Grupos

8° PASTORARTE

13:41 @ 04/09/2007

Está aconcendo no Centro Pastoral da nossa Paróquia, de 3 a 8 de setembro, o 8° Pastorarte - Festival de Arte e Cultura da Juventude do Meio Popular. VENHA PARTICIPAR !!

Nitrato já contamina abastecimento de água em Parnamirim

FONTE - João Maria Alves - 20/09/2007 - Tribuna do Norte

<$BlogPosts_Titulo$>

<$BlogPosts_Data$>

<$BlogPosts_Texto$>

\clip_image001.jpg">

 

  ABASTECIMENTO - Damiana Soares mora em Monte Castelo e mostra na conta o registro de alto índice de nitrato

Um problema já antigo do abastecimento de água em Natal atinge agora o município de Parnamirim: a contaminação dos poços por nitrato. De acordo com levantamentos realizados pela própria Caern, cinco bairros teriam apresentando um índice acima do limite estabelecido pelo Ministério da Saúde. Na lista estão Monte Castelo, Centro, Parque de Exposição, Boa Esperança e parte do bairro de Liberdade, a localidade conhecida como Primavera. Nessas áreas moram em torno de 27 mil pessoas. 

O problema é decorrente da alta concentração do nitrato em cinco dos 64 poços que abastecem a cidade, quatro deles localizados no Centro e um em Monte Castelo. Por enquanto, a Caern ainda não determinou o fechamento dessas fontes, mas deve iniciar o “isolamento” nos próximos dias. Duas obras também devem minimizar o problema. “De imediato, estamos esperando autorização do Dnit para fazermos uma adutora até alguns poços na área conhecida como Taborda. Isso ajudaria a diluir a água”, ressaltou o chefe da Unidade de Manutenção da Caern, Jesualdo Ferreira.

Além da autorização para a obra, cuja expectativa de conclusão é para 60 dias, o representante da Caern também aguarda um posicionamento do Ministério Público. “Acredito que o promotor (Ivanaldo Soares Júnior, da 4ª Promotoria) deve preparar um termo de ajustamento de conduta (TAC) definindo o que deve ser feito”, afirmou. Uma outra adutora, saindo do Lago Azul, próximo a Pium, também irá ser construída. “Essa resolverá a questão em definitivo”, aponta.

O promotor de Justiça, no entanto, afirmou ontem que ainda aguarda a chegada de mais informações, para só então se posicionar quanto às medidas a serem exigidas. Ivanaldo discutiu o problema com os órgãos envolvidos em uma audiência pública, realizada no último dia 13, na Câmara Municipal. O encontro foi fruto do Inquérito Civil Público 003/2007, que vem analisando denúncias inicialmente encaminhadas através de representação do Comando da Base Aérea.

De acordo com o edital de convocação da audiência, a  Caern apontou como saídas para a solução do problema “a seleção de novas aéreas para perfuração de poços, em substituição aos que estão com concentração acima do nível permissivo, bem como o Projeto de Ampliação do Sistema de Abastecimento de Água de Parnamirim, que prevê a construção de reservatórios de distribuição, o que possibilitará uma melhor diluição e conseqüente redução do teor de nitrato.”

Para Jesualdo Ferreira, contudo, a grande solução é mesmo a realização das obras de saneamento da cidade. “Acredito que esses poços foram atingidos porque estão próximos ao Centro e, antigamente, as pessoas tiravam a água de beber de cacimbas. Quando a Caern chegou e perfurou os poços, muitos moradores colocaram os esgotos domésticos para as cacimbas e, com o tempo, isso vai contaminando o lençol freático”, considera.

O poço P-14, localizado em Monte Castelo será o primeiro a ser “isolado” do restante do sistema. Mesmo assim, Jesualdo entende que não há motivo para alarme. “Essa história de que a água de Parnamirim está contaminada é um mito, o que há são pontos da cidade que preocupam”, defendeu.

Prefeitura faz coleta de água

Mensalmente, a Caern realiza coleta de água em 35 pontos do município de Parnamirim e a Prefeitura também promove um acompanhamento semelhante, para comparar aos dados da companhia. Porém, de acordo com a gerente de Vigilância Ambiental do Município, Rachel Michelli Correia, em nenhuma das últimas amostras foi detectado concentração de nitrato acima do permitido. “As informações apontando essa contaminação são da Caern”, explica.

As 40 amostras coletadas mensalmente pela Prefeitura são analisadas no Laboratório Central do Estado (Lacen) e, somente em caso de apontar alguma irregularidade, é encaminhado um ofício à Caern, exigindo providências. O trabalho foi iniciado em abril e os locais de captação abrangem desde torneiras das residências, àquelas que trazem a água diretamente da tubulação da rua. “Além do nitrato, também analisamos a possível presença de coliformes fecais, que podem ser fruto de contaminação das caixas-d’água”.

Moradores dizem que água está esbranquiçada

A população não tem informações da contaminação da água, mas aponta possíveis reflexos do problema. “Faz algum tempo que tenho percebido a água esbranquiçada e com muito gosto de cloro, está todo mundo reclamando dessa água”, afirma a estudante Larissa Isabele. Moradora do bairro de Monte Castelo, que registrou o índice mais alto de concentração, 20 mg/l (o dobro do aceitável), ela afirma já ter comprado um purificador de água: “Mas ainda usamos a que vem da torneira, por isso me preocupo. As autoridades têm de cuidar da saúde da população.”

Já a servidora pública Damiana Soares, que mora vizinho ao poço P-14, o primeiro a ser “isolado” pela Caern, diz ter sentido diferença na água que recebe em sua casa. “Até agora não tivemos problemas, mas tenho sentido a água com gosto de podre, péssima, e já faz algum tempo”, aponta. Na última conta recebida da Caern, porém, o teor de nitrato apresentando é antigo, de apenas 7,2 mg/l.

Diretora da creche localizada ao lado do poço, e de onde foram coletadas amostras, Zilda Toscano também disse desconhecer a contaminação. “Se houver mesmo isso, as autoridades têm de tomar providências”, afirma. Na creche, as crianças utilizam a água que vem da rede de abastecimento.

FONTE - João Maria Alves - 20/09/2007 - Tribuna do Norte