Grupos

A imagem "http://www2.fiocruz.br/bancosdedados/banco_imagens/images/web_interface_r2_c1.jpg" não pode ser mostrada, porque contém erros.


São mil fotos científicas para uso gratuito em publicações, trabalhos acadêmicos e sítios virtuais apenas citando a fonte. O Fiocruz Multimagens, iniciativa do Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz), integra acervos de diferentes unidades da instituição.

O banco de imagens é dividido em categorias como animais e plantas, meio ambiente e saúde. Aspectos do patrimônio histórico e arquitetônico, a produção dos laboratórios e outros temas da Fiocruz também estão no espaço. Os interessados precisam preencher o cadastro e observar as condições de uso.

O lançamento do Fiocruz Multimagens é parte das comemorações dos 21 anos do Icict . A Biblioteca de Ciências Biomédicas fica na Av. Brasil, 4365, Manguinhos, Rio de Janeiro.

Conheça o Fiocruz Multimagens.



Fonte: Notícias Fiocruz


A imagem "http://www.fiocruz.br/media/noticia_pesquisador_bvs3.jpg" não pode ser mostrada, porque contém erros.

A Biblioteca Virtual em Saúde Fiocruz reúne links para diversos acervos da instituição como as Bibliotecas Virtuais em Saúde (BVS),  Portal de Teses e Dissertações,  Banco de Teses,  Bibliotecas Virtuais Biográficas além de periódicos e documentos da instituição. O internauta terá um painel da produção científica, tecnológica e de saúde da Fiocruz através de uma interface dinâmica. O espaço reafirma o papel da Fiocruz como organização líder em gestão de informação técnico-científica em saúde.

Fonte: Fiocruz Notícias

Top 10 sites for researching music

guitar
Ten free sites that bring you information on music and composers.

Music and Media Librarian Lindsay Hansen of the California State University Northridge has an very interesting article in the November/December issue of Online. In Music to Researchers’ Ears she looks at ten high quality sites that can be used for researching music.

Here are her top 10 choices:

Nat Geo Music, National Geographic’s database of world music. The site includes podcasts, song samples, and guides.
Neue Mozart Ausgabe/Digital Mozart Edition is Stiftung Mozarteum’s collection of Mozart Urtexts, i.e. the earliest versions of the composer’s music.

Black Grooves is published by the Archives of African American Music & Culture (AAAMC) at Indiana University. The sites presents new releases and reissues of sound recordings featuring compositions or performances by black artists, including gospel, blues, jazz, funk, soul, and hip-hop-as well as classical music composed or performed by black artists.

The CHICO (The Cultural Heritage Initiative for Community Outreach) Instrument Encyclopedia is hosted by the University of Michigan’s Schools of Information and Music. The site features musical instruments from around the world.

The Great Conversations in Music site features five different categories of films: The Pianists, The Composers, Chamber Music, The Virtuosos, and The Conductors. The films are from the the US Library of Congress and PBS.

The Canadian Encyclopedia of Music has a free online version sponsored by the National Library of Canada. (Note that the link given on the Online site is misspelled. That link leads to a advertising site).

Martin Scorsese Presents the Blues is a site from PBS that presents Martin Scorsese’s seven-film series about the blues. There are biographies and context for the artists featured in the film, including so-called “essential listening.”

The Met Opera Archives has opera synopses, historical pictures, time-lines, facts and much more.

International Music Score Library Project (IMSLP) is a wiki of public domain music scores. However, things changes fast on the Web. Since Hansen wrote her article the site has apparently both faced hosting problems and got a cease and desist letter from a music publisher. The scores are not available at the moment.

Beethoven-Haus Bonn has a online archive with music manuscripts, music clips, portraits, and sound files of letters written by Beethoven.

Go to Hansen’s article over at Online for reviews of this sites and a comparison as regards strengths and weaknesses.

Fonte: Pandia

Mais de 78 mil alunos distribuídos de 1ª a 9ª série do ensino médio poderão contar com um espaço virtual contendo todo o acervo literário Municipal. É o que prevê o projeto n° 6.136/07 aprovado por unanimidade, na Câmara Municipal. De autoria da 1ª Secretária, vereadora Grazielle Machado (PR) a proposta prevê a criação da Biblioteca Municipal Digital de Campo Grande. Na prática, uma Biblioteca Digital define-se por ser constituída por documentos primários que são digitalizados quer sob a forma material (disquetes, CR-ROM, DVD), quer em linha através da Internet, permitindo o acesso à distância.

O conceito inclui também a idéia de organização composta por serviços e recursos cujo objetivo é selecionar, organizar e distribuir a informação, conservando a integridade dos documentos digitalizados. Mais além, o texto estabelece que a administração Pública Municipal adote medidas de publicidade do endereço eletrônico da Biblioteca, em todos os meios de divulgação por ela utilizados, inclusive no site oficial da Prefeitura de Campo Grande. Hoje, a Secretaria Municipal de Educação possui uma estrutura organizacional contendo 1.794 computadores, uma média de 2 estudantes por máquina.

De acordo com a vereadora Grazielle Machado, a idéia é estabelecer um espaço virtual, em que os estudantes tenham à disposição, uma rica literatura digital, científica e didática, entre outros gêneros, disponíveis no mercado como de acesso livre, sendo um poderoso instrumento de apoio aos materiais didáticos convencionais fornecidos pelas Escolas. A Biblioteca Digital é um dos principais avanços alcançados pela tecnologia de informação, permitindo aos alunos o livre acesso em qualquer horário e em qualquer dia de todos os materiais nela disponíveis, contribuindo grandemente para a proliferação do conhecimento.

“Nosso principal objetivo é criar mais um mecanismo de incentivo educacional, além de otimizar o incentivo à leitura, aos alunos da rede pública municipal, que muitas vezes não tem condições financeiras para adquirirem livros, tendo acesso, tão somente, aos materiais didáticos oferecidos pelas Escolas”, define Grazielle.

Fonte: Midiamax

Os manuscritos, desenhos, fotografias, mapas e partituras que dão corpo à Biblioteca Nacional estarão facilmente disponíveis a qualquer um que deseje consultá-los. A iniciativa de disponibilizar todo o acervo on line está inserida em uma outra ação maior - a World Digital Library, lançada na 37ª Conferência Geral na Unesco, em outubro.
 
A Biblioteca Digital Mundial tem como objetivos promover o conhecimento internacional e interculturalmente, expandir o volume e a variedade de conteúdos na internet e capacitar as instituições parceiras de forma a reduzir a exclusão digital dentro e entre os países. Tudo isso nas seis línguas da ONU (inglês, francês, espanhol, árabe, chinês e russo) e em português - acrescentada em razão da parceria da Fundação Biblioteca Nacional com o Projeto.
 
Do Brasil serão enviados, na primeira fase do projeto, 1.500 mapas raros dos séculos XVI a XVIII e 42 álbuns com cerca de 1.200 fotografias pertencentes à Coleção Thereza Christina Maria, doada pelo Imperador D. Pedro II à Biblioteca Nacional (registrada como Patrimônio da Humanidade no Programa Memória do Mundo da UNESCO).
 
Para ter acesso ao acervo virtual: http://www.bn.br/bndigital/
Para conhecer a Biblioteca Digital Mundial: www.worlddigitallibrary.org

Fonte: CBL Informa

250 títulos estão na internet como amostra grátis; serviço completo terá assinatura, mensal ou anual

Capa de Black Panther número 1, um dos títulos oferecidos online
Reprodução/Marvel
Capa de Black Panther número 1, um dos títulos oferecidos online

LOS ANGELES, EUA - A Marvel, editora de heróis como Homem-Aranha e Capitão América, colocou alguns de seus clássicos online, na esperança de reapresentar seus personagens ao público, trazendo de volta as aparições originais dessas criações.
 
Veja também:
 
 
Trata-se de uma entrada cautelosa na internet: os quadrinhos só podem ser lidos online, não baixados para o computador, e novas edições só chegarão ao site seis meses depois do lançamento em banca.

A despeito disso, trata-se, até agora, do movimento mais agressivo de uma grande editora de quadrinhos rumo à internet. Ao mesmo tempo em que suas criações - como os X-Men ou o home de Ferro - ocupam cada vez mais espaço na cultura popular, graças a filmes e jogos, os principais editores de quadrinhos dos EUA ainda dependem, principalmente, de lojas especializadas para a distribuição de seu produto principal.

"Não há mais o estande de quadrinhos na mercearia da esquina", disse o presidente da Marvel Publishing, Dan Buckley. "Nosso produto não vai mais ao encontro dos espaços onde a garotada vive".
Traduza-se "espaço onde a garotada vive" por "internet". Os dois principais concorrentes da Marvel, já se valem de trailers online para estimular a venda de quadrinhos.

A Dark Horse Comics coloca sua antologia "Dark Horse Presents" de graça no site de relacionamentos MySpace. A DC Comics também já publicou no MySpace, e recentemente lançou o website Zuda Comics, que encoraja os usuários a avaliar quadrinhos produzidos pelos colegas. O presidente da companhia, Paul Levitz, diz que espera pôr mais quadrinhos online nos próximos anos.

Com sua nova iniciativa, a Marvel espera que os fãs de seus personagens estejam dispostos a gastar US$ 9,99 ao mês, ou US$ 5,99 ao mês por uma assinatura anual, para ler os primeiros 100 números de "Homem-Aranha" online, além de outras ofertas do novo pacote. Os quadrinhos podem ser vistos em diferentes formatos, incluindo quadro-a-quadro.
 
No momento, há 250 títulos expostos como amostras grátis.

Fonte: Estadao.com.br

Expectativa é multiplicar por 15 a audiência e atrair mais receitas publicitárias

Todo o conteúdo online do tradicional jornal americano de economia e negócios The Wall Street Journal (WSJ), considerado a bíblia do capitalismo mundial, pode se tornar acessível gratuitamente. A intenção foi manifestada nesta terça-feira (13/11) pelo novo proprietário da publicação, Rupert Murdoch, presidente da News Corp. Atualmente, somente assinantes podem acessar o material disponível no site do WSJ.

O WSJ possui um dos poucos sites de notícias com um bem-sucedido modelo de assinaturas, de acordo com o site de notícias CNN Money. Atualmente, há 1 milhão de assinantes do site, que geram uma receita de assinaturas de 50 milhões de dólares. "Esperamos tornar o site gratuito, e, em vez de termos 1 milhão de assinantes, chegarmos a 10 ou 15 milhões em todos os cantos do mundo", afirmou Murdoch. O empresário pretende compensar a perda de receita com um forte incremento de verbas publicitárias de grandes anunciantes.

Falando a investidores australianos hoje, Murdoch também afirmou que o desempenho de sua companhia, a News Corp., neste trimestre está acima das expectativas. O empresário considerou prematura, porém, qualquer mudança nas estimativas de desempenho. Além de não ser afetado por nenhum dos efeitos colaterais da crise das hipotecas americanas, o grupo também foi impulsionado pelo aumento das verbas publicitárias.

Fonte: Portal Exame


“A casa da vizinha não é tão verde quanto a minha”, é o nome do novo site promovido por um grupo de arquitectos para divulgar na world wide web projectos sustentáveis de arquitectura.

O sítio na Internet trata-se, segundo os autores, da primeira iniciativa do género lançada em Portugal.

A casa da vizinha não é tão verde quanto a minha é uma iniciativa dos arquitectos Nadir Bonaccorso, João Manuel Santa Rita e Carlos Sant’Ana, organizada pela Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos.

O sítio é, em termos gerais, a constituição de uma base de dados de projectos de carácter sustentável e está aberta às propostas neste domínio de qualquer profissional de arquitectura – encontrando-se, por isso, em permanente actualização.

Além dessa base de dados, o sítio inclui um glossário de termos ligados à sustentabilidade, um conjunto de notícias, ligações a outros grupos e instituições e um formulário para subscrever a newsletter deste projecto.

A iniciativa dos três arquitectos teve início com a organização de uma exposição de projectos sustentáveis que esteve na sede da Ordem dos Arquitectos entre 1 e 30 e Outubro e, em slideshow, na Internet e de uma conferência, que teve lugar a 31 de Outubro – eventos realizados a propósito do Dia Mundial da Arquitectura.

O sítio está disponível em www.casadavizinha.eu


YourStreet divulga reportagens nas áreas onde elas foram registradas.

Por enquanto, serviço não tem informações sobre o Brasil; foco está nos EUA.

O site YourStreet, com foco no público norte-americano, tem como objetivo levar as notícias para as regiões onde elas realmente interessam. A página, que usa um sistema de mapas do Google, coloca informações de sites de notícias nas áreas onde elas foram registradas – a reportagem “três alarmes de incêndio disparam em igreja de Jersey”, por exemplo, aparece na rua onde fica essa igreja.


Se quiser ler mais sobre o acontecimento, o usuário pode clicar no link que leva à notícia original. A idéia de combinar informações com mapas digitais -- como a indicação de restaurantes e lojas, por exemplo – já se tornou comum na internet. Mas de acordo com a publicação “Technology Review”, o YourStreet inova ao criar esse sistema de localização de notícias.


A novidade só está disponível para os Estados Unidos – ao digitar “São Paulo” na caixa de buscas, por exemplo, o usuário não encontra qualquer resultado. Além das notícias relacionadas aos EUA, o internauta também pode ver informações publicadas por outros usuários do site e a localização dessas pessoas, se elas se incluírem nos mapas.


James Nicholson, fundador da empresa responsável pelo site, afirma que a página coleta de 30 mil a 40 mil novas notícias por dia, publicadas por jornais locais e também por blogs.


Fonte: G1

 

Um dos acontecimentos culturais que marcou a agenda cultural do País foi a abertura, na última semana de Outubro, da primeira exposição do Museu Hermitage em Portugal, mais precisamente na Galeria D. Luís I, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.

As obras incluídas na exposição «Arte e Cultura do Império Russo nas colecções do Hermitage – de Pedro, o Grande, a Nicolau II», que está aberta até Fevereiro de 2008, podem ser acedidas também através da Internet, no site www.hermitagemuseum.org.

Para além do site, a IBM Portugal colabora com esta mostra de arte por intermédio de um protocolo de cedência, ao Instituto de Museus e Conservação (IMC), de dois quiosques multimédia que permitem aceder virtualmente a um vasto conjunto de obras pertencentes ao museu. Este site revela peças de arte patentes em museus europeus, bem como dá acesso a uma biblioteca digital com mais de 2000 obras e 4500 imagens de alta resolução, referentes a várias categorias.

Os quiosques dispõem de soluções tecnológicas IBM que permitem conhecer virtualmente alguns dos maiores tesouros de arte exibidos no Museu Hermitage, em São Petersburgo, ou aceder, por exemplo, a informação sobre o processo de restauro da Fiorentina Pietà, de Miguel Ângelo.

Desenvolvida por profissionais da IBM na Rússia, Itália, Israel e E.U.A., em colaboração com investigadores de arte do museu Hermitage, o programa assenta numa solução multimédia do tipo “museu virtual”, composta pela instalação de um CD-ROM e pelo acesso ao website www.hermitagemuseum.org. A suportar o funcionamento estarão dois Anyplace Kiosk, com monitor táctil de 17 polegadas, 512 MB de memória, 40 GB de disco e pedestal de mesa.

Para a ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, «aliar a cultura à tecnologia é uma forma de promover duas áreas muito importantes para a sociedade e para o enriquecimento do nosso país».

Manuel Bairrão Oleiro, director do Instituto de Museus e Conservação, afirma que «este é o segundo protocolo que o Instituto assina com a IBM, na perspectiva de proporcionar um mais vasto e diferenciado acesso à Arte». Em Guimarães, no Museu Alberto Sampaio, e graças à colaboração da IBM, é possível aceder às colecções do Museu Hermitage. A partir de agora, também os visitantes da Galeria D. Luís, no Palácio Nacional da Ajuda, poderão tomar conhecimento da diversidade e riqueza do acervo desse museu russo, através dos quiosques IBM, na sequência da visita à exposição «Arte e Cultura do Império Russo nas colecções do Hermitage – De Pedro, o Grande, a Nicolau II».

De referir que a IBM e o IMC assinaram, em Julho do ano passado, um protocolo referente à instalação de dois quiosques multimédia no Museu de Alberto Sampaio, em Guimarães, presentemente expostos ao público.

Fonte: Semana Informática - Portugal

O Sistema Brasileiro de Registros Bibliográficos ON LINE – SBRB ON LINE é o primeiro site brasileiro a disponibilizar registros de catalogação bibliográfica através do protocolo Z39.5. Mais de 300.000 títulos catalogados podem ser acessados por qualquer biblioteca e disponibilizado em texto ou no formato MARC.



O SBRB ON LINE é uma iniciativa da Associação Cultural Basílio da Gamawww.basiliodagama.org.br) e do programa de gerenciamento de bibliotecas e arquivos Alexandria On Line (www.alexandria.com.br) para desenvolver a catalogação cooperativa das bibliotecas brasileiras, trocar experiências, promover ações de capacitação e desenvolvimento técnico.



Pessoas físicas podem acessar as informações bibliográficas, por meio de uma sistema de pesquisa, e fazer o “download” destes registros em vários formatos.

Bibliotecas cadastradas poderão usar o mecanismo de busca Z39.5 que dispuserem em seus programas de gerenciamento e mais:

        - Participar dos fóruns de discussão que serão abertos;
        - Contribuir com seus registros para a catalogação coletiva;
        - Participar dos programas de capacitação que serão desenvolvidos.

Qualquer pessoa poderá receber por e-mail as informações catalográficas dos livros que estiverem em nosso banco de dados, que já dispõe de mais de 300.000 registros de livros de autores nacionais e estrangeiros, de todos os gêneros.


Filosofia: 3 fontes de pesquisa

18:22 @ 23/11/2007

The Internet Encyclopedia of Philosophy

Internet Encyclopedia of Philosophy


A Enciclopédia de Filosofia na Internet contém uma coletânea de artigos sobre filosofia, organizados por ordem alfabética. O projeto é mantido por voluntários.





PhilSci Archive

Arquivo eletrônico de preprints, conta atualmente com mais de 1460 documentos. O projeto é patrocinado pela Associação de Filosofia da Ciência, Centro para Filosofia da Ciência e Universidade de Pittsburgh.




Stanford Encyclopedia of Philosophy

Stanford Encyclopedia of Philosophy

A Enciclopédia Stanford de Filosofia contém artigos distribuídos por tabelas que são atualizadas por especialistas dos Estados Unidos, Austrália, Holanda e Reino Unido. É mantida pelo Laboratório de Pesquisa em Metafísica da Universidade de Stanford.


Projeto iniciado em 2002 tem títulos em 20 línguas; português ainda está fora.

Por causa dos direitos autorais, nem todos os livros estão 100% disponíveis.

Foto: Reprodução
Usuário pode fazer busca avançada e também conhecer toda a coleção da biblioteca

O projeto Million Book acaba de completar a digitalização de 1,5 milhão de títulos, grande parte deles disponíveis gratuitamente on-line http://www.ulib.org/. A iniciativa foi realizada pela Universidade Carnegie Mellon, dos EUA, pela Universidade Zhejiang, da China, pelo Instituto Indiano de Ciência e também pela Biblioteca de Alexandria, no Egito.

Pelo fato da conclusão da primeira fase ter sido oficialmente divulgada nesta quarta-feira (28), a grande quantidade de acessos fez com que o site ficasse instável e lento. Além disso, por uma questão de direitos autorais, nem todos os livros estão 100% disponíveis -- muitos já foram digitalizados, mas ainda aguardam negociações para serem oferecidos gratuitamente. Enquanto isso não acontece, os internautas podem encontrar apenas o resumo dessas obras protegidas.

Iniciado em 2002, o projeto tem uma grande variedade de títulos. “Qualquer usuário da internet tem acesso agora a uma coleção de livros equivalente à biblioteca de uma grande universidade”, afirmou Raj Reddy, professor de ciência da computação e robótica da Carnegie Mellon.

“Esse projeto nos coloca mais próximos do ideal da biblioteca universal, tornando todos os trabalhos publicados disponíveis para todo mundo, o tempo todo, em qualquer língua”, continuou Reddy. “As barreiras econômicas para a distribuição de conhecimento estão caindo”, continuou o professor que liderou o projeto.

Apesar de o Google, a Microsoft e o Internet Archive também estarem envolvidos em projetos de digitalização de livros, o projeto Million Book representa a maior iniciativa acadêmica para disponibilizar livros gratuitamente. Pelo menos metade dos títulos digitalizados pelo Million Book está livre de direitos autorais ou teve sua digitalização autorizada pelos detentores desses direitos. Nesses casos, o conteúdo completo pode ser acessado gratuitamente.

 Coleção

Na coleção de 1,5 milhão de livros há obras escritas em 20 línguas diferentes – no recurso de busca avançada, ainda não consta o português. Depois de digitalizados, os textos passaram por métodos de reconhecimento de caracteres, para viabilizar as buscas no site.

O projeto recebeu US$ 3,5 milhões em investimentos da Fundação Nacional da Ciência, dos EUA, e o apoio de empresas de hardware e software. Esse dinheiro foi usado para a aquisição de equipamentos de digitalização e para o desenvolvimento de métodos para a catalogação da biblioteca on-line. Além disso, os EUA, China e a Índia contribuíram, cada um, com US$ 10 milhões para o projeto.

Grande parte da digitalização foi realizada na China e na Índia – 1,1 milhão de livros e 360 mil, respectivamente. Atualmente, 7 mil livros são escaneados diariamente para o projeto, por cerca de mil pessoas espalhadas pelo mundo.

Os responsáveis pelo projeto querem expandi-lo para todos os países e, eventualmente, para todas as línguas.

Fonte: G1 Tecnologia


A página web da biblioteca do Centro de Informação Europeia Jacques de Delors foi renovada com o objectivo de se tornar uma referência nacional no que diz respeito à disponibilização de documentos sobre assuntos europeus on-line.

A remodelação da biblioteca virtual Infoeuropa foi desenvolvida em parceria com a Direcção-Geral de Assuntos Europeus e traz aos utilizadores uma nova interface de pesquisa considerada mais acessível e novos serviços e funcionalidades.

Actualmente esta biblioteca tem disponíveis cerca de 30 mil documentos, desde os mais complexos tratados até simples brochuras ou catálogos, que podem ser descarregados gratuitamente.

Fonte: IGov Central

O progresso da Biblioteca Digital, proposta pela Comissão Europeia, foi ontem apresentado por um grupo de trabalho em Bruxelas. A iniciativa e o estado do desenvolvimento da plataforma foram abordados numa sessão onde foram tidas em conta as bases já criadas.


Entre os temas abordados destacam-se as novas formas de financiar a digitalização através de parcerias públicas e privadas, soluções para a digitalização em massa dos arquivos impressos e dos trabalhos órfãos, ou seja, dos quais se desconhece os autores, assim como o acesso e preservação da informação científica.


O encontro de ontem formaliza mais um passo face à criação de um projecto que tem como objectivo enriquecer culturalmente os cidadãos europeus através de um vasto leque de arquivos literários, multimédia e de museus que serão disponibilizados, ao que tudo indica, até Novembro de 2008, altura em que será lançado um protótipo do projecto.


Viviane Reding, comissária europeia para a Sociedade de Informação é da opinião de que os cidadãos deverão "desfrutar da herança cultural" europeia e indica que esta iniciativa "mostra o compromisso das instituições culturais europeias em trabalhar para tornar as suas colecções disponíveis e pesquisáveis […] através de um ponto comum e multiliguistico online".


Elisabeth Niggemann, directora geral da biblioteca nacional alemã e líder da iniciativa base do projecto europeu, refere que a iniciativa conta com o apoio de várias instituições que vão desde museus a bibliotecas, passando por associações com um vasto espólio multimédia.


No final espera-se que a biblioteca agregue pelo menos 2 milhões de livros digitais, fotografias, mapas, filmes e outros artigos doados pelas instituições parceiras. Até 2010 o número de arquivos já deverá ascender aos 6 milhões, espera a Comissão.


Fonte: Tek