Grupos

Uma Wikipedia do Google, com moderação e possibilidade de retorno financeiro para quem se dispuser a compartilhar seus conhecimentos. Essa é a ideia do Knol, serviço ainda em versão beta lançado pelo Google em 2008. Logo de cara, nota-se que ele ainda tem muito chão pela frente se quiser vir a competir com a Wikipedia, uma senhora enciclopédia que é um dos 20 sites mais consultados no mundo e conta com mais de 2,7 milhões de artigos em inglês e 456 mil em português.

 

A Wikipedia foi a responsável pela disseminação da filosofia Wiki, que tem no seu cerne a colaboração virtual. Já o Google criou os Knols, unidades de conhecimento compartilhadas entre os internautas.

 

 

As pretensões do Knol são ambiciosas e a moderação é a primeira de muitas diferenças entre as duas enciclopédias. Lembrando que uma das críticas feitas à Wikipedia é justamente a presença de muitos textos sem edição, que podem induzir a erros. Recentemente, o serviço criado por Jimmy Wales anunciou um controle mais rígido sobre o que é publicado por lá, tentando evitar a presença de conteúdo indiscriminado. Pois o Google já incluiu essa filosofia no berço do Knol.

 

Logo de cara, a Google convidou especialistas em alguns assuntos para escrever artigos, dando o pontapé inicial no serviço. Depois, quando o Knol foi ao ar em versão beta, abriu-se o espaço para quem quisesse compartilhar seus conhecimentos sobre assuntos específicos.

 

Além da edição, a proposta do Knol é remunerar os autores de alguma forma. A saída é o uso de links patrocinados (os famosos Ads, explorados pela ferramenta AdSense, já usada por muitos blogs, inclusive no Brasil), marca registrada da empresa criadora do buscador mais usado no planeta. O Google estabeleceu formas de divisão de receitas com os autores de forma que cada um pode levar o seu quinhão, incluindo aqui a própria empresa que hospeda e mantém o serviço.

 

Além disso, no Knol os autores dos artigos recebem os devidos créditos. Na Wikipedia, só é possível saber quem escreveu ou modificou determinado texto visitando a função "História". Lá, aparece o histórico com as revisões feitas desde a criação do artigo. A ideia do Google é usar o crédito dos textos para estimular o interesse dos internautas pela criação de artigos que serão publicados na enciclopédia virtual e, assim, expostos ao mundo.

 

Outra diferença entre Wikipedia e Knol é que nesta os visitantes não estão autorizados a modificar os textos alheios. A intenção, aqui, é evitar os problemas que a Wikipedia já enfrenta, por conta de edições malfeitas ou com interesses obscuros. Na Knol, o dono até pode vir a permitir a edição por outrem, desde que mediante sua expressa autorização.

 

A quarta diferença é de foco. Enquanto a Wikipedia leva adiante o conceito da colaboração, ou seja, os internautas trabalham para que determinado assunto fique o melhor explicado possível, o Knol incentiva a competição, já que autores diferentes podem escrever sobre o mesmo assunto e competir pela melhor definição dos termos.

 

O Knol funciona como um grande blog, inclusive com o uso de caixas de comentários. Para começar a escrever um artigo, basta ter uma conta Google. Uma vez logado, o usuário é encaminhado à tela de edição de textos, onde define o nível de compartilhamento do artigo, escolhe co-autores e permite edição e revisão. Ou não. O Google incluiu ainda uma ferramenta que permite importação de textos feitos em Word, PDF e Notepad com conversão direta para Knols.

 

Por último, no Knol os autores têm seus nomes expostos na página principal do site knol.google.com/k , uma vez que os artigos publicados recentemente ganham destaque por lá. A ferramenta ainda mostra os tópicos mais populares.

 

Fonte: O Globo

Comentários