostrar nossa indignação com essa porra que acontece na alemanha.

 

esqueci de colocar aqui, que no local deveria ter uns 400 policiais. contingente de guerra. loucos por sangue.

 

outro fato importante, tinha muitos jovens de ensino médio no local. uma boa parte da molecadinha que acompanhava a passeata, tinha por volta de seus 17 anos.

 

pouco antes de chegarmos ao mcdonalds da avenida paulista, a policia incitava o pessoal com agressões físicas e verbais. o tempo todo éramos alvos desses cães de guarda da burguesia, do capital, da propriedade. eles jogavam akelas motos em cima da gente. falavam que era tudo vagabundo. q a gente ia apanhar e o caraio. o ato continuou.

 

depois de um clima tenso e ânimos exaltados, INCITADOS PELA POLÍCIA, não havíamos andado nem 4 quarteirões qdo um jovem enfurecido com toda a situação, quebra os vidros do mcdonalds.

 

pronto!

 

era o que os cães de guerra esperavam.

 

começou a batalha na paulista.

 

eles saíram pra cima da galera correndo, como se fosse isso q esperassem. eles estavam preparados pra isso. é impressionante. a a violência q eles foram pra cima dos manifestantes foi extremamente brutal.

 

eu vi vários jovens apanhando de 10 policiais ao mesmo tempo. vários. tinha muita gente sangrando.

 

a policia saiu perseguindo os jovens pelas ruas paralelas à paulista, agredindo todos que viam pela frente.

 

se tinha o perfil de manifestante... era espancado e preso. eles estavam torturando jovens em plena luz do dia.

 

eles invadiram bares da região e cinemas, tirando pessoas de dentro sem explicação.

 

o número de bombas que estourou no local foi surpreendente. pelos menos umas 50 bombas foram jogadas em manifestantes desarmados.

 

COVARDES. FILHAS DA PUTA.

 

depois dessa inútil mostra da "força", os jovens saíram ensandecidos pela paulista, com mais ódio ainda da policia e do estado, e quebraram todo e qqer banco, e loja de corporação q encontrasse. foi um verdadeiro quebra-quebra na paulista. estimulado pela policia.

 

e dizem que saímos da ditadura militar. saímos é o caralho. essa repressão toda dos "donos da lei" contra manifestações de cunho político e social, é sinal evidente de que não.

 

mas estamos aqui. firmes! estamos nos enfurecendo cada vez mais. e nos juntando cada vez mais. a repressão traz a nossa união.

 

isso só tende a nos unir.

 

essa policia altamente fascista e violenta de sp, não tem noção alguma do que está criando com isso...

 

para esta reportagem, alguns txts foram coletados do CMI Brasil

JLP/SP-2007

16:24 @ 08/08/2007

jlp/sp-2007

16:25 @ 08/08/2007

JORNADAS LIBERTÁRIAS DE PROTESTO DE SÃO PAULO 2007

JORNADAS LIBERTÁRIAS DE PROTESTO DE SÃO PAULO 2007
** 90 ANOS DA GREVE GERAL DE 1917 **

PROGRAMAÇÃO

SEXTA (06 JULHO) ABERTURA 14 HS EXPOSIÇÃO DE FOTOS E MURAIS ALUSIVOS
18 hs Exibição do Filme "OS LIBERTÁRIOS" , sobre o movimento operário do início do século XX
19 hs Palestra com a Profa. Dra. Christina Lopreato da Universidade Federal de Uberlândia, autora dos livros: A Semana Trágica, O Espírito da Revolta sobre a Greve Geral de 1917. A Palestra será seguida de Debate Aberto.

************

SÁBADO (07 JULHO) ABERTURA 9 HS ? EXPOSIÇÃO DE MURAIS E FOTOS
10 hs Palestra sobre : A GUERRA CIVIL ESPANHOLA E A LUTA CONTRA O FASCISMO ( 35 a 45)
Com o economista e historiador Dr. Hélios Puig, da Fundação de Estudos Econômicos. Seguida de Debate Aberto.

-----------------INTERVALO PARA O ALMOÇO-------------------------

14 hs Palestras Dinâmicas:
- O Indivíduo, a Autonomia e a Organização, pelo Prof. Edson Passeti da PUC São Paulo;
- A Mulher Trabalhadora por Grito de Revolta das Mulheres Libertárias;
- O Punk e o anarquismo , por Movimento Anarco-Punk;
- Contra-Cultura e Pedagogia Libertária, pelo Prof. Marins da EE...-Campo Limpo
- A Solidariedade Internacional e a Questão do Haiti, pela Profa. Lucia Skromov da PUC São Paulo;
- A Atualidade da Luta dos Trabalhadores, por Renato Carvalho de Almeida Filho da ?FOSP/COB-ACAT/AIT
* das 16 as 20 hs - Debate Aberto em Plenária.

20 hs Sarau SEMENTE DE FOGO.
(Confraternização e momento de descontração cultural)

*******************

JLP/SP-2007 @ 90 ANOS DA GREVE GERAL DE 1917 @
(6,7,8 e 9 de Julho)
*CASA DE CULTURA DE SANTO AMARO *
Praça Francisco Ferreira Lopes, 434 ? Santo Amaro
(Altura do nº 800 da Avenida João Dias - ônibus saindo do Terminal Bandeiras, no centro)

DOMINGO (08 JULHO)

[Na Casa Preta] ABERTURA 9 HS ? DISCUSSÃO PLENÁRIA
- "A ATUALIDADE DA GREVE GERAL DE 1917 E DA LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO"

---------------INTERVALO PARA O ALMOÇO-------------------------
Encerramento das Discussões: 18 hs

[Na Casa de Cultura de santo amaro] ABERTURA 10 HS - EXPOSIÇÃO DE MURAIS E FOTOS
Das 10 hs as 13 hs Oficinas de Artes Gráficas

---------------INTERVALO PARA O ALMOÇO-------------------------

14 hs - Exibição do Filme 4 anos de UMP.
15 hs - Debate sobre: ?A JUVENTUDE CONTRA A INTOLERÂNCIA?
18 hs - FESTA JULHINA A SÃO BAKUNIN - Confraternização Popular - Com Música e Poesia ao Vivo
22 hs - ENCERRAMENTO

Infos: fospcobait@yahoo.co.uk

NÃO SUSTENTE PARASITAS!

16:32 @ 08/08/2007

JORNADAS LIBERTÁRIAS DE PROTESTO DE SÃO PAULO 2007

Federação Operária de São Paulo organizará, no dia 08 de Julho , o V Congresso

 

Dentro dos princípios históricos da AIT, a Federação Operária de São Paulo
organizará, no dia 08 de Julho, período em que eclodia a greve geral de
1917, seu quinto congresso operário que definirá os rumos da classe
trabalhadora em São Paulo em vista da reconstrução da Confederação
Operária Brasileira.

Como já é público, em Dezembro de 2008 o Congresso da AIT será no Brasil e
com isso cabe a nós, seção da AIT em São Paulo, darmos cabo das discussões
mais densas sobre os rumos do sindicalismo revolucionário, frente aos
desmandos do capitalismo e do estado, na destruição dos direitos
conquistados com sangue por nossos eternos camaradas.

Somente unindo a classe trabalhadora ao capital, ao estado e aos
interesses dos políticos é que avançaremos na construção da organização
livre e revolucionaria dos trabalhadores do mundo inteiro, até a greve
geral e a revolução.

É de extrema importância que nestes noventa anos da greve geral, que parou
São Paulo e mostrou a força dos trabalhadores frente a patronal e o
estado, que nos empenhemos ainda mais em unirmos a classe trabalhadora de
forma livre, dentro dos princípios da AIT.

“De pé ó vitimas da fome”. Nesse intuito, chamamos nossas seções a
mobilizarem-se para organizarmos com eficácia nosso quinto congresso e
darmos seguimento em unir a classe trabalhadora em torno de sindicatos
livres e revolucionários, como na greve de 1917.

À Coordenação da Federação Operária de São Paulo

MANIFESTO DE 1º DE MAIO DA FOSP/COB-ACAT/AIT

1º de Maio não é dia de festa! 1º de Maio é dia de luto e de luta!!! Manifesto obreiro pela igualdade e pela liberdade O poder, a televisão, os ricos enchem nossas cabeças de informações erradas. Eles falam muito, mas não dizem nada! Só querem nos submeter aos seus interesses. Toda hora ouvimos eles dizerem que o Brasil está crescendo, que o desemprego está diminuindo e os salários estão comprando mais... mas não é o que sentimos em nossos bolsos, ou observamos por aí.

Assim ficam reescrevendo a história, para que ela confirme o que dizem, como se mentiras do passado pudesse fazer as falsidades do presente se tornar menos danosas. É precisamente o que fazem com a história do 1º de Maio – e com toda a história de lutas da classe trabalhadora. A data de 1º de Maio como dia de luta dos trabalhadores tem origem na luta pela Redução da Jornada de Trabalho para 8 hs/dia – a partir das discussões do Congresso de fundação da Associação Internacional dos Trabalhadores (AIT-IWA), em 1865. Para o dia 1º de Maio de 1886 os trabalhadores de Chicago/U$A chamaram uma Greve Geral pelas 8 horas - na época a Jornada de Trabalho era de 15 horas diárias para homens, mulheres e crianças – sem assistência médica, aposentadoria, enfim: nenhum direito. A repressão patronal apela ao Estado que reprime violentamente uma manifestação dos trabalhadores na Praça Haymarket, levando a um confronto e a morte de mais de 100 trabalhadores. Nove trabalhadores são responsabilizados pela polícia e condenados a morte, sendo até hoje conhecidos como os “Mártires de Chicago”. A partir do seu exemplo, desde então, greves paralisariam o mundo nos 1º de Maio desde então, na luta pela REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO.

No Brasil não foi diferente. Desde o final do século 19 manifestações proletárias libertárias se faziam presentes, apesar da intensa repressão governamental. Mas foi a partir da fundação da Confederação operária Brasileira (COB), em 1906, que a luta se intensificou, com grandes greves operárias pela redução da jornada de trabalho em 1907 – conquistadas por setores da construção civil. A luta continua, apesar das prisões e deportações. A COB estimula e rearticula sindicatos e federações locais, intensifica a luta contra a 1ª Guerra Mundial e contra a carestia da vida e o desemprego. Até que no ano de 1917, a partir de São Paulo, eclode um processo grevista sem precedentes, conhecida como a GREVE GERAL DE 1917: os trabalhadores paulistas paralisam a cidade completamente e enfrentam a polícia e com isso asseguram a maior parte dos direitos que temos hoje, e que o governo petista, a serviço da burguesia e do imperialismo, tenta destruir com sua ‘Reforma Trabalhista’.

Por isso é urgente hoje a luta e a necessidade de organizarmos uma nova e verdadeira Greve Geral: o arrocho salarial dos últimos 15 anos, associado a um desemprego crônico e crescente, destroem o poder de compra do proletário. O próprio Salário Mínimo (SM) de R$ 380,00 é uma afronta à classe trabalhadora, frente ao ‘salário’ dos políticos - quase R$ 100 mil, e que saem do bolso do próprio trabalhador na forma de impostos de todo o tipo. O próprio presidente Lula, do ‘Partido dos Trabalhadores’, teve um aumento de 80% - frente ao aumento do S.M. de 30% e de outras categorias, que mal chegam aos 25%, ou do funcionalismo – em torno dos 15 %, ou dos aposentados, irrisórios 10%!!!

Chega de privilégios! Hoje o que se ouve por aí remontam às profecias do fim do mundo, como antes já tinham anunciado o “fim da história” e o “fim do trabalho”. É o desemprego mundial, é o aquecimento global, é o envenenamento da água potável... é o terrorismo e a violência. O que não dizem é: por que tudo isso? Pois isso colocaria os holofotes sobre os mesmo salvadores da pátria de hoje: foi o próprio desenvolvimento capitalista – beneficiando uma minoria cada vez menor – em nome do lucro que nos conduziu a isso!!!

Mas e a solução? A solução o nosso povo vai dar: quem constrói a riqueza, quem vive na miséria e na opressão, nós podemos salvar o futuro hoje! Basta acabar com todo o lixo capitalista, assumir a gestão direta da sociedade enterrando para sempre a lógica do lucro, baseada no monopólio da propriedade dos meios que garantem a vida da sociedade: os meios de produção (terras, fábricas,matérias primas, etc.). Sejamos francos: aqueles que tentam desacreditar a capacidade política da classe operária o fazem para reafirmar seu direito ao mando. A sociedade hierarquizada é a culpada pelas nossas mazelas e só o estabelecimento de uma igualdade real, apoiada no conceito de liberdade, pode quebrar a lógica do lucro para que possamos, definitivamente, construir uma sociedade baseada no bem comum.

CONTRA AS REFORMAS DE PERDA DE DIREITOS! CONTRA O ARROCHO SALARIAL! (S.M. constitucional de R$ 1.750,00, Aumento Geral de 80%, Pela Igualdade Salarial independente de sexo, raça, etc.)

CONTRA O DESEMPREGO! PELO DIREITO AO TRABALHO E A VIDA DIGNA! (Redução da Jornada de Trabalho para 6 hs/dia, 30 hs/semana – sem redução salarial! Reforma Agrária Radical e Imediata - Com Ocupação e Coletivização das Terras e da Produção)

CONTRA A CARESTIA DA VIDA, dos Transportes e dos Gêneros de Primeira Necessidade!

CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS!

PELA LIBERDADE DA ORGANIZAÇÃO SINDICAL FRENTE AO ESTADO, AOS PARTIDOS E AOS PATRÕES!

PELA REATIVAÇÃO DA CONFEDERAÇÃO OPERÁRIA BRASILEIRA (COB/AIT)!

PELO SOCIALISMO LIBERTÁRIO E PELA AUTOGESTÃO GENERALIZADA!

FOSP - Federação Operária de São Paulo.

 

Filiada a: COB - Confederação Operária Brasileira.

ACAT - Associação Continental Americana dos Trabalhadores.

AIT - Associação Internacional dos Trabalhadores.

"A emancipação dos trabalahdores será obra dos próprios trabalhadores."

JORNADAS LIBERTÁRIAS DE PROTESTO DE SÃO PAULO 2007
@@ NOS 90 ANOS DA GREVE GERAL DE 1917 @@
AVANÇO DA UNIFICAÇÃO DO MOVIMENTO LIBERTÁRIO BRASILEIRO
É UMA VITÓRIA DA CLASSE TRABALHADORA


Reforçando a campanha da FOSP/COB-ACAT/AIT de recuperação
da Memória Operária, das grandes lutas - que levaram a conquista
dos direitos que os capitalistas tentam destruir com suas reformas
- as Jornadas Libertárias de Protesto de São Paulo, centradas
na discussão sobre a atualidade da GREVE GERAL DE 1917, marcam
o início de julho na cidade de São Paulo - em especial na região
de Santo Amaro.

Marcada por uma campanha de divulgação que se iniciará na grande
manifestação do 1º de Maio Operário e Libertário, chamado pelo
Movimento pela Reativação da COB-AIT com o apoio do MLB, em especial
do movimento punk. Essa divulgação manteve a Greve Geral de 17 como
um tema atual, abordado em dezenas de manifestações culturais e
proletárias, durante os meses de maio e junho. Assim, através de
milhares de cartazes, boletins, jornais e filipetas centenas de
milhares de pessoas souberam de um dos fatos mais importantes da
luta operária brasileira que tanto o Estado quanto a burguesia e
os partidos políticos se esforçam tanto para apagar da história -
ou descaracterizá-lo.

Essa intensa atividade encontra seu ápice entre os dias 6 e 9 de
julho, momento crucial da greve em 1917 - que culmina com o assassinato
do jovem operário de 22 anos José Martinez, militante anarcosindicalista
da FOSP/COB. Nesses mesmos dias, 90 anos depois, aqueles fatos foram
amplamente divulgados, discutidos e relembrados no centro de Santo Amaro,
na Casa de Cultura Manoel Mendonça, nas perclaras e emocionantes
discussões das Jornadas Libertárias de Protesto.

Na sexta- feira, dia 6 de julho, a partir das 19 hs foi exibido o filme
OS LIBERTÁRIOS seguido de intenso debate* sobre a atualidade da Greve
Geral. No sábado, 7 de julho, a partir das 10 hs tivemos a palestra sobre
A REVOLUÇÃO ESPANHOLA E A LUTA ANTIFASCISTA, seguido de intenso debate,
teve que ser interrompido as 13:30 hs (intervalo para o almoço) onde
foi deliberado um lanche coletivo, precedido de uma "vaquinha" para a
aquisição de pão, recheio e bebidas - não alcoólicas (tudo num clima de
muita fraternidade e espontaneidade, numa forma autogestinária e
assembleária. A partir das 14:30 recomeçam as atividades programadas com
as Palestras Militantes: INDIVIDUALISMO, AUTONOMIA E FEDERALISMO**;
A QUESTÃO DA MULHER; O MOVIMENTO PUNK; A CONTRA-CULTURA; A PEDAGOGIA
LIBERTÁRIA (uma das palestras - sobre Sindicalismo - foi cancelada,
para se aumentar o tempo das discussões, se entendendo que era o tema
geral de todas as discussões). A discussão se encerraria as 20 hs,
horário marcado para a 1ª confraternização formal das JLP/SP-07: o Sarau
SEMENTE DE FOGO, que se iniciando as 20 :30 hs - com histórias,
homenagens, poemas, grupo de dança e canções (inclusive com a apresentação
de uma banda) se encerraria por volta da meia-noite.

O domingo começa cedo para os sindicalistas revolucionários, que já desde
as 9 hs chegavam à Casa Negra (Espaço Julio Guerra) vindos desde Sorocaba,
Guarulhos, Itaquequecetuba, Campinas, Osasco, Franca (além de outras
cidades do interior, da baixada e de vários pontos de São Paulo) no
vitorioso V Congresso Operário Paulista, mais de 25 participantes - além
da delegação do Secretariado da Seção da AIT no Brasil. As atividades na
Casa de Cultura Manoel Mendonça, se reiniciam a partir das 14 hs, com
exibição de filme, palestra e debate sobre o Movimento Punk e a Luta
Antifascista, a cargo do MAP-SP e da União do Movimento Punk (UMP). A
partir das 18 hs, encerrados os debates do V Congresso Operário Paulista e
das discussões sobre o movimento punk todos se unem na GIG de Protesto
Lúdico, FESTA JULHINA A SÃO BAKUNIN, ponto culminante da confraternização,
não só entre os participantes das JLP/SP-07, mas também com populares que
se achegaram para acompanhar a estranha, porém fraterna festa, onde bandas
da periferia FORÇA INGOVERNÁVEL, 100 VERBA, RESISTENCIA, FAMÍLIA ITAOCA,
REVOLTA POPULAR, mostrando a união do punk com o hiphop de combate, coroou
o sentimento geral de união fraterna do Movimento Libertário Brasileiro,
pronto a continuar a luta dos lutadores da grande Greve Geral de 1917.

De toda a programação a única coisa que ficou comprometida foi a
realização de um Ato de Desagravo a José Iguenez Martinez, mártir da Greve
Geral de 1917. Esse ato, que se daria a beira de seu túmulo, com a
instalação de uma placa comemorativa da continuidade de sua luta, se viu
comprometido pelo fato de que seu túmulo não foi localizado no Cemitério
do Araça - onde havia sido enterrado na época e se encontrava seu túmulo,
de acordo com bibliografia consultada. A Coordenação da FOSP/COB-AIT se
comprometeu a pesquisar seu destino e manter a proposta para uma nova data
a ser divulgada.

O balanço geral é amplamente positivo, não apenas pela ação de propaganda
prévia que levou a informação da Greve de 17 para milhares que não tinham
a menor idéia desses fatos, mas pela profundidade das discussões e seus
resultados práticos, para um público circulante de cerca de 500 pessoas -
com o pico de 250 a 300 pessoas nas atividades de domingo. Outro dado
importante é a composição do público, muitos jovens (dezenas entre 15 e 25
anos), dezenas de populares e simpatizantes (em geral da região de Santo
Amaro, negros e brancos, homens e mulheres, empregados, subempregados e
desempregados) e, inclusive, algumas pessoas que estão rompendo com os
partidos políticos da esquerda autoritária - que deram eco e testemunho
pessoal as denúncias que fazíamos quanto as crescentes práticas fascistas
da esquerda bolchevique. Outro dado importante foi o calor das discussões
e do espírito de luta dos participantes, que até o último dia, durante a
GIG - já a noite - tentavam puxar uma manifestação de rua para o dia 9.

VIVA A FOSP/COB-ACAT/AIT!
VIVA O MLB!
VIVA AS JLP/SP-07!

* A Comissão Organizadora das JLP/SP-07 informou que a palestrante
convidada, profa. Christina Lopreatto da UFUberlândia-MG, informou que não
poderia estar presente por compromissos profissionais e se dispôs a
participar em uma data próxima - a ser divulgada.

** Da mesma forma a Comissão Organizadora das JLP/SP-07 informou que o
palestrante convidado, prof. Edson Passetti do NUSOL e da PUC-SP, não pode
comparecer e se dispôs a participar de atividade em uma data próxima - a
ser divulgada.

O COLETIVO LIBERTÁRIO @ Amigos da COB-AIT @
cldvulg1985@yahoo.com.br

GALERA NAS ESCADARIAS DA CATEDRAL. (FOTO DO FUZZILEIRO).
 
 
 
A PASSEATA CHEGANDO A SÉ! (FOTO DA DIMME)
 
 
 
A GALERA DA KOMUNA, AINDA NO MUNICIPAL. (MAIS UMA DA DIMME).
 

RAULibertário SEIXAS

16:55 @ 08/08/2007

ANARKISTA ATÉ O FIM!

 

A saudação de Raul Seixas a Macalé foi esta: 

 

“ Coragem, Coragem, se o que você quer é aquilo que pensa e faz, eu sei que você pode bem mais. Nunca se venceu uma guerra lutando sozinho. A gente sabe que a gente sempre precisou entrar em contato. Foi sempre mais fácil achar que a culpa e do outro. Evitamos o aperto de mão de possíveis aliados, convencemos as paredes do quarto e dormimos tranqüilos sabendo no fundo do peito que não era nada daquilo.

Eu fiquei feliz de ter contribuído com aquela impressão digital deixada no banquete. A gente ainda nem começou” (fonte revista Caros Amigos!) pág. 19

Agosto de 1999
 

: Nosso fornecedor de camisetas! Vote Nulo não sustente Parasitas; temos o Alexandre Seixas de Recife envie carta ou telefone (0xx) 81 – 34280255 - Recife  PE.

Caixa Postal 7018 Cep 50770 - 100
 
A camiseta da CAMPANHA já esta sendo feita também e/ou distribuída no Pernambuco, Minas Gerais, São Paulo
e Rio Grande do Sul. Quem quiser pode entrar em contato conosco (R é a contribuição unitária de apoio, R paus, preço de custo por unidade, para quem quiser revender). O Coletivo Libertário Cx Postal 1917 - 01059-970 SP Além de nós, do RAUL ROCK CLUB e dos núcleos pró-COB/AIT , outros Fãs-clubes (como o LUAR, o CAMINHOS DO RAUL) outros coletivos e zines também já estão na CAMPANHA PELO VOTO NULO (como o zine UIVO/RS, a Associação APROFT, o grupo VOTONULO, etc )
 
Cartaz ou Estampa para Camisetas do Pessoal  núcleo da FORGS- COB/AIT 

Curta-metragem RAUL SEIXAS - PRA TODO MUNDO OUVIR estará sendo exibido em São Paulo nas datas e locais abaixo

Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000):
24/08/07 - 18:00
www.centrocultural.sp.gov.br
 
Museu da Imagem e do Som - MIS (Av. Europa, 158):
26/08/07 - 17:00
www.mis.sp.gov.br
 
Cinusp (R. do Anfiteatro, 181 Favo 4 - Cid. Universitária):
28/08/07 - 16:00
www.usp.br/cinusp

Comunicado do RAUL ROCK CLUB

17:01 @ 08/08/2007

Olá!
 
Chegamos em agosto, o mês que mais se presta homenagens à Raul Seixas em todo o Brasil.
Este ano, no dia 21 de agosto, terça-feira,  a famosa PASSEATA RAULSEIXISTIKA acontece, como há 18 anos, no centro de São Paulo.
Shows, mostras de vídeos, exposições, palestras, programas de rádio e TV também estarão rendendo homenagens ao mais popular roqueiro brasileiro.
Veja programação completa das homenagens ao Maluco Beleza acessando
http://www.raulrockclub.com.br/news
 
Aproveito a oportunidade para convidar você a inscrever-se no Raul Rock Club Mail, nosso serviço de WebMail em parceria com Windows Live Hotmail.
Caso ainda não tenho feito seu cadastro no Raul Rock Club Mail eis aqui uma oportunidade para obter uma conta de e-mail gratuita ' seunome @raulrockclub.com.br
' com 2GB, anti-Spam, anti-vírus e inúmeros e outros serviços  e ferramentas oferecidos pela Microsoft .
Para se inscrever basta acessar
http://www.raulrockclub.com.br/mail_signup .
 
Lembre-se sempre de visitar nosso site para ficar por dentro de tudo que anda acontecendo em torno do nome e da obra de Raul Seixas.
 

abraços,
 

Sylvio
Sylvio Passos
RAUL ROCK CLUB/RAUL SEIXAS OFICIAL FÃ-CLUBE

Deliberações do Congresso - Resumo

Seg, 6 de Ago de 2007

Saudações, segue o que rolou no congresso, de forma resumida, a ata
completa será divulgada ainda está semana. Dêm um ajeitada. Só divulguem
após a apreciação de nossa lista.

V Congresso Operário de São Paulo -

1-Foi reafirmada a base de acordo da FOSP na integra;

2-A FOSP segue as orientações do sindicalismo revolucionário;

3-A entrada de militantes é aberta, desde que ajam e aceitem os
principios do sindicalismo revolucionário;

4-A partir do congresso, a executiva da FOSP será formada pelas seções
constituidas (Santo Amaro, Osasco, Campinas);

5-A seções que vierem a se constituir participarão da executiva;

6-A COB-FORGS se responsabiliza oficialmente pela correspondencia
internacional;

7-Serão confeccionados documentos:
a)De apoio as ocupações rurais e urbanas;
b)De denuncia as ações de aliança de supostos anarquistas com partidos e
a postura de formação de partidos anarquistas;
c)Informando as diferenças entre punks e carecas.

8-Haverá em dezembro uma conferência ou congresso da COB, visando a
organização do Congresso da AIT de 2008;

9-Campanha visando uma sede para a FOSP;

10-Será usado como apoio nas campanhas e lutas, o material traduzido da
CNT Espanhola;

11-Foi aceita a proposta de campanhas e lutas para FOSP, que segue
abaixo:
CONTRA O DESEMPREGO E PELO DIREITO AO TRABALHO!

-REDUÇAO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 6 HS/DIÁRIAS, 30 HS/SEMANAIS - SEM REDUÇÃO SALARIAL!;

-REVOLUÇÃO AGRÁRIA - RADICAL E IMEDIATA

(COM AÇÃO DIRETA E AUTOGESTÃO DA PRODUÇÃO)!;

-PELO AMPLO DIREITO AO TRABALHO!

-CHEGA DE PERSEGUIÇÃO AOS TRABALHADORES AMBULANTES!;

-CONTRA A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO, POR MELHORES CONDIÇÕES DE TRABALHO!;

-POR UM AUMENTO GERAL DE 80% DOS SALÁRIOS (semelhante ao dado aos
Políticos e aos Magistrados) !;

-SALÁRIO MÍNIMO CONSTITUCIONAL (R$ 1500, 00, de acordo com o DIEESE)!

-CONTRA AS REFORMAS DA PERDA DE DIRETOS DO GOVERNO/PT, A SOLDO DO FMI!;

-CONTRA AS TERCEIRIZAÇÕES E BANCOS DE HORAS!

-CAMPANHA DE DENÚNCIAS DE ACIDENTES DE TRABALHO!;

-PELA OCUPAÇÃO E AUTO-GESTÃO DAS FÁBRICAS QUE FECHAREM AS PORTAS!;

-PELO DIREITO A MORADIA DIGNA!;

*PELA LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO E MANIFESTAÇÃO PROLETÁRIA!;

-CONTRA O IMPOSTO SINDICAL(E A CONTRIBUIÇÃO SINDICAL OBRIGATÓRIA)!;

-PELA MAIS AMPLA LIBERDADE DE ORGANZIAÇÃO SINDICAL!;

-CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DA QUESTÃO SOCIAL!;

-PELA REATIVAÇÃO DA CONFEDERAÇÃO OPERÁRIA BRASILEIRA, FEDERAÇÕES E
SINDICATOS LIVRES!;

-PELA REATIVAÇÃO DA ASSOCIAÇÃO CONTINENTAL AMERICANA DOS
TRABALHADORES( ACAT)!;

-VIVA A ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS TRABALHADORES (AIT-IWA)!;

* CONTRA O FASCISMO, O IMPERIALISMO E A INTOLERÂNCIA!;

-CAMPANHA INTERMITENTE ANTI-FASCISTA! ;

-CAMPANHA INTERMITENTE CONTRA AS GUERRAS SEM FIM E CONTRA O
MILITARISMO! ;

-PELA DESOCUPAÇÃO DA PALESTINA, DO AFEGANISTÃO, DO IRAQUE, DO CURDISTÃO, DE KOSOVO, ETC!;

-PELA IMEDIATA RETIRADA DAS TROPAS BRASILEIRAS DO HAITI!;

-CAMPANHA INTERMITENTE POR UM MUNDO SEM FRONTEIRAS!;

-CAMPANHA INTERMITENTE CONTRA A INTOLERÂNCIA RELIGIOSA, RACIAL, SEXUAL, ETC!

*CONTRA O ESTELIONATO POLÍTICO DA BURGUESIA!;

-CONTRA A FARSA ELEITORAL: VOTE NULO, SE ORGANIZE E LUTE, NÃO SUSTENTE
PARASITAS! (ORGANIZAR A Campanha Pelo Voto Nulo, NÃO SUSTENTE PARASITAS! para 2008);

-CONTRA A GLOBALIZAÇÃO CAPITALISTA, INTERNACIONALISMO PROLETÁRIO!;

-ABAIXO O CAPITALISMO E O ESTADO!

Saúde e anarcosindicalismo!

"POR QUE É QUE O POSTO ANDA COMPRANDO TANTA CANA

SE O ESTOQUE DO BOTECO JÁ ESTÁ PRÁ TERMINAR?

 

PASSEATA HOMENAGEM A RAUL ROCK SEIXAS

 

TERÇA 21 DE AGOSTO

(RAUL VIVE!)

 

16 hs - CONCENTRAÇÃO NAS ESCADARIAS DO TEATO MUNICIPAL

18 hs - SAÍDA DA 18 ª PASSEATA RAULSEIXISTICA

19 hs - CHEGADA NA PRAÇA DA SÉ

(gIG rAULSEIXÍSTICA)

22 hs - ENCERRAMENTO FORMAL

Apoio:

O COLETIVO LIBERTÁRIO

Informações:

cldvulg1985@yahoo.com.br

cldvulg1917@yahoo.com.br

 

 

 QUE RAUL SEIXAS TEM A VER COM O ANARKISMO?

 

algarobaz@yahoo.com.br

 

Como quem não faz tem muito tempo para criticar quem
está fazendo alguma coisa sempre surge esse papo
batido, repisado esse ano pelos militantes do PSOL
dentro da própria Komuna Raulseixista, de que nós - os
libertários - somos oportunistas, nos aproveitando de
uma homenagem que os fãs de Raul Seixas fazem sem
nenhum objetivo para dizer que é uma manifestação pelo
voto nulo...

Ao contrário daqueles que tem o rei na barriga e por
isso saem arrotando verdades, nós d'O COLETIVO
LIBERTÁRIO temos nosso ponto de vista, que defendemos
por nele acreditarmos. Aos que acaham que a passeata é
só festiva e sem objetivo por nada, uma pergunta: como
se explica que tantas pessoas em todo país se
mobilizem manifestando de forma espontânea sua
individualidade e insatisfação, ainda que com alegria
- o que contrasta com um dos temas do dia 21 de
agosto: O DIA DA SAUDADE? Por que os comunistas não
organizam um tributo assim para Prestes? Poxa, não se
pode esquecer que já se passaram 17 anos e em 17 anos
os tributos ocorreram sempre caracterizados por sua
espontaneidade? (E O ENGRAÇADO:) Por que há 7 anos atrás,

qundo a CAROS AMIGOS (que nem é anarkista!) lançou um

número em homenagem aos 10 anos de sua morte, onde

falava que Raul era anarkista, por que ninguém esperneou, e,

ao contrário, todos acharam legal dentro do MLB? 

Bem, tomem aí um pouco de nosso ponto de vista, em
documento histórico sobre o tema, para mostrar que não
somos oportunistas e sim persistentes. Novas imagens e
vídeos da 17ª PASSEATA-HOMENAGEM de 2006 e trechos de
entrevistas de Raul em que le fala de eleições,
política e anarkia.

 

CONTRA TODAS AS MISÉRIAS!

CONTRA A FARSA ELEITORAL!

DIGA NÃO ÀS DROGAS:

VOTE NULO, NÃO SUSTENTE PARASITAS!

 

O COLETIVO LIBERTÁRIO

 

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

(pt) MANIFESTAÇÃO HOMENAGEIA POETA LIBERTÁRIO BAHIANO (Raul Vive!)

From Waltênio Bequers <cldvulg1917@yahoo.com.br>
Date Thu, 23 Aug 2001 06:28
  
"...OS HOMENS PASSAM, AS MÚSICAS FICAM..."*
  
         Para os que pensavam e diziam que ficamos
afastados do movimento anarquista há 10 anos é preciso
entender que o anarquismo não é, por mais que eles
queiram, um movimento institucional. Prova disso foi a
realização pelo 12² ano consecutivo da histórica
PASSEATA/HOMENAGEM ao poeta libertário bahiano Raul
Rock Seixas, sempre na data de sua precoce morte em 21
de agosto de 1989. O COLETIVO LIBERTÁRIO sempre teve
participação efetiva - convocando e organizando
coletivamente com os Fã-Clubes e malucos em
geral (assim como organizamos GIGs antimilitaristas
 na
década de 80).
  
"...NÃO É SÓ NOVENA, TERÇO E ORAÇÃO
ALÉM DE RESMUNGAR EU QUERO É VER
VOCÊS EM AÇÃO..."*
  
         Assim essas manifestações se tornaram o palco
das mais genuínas manifestações libertárias da
juventude e de todos quantos desejavam e lutavam por
uma sociedade alternativa no transcurso dos letárgicos
anos 90, principalmente pela sua persistência e
energia, mantendo vivo o ideário que se convencionou
chamar de RAULSEIXISMO - onde o poeta declara em uma
de suas inesquecíveis canções que "...a letra A tem
meu nome..."* 
  
..."VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA,
FAÇA O QUE TU QUERES, HÁ DE SER TUDO DA LEI..."*
  
         Esse ano
 não foi diferente, apesar doque
nunca é igual! As 16 hs as escadarias do Teatro
Municipal já estavam tomadas por cerca de 500 pessoas
em várias rodas de violão cantando e
confraternizando.Alguns grupos punks foram chegando e
se incorporando naturalmente ao espírito libertário
que dominava a praça. Os transeuntes passavam sem
entender ou acreditar no que viam, enquanto alguns
panfletos explicavam o mote da manifesta. O afluxo
para o evento não parava. As pessoas vinham da
periferia, de outras cidades, de todo canto... e o
pessoal passou a ocupar também os bares nas imediações
sempre com violão e canto coral com as canções de
protesto e libertação de Raul.
  
"...BABY, ISSO SÓ VAI DAR
 CERTO
SE VOCÊ FICAR PERTO
EU SOU ÍNDIO SIOUX
CACHORRO URUBU 
EM GUERRA COM OS E.U...."*
  
          Por volta de 17:30hs uma bandeira dos EUA
foi rasgada e queimada, enquanto um grupo de
anarco-punks pogava ao som de "Eu Sou Egoísta". Eles
também tocaram versões punk de Raul e canções dos
Ramones. Um deles comentou: "...é uma pena que esse
pessoal não estivesse ontem no protesto contra a
repressão em Genova...", alguém respondeu:"...temos
que misturar as coisas, trazer essas informações, a
imprensa e a mídia não divulgam...". Realmente e da
mesma forma, apesar da insistente convocação a jornais,
rádios e TVs - chamando para cobrir a manifestação - o
silêncio quanto ao tema foi a tônica dominante. 
  
"...TEM QUE SER SELADO, CARIMBADO, 
AVALIADO, ROTULADO SE QUIZER VOAR..."*
  
          Por volta de 18 hs, sem carro de som nem
líderes a passeata saiu fechando a R. Xavier de Toledo
e o Viaduto do Chá, seguindo pela Libero Badaró, Largo
São Francisco, Benjamim Constant até alcançar a Praça
da Sé. Nessa altura cerca de 2500 pessoas mantinham o
clima revolucionário de "Carnaval do Povo" cantando e
dançando enfrentando com vaias e bom humor as
provocações da polícia e a caretice da terça feira
paulistana. Para se ter uma idéia enquanto uma ponta
da passeata chegava ao Largo São Francisco ainda
haviam pessoas nas
 escadarias do Municipal cantando em
rodas e chamando os transeuntes a aderir.
  
         Por volta das 19 hs a passeata chegava na
Pça. da Sé, o grosso do pessoal se concentrou nas
escadarias da catedral cantando o "ROCK DO DIABO", mas
a medida que o pessoal ia chegando, no transcurso da
passeata, ocupando toda a praça com diversa rodas
 de
violão atraindo os populares que prontamente aderiam
num happy hour dadaísta. Também os bares da região
ficaram cheios, todos com rodas cantando o repertório
raulseixista e se confraternizando.
  
"...EU PERDI, EU PERDI, EU PERDI
O MEU MEDO DA
 CHUVA,
POIS A CHUVA VOLTANDO PRÁ TERRA 
TRÁS COISAS DO AR..."*
  
         Lá pelas 21 hs começa uma garoa fina, que daí
em diante só iria piorar. Mas isso não diminuiu o
entusiasmo de homens e mulheres,trabalhadores
 e
desempregados, donas de casa e menores abandonados
todos irmanados fazendo questão de gritar ao mundo que
nós não desistíamos, que as idéias não morrem, que
Raul tá vivo em nossos corações e mentes. Alguns
camelôs, com seu carrinhos de som para a venda de CDs
piratas colocavam o som de Raul nas caixas e dos
diversos terminais de onibus da região, nas filas que
se protegiam da chuva todos comentavam sem acreditar
no que viam.
  
        As 22 hs, horário marcado para encerramento
para que o pessoal pudesse se dirigir aos bairros onde
vários tributos ao Maluco Beleza estavam programados,
já chovia aos cântaros. Ainda assim cerca de 1000
pessoas se mantiveram nas escadarias da
 catedral,
mesmo quando o toró piorou ainda mais meia hora
depois, sem contar os bares que ainda estavam abertos
e lotados de raulseixistas. Apesar disso grupos se
esparramavam pelos pontos da boemia da região central,
principalmente no Bexiga - onde vários botecos são
pontos de encontro de rockers e de confraternização
com os sambistas da VAI-VAI - onde a promessa era
atravessar a madrugada cantando Raulzito.
  
          Quando saímos da área,por volta de 23:30 hs
pé d'água danado e persistente cerca de 300 pessoas se
acotovelavam em baixo dos toldos nas imediações da
praça e nos poucos bares que ainda resistiam abertos
levantando suas vozes para lembrar a todos que no ano
que vem, 21 de
 agosto, quarta-feira, a gente vai star
lá de novo. E faziam isso cantando:
"...ESSA NOITE EU TIVE UM SONHO DE SONHADOR
MALUCO QUE SOU EU SONHEI...
COM O DIA EM QUE TERRA PAROU ,
O DIA EM QUE A TERRA PAROU..."* 
  
          Taí uma boa idéia que Raul já tinha lançado
desde a década de 70: uma grande greve geral
planetária. Mas para isso a gente precisa de uma
Associação Internacional dos Trabalhadores(AIT) forte.
Mas prá nós aqui no Brasil, que estaremos a cerca
 de
um mes das próximas eleições presidenciais - temos aí
uma CAMPANHA NACIONAL PELO VOTO NULO a ser organizada
e com a força que o momento histórico exige - parece
ser uma boa pensar seriamente: por que não agitar uma
grande GREVE GERAL para 21 de agosto de 2002 e sair
dessa bundamolisse que o sindicalismo oficial
pré-eleitoreiro afundou de vergonha a dignidade da
classe trabalhadora.
  
"...MALUCO QUE SOU ACORDEI
...NO DIA EM QUE A TERRA PAROU..."*
  
* trechos de músicas de Raul.
  
.
Raul Seixas fala sobre seu fã-clube e sobre eleições em 1988.
Para ouvir, acesse o link abaixo.
http://raulrockclub.multiply.com/music/item/3
  
SAÚDE E @!
VIVA A SOCIEDADE @!
  
            ****** Serviço de Notícias A-Infos
 *****
         Notícias sobre e de interesse para anarquistas
  
                                ******
MAIS DE 6000 HOMENAGEIAM RAUL SEIXAS EM ATO ANTI-POLÍTICOS
  
  
  
Veja as imagens da 17ª Passeat-Homenagem ao Raul Seixas/2006

www.gigafoto.com.br/rockstarmorato

www.youtube.com/user/raulseixasmorato

www.videolog.com.br/rockstarmorato

 

Raulzito continua causando polêmica.
[Raul numa foto feita em 1988 vestindo uma camiseta escrito: "VOTE NULO, NÃO SUSTENTE PARASITAS" seguida do símbolo do Anarquismo]

 



Quero apenas informar que não se trata de uma montagem. A foto é genuína e foi feita em 1988 no Edifício Aliança onde Raul faleceu, digo, Rua Frei Caneca, 1100 apt 1003 São Paulo/SP. Na foto Raul está acompanhado de sua mãe, Maria Eugênia Santos Seixas e de sua empregada Dalva Borges da Silva.

 

Veja a foto em seu formato original acessando o link abaixo

http://www.flogao.com.br/raulseixas/foto/111/75248841

 

Veja a foto aqui publicado em tamanho maior acessando o link abaixo

http://ubbibr.fotolog.com/raul_seixas/?pid=14028026

 

Veja uma outra foto com Raulzito usando a mesma camiseta publicada na página 206 do livro O BAÚ DO RAUL REVIRADO acessando o link abaixo

http://ubbibr.fotolog.com/raul_seixas/?pid=14138296

 

Vive l'Anarchy!

 

Steps

 

VIVA A SOCIEDADE  @!

q tipo de msg você axa q está fora de interesse
ou de contexto?
na verdade
temos q ir desenvolvendo as listas
em função dos interesses de discussão
das pesoas envolvidas.
assim temos a
como uma lista geral
do Movimeno Pela Reativação da COB/AIT,
agregada ao Movimento pró-COB/AIT
ainda mantemos as listas
sobre a questão educacional
e sobre a pedagogia libertária,
sobre a precarização do trabalho
e questões relacionadas,
para a campanha copntra a farsa eleitoral.
além destas mantemos
c/ coletivos e amigos
para discussões de interesse geral
do MLB.
além destas mantermos páginas de
propaganda e agitação
no orkut
para a COB/AIT
e para a FOSP/COB-AIT.
 
SAÚDE E ANARCOSINDICALISMO!

CL-48

17:01 @ 20/08/2007

CL-48

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

 

SOB O PÓ DOS ATENTADOS A REUNIÃO DO G-8 EXECUTOU SEU TEATRO MACABRO

 

Assistimos sempre estarrecidos aos atos de violência que atingem indiscriminadamente trabalhadores inocentes.

 

Não poderia ser diferente a posição dos anarkistas a mais esse ato de insanidade de uns poucos que se acham superiores, por embuídos de uma missão divina: foi esse mesmo o discurso belicista de Bush e Blair ao atacarem o Afeganistão e o Iraque. Nunca um genocida age de outra forma.

 

Então, com o coração e a mente tranqüilos por saber e fazer saber que não apoiamos grupos blanquistas, para-militares, ligados ou não a seitas religiosas – as quais não apoiamos! – e/ou a partidos políticos – aos quais nossos métodos e princípios rechaçam – queremos emitir nossa posição frente aos acontecimentos de importância planetária ocorridos na ilha, na semana que passou.

 

Enquanto perdura a guerra civil no Iraque e no Afeganistão, contra a ocupação anglo-saxã, os preços do petróleo sobem de forma incontrolável, apesar das manobras e prognósticos daqueles que pensam controlar o mundo sob a chantagem de seu poderio bélico, negociando, com convidados especiais – os destinos do mundo num castelo isolado no interior da Escócia. O cenário da reunião do G-8 só não conseguia entrar em completa harmonia graças a ação do movimento social que decidiu se manifestar diretamente, através de milhares de ativistas de diferentes países unidos sob a bandeira negra do Black Block, que enfrentaram a policia em diferentes pontos forçando os poderosos a se protegerem com uma cerca de 8 metros de altura e 6 quilometros de percurso, versão móvel do “Muro do Apartheid Sionista”. E isso apesar de contarem com apoio da esquerda institucional, social-democrata planetária, através de seu contra-peso o Fórum Social Mundial.

 

Há poucos anos atrás, em Genova eram centenas de milhares a protestar contra a reunião do G-8, quando então o G-8 e as corporações assassinaram um jovem anarkista punk italiano, Carlo Giuliani. Hoje sabemos: foi só sua primeira vítima nesse novo século de abjeções que o capitalismo alcançou. Depois de Carlo vieram as torres do WTC, o avanço planetário da política de criminalização do movimento social, a derrubada do governo Taleban, a nova invasão do Iraque, o Muro judaico-palestino, a prisão de Saddam Hussein... e a cada novo passo os fascistas no poder mundial repetiam: “ agora temos um mundo mais seguro!”..., mas, seguro para quem?

 

Os recentes atentados em Londres além de reforçar o seu discurso de uma militarização cada vez maior da sociedade, contraditoriamente mostram sua incompetência para alcançar mesmo esses objetivos através dessa estratégia, que passa a ter um papel de pressão no jogo político planetário como ameaça: terrorismo de Estado.

 

Então reafirmamos que nós libertários, por mais que abominemos a violência ou o uso da força e reneguemos o militarismo, por reconhecermos nesses os instrumentos do autoritarismo, não somos simplesmente pacifistas: somos revolucionários! Sabemos reagir a violência dos que tentam se impor sobre nós e através de nossa luta direta e de nosso estímulo para todo o povo trabalhador saberemos juntos como por abaixo esse sistema de vampiros e colocar em seu lugar uma sociedade de seres humanos plenos, iguais e livremente associados em organismos federativos que respeitem os interesses de cada um.

 

Dessa forma entendemos que as mais de 50 vítimas dos atentados em Londres, por mais que tenham sido cometidos por grupos de fanáticos religiosos islamitas, devem ser computados como responsabilidade dos que são os diretamente responsáveis pelo aumento e administração da miséria planetária e semeadores da violência, o próprio G-8 e as corporações multinacionais a cujos interesses representa.

 

E aproveitamos o calor do momento para reafirmar a convocação para que o movimento social ao nível planetário retome as grandes manifestações planetárias, retomando a tática da ação direta e abandonando toda ingerência de partidos políticos e seus instrumentos informais de cooptação. Transformemos as próximas reuniões do G-8 em datas planetárias de tributo e lembrança da luta de CARLO GIULIANI, para que sua luta esteja viva em nós.

 

PELO FORTALECIMENTO DA ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL DOS TRABALHADORES (AIT-IWA)!

PELA REVOLUÇÃO SOCIAL PLANETÁRIA E PERMANENTE!

LONGA VIDA À ANARKIA!

 

 

São Paulo, 9 de junho de 2005.

@ O COLETIVO LIBERTÁRIO- brasil/Terra

cldvulg1985@yahoo.com.br

cldvulg@bol.com.br

 

 

“POR QUE É QUE O POSTO ANDA COMPRANDO TANTA CANA SE O ESTOQUE DO BOTECO JÁ ESTÁ PRÁTERMINAR”

18ª PASSEATA-HOMENAGEM A RAUL SEIXAS

 Este ano é Terça-Feira!

21 de AGOSTO

16 hs – CONCENTRAÇÃO em frente ao Teatro Municipal/Praça Ramos de Azevedo

18 hs – Saída da PASSEATA

19 hs – TRIBUTO c/ som na Praça da Sé

22 hs - Encerramento

 

Numa passeata no centro do Rio de Janeiro em 7 de junho de 1973, um cantor desconhecido saiu com seu violão pelas ruas entoando uma canção-lamento para os pedestres, era o milagre brasileiro em plena ditadura Médici. Dizia que devia estar contente e satisfeito, mas não estava! A música brasileira começava a conhecer aquele que viria a se tornar um de seus maiores poetas, filósofos e mártir: Raul Seixas, o Castro Alves do século XX. Num tempo em que a mínima aglomeração de pessoas era vista como ato de subversão, a performance de Raul Seixas com a sua ‘Ouro de Tolo’ desbancando a classe média foi parar no Jornal Nacional daquela noite, os versos: "Eu devia estar contente porque tenho um emprego, sou o dito cidadão respeitável e ganho 4 mil cruzeiros por mês...".

Com 10 anos de estrada nas costas surgia o pai do rock tupinikin: o rock brazuka passava a ter postura de movimento e contestação. Com algum atraso, por causa da linha dura imposta pelo AI-5, o brasileiro experimentava as mudanças que no resto do mundo atingiram com o festival de Woodstock, em 1969.  E Raul foi o porta-voz do inconformismo, num momento em que muitos ícones da MPB estavam no exílio.

 

Assim participou de um Ato em defesa da Anistia, o ‘PANIS ET CIRCENSES’, no Teatro Municipal em 72. Em 74 lança GITA e proclama a Sociedade Alternativa, que lhe valeria a prisão, tortura e exílio nos EUA – onde conheceria John Lennon e discutiriam as suas propostas revolucionárias, o “Novo Aehon” e “Nutopia”.  Volta ao Brasil, depois de receber o disco de ouro por GITA e continua a difundir suas idéias sobre a Sociedade Alternativa em NOVO AEHON (75), HÁ 10.000 ANOS ATRÁS (77), O DIA EM QUE A TERRA PAROU (78), MATA VIRGEM (79), POR QUEM OS SINOS DOBRAM (80) e ABRE-TE SÉSAMO (81). A partir daí passa por diversos problemas de saúde que terminam por abreviar sua profícua vida. Ainda assim se mantém ativo, mesmo marginalizado pela mídia – mas sempre com um público fiel, ganha novo disco de ouro com COWBOY FORA DA LEI, aderindo à campanha pelo voto nulo publicamente, uma música que "O Raul tinha esse refrão na cabeça desde 1973, tanto que originalmente ela se chamava Cowboy 73. Com o passar dos anos, ele mudou para Cowboy Fora da Lei" – como testemunha se amigo pessoal Sylvio Passos. No dia 21 de agosto de 1989 seu corpo é encontrado em seu apartamento na rua Frei Caneca, em São Paulo.  A grande comoção que tomou conta do país testemunhou a sua influência que se manteve perene mesmo 17 anos após sua morte física, atestando que “os homens passam, mas as músicas ficam...”

 

Em São Paulo os fãs arrebataram seu, corpo se recusando a entregá-lo se não houvesse um ritual semelhante ao feito com o Tancredo Neves. Assim após horas de confrontação - entre os fãs-acastelados no Palácio de Convenções do Anhembi – e a tropa de choque da PM o caixão saiu enrolado em uma bandeira brasileira, levado por um carro do corpo de bombeiros e seguido pela passeata dos fãs que lá permaneceram durante a madrugada: mais de 10.000 pessoas, segundo a PM na época. Em Salvador uma multidão com mais de 30.000 novamente arrebatou o caixão das mãos dos próprios familiares para conduzi-lo coletivamente ao túmulo cantando suas músicas sem parar.

Desde então, sempre na data de sua morte – 21 de agosto – são realizados em todo o país centenas de tributos lembrando Raul e trazendo para o século XXI suas idéias e canções. De todos o que mais se destaca é a PASSEATA-HOMENAGEM A RAUL SEIXAS, ora em sua 18ª (décima-oitava) edição. Com a participação de raulseixistas de outras cidades e até de outras regiões do país, marcado por uma concentração durante a tarde em frente ao Teatro Municipal, na praça Ramos de Azevedo, com a saída da passeata as 18:00 hs em direção a praça da Sé, onde o Tributo prossegue, oficialmente até as 22 hs, mas durante toda a madrugada para milhares de pessoas, cerca de 10.000 nas últimas edições, já no século XXI. Este ano também estamos esperando o lançamento de um filme, em escala comercial, um Documentário sobre a vida do Maluco Beleza – num cinema perto de sua casa – além de DVDs com imagens de arquivo da TV Cultura e da TV Bandeirantes, trazendo uma noval uz sobre o trabalho de Raul para uma grande parcela, que não conhece sua obra, atestar sua atualidade. Não atoa o lema da PASSEATA-HOMENAGEM de 2007 é justamente “POR QUE É QUE O POSTO ANDA COMPRANDO TANTA CANA SE O ESTOQUE DO BOTECO JÁ ESTÁ PRÁTERMINAR” – música de Raul em 1979.

 

Reunidos e confraternizando em clima de completa paz e harmonia, cantando as canções de Raul coletivamente e discutindo suas propostas e legado, durante mais de 6 horas, demonstramos a presença e vitalidade de Raul Seixas e da Sociedade Alternativa, viva dentro de nós. E é com essa mensagem de otimismo e de revolução do cotidiano que estaremos novamente nas ruas nesse ano de 2.006.

                                                                                                             

  São Paulo, 19 de julho de 2.007.

 

Anarquismo

17:09 @ 20/08/2007

Anarquismo

Freqüentemente identificado com a violência indiscriminada e com a negação de todos os valores estabelecidos, o anarquismo, para além dos excessos que possam ter gerado essa caricatura, é no entanto um capítulo de grande importância na história política e social do Ocidente, desde o fim do século XVIII.

Como concepção vital, o anarquismo (do grego ánarkhos, “sem governo”) afirma que tudo o que limita a liberdade do ser humano deve ser suprimido. Como movimento político e social, pretende destruir os freios -- religião, Estado, propriedade privada, lei -- que, segundo suas teorias, se interpõem entre o indivíduo e sua liberdade, para assim possibilitar a construção de uma vida comunitária livre e solidária.

História

O primeiro teórico moderno do anarquismo talvez tenha sido o inglês William Godwin, que em seu ensaio Enquiry Concerning Political Justice (1793; Indagação relativa à justiça política) antecipou muitas das questões ideológicas que tomariam forma anos mais tarde. Outro antecedente do movimento anarquista foi a “conspiração dos iguais”, dirigida por Gracchus Babeuf, pouco depois da revolução francesa. Foi a primeira tentativa de colocar a igualdade real dos cidadãos acima da igualdade política consagrada pela revolução.

O desenvolvimento do anarquismo ao longo da primeira metade do século XIX foi paralelo ao do movimento socialista. Durante muitos anos houve momentos de ação comum entre anarquistas e socialistas, até que os dois campos ideológicos se desvinculassem claramente.

Em 1840, o francês Pierre-Joseph Proudhon publicou Qu'est-ce que la propriété? (Que é a propriedade?), em que aparecia a conhecida frase: “A propriedade é um roubo.” Cinco anos mais tarde, o alemão Max Stirner divulgava Der Einzige und sein Eigentum (O indivíduo e sua propriedade), no qual desenvolvia idéias muito semelhantes às de Proudhon.

<$BlogPosts_Titulo$>

<$BlogPosts_Data$>

<$BlogPosts_Texto$>

\clip_image001.jpg">
Pierre-Joseph Proudhon

Depois da morte deste, em 1865, o principal representante do anarquismo foi o russo Mikhail Bakunin, que integrou o movimento à Associação Internacional de Trabalhadores, ou Primeira Internacional Operária, fundada em 1864. A cisão dessa entidade, no Congresso de Haia de 1872, deixou em mãos anarquistas o controle das organizações de trabalhadores em diversos países: Bélgica, Países Baixos, Reino Unido, Estados Unidos e, especialmente, Espanha e Itália, onde só o advento do fascismo foi capaz de destruir a influência anarquista sobre as massas operárias.

<$BlogPosts_Titulo$>

<$BlogPosts_Data$>

<$BlogPosts_Texto$>

\clip_image002.jpg">
Mikhail Bakunin

Apesar de um aparente ressurgimento nos últimos anos da década de 1960, o movimento anarquista, como organização de massas, não sobreviveu à Segunda Guerra Mundial. Porém muitas de suas teses, como a de que o Estado se interpõe entre o ser humano e sua realização pessoal, chegaram a tornar-se triviais entre numerosos pensadores de todo o mundo.

Ideologia anarquista

Segundo o anarquismo, todos os tipos de autoridade -- política, religiosa etc. -- são contrários à liberdade individual e devem por isso ser repelidos e eliminados. Um contrato individual livremente aceito pelos homens asseguraria a justiça e a ordem. Dessa forma, uma infinidade de contratos livremente consentidos geraria um sistema em equilíbrio dinâmico, um sistema federal, em que a solidariedade seria muito superior à obtida nos sistemas baseados na autoridade e na coerção.

Denúncia da falsa democracia

O Estado moderno -- afirma o anarquismo -- encontra sua legitimação na ficção democrática do sufrágio universal, que consiste em atribuir a cada cidadão o direito de um voto. Isso cria a ilusão de que o povo governa a si mesmo, quando, na verdade, as múltiplas manipulações do sistema levam à preservação da desigualdade entre ricos e pobres, entre poderosos e usurpados, apesar das aparências de igualdade jurídica. Por isso, o militante anarquista sempre se absteve de votar nas eleições, em cujas virtudes não crê.

Propriedade, liberdade, solidariedade

No início, alguns pensadores anarquistas consideravam a propriedade privada indispensável à liberdade do indivíduo. Mas na evolução das idéias anarquistas chegou um momento, no fim do século XIX, em que triunfou a concepção oposta, sustentada pelo russo Piotr Kropotkin. Segundo ele, a supressão do Estado e das instituições opressoras do homem acarretaria também o desaparecimento das desigualdades e o nascimento de uma sociedade nova, na qual -- de acordo com o princípio de Marx -- cada um daria segundo suas capacidades e receberia segundo suas necessidades. Portanto, a liberdade e a solidariedade constituem dois aspectos inseparáveis do mesmo fenômeno humano. São as duas faces de uma mesma moeda e uma não pode existir sem a outra. Na segunda metade do século XX, contudo, houve um renascimento ideológico do anarquismo libertário, que defendia a propriedade privada, em autores como o americano Robert Nozick.

Aperfeiçoamento individual

Os anarquistas têm uma ética muito característica. A convicção de que a sociedade não vai melhorar por ação do Estado ou de qualquer outra instituição, e de que na consecução da nova sociedade cabe ao indivíduo um papel primordial, tem como resultado a formação de um forte sentido moral, de um permanente esforço de superação de si mesmo. Não foi por acaso que os movimentos anarquistas do começo do século XX se fizeram acompanhar da criação de ateneus, sociedades culturais e todo tipo de iniciativa para o aperfeiçoamento intelectual dos indivíduos.

Anarquismo na Espanha e na América Latina

Como foi dito, a cisão da Primeira Internacional em 1872 deixou o movimento operário espanhol sob o controle das tendências anarquistas. Seguiram-se anos de intensa atividade política, marcada por episódios de terrorismo e de pressão, particularmente na Catalunha e na Andaluzia.

Durante a ditadura de Miguel Primo de Rivera (1923-1930), a Confederação Nacional do Trabalho (CNT), organização sindical anarquista, foi posta fora da lei. Ressurgiu com força no decorrer da segunda república e sua participação nas eleições de fevereiro de 1936, contrariando a tradição abstencionista do anarquismo, foi determinante para o triunfo da Frente Popular. Durante a guerra civil a CNT passou a fazer parte do governo republicano. Em muitas indústrias catalãs e, particularmente, entre os camponeses do baixo Aragão, criaram-se comunas de inspiração anarquista, que constituíram a experiência de maior alcance entre as ensaiadas na Europa ocidental. A rivalidade com os comunistas e a posterior derrota militar da república acarretaram o esmagamento quase total do movimento anarquista.

Cartaz da Confederação Nacional do Trabalho

<$BlogPosts_Titulo$>

<$BlogPosts_Data$>

<$BlogPosts_Texto$>

\clip_image003.jpg">
Cartaz da Confederação Nacional do Trabalho (CNT), organização sindical anarquista que desempenhou importante papel na evolução da segunda república espanhola.

Na América Latina o anarquismo apareceu no fim do século XIX, vinculado sobretudo à imigração européia, especialmente a espanhola e a italiana. No Peru, na Bolívia e no Chile o movimento anarquista se fortaleceu nas primeiras décadas do século XX, nos setores mineiro e portuário.

Em 1879 apareceram na Argentina as primeiras publicações de caráter anarquista. Com a chegada do italiano Enrico Malatesta, em 1885, e de outros ativistas europeus, o anarquismo recebeu um impulso decisivo. Em 1901 fundou-se a Federação Operária Regional Argentina (FORA), que no ano seguinte ficou sob o controle anarquista e cresceu consideravelmente mais tarde. Mas, assim como no resto dos países latino-americanos, o anarco-sindicalismo viria progressivamente a perder sua influência no movimento operário, primeiro para os socialistas e mais tarde para os comunistas.

Em 1910 os irmãos Ricardo, Enrique e Jesús Flores Magón criaram no México, em torno do periódico Regeneración (editado em Los Angeles, Estados Unidos), um movimento de ideologia anarquista que, embora tenha sido precursor da revolução mexicana, perdeu sua influência com a vitória e a institucionalização desta.

Em Cuba, o movimento operário anarquista, já presente nos anos da luta pela independência, chegou a ser majoritário na Federação Cubana do Trabalho até 1925.

Anarquismo no Brasil

A primeira tentativa de proselitismo anarquista no Brasil data provavelmente da criação em 1889 da colônia Cecília, no município de Palmeira PR, por iniciativa do jornalista e agrônomo italiano Giovanni Rossi, que havia pleiteado ao governo do império o estabelecimento de uma colônia experimental que fosse o núcleo inicial de uma “sociedade nova”. Rossi e seus companheiros, que se intitulavam “filósofos ácratas” chegaram, porém, ao Brasil depois de instaurada a república, e tiveram por isso de enfrentar as maiores dificuldades, de vez que o novo regime não reconhecia as concessões de terras antes outorgadas pela monarquia aos estrangeiros.

Natural de Pisa, onde nasceu em 1860, e editor de um periódico em Brescia, Il Sperimentale (O Experimental), Rossi conhecera Carlos Gomes em Milão, por volta de 1888, e foi o músico brasileiro que o animou a dirigir-se a D. Pedro II. Depois de três anos no interior do Paraná, Rossi acabou desistindo da sua experiência, no sentido de instaurar uma comunidade baseada no trabalho livre, na vida livre e no amor livre. Em 1893 abandonou a colônia Cecília para lecionar agronomia em Taquari RS. Transferiu-se depois para Santa Catarina, onde dirigiu a estação agronômica do estado, retornando à Itália em 1907, para retomar sua atividade profissional como vitivinicultor.

Foi, contudo, em São Paulo que surgiram os primeiros anarquistas revolucionários, à época do impulso de industrialização dos primeiros anos da república. Em 1893 eram presos agitadores que se proclamavam partidários dos ideais libertários. E em 1898 registrou-se a morte de um deles, Polinice Pattei, em choque com a polícia.

A imprensa anarquista teve início no mesmo ano, com a publicação de Il Risveglio (O Despertar), em língua italiana, dirigido por Alfredo Mari. Em 1904, apareceu O Amigo do Povo, periódico do jornalista português Nazianzeno Vasconcelos, cujo nome de guerra, Neno Vasco, se tornaria conhecido nos círculos proletários por sua longa pregação doutrinária. Do mesmo ano de 1904 é La Battaglia (A Batalha), semanário e, durante certo período, diário, sob a direção de Oreste Ristori, de origem italiana, o mais ativo e tenaz porta-voz do anarquismo nessa fase inicial do movimento (1904-1912), preso e deportado repetidas vezes, a última em 1935, quando se refugiou na Espanha, vindo a morrer como combatente na revolução.

O anarquismo predominou na luta pelas reivindicações operárias até a formação do Partido Comunista (1922), que se organizou com a cisão do bloco libertário, após o malogro do Partido Comunista Anarquista (1919). As grandes greves de 1917 (São Paulo), 1918 (Rio de Janeiro) e 1919 (Rio de Janeiro e São Paulo) obedeceram ao comando de comitês constituídos por uniões, federações e resistências de hegemonia anarquista, com a simpatia e até o apoio de intelectuais libertários, como Lima Barreto e Fábio Luz, entre outros.

<$BlogPosts_Titulo$>

<$BlogPosts_Data$>

<$BlogPosts_Texto$>

\clip_image004.jpg">
Lima Barreto

No Rio de Janeiro, destacou-se sobretudo José Oiticica, que se manteve sempre fiel a suas idéias, à frente do periódico Ação Direta, que circulou pela primeira vez em 1929 e de 1946 a 1958, mesmo depois do falecimento do fundador, embora com uma ou outra interrupção.

Além de Oiticica, o anarquismo brasileiro teve dois outros militantes de largo prestígio: Edgard Leuenroth e Everardo Dias, que foram os principais articuladores das greves de 1917, 1918 e 1919.

Fonte: ©Encyclopaedia Britannica do Brasil Publicações Ltda.

CRÔNICA DA 18ª PASSEATA-HOMENAGEM A RAUL SEIXAS - Poeta Libertário Bahiano - (21 DE AGOSTO)

17:23 @ 27/08/2007

 

CRÔNICA DA

18ª PASSEATA-HOMENAGEM A RAUL SEIXAS

(21 DE AGOSTO)


Já tradicional, apesar de revolucionária, a manifestação espontânea que já ocorre a 18 anos consecutivos em São Paulo, no mesmo dia (21 de Agosto – véspera da execução de Sacco e Vanzetti em 1927) em que morreu o cantor, compositor, ator, filósofo e poeta libertário Raul Seixas <http://www.memoriaviva.com.br/mpb/raul.html>. Sua influência é notável sob todos os aspectos e destaca-se a projeção ganhada por um de seus parceiros, o escritor Paulo Coelho – alçado a condição de imortal, graças ao sucesso alcançado após a morte de Raul, como sendo o seu primeiro herdeiro teórico, mas ele se vendeu(!) chegando a ser convidado a participar da reunião do G8. Outras provas da importância de Raul Seixas, além do fato único que é a realização das manifestações em sua homenagem que ocorrem todos os anos em todo o Brasil, é o fato de que existem inúmeras ruas, praças, viadutos, parques, vilas, bibliotecas, etc. que o homenageiam dando-lhe o nome, por pressão popular! http://64.233.167.104/search?q=cache:U_Fq6P4FYtEJ:200.128.35.1/scripts/acervo.asp%3Fespecificacao%3DMED+raul+varela+seixas&hl=pt-BR&ct=clnk&cd=1&gl=br



Neste ano não foi diferente! Contando com um tipo de organização descentralizada e federativa, baseada nos fã-clubes a 18ª PASSEATA centrou o tema desse ano na questão dos bio-combustíveis – que Bush acha que é a solução da lavoura e Lula/PT tornou uma cruzada mundial, para louvar os militares que implementaram o pró-Álcool durante a ditadura militar e os – agora chamados por Lula, de heróis-usineiros!!! Para isso, como em todo ano, escolheram a música de Raul lançada em 1978, no disco POR QUEM OS SINOS DOBRAM?, intitulada “Movido a Álcool” (“por que é que o posto anda comprando tanta cana se o estoque do boteco já está para terminar?”). Enquanto alguns buscavam alardear a convocação o máximo possível, outros – ligados ao PSOL – tentavam negociar com a Prefeitura Kassab/DEM – que, pela primeira vez em anos, tinha proibido a realização da Manifestação de 2006 na segunda-feira (a 17ª Passeata aconteceu do mesmo jeito, sem autorização da Prefeitura - e em 2006, apesar de sua proibição!).


Como sempre a manifestação é convocada dentro da seguinte cronologia: 16 hs Concentração, 18 hs saída da Passeata e 22 hs encerramento da Manifestação na Praça da Sé. Mas desde a hora do almoço já começaram a chegar os raulseixistas nas escadarias do Teatro Municipal. As 14:30 hs já haviam cerca de 200, com o passar do tempo a Concentração vai crescendo e chamando a atenção dos passantes – como mostra o vídeo:                                                                       

http://www.lastvideo.net/video/5ymZ0N9MT5Y/PASSEATA_RAUL_SEIXAS_2007_01.htm

 

Por volta das 15 horas um grupo de cerca de 10 pessoas escala a estatua do Carlos Gomes – que fica na entrada principal, na escadaria que desce para o Anhangabaú, e fixa em sua mão uma bandeira raulseixista (com os símbolos da Sociedade Alternativa, do movimento hippie e do @). Após alguns minutos a Guarda-Metropolitana ‘descobre’ e tenta deter a pessoal que escalou a estatua. Após um empurra-empurra e negociações o cara subiu de novo para retirar a bandeira e ninguém ficou detido.



Enquanto isso a Concentração ia crescendo, ao som de dezenas de violões – que já haviam na área – e das canções de Raul, regadas a cerveja e vinho – oferecidos pelos vendedores ambulantes, que sempre encontraram abrigo nas manifestações raulseixistas, mesmo quando perseguidos pela Guarda armada pela ex-prefeita marta Suplicy/PT. As 16 hs, horário marcado para o início da Concentração já haviam mais de 1500 pessoas. E as pessoas iam chegando em bandos ou sozinhas: hippies e punks, sem-teto e engravatados, autônom@s e desempregad@s, operári@s e professores, estudantes e idos@s, negr@s, branc@s e asiátic@s sem conotação de raça, todos reunidos como SERES HUMANOS! Num espírito de confraternização lúdica a Manifestação se relacionava com os que passavam apressados ou freqüentavam a região. Assim, não só nas escadarias do Municipal, mas também nos bares da região e em diversas esquinas próximas grupos se reuniam ao redor de um violão e cantavam as músicas de Raul, mostrando a todos que “... os homens passam, mas as músicas ficam...”, destacando seu discurso libertário.



Por volta das 17 hs chega o carro de som, entoando as canções de Raul na caixa que passam a ser acompanhadas por todos. Note-se que até esse momento não havia mesa diretora, ou aparelhagem de som que permitisse que se falasse para todas as pessoas ao mesmo tempo. Não havia nenhuma hierarquia, todos eram, e se mantiveram, absolutamente igualitários durante toda a manifestação.



Pontualmente, as 18 horas, a Passeata arranca da Praça Ramos de Azevedo, fechando a Rua Xavier de Toledo e tomando o viaduto do Chá cantando VIVA, VIVA, VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIVA! A essa altura, já com mais de 5000 manifestantes a Passeata ainda era engrossada pelo pessoal que saia do trabalho e se unia aquele carnaval do povo, regado a Rock’n’Raul. Na saída do viaduto do Chá, único momento em que as pessoas pararam de cantar as músicas de Raul para gritar em uníssono, em frente a sede da Prefeitura: FORA KASSAB! VAI TOMAR NO CU! Seguindo em seguida pela Libero Badaró cantando “Cowboy Fora da Lei” (“mamãe não quero ser prefeito, pode ser que eu seja eleito, aí vão querer me assassinar...”). Tomando a Libero Badaró, a Passeata ainda saia da Praça Ramos, foi recebida por uma chuva de papeis picados que caiam dos prédios, retribuindo o carinho aos gritos de RAUL! RAUL! RAUL! Quando a cabeça da Passeata atingiu a Rua Benjamim Constant houve um problema: o bloco central da Passeata, onde estava o carro de som, parou na Rua Libero Badaró – devido ao apoio que vinha do pessoal nos prédios -, o pessoal que já estava na Benjamin não parou e continuou rumo a Praça da Sé, a maioria dos que estavam no Largo São Francisco seguiu junto, e outra parte ficou com o grosso da Passeata na Líbero. Assim um grupo de cerca de 1000 pessoas terminaram chegando na Sé quase meia hora antes de chegar o grosso da Passeata (por volta das 19:30 hs).



Ao chegar na Sé o resto da Passeata já encontrou centenas nas escadarias da catedral e para lá se dirigiu. Assim as escadarias foram totalmente tomadas, o carro de som ficou na ruazinha no pé da escadaria e a Passeata dominou a Praça da Sé e os bares da região. Algumas pessoas escalaram as estátuas de santos na porta principal da catedral e nela afixaram uma bandeira negra da Sociedade Alternativa. Por volta das 20 hs haviam umas 15.000 pessoas participando da Manifestação.



Na Sé a manifestação prosseguia, pacífica como em outros anos, porém com uma certa tensão – devido a acontecimentos do ano passado, envolvendo manobras de políticos tentando aparelhar a Passeata Raulseixista e a presença de uns skinhedas na GIG na Sé que foram então expulsos da praça. Por isso, e também devido ao excesso de álcool, houveram algumas brigas localizadas (especialmente após a finalização formal da Manifestação as 22 hs – ainda com mais de 10.000 pessoas na praça). A partir daí a praça foi se esvaziando mais rapidamente, as pessoas se dirigiam aos bares da região – onde continuavam as cantorias – ou para alguns dos Tributos a Raul, que se realizariam nos bairros.

Por volta de meia-noite ainda havia cerca de 500 pessoas nas escadarias e outras tantas espalhadas em rodas na Praça, cantando. Assim a 18ª Passeata-Homenagem a Raul Rock Seixas ocorreu sem nenhum incidente digno de nota, apesar da intolerância da Guarda Civil no início, na Concentração no Municipal.


Esperamos que para a 19ª Passeata Raulseixística estejamos melhor organizados, para ter um som mais potente e, se possível, colocar umas bandas para fazer um som ao vivo com covers de Raul e de velhos rocks que ele apresentou para todos nós.O primeiro passo para isso é não confiamos nos partidos e políticos profissionais, na prefeitura e que tais e nos fiarmos em nossas próprias forças, andarmos por nossas próprias pernas. È por isso que um dia eles terão que reconhecer oficialmente que o 21 de Agosto é o dia de Raul, o dia da Saudade, o dia da Sociedade Alternativa.


RAUL ROCK SEIXAS VIVE!

VIVA A SOCIEDADE ALTERNATIV@!


O COLETIVO LIBERTÁRIO – Amigos da COB-AIT

cldvulg1985@yahoo.com.br

http://www.grupos.com.br/blog/ocoletivolibertario/


MOVIDO A ÁLCOOL


“diga seu doutor as novidades já faz tempo que eu espero uma chamada do senhor

eu gastei o pouco que eu tinha mas plantei aquela cana que o senhor me encomendou.

eu to confuso e quero ouvir sua palavra sobre tanta coisa estranha acontecendo sem parar.

por que é que o posto anda comprando tanta cana se o estoque do boteco já está pra terminar?

derramar cachaça em automóvel é a coisa mais sem graça de que já ouvi falar por que gastar assim nossa alegria já sabendo que o álcool também vai ter que acabar

olha o poeta inspirado em coca-cola

que poesia mais sem graça ele iria expressar,

é triste ver mas tudo isso é real

por que assim como os poetas

todos nós temos que sonhar...”




IMAGENS DA 18ª PASSEATA HOMENAGEM A RAUL SEIXAS

17:26 @ 27/08/2007

http://www.youtube.com/watch?v=aBf2hjo0oWY

cartazes da revolução espanhola (1936-1939)

17:30 @ 27/08/2007

http://www.cnt.es/sovmadrid/archivohistorico3606.htm

MANIFESTO CONTRA OS PARTIDOS NOS MOVIMENTOS POPULARES!

17:33 @ 27/08/2007

MANIFESTO CONTRA OS PARTIDOS NOS MOVIMENTOS POPULARES!

CONTRA A MANIPULAÇÃO POLÍTICA DO MOVIMENTO DOS TRABALHADORES!


Assistimos nas últimas semanas, a trabalhadores metroviários sendo
demitidos sumariamente de seus empregos, por lutarem contra a
precarização do trabalho. Também estamos assistindo mobilizações dos
trabalhadores lutando por moradia, terra e trabalho de uma maneira mais
intensa nos últimos meses. Conseguirão nossos irmãos a tão sonhada casa
própria ou a tão sonhada terra para se viver ou a garantia de seus
sustentos e até mesmo mais empregos para os que nada têm? Duvidamos
muito, se a saída destas lutas for direcionar tais atividades em apoio
ao partido de ciclano ou de fulano ou partido x ou y. Todas as vezes que
os trabalhadores se meteram na política deu no que deu: traição de
classe! Ou seja, o poder sobe a cabeça e se esquece completamente de
onde se veio para não se dizer outros erros históricos.

Podemos presenciar também conflitos na favela Bela vista e no Cingapura
Bela Vista contra a violência policial onde os trabalhadores fecharam
durante horas algumas pistas da marginal pinheiros em protesto mas
sobretudo na esperança de se chamar atenção para a difícil situação de
moradia na região. Assim também estamos juntos dos trabalhadores na luta
contra as reformas neoliberais de Lula/PT e Serra/PSDB na educação,
retirando a autonomia das Universidades e Escolas Técnicas e a
previdência dos professores do Estado e combatendo a reforma
universitária de Lula e do FMI. Lutas das quais nós também nos
solidarizamos!

A muito tempo os trabalhadores em diversas regiões do mundo vem tentando
demonstrar que todas as vezes que os Partidos Políticos assumem o
comando dos movimentos populares, isso dá em coisa errada! Tais lutas
estão presentes em todas as Seções da AIT - Associação Internacional dos
Trabalhadores - pelo mundo. Hoje, no Brasil como no resto dos países,
este problema é realidade pura!

É por isso que estamos aqui! Para denunciar a descarada presença de
Partidos em nossos meios! Os companheiros dos Núcleos Pró - Sindicato
dos Trabalhadores da Educação de São Paulo - SINDEDUCAÇÃO, filiados a
FOSP/COB - ACAT/AIT além de demais camaradas, estão presentes
cotidianamente nas lutas dos Metroviários se solidarizando com os
colegas demitidos e na luta por melhores condições de trabalho, pela
diminuição da jornada e conseqüentemente por mais emprego. Da mesma
forma, nossos companheiros também estão presentes na Ocupação João
Candido em Itapecerica da Serra (que mesmo tendo sofrido com a
reintegração de posse, estamos presentes) na luta por moradia junto a
população criando lições de ação direta e autonomia dos trabalhadores em
relação a Partidos e outros sangue sugas do povo.

Nos solidarizamos a todos os oprimidos e convocamos a população que se
organize em Comitês de Auto defesa contra o facismo da polícia e da
extrema direita, comitês contra o aumento do custo de vida, por moradia,
reforma agrária radical e imediata (com autogestão e coletivização da
terra e da produção), contra a precarização do trabalho, contra as
reformas trabalhista, sindical e universitária, contra as restrições ao
direito de greve. Neste ano, completamos 90 anos de exemplo de luta da
greve geral de 1917, que ainda hoje serve de luz para iluminar o caminho
difícil de libertação do povo. Assim caminhamos na batalha por dias
melhores perseguindo a revolução social. A luta é na rua!


SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT

FOSP - Federação Operária de São Paulo
COB - Confederação Operária Brasileira
ACAT - Associação Continental Americana dos Trabalhadores
AIT - Associação Internacional dos Trabalhadores


Entre em contato:

SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT
Caixa Postal 1933, São Paulo – SP
CEP 01009-972
www.cob-ait.org