Grupos

Querida(o) amiga(o):

 

        Mais uma vez te escrevo algumas linhas em meio a tua tribulação.

        Muitas vezes, em meio à crise, temo tendência a perder a visão e cair no desespero. Principalmente quando enxergamos as circunstâncias, e elas revelam que nosso milagre ainda está longe de acontecer.  Ou, pior ainda, quando a pessoa a quem amamos e pela qual oramos, faz alguma coisa que nos mágoa, que nos afeta profundamente.  Nesses momentos, tudo desaba, perdemos mais uma vez a perspectiva. Nosso chão se abala e tudo cai.

        É precisamente nesse momento em que ficamos vulneráveis. Ficamos expostos a ser tentados pelo inimigo. É por isso que de maneira muito oportuna Salomão escreveu em seus provérbios: “Acima de tudo, guarda o teu coração, porque dele depende toda a sua vida”.  Se deixarmos os sentimentos negativos, as mágoas e rancores entrarem em nosso coração, haverá o perigo de que nossa integridade, nosso relacionamento com Deus e com o nosso próximo sejam afetados.

        Mas, como guardar o coração quando vivemos com a pessoa e/ou estamos constantemente expostos às suas mágoas ou ofensas?  Deus não nos manda nos abster da pessoa, mas Ele nos manda guardar  nosso coração, protegê-lo, guardá-lo do mal que o ameaça.  Jesus clamou ao Pai: Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do mal.  Esse é o seu clamor atual por nós. Ele quer que passemos por este deserto sem deixar que o sol faça feridas profundas em nossa pele.  Para isso, Ele nos dará alguns “Oasis” e abrirá novos caminhos, de restauração para que possamos andar.

        Porém, às vezes o nosso próprio coração é o que se levanta como um poderoso inimigo contra a promessa que esperamos ver cumprida.  Quando uma raiz de amargura se instala e a ferida começa a secretar a dor, então assumimos posturas e tomamos atitudes que não ajudam a Deus no processo de restauração.  Muitas vezes, quando isso acontece, pensamos de maneira errada que Deus está nos levando a “deixar pra lá”.  Essa expressão é muito usada entre nós cristãos, como uma atitude permitida e às vezes sugerida por Deus em relação a algum problema de relacionamento.  Mas, enganados, terminados tomando uma postura de indiferença ou inclusive às vezes uma postura de hostilidade contra a outra pessoa depois de sentir-nos rejeitados por ela.  Chegamos a aceitar como certo o fato de “fazer o outro sentir um pouco do que sentimos”.  Mudamos nossas atitudes, de uma postura restauradora, a uma postura seca, sem vida, sem emoções, ou uma postura hostil, cheia de ressentimento.

        Que perigo! O mais perigoso é pensar que isso seja o direcionamento de Deus para nós!  Acreditar que dessa forma estaremos causando algum tipo de “efeito” em nosso cônjuge.  É um engano; assumir essa postura de indiferença e descaso não é nada menos do que tomar o lugar de Deus e escolher um caminho enganoso para nossa alma.  É obvio que Deus jamais nos faria andar por um caminho de rancor.  Ele não opera assim, Ele sempre nos levará à restauração, a dar passos de amor, de reconciliação e de paz.

        Fazer coisas para tentar mudar o outro, para fazê-lo reagir, é um caminho humano para alcançar um propósito divino.  Não use suas armas, não está nelas a salvação do seu casamento.

        Quando Jesus enviou seus discípulos a pegar o evangelho nas cidades, ele lhes deu uma ordem muito interessante. Lhes disse que se em alguma ocasião fossem rejeitados pela cidade e eles não recebessem a mensagem de salvação, que eles deviam, ao sair da cidade, sacudir o pó dos seus pés (Lc. 9:5).  Já li muitas explicações diversas sobre o significado deste texto, como sendo alguma forma de vingança que os discípulos deviam assumir depois de que alguma cidade se negasse a ouvir a mensagem da Verdade.  Mas uma atitude assim não estaria em concordância com outras de Jesus onde Ele ensinava a andar a milha extra, a colocar a outra face e inclusive a amar os nossos inimigos.

        Mas, de verdade, a melhor explicação que já escutei, é aquela que diz que o que Jesus queria nesta ocasião mostrar para os seus discípulos era que se desvencilhassem da carga emocional negativa que esse evento poderia ter causado nos seus corações e que deixassem  na própria cidade todo sentimento de rancor, ira ou ressentimento causado pela experiência hostil.  “Sacudir a poeira dos pés” era a ordem.  Deixar naquela fase, isto é, deixar pra trás, aquilo que poderia impedi-los de avançar.  O pó de um caminho hostil devia ficar no caminho hostil, e dessa maneira estariam livres para “avançar” por novos e livres caminhos.

        Quem sabe possamos relacionar esta figura com Hebreus 12:1 quando o autor nos admoesta dizendo: “Portanto, irmãos, tendo ao nosso redor, tão grande número de testemunhas, deixemos todo peso e o pecado que nos ameaça, e corramos com paciência a corrida que nos está proposta, fixados nossos olhos em Jesus...”  Aqui está claro que o peso, e o pecado podem ser elementos cruciais que impeçam nosso avance na caminhada cristã.  O peso das mágoas, ofensas, marcas, ressentimentos, e a falta de perdão, o rancor, a ira, a falta de amor e todos os outros pecados que podem surgir como produto de deixar que no nosso coração se aninhe algo indevido.

        A ordem é abandonar, deixar, se desvencilhar dessa prática perigosa... mais uma vez: sacudir a poeira dos nossos pés!!  Deus te propôs uma corrida querido(a) amigo(a) e essa carreira não é qualquer coisa, nem algo simples, é um caminho de restauração, uma longa jornada que leva à paz e harmonia familiar e do casal.  E esse peso pode impedi-la de avançar, ou ainda pior, pode afastá-la da verdadeira jornada, e levá-la por caminhos distintos, longe da Vontade de Deus.

        Por isso, venho com esta mensagem tão simples para tua vida hoje: Sacuda a poeira dos seus pés!!  Pois isso significa que você deve entregar a Deus aqueles sentimentos que estão arraigados no seu coração e que podem ser obstáculo para que o seu casamento seja restaurado.  Não deixe essas raízes de amargura entrar no seu coração e fazer morada.  Guarde o seu coração.  Entregue esses sentimentos a Deus e estenda perdão ao seu ofensor.  Renuncie aos seus direitos e peça a Deus que te dê a visão correta sobre teu marido (esposa).  Não deixe que esses sentimentos lhe afastem da Perfeita Vontade de Deus e que sejam motivo para que seu casamento se destrua ainda mais.

        É necessário que vivamos cada dia com a porção necessária da Graça de Deus.  Ele está contigo. Ele te ajudará.

        Antes de terminar, gostaria de compartilhar contigo como foi a experiência dos discípulos quando viveram na pele este mandamento que Jesus tinha dado.  Em Atos 13:51 conta que eles sacudiram o pós dos seus pés de uma cidade que os rejeitou.  E no versículo seguinte, depois de ter sido obedientes e ter deixado para trás aquela experiência dolorida, se diz: “e os discípulos estavam cheios de gozo e do Espírito Santo”.

        E a seguir, continuaram a jornada que lhes estava proposta, animados, com alegria, e sendo obedientes ao Senhor.

        Essa é a benção que nos espera quando obedecemos e deixamos todo peso e todo pecado que nos ameaça!  Nosso coração se encherá de alegria e da presença do Senhor e teremos uma nova visão das circunstancias e do mundo que nos rodeia.

        Venha a viver esta experiência!! Sacuda o pó dos seus pés!! Venha a sentir a alegria e a plenitude do Espírito Santo!!

 

Um grande abraço

 

Paula

 

       

Comentários

(08:33 @ 25/02/2011) Abakatinho disse:
Paula, Deus te levantou eu creio, para operar milagres em nossas vidas. q/ sabedoria, eu orei a Deus ontem c/ fé de receber hj, alguma palavra sábia e ele trouxe vc... Deus sonhou com alguém amável e doce, não contentou em sonhar e deu vida a seu sonho. CRIOU VOCÊ...

(21:33 @ 12/05/2012) Tati disse:
estou em crise no meu casamento . DEUS tem usado uma amiga não evangélica para falar comigo.ela me fala com autoridade ,eu me envergonho por que ela não vive a palavra eu sou evangelica a 25 anos.ela chama Paula. em um destes dias de desespero conheci o seu site vi a mão de DEUS usando vc para confirmar aquilo q ela me fala q eu ja sei mas no desespero não tenho agido. quando li a mensagem aquietaivos e sabei que eu sou DEUS. e no fim vi seu nome paula . ficou fonfirmado o que a paula me disse. Deus usou uma mula pra falar com balaão, e tem usado a Paula pra falar comigo.e vc Paula confirmou isto .Obrigado senhor pela vida da paula

(22:40 @ 17/05/2013) Susu disse:
Que palavras maravilhosas! Durante a leitura o meu coração foi ficando mais leve e no final a transformação que tanto queria se iniciou! Deus lhe abençoe e te capacite a cada dia, para que os dias de tribulação se tornem menos dolorosos. Abraços