Grupos

Clássicos do Brasil e em outras línguas estão disponíveis na internet
 

Pense em uma biblioteca com mais de 91 mil volumes na sua casa. Imagine quanto espaço ela ocuparia e as cifras que consumiria para adquirir livros e mantê-los. Na internet, bastam alguns cliques para entrar no portal Domínio Público (http://www.dominiopublico.gov.br/) que oferece a qualquer pessoa obras brasileiras e clássicos universais gratuitamente.

Pelo site é possível ler, copiar, salvar e imprimir partes das obras ou livros inteiros. No leque de opções, há clássicos da literatura brasileira como Machado de Assis e Guimarães Rosa e obras de escritores estrangeiros, como Dante Alighieri, William Shakespeare e René Descartes, nas versões originais ou em traduções.

Outros formatos de arquivo também estão disponíveis, como imagens, sons e vídeos. É possível encontrar desde sinfonias de Mozart até quadros de Leonardo da Vinci. Vídeos digitalizados da TV Escola, da Secretaria de Educação a Distância (Seed/MEC) também são oferecidos ao internauta. Há vídeos que apresentam os escritores Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, José de Alencar, Lima Barreto, Machado de Assis e Mário de Andrade.

O acervo é composto por obras de domínio público, cujos autores já morreram há mais de 70 anos e, portanto, constituem patrimônio cultural brasileiro e universal. O portal também recebe material de autores que disponibilizam gratuitamente os seus trabalhos. Os inéditos são licenciados pelo Creative Commons, que define os direitos autorais destas obras – baixar do site e comercializá-las configura crime.

O portal foi inaugurado em novembro de 2004, inicialmente com 500 obras. A iniciativa, do Ministério da Educação (MEC), foi toda desenvolvida em software livre (os programas utilizados estão disponíveis para download gratuitamente). Para aumentar o acervo, o portal conta com colaborações dos visitantes que enviam as obras em formato de texto ou PDF. No mês passado, 4 mil obras novas foram incluídas na coleção.

Desde o ano passado, circula pela internet um e-mail informando que o site Domínio Público seria retirado do ar por falta de usuários. Não é verdade. A quantidade de acessos não pára de crescer: apenas em agosto houve mais de 700 mil visitas registradas e, desde a inauguração, o portal recebeu quase 12 milhões de acessos e ofereceu mais de 14 milhões de obras para download. A coordenação do Domínio Público afirmou que jamais considerou a possibilidade da extinção da biblioteca e garante que o e-mail acabou sendo uma maneira de obter de divulgação para o site, apesar de não haver informação sobre a origem da mensagem.

 

Biblioteca Nacional

Outra biblioteca pública disponível na internet é a Nacional Digital (http://www.bn.br/bndigital). Entre as obras disponíveis, há duas divisões principais: os tesouros e as coleções. Os tesouros são trabalhos que anteriormente tinham acesso restrito a pesquisadores e ficam guardadas nos cofres da Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro. São suas seções de tesouros: os manuscritos e as obras raras. Entre as coleções, estão disponíveis os anais da biblioteca, periódicos raros, músicas, quadros, gravuras e estátuas. Não há dados disponíveis sobre o acervo.

 

UFU

A Universidade Federal de Uberlândia oferece na web duas bibliotecas. A de Teses e Dissertações (http://www.bdtd.ufu.br/) tem como objetivo divulgar os resultados da produção acadêmica produzida pela universidade. Segundo a coordenação de bibliotecas, as vantagens de manter online a coleção é que ela permite o compartilhamento da produção intelectual e contribui para coibir o plágio por meio da difusão de resultados de pesquisa. A implantação começou em setembro de 2005 e estão disponíveis 1,1 mil textos para pesquisa.

A Biblioteca Digital de Peças Teatrais (http://www.bdteatro.ufu.br/) reúne o banco de textos Sandro Polloni, parte do acervo da Biblioteca Central da UFU. Ela preserva e armazena as 991 peças do banco em formato eletrônico e disponibiliza-os para qualquer pessoa pela internet. Entre as obras, apenas 20 são de domínio público. Para a montagem cênica dos textos restantes é necessária a autorização da Sociedade Brasileira de Autores – SBAT.

 

A onda da leitura digital
 
A Amazon.com, maior loja virtual do mundo, lançou em 2007 um portátil que revolucionou a maneira de os americanos comprarem livros. O Kindle é um aparelho específico para e-books (livros virtuais) e oferece funções como fazer download diretamente do site, por wireless (rede sem fio, sem necessidade do computador para isso) e a leitura de jornais, revistas e blogs. No acervo da Amazon está disponível para compra mais de 180 mil títulos que podem ser baixados em menos de um minuto cada um.

A tela tem alta resolução, mas não emite luz - foi criada especialmente para substituir os livros impressos. O aparelho mede 19 cm e pesa quase 300 gramas. A bateria dura até quase uma semana sem a conectividade, sem fio ligado e a recarga pode ser feita em apenas duas horas. Os botões de navegação permitem que você avance e volte as páginas. O teclado serve para comprar livros, fazer buscas e criar notas.

 

BIBLIOTECA DOMINIO PÚBLICO

- COMO BAIXAR

. Entre no site http://www.dominiopublico.gov.br/ e digite no campo pesquisar a obra desejada. São oferecidos livros, sons, imagens e vídeos.
. Quando encontrar o título desejado, clique no nome da obra para abrir o arquivo. É possível salvá-lo no computador ou imprimi-lo (em partes ou na íntegra)

- COMO COLABORAR
  
. Envie o arquivo (no formato .txt ou .pdf), juntamente com dados cadastrais (nome completo, CPF, telefone) e com os dados bibliográficos da obra digitalizada (autor, título, editora, local e ano da edição e número ISBN), para o e-mail dominio@mec.gov.br

 

- ESTATÍSTICAS

. Acervo
Imagens 2.391.118  
Sons 1.624.772  
Textos 9.513.034  
Vídeos 1.332.152  

. 11.961.020 visitas de novembro/2004 a agosto/2008

- TOP 10

Confira os livros mais procurados

 

TÍTULO – AUTOR ACESSOS

A Divina Comédia - Dante Alighieri  577.841 
Poemas de Fernando Pessoa  - Fernando Pessoa   195.083 
A borboleta azul - Lenira Almeida Heck   181.477 
A Comédia dos Erros - William Shakespeare  181.071 
Romeu e Julieta - William Shakespeare  141.210 
Mensagem - Fernando Pessoa  128.760 
A Bruxa e o Caldeirão - José Leon Machado  123.966 
O peixinho e o gato - Lenira Almeida Heck  121.663 
Dom Casmurro - Machado de Assis  108.051 
Sonho de Uma Noite de Verão - William Shakespeare    91.935 

* Confira outra matéria sobre o assunto

* Veja os dez livros mais baixados pelo site

 

1 -A Divina Comédia, Dante Alighieri

 A Divina Comédia é uma das maiores obras da literatura universal. Nela, Dante, homem de muitos talentos e de vasto saber, a um só tempo, escreveu sobre as misérias e grandezas do Homem.
Esta tradução integra do texto de A Divina Comédia, em prosa moderna, que reproduz fielmente o original italiano

 

 2- Poemas de Fernando Pessoa, Fernando Pessoa

 A Global Editora Reuniu Nesta Colecao 30 Classicos da Poesia Brasileira e Portuguesa. dos Poetas Quinhentistas e Seiscentistas, Como Luis vaz de Camoes e Gregorio de Matos, a Expoentes da Literatura Atual. Enfim, Nomes Consagrados em Coletaneas Ineditas. 
 
3- A borboleta azul, Lenira Almeida Heck

 

 4- A Comédia dos Erros, William Shakespeare

 A comédia dos erros é considerada pelos pesquisadores como a primeira peça de Shakespeare, com sua estréia nos palcos tendo ocorrido provavelmente em 1594. Os erros a que se refere o título são enganos provocados pelas pessoas que conversam alternadamente com um gêmeo e o outro, sendo um residente de Éfeso, onde se passa a ação, e o outro, estrangeiro. Os gêmeos são idênticos e têm ambos o mesmo nome: Antífolo. As confusões multiplicam-se, assim como a comicidade da trama, porque há mais um par de gêmeos idênticos em cena, os irmãos que atende pelo nome de Drômio.

5- Romeu e Julieta  William Shakespeare

A obra dramática de Shakespeare funde uma visão poética e refinada a um forte caráter popular, no qual os assassinos, as violações, os incestos e as traições são ingredientes. A história foi baseada em fatos reais, ocorridos na Itália medieval. Na literatura universal, nenhuma outra história de amor teve o mesmo sucesso que a dos amantes de Verona.

 

6-Mensagem Fernando Pessoa- Fernando Pessoa

Único título publicado em português por Fernando Pessoa em vida, Mensagem é um dos poemas mais importantes do século XX, Cada um dos 44 poemas escritos ao longo da vida podem ser lidos independentemente ou em conjunto. O conjunto, considerado um único poema, foi dividido pelo autor em três partes: Brasão, Mar português e O Encoberto

 

7-A Bruxa e o Caldeirão-José Leon Machado

 

8-O peixinho e o gato- Lenira Almeida Heck

Esta história levará as crianças e os adultos a navegarem pelas ondas da imaginaçâo, numa aventura emocionante, que comença no fundo do mar e culmina com a luta pela vida entre o bravo peixinho Vermelho, capturado por uma rede de pescador, e o seu rival, o terrível Sr. Gato.

 

 9- Dom Casmurro- Machado de Assis

 A história se passa no Rio de Janeiro do Segundo Império, e conta a trajetória de Bentinho e Capitu. É um romance narrado em primeira pessoa por Bentinho, o que permite manter questões sem elucidação até o final, já que a história conta apenas com a perspectiva subjetiva de Bentinho.

 

 10- Sonho de Uma Noite de Verão-William Shakespeare

Sonho de uma noite de verão é a peça cômica mais conhecida de Shakespeare. Conta a história da jovem Hérmia, que ama Lisandro. Acontece que ela foi prometida em casamento para Demétrio. 

 

Leitura em excesso pode ser prejudicial aos olhos

 O prazer da leitura é indiscutível, mas, cuidado ficar horas lendo um livro pode causar uma doença ocular muito comum: a Síndrome do Olho Seco. O termo Olho Seco descreve um grupo de várias doenças que ocorrem devido à lubrificação inadequada do olho. Muitas pessoas sofrem com a síndrome, porém o diagnóstico é facilmente confundido com outras condições, como infecções ou alergias oculares.

Confira o vídeo sobre a Síndrome do Olho Seco em depoimento da oftalmologista Márcia Barbosa da Cunha Lima.

 

Causas da doença

 A principal causa da síndrome está relacionada ao ambiente. Clima seco, fumaça de cigarro, a poluição, lugares fechados, calefação, ar condicionado e monitores de computador podem aumentar a evaporação e causar a síndrome do olho seco.

 

Diagnóstico

Há diversos métodos para diagnosticar a doença. O oftalmologista deve medir a produção, a taxa de evaporação e a qualidade das lágrimas, com testes específicos. Coceira, queimação, irritação, olhos vermelhos, visão borrada que melhora ao piscar, lacrimejar em excesso e desconforto após ver TV, ler ou ficar em frente ao computador são os principais sintomas da doença.

Saiba como prevenir a Síndrome do Olho Seco em dica, em vídeo, da Dra. Márcia Barbosa da Cunha Lima.

Pesquisa: Valeriana Medrado
Videoreportagem: Luciana Rodrigues

Fonte: Correio de Uberlândia

 

Sistema é voltado especialmente para o cidadão comum

 

Localizar escolas, hospitais, postos do Poupatempo, delegacias de polícia e, até, hotéis e shoppings centers. Ou então, obter dados sobre população, municípios, renda per capita e índice de desenvolvimento humano (IDH). Tudo isso ficará mais fácil para o cidadão comum e, mesmo, para quem já trabalha com esse tipo de informação.

 

A Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano S/A. (Emplasa), vinculada à Secretaria Estadual de Economia e Planejamento, põe à disposição da população na internet o EmplasaGeo, sistema de informações georreferenciadas.

 

Nesse tipo de sistema, as informações estão conectadas a mapas. O usuário não vai simplesmente saber onde fica determinado local de serviço público ou atrativo turístico, numa localidade, mas verá sua localização em mapas, podendo ampliar e usar outros recursos na área pesquisada, além de obter dados adicionais.


Página principal do Emplasa Geo: o primeiro sistema a oferecer informações georreferenciadas

 

“As informações que estarão no EmplasaGeo já estavam disponíveis, de certa forma, no site da Emplasa, mas no formato de banco de dados, e não na forma georreferenciada”, explica Gilberto Ramos Alves, gerente da Unidade de Instrumentos para o Planejamento da instituição. “Criamos um sistema que tenha atratividade para o público em geral, não apenas para técnicos.”

 

Zoom

 

O EmplasaGeo não é o único sistema a fornecer informações por meio de mapas. Mas é o primeiro a disponibilizar informações georreferenciadas no âmbito do governo estadual. Além disso, é inédito por juntar informações de utilidade pública, culturais e dados técnicos, num único site e de maneira fácil para o usuário comum acessar.

 

Interatividade do site permite navegar por outros endereços, como a Pinacoteca (no detalhe)

 

Outra diferença é que alguns sites contêm informações estáticas. O usuário não consegue trabalhá-las de acordo com o seu interesse. Ou seja, não existem recursos para selecionar determinada área, aumentá-la, mover para outro ponto de interesse e, depois, imprimir o que se obteve. Tudo isso será possível no novo sistema graças a uma série de ferramentas, como zoom mais, zoom menos e mover. “O usuário poderá trabalhar as informações diretamente no nosso banco de dados”, observa o gerente da Emplasa.

 

O novo site cobre as três regiões metropolitanas do Estado de São Paulo – capital, Campinas e Baixada Santista – e as concentrações urbanas de São José dos Campos, Sorocaba-Jundiaí e Piracicaba-Limeira. Mas, existe ainda, segundo Alves, a possibilidade de se inserir no sistema informações das demais áreas estaduais.

 


Com relação à macrometrópole, ela abrange 102 municípios, perfazendo uma área total de mais de 28 mil km², com 28,9 milhões de habitantes. Isso corresponde a 72,2% da população estadual e a 15,6% do total do País. Sua importância econômica pode ser representada pelo valor do seu Produto Interno Bruto (PIB), de US$ 239,1 bilhões, montante equivalente a 80,1% do total estadual e a 27,1% do nacional.

 

Manifestações Folclóricas

 

O sistema é voltado, em especial, para o usuário comum. De acordo com o analista de sistemas Alexandre Monteiro Barboza, da equipe de GIS (em inglês, Geographic Information System) da Emplasa, a pessoa não precisa ser técnica para navegar no site, nem requer tanta habilidade. “Com dois ou três cliques se obtém uma informação”, observa. Já o profissional especializado está acostumado a buscar esse tipo de informação em outros sites, inclusive no da própria Emplasa.

 

O usuário obtém informações gerais sobre o sistema logo ao acessá-lo, na página de apresentação, onde há também um dispositivo (pluging) a ser ativado, para que se visualizem os mapas e consiga a interatividade proporcionada por eles. A página seguinte (a principal) é onde se encontram as ferramentas de navegação (zoom por área selecionada, zoom mais e zoom menos, por exemplo) e os três grupos de informações que são encontrados no site. Além disso, nela estão os botões “atualizar”, “localizador” e “sobre o EmplasaGeo”.

 

Os grupos de informações se referem a temas básicos (que engloba, por exemplo, transporte metropolitano, infra-estrutura turística, e cultura e lazer), dados censitários em temas (como os relativos a domicílios permanentes e alfabetizados) e metrópole por temas (PIB per capita e IDH, por exemplo).

 

Infra-estrutura turística, por exemplo, subitem de temas básicos, traz informações sobre bares, hotéis, shoppings e restaurantes, com endereço, horário de funcionamento e localização no mapa. Nesse subitem, o usuário encontra ainda as manifestações folclóricas e o patrimônio histórico existente nos municípios da macrometrópole, todos acompanhados de fotos. Os grupos sobre dados censitários e metrópole por temas referem-se a informações mais técnicas.

 

Transporte Público

 

O usuário também poderá consultar diretamente o banco de dados da Emplasa e recuperar informações que não estão pré-programadas no site, por meio do botão “localizador”. Dá para levantar, por exemplo, quais os municípios da macrometrópole que tinham, em 2000, mais de 250 mil habitantes e compará-los com os dados populacionais de 2007. Pode ainda localizar as regiões, dentro da macrometrópole, onde se concentram os maiores índices de crianças de zero a seis anos, além de outros dados.

 

As informações do banco de dados têm como fontes a própria Emplasa, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e as prefeituras, e serão enriquecidas e atualizadas continuamente.

 

Do mesmo modo, o EmplasaGeo será continuamente atualizado. As prefeituras serão as principais fornecedoras de informações. Numa segunda etapa, dentro de dois meses, deve receber dados sobre creches municipais, zonas eleitorais, atendimento a portadores de deficiência e uma série de outros tópicos, incluindo a melhor opção de transporte público para determinado trajeto. Se o usuário está numa estação do Metrô e quer chegar a um Poupatempo, por exemplo, conseguirá saber que tipo de transporte (ônibus, trem ou o próprio Metrô) deve tomar.

 

+Informações
EmplasaGeo - www.emplasa.sp.gov.br/emplasageo

Biblioteca Digital de Botânica

21:32 @ 01/10/2008

 

Estão disponíveis, no site da Biblioteca Digital de Botânica, da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, dezenas de milhares de documentos científicos únicos na área da Botânica.

Imagens de manuscritos, desenhos, livros antigos, cartas de botânicos portugueses e estrangeiros, entre outras preciosidades marcantes na História da Botânica da Península Ibérica, podem ser vistos através do site da biblioteca.

A navegação no site da biblioteca permite visualizar cerca de 2500 títulos, fazer o download integral de livros e folhetos, assim como o acesso ao texto integral do Boletim da Sociedade Broteriana, uma importante publicação periódica das Ciências Naturais portuguesas.

Estarão disponíveis online documentos publicados em várias línguas e editados ou produzidos em vários locais do Mundo.

Helena Freitas, coordenadora do projecto e presidente do Departamento de Botânica da instituição, destaca alguns tesouros científicos que ali podem ser consultados, como «um manuscrito único com cerca de 300 anos, do importante botânico francês Tournefort» e «um filme inédito, realizado pelo antigo reitor da Universidade de Coimbra, Maximino Correia, no princípio do século XX – uma informação valiosíssima para a História Colonial».

A responsável esclarece ainda que esta biblioteca faz parte de uma estratégia global para disponibilizar, de forma gratuita, a consulta livre ao acervo botânico do departamento. É possível navegar «nas colecções e dentro de cada documento. Por exemplo, os nomes científicos das várias espécies, géneros e famílias de plantas ou fungos, têm links para os correspondentes exemplares do Herbário online, ficando disponíveis numa única interface».

O projecto foi financiado pelo Programa Operacional para a Sociedade do Conhecimento (POS_C), em 130 mil euros, e resultou de um esforço de dois anos, que envolveu bibliotecários, técnicos de biblioteca e documentação, biólogos, informáticos e serviços de apoio (de gestão, digitalização, indexação), entre outros.

 

Fonte: iGOV

Nova York - Political Streams agrega conteúdo da grande mídia e da mídia social sobre os temas políticos mais relevantes da internet.

 

Faltando poucas semanas para o fim da campanha presidencial dos Estados Unidos, o laboratório de pesquisa da Microsoft lançou um aplicativo online que seleciona as notícias e artigos recentes sobre política que estão recebendo maior atenção entre usuários da internet.

O Live Labs Political Streams, de acordo com a Microsoft, "extrai conteúdo de mídia social em tempo real para discussão política".

O Polítical Streams reúne dados de blogs e grupos de notícias como Usenet e Freebase, um banco de dados compartilhado, para destacar notícias e artigos que estão sendo mais lidos e debatidos entre internautas. Ele também destaca informações sobre pessoas e lugares de tais notícias.

"Esta informação relacionada dá um contexto mais amplo, permitindo que o usuário entenda como a 'Grande Mídia' e a mídia social estão discutindo uma questão, pessoa ou lugar", diz a Microsoft no site de detalha informações sobre o aplicativo.

Na quinta-feira (09/10), por exemplo, os senadores Barack Obama e John McCain, candidatos à presidência dos Estados Unidos lideraram sem qualquer surpresa o topo da lista como os maiores geradores de conteúdo relacionado a política na web.

Se um usuário clica em uma pessoa ou tópico no Political Streams, o aplicativo mostra gráficos com a quantidade de atenção que tal tema tem recebido de diferentes regiões ao redor do mundo.

O Political Streams está integrado ao topo do Social Streams, outro projeto do Live Labs que indexa mídia social de toda a web que encontra em blogs, grupos e sites de notícia e grupos de discussão.

Formado há cerca de dois anos, o Live Labs é o braço de pesquisa da Microsoft para criar novas tecnologias da internet.


 

A empresa o criou em resposta ao Google e outras empresas da web 2.0 que, mesmo não sendo tão grandes quanto a Microsoft, são capazes de lançar aplicativos online muito mais rápidos que a Microsoft.

 

Fonte: IDG Now

Jornais aparecem em segundo lugar, seguidos pelo rádio e pelos telejornais

 
A internet ultrapassou o jornal impresso como principal fonte de informação no trabalho dos jornalistas, de acordo com a terceira edição do Barômetro de Imprensa, pesquisa bimestral online feita pela FSB Comunicações para sondar opiniões dos jornalistas brasileiros sobre temas da profissão e da conjuntura nacional.

Para 57% dos entrevistados, sites e blogs da internet são as principais fontes de informação usadas cotidianamente no trabalho jornalístico. Os jornais são assim apontados em 28% das respostas, seguidos pelo rádio e telejornais.

A preponderância da internet sobre outras fontes de notícias é apontada pelos profissionais de todas as mídias, e alcança índices mais altos entre trabalhadores menos experientes e aqueles que atuam em veículos online (73%) ou impressos (54%).

Os jornais em papel, por sua vez, atingem seus maiores percentuais entre os jornalistas de TV (34%) e de impressos (33%).

Os profissionais de rádio registram o menor índice para os impressos como principal fonte. Na análise do Barômetro, esse resultado é explicado pelo fato de quase 1/3 (29%) ter o próprio rádio como fonte primordial de informações no trabalho.

Os jornalistas entrevistados também disseram que a segunda principal fonte de informação são os jornais (38%), seguidos da internet (30%), dos telejornais (16%), da rádio (8%) e das revistas (5%).

A terceira edição do Barômetro entrevistou 563 trabalhadores de todo o país – de mídia impressa, online, televisão e rádio –, que responderam a questionário enviado em setembro por email aos 39.772 profissionais inscritos no mailing Maxpress.

A FSB esclarece que os resultados da pesquisa não
são automaticamente extrapoláveis para o universo dos jornalistas brasileiros.

 
Fonte: Cidade Biz
 
 

RIO - O Departamento de Informação Pública das Nações Unidas lançou nesta quinta-feira a primeira versão online do Anuário Nações Unidas – a principal referência sobre o trabalho da Organização. O novo site ( http://unyearbook.un.org ) permite acesso gratuito aos 59 volumes da coleção, detalhando o trabalho e os resultados alcançados pelo Sistema das Nações Unidas nos primeiros 60 anos de existência (1946 – 2005). Novos volumes serão acrescentados assim que estiverem disponíveis.

 
- O anuário é uma ferramenta indispensável para todos os interessados nas Nações Unidas e em seu trabalho - disse Kiyo Akasaka, Sub-Secretário-Geral para Comunicação e Informação Pública da ONU.
 
- A edição online apresenta nossa história e nossas realizações, que afetaram a vida de milhares de pessoas ao redor do planeta, em um momento em que o conhecimento e a compreensão das questões que afetam nosso mundo são cruciais para o sucesso da missão das Nações Unidas.
 
É esperado que o novo website não seja apenas uma ferramenta de pesquisa, mas também contribua para fazer com que os usuários entendam melhor as complexas questões globais da atualidade.
 
O Anuário das Nações Unidas é uma das mais abrangentes e respeitadas publicações sobre a Organização. Cada volume possui análises, textos, resultados de votações, decisões e resoluções da Assembléia Geral, Conselho de Segurança e Conselho Econômico Social. Os capítulos estão divididos em cinco grandes áreas: questões políticas e de segurança; direitos humanos; questões sociais e econômicas; temas legais; assuntos institucionais, administrativos e orçamentários. A versão online reproduz as informações disponíveis em todos os volumes dos anuários, incluindo as 1.682 páginas da edição de 2005.
 
 

 

International Islamic Digital Library

 

Biblioteca Digital Internacional Islâmica

 

Uma iniciativa de diversas instituições islâmicas:

 

 

- Biblioteca Nacional da Malásia

- Universidade Kebangsaan Malásia (UKM)

- Departamento de Desenvolvimento Islâmico da Malásia (JAKIM)

- Multimedia Development Corporation (MDC)

- Universidade Malaia (UM)  

- Universidade Islâmica Internacional da Malásia (IIUM)

- Instituto para Entendimento Islâmico (IKIM)

 

A Biblioteca Digital inclui livros, manuscritos, teses, artigos, conferências e arquivos multimídia.

 

Para ter acesso a totalidade das informações é necessário cadastro prévio.

 

 

http://www.iidl.net

 

Informação livre: Copie, imprima, distribua, envie por email, carta, fax, rádio, TV. Mantenha o texto e os créditos na íntegra.

Foto: Reprodução 

Reprodução
Acervo do Bubok tem cerca de 2.500 títulos
 
 
Bubok, com base na Espanha, publica cerca de 500 livros por mês. Obras do acervo poderão ser encontradas pela busca do Google.
 
O Bubok, um serviço de autopublicação em espanhol através da internet e que, nos cinco meses de funcionamento, editou 2.500 títulos, se aliou ao sistema de busca de livros do Google - o Google Books - para facilitar a consulta e a difusão de suas obras.

O acordo, apresentado nesta quinta (2) à imprensa por Ángel María Herrera, diretor-geral do Bubok, e Luis Collado, responsável do Google Books, permitirá que qualquer autor que publique através do serviço espanhol tenha seu livro disponível para consulta de forma imediata no buscador de livros do Google.
 
O Bubok publica cerca de 500 livros mensais, entre eles vários romances, e, graças a este acordo, os autores se beneficiarão das vantagens oferecidas pelo programa de promoção de livros do Google.
 
Segundo Collado, o Google já tem digitalizados "mais de um milhão de livros em 100 idiomas", procedentes de "20 mil editoras de todo o mundo".
 
Cada livro incorporado ao Google Books foi previamente digitalizado e indexado, e "só poderá ser folheado de forma limitada (pelo menos 20% de cada obra)", porque este buscador "é muito cuidadoso" com os direitos autorais e com a legislação de cada país.
 
Fonte: G1

O Google não teve sucesso em sua empreitada para digitalizar as obras da Biblioteca Nacional (BN), mas isso não significa que os negócios com o "Google Books Search" deixaram de caminhar no país. Como o gigante das buscas não encontrou outra biblioteca de porte que justificasse o patrocínio de um laboratório de digitalização, a decisão foi centrar fogo nas editoras.
Até um ano e meio atrás, diz Rodrigo Velloso, diretor de desenvolvimento de negócios do Google, a empresa havia fechado 15 parcerias no país. Hoje, os acordos envolvem mais de 100 editoras, entre elas nomes como Record, Loyola e Artmed.

Ao fechar uma parceria com o Google, a editora oferece, em formato digital, 100% do conteúdo de seus livros para o Google. Para a internet, porém, só vai parte desse conteúdo. O contrato prevê que um mínimo de 20% da obra seja oferecida ao internauta, mas a editora pode aumentar esse percentual, se preferir.

A função da ferramenta, diz Velloso, não é colocar todo o conteúdo de livros na rede, mas ajudar o usuário a descobrir livros, saber onde comprá-los ou pegá-los emprestados. De acordo em acordo, o Google alimenta a sua base de informações e aumenta o tráfego em suas páginas, remuneradas pela publicidade on-line. "Hoje, temos mais de 1 milhão de títulos digitalizados em todo o mundo", comenta Velloso. "No Brasil já são mais de 20 mil títulos."

As grandes redes de livrarias do país são o próximo alvo da ferramenta de busca mais popular do mundo. Há dois meses, a companhia fechou um acordo com a Livraria Cultura para oferecer uma versão personalizada de seu Google Books Search. Ao acessar o site da livraria em busca de um livro, o usuário poderá ler trechos daquela obra. "Isso será possível, é claro, se o livro pertencer a alguma editora que é já nossa parceira", explica Velloso.

Segundo os dados mais recentes da Câmara Brasileira do Livro (CBL), o volume de livros vendidos em 2007 foi de cerca de 329 milhões de exemplares, um aumento de 6,06% em relação ao ano anterior. O mercado editorial brasileiro registrou um faturamento de R$ 3,013 bilhões no ano passado, com crescimento de 4,62%. O governo permanece como o maior comprador, com investimentos de R$ 726,8 milhões, cerca de 24% do total de vendas do setor.

Fonte: Valor Econômico