Grupos

Unesco lança sua Biblioteca
 
PARIS, França (AFP) — A Unesco lança oficialmente nesta terça-feira a Biblioteca Digital Mundial, um site que oferecerá gratuitamente um acervo excepcional de livros, manuscritos e documentos visuais e sonoros procedentes de bibliotecas e arquivos do mundo todo.
 
O site da Biblioteca Digital Mundial (BDM) funcionará em sete idiomas (árabe, chinês espanhol, francês, inglês, português e russo).
 
A Unesco sempre considerou as bibliotecas a continuação da escola. "A escola prepara as pessoas para ir às bibliotecas e hoje as bibliotecas se tornaram digitais", resumiu Abdelaziz Abid, coordenador do projeto.
 
O endereço do da BDM será divulgado no dia de seu lançamento.
 
Entre os inúmeros tesouros culturais da nova biblioteca digital estão reproduções das mais antigas grafias e fotografias raras da América Latina.
 
O lançamento acontecerá na sede parisiense da Unesco, na presença de seu diretor-geral Koichiro Matsuura, e de James H. Billington, diretor da Biblioteca do Congresso americano.
 
Em 2005, a Biblioteca do Congreso propôs a organização de uma BDM para oferecer gratuitamente uma ampla gama de livros, mapas, filmes e gravações oriundas de bibliotecas nacionais.
 
O projeto, no qual participam a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) e outras 32 instituições associadas, foi desenvolvido por uma equipe da Biblioteca do Congresso dos Estados Unidos e participam nele instituições da Arábia Saudita, Brasil, Egito, China, Estados Unidos, Rússia, França, Iraque, Israel, Japão, Grã-Bretanha, México e África do Sul, entre outros países.
 
Sem esquecer a contribuição de Estados como o Marrocos, Uganda, Qatar, México e Eslováquia.
 
"Os países emergentes querem ver como isso funciona para criar em seguida bibliotecas digitais nacionais", destacou Abid, precisando que a Unesco proporá ajuda a seus membros que não tiverem meios técnicos ou financeiros para digitalizar seus acervos.
O criação da BDM estará acompanhada por uma campanha de mobilização que tenta reunir até o fim de 2009 cerca de 60 países associados.
 
 
Fonte: AFP

Comentários