Grupos

Organizando a aula

09:40 @ 17/07/2011

Mesmo não sendo pedagogo - ou talvez até por esse motivo - vez em quando sou convidado ou incumbido de ajudar alguém que está ingressando na atividade de docência emcursos de informática. Mesmo sabendo que eu mesmo ainda sempre aprendo algo novo todos os dias eu procuro passar dicas de organização de aula, como roteiro e apresentação de aula.

 

Plano de aula não é a aula, apenas um roteiro que vai informar às pessoas sobre os assuntos tratados. Mas é uma das bases sobre a qual a aula pode ser construída.

 

Costumo dizer que montar uma aula é como escrever uma obra de ficção: um livro, um filme, novela... Tudo isso é feito de trás para frente.
A partir do plano de aula, defina o produto final de sua aula. Agora pense nas estratégias para orientar as pessoas a chegarem nesse objetivo.

 

Exemplo: se seu plano de aula é ensinar a desenhar formas simples (linhas, quadrados e círculos, você pode pegar como objetivo uma figura simples (boneco do tipo "palito").
Isso pressupõe ensinar a criar linhas, círculos e quadrados (formas simples) e depois reunir esses desenhos na forma de um boneco simples. Ou seja, a aula parte do mais simples para depois chegar ao mais complicado. O planejamento parte do complexo (objetivo), e pensa como levar o aluno até lá (meio).

 

Após isso pense no exercício de fixação, que deve ter alguma coisa de mais complicado que o trabalho de aprendizagem, para estimular o interesse do alunado.
Por exemplo, passe um exercício para criação da "família palito": desenhar o marido, esposa e filho com cenário (parque com árvores).

 

O material paradidático nessas horas é fundamental para os alunos mais atrasados ou que perderam a aula. Como nem sempre haverá material que seja o espelho de sua aula, você pode recorrer a tutoriais na internet, videoaulas, apostilas digitais. Se precisar montar material próprio, telas que ilustrem o exercício "pronto" ou passo-a-passo (sem descrição) são úteis.
Por fim, se puder pensar em ilustrar suas explicações teóricas, é importante pois as pessoas fixam mais o que vêem do que aquilo que lêem. Sem falar que isso poupa tempo de aula, evitando que tenha de refazer esquemas/gráficos que ilustrem sua explicação, a cada aula.
Indicar redes sociais para que o aluno possa pesquisar suas dúvidas por conta própria também é útil.

 

Se fosse juntar tudo num roteiro de aula seria mais ou menos assim:
1) apresente os objetivos da aula (de forma ilustrada), e defina as ferramentas, técnicas ou conhecimento a serem trabalhados.
2) apresente as ferramentas e comece a construir o exercício com os alunos. Uma vez apresentado os caminhos básicos, deixe os alunos terminarem o trabalho sozinhos.
3) passe um segundo trabalho, ligeiramente mais complexo, como exercício. Se tiver elementos que não ensinou ainda é útil para medir o grau de conhecimento dos alunos na matéria e estimular a curiosidade.
Por fim, ofereça um exercício onde o aluno possa construir um conteúdo de seu interesse, com as ferramentas e técnicas utilizadas.

 

Essa metodologia se baseia no "aprender fazendo" do construtivismo, mas com uma organização prévia, típica do ensino tradicional. O aluno aprende de forma organizada, porém com espaço para fazer suas próprias construções do conhecimento ao final. Em todo o processo sabe de onde parte, para onde vai e como chegar.
Isso tudo evita o "ensino baseado na tecnologia" onde mostrar a tecnologia acaba sendo a condição para chegar num resultado prático.

 

Enfim, esta é uma metodologia que embora use para orientar "novos docentes" vale para docentes antigos que trabalham com "metodo próprio" (que funciona bem com o próprio docente mas não necessariamente com outras pessoas ou alunos) e que acaba sendo um "método sem método".

Comentários