Grupos

FEVEREIRO ANTI-FASC ISTA

13:38 @ 12/02/2013


JORNADAS DE LUTA ANTI-FASCISTA

13:48 @ 12/02/2013

A PLEBE nº 75  Janeiro-Fevereiro/2013 A.C.A.T.- A.I.T.
@ Órgão Oficial da Federação Operária de São Paulo (FOSP –Fundada em 1905) @.
Caixa Postal 1693 - São Paulo/SP @ E-mail: profosp@bol.com.br

O CAPITALISMO É FASCISTA!

Durante o Império Romano a escravidão era vista com normalidade. A sociedade era então composta de plebeus, escravos –todos os povos derrotados em batalha -, e patrícios –ocupantes dos altos cargos políticos. Eis a essência do FASCISMO, da elite dirigente e da escória social, a quem nem sequer consideravam como ser humano.

Muito tempo se passou e a sociedade não é homogênea: vivemos numa sociedade capitalista-a pessoa vale pela sua conta bancária! Vemos a grande desigualdade social, o que caracteriza a existência de diferentes categorias, ou classes sociais. Não são ricos e pobres, pretos e brancos ou mulheres e homens: são proprietários e não proprietários - dos meios de produção(terras, máquinas e capital). Por isso temos os patrões/burgueses e os trabalhadores/operários (empregados ou não...)

Sabemos que o interesse dos patrões é o lucro, enquanto o do peão é sua vida/família. O patrão consegue lucrar explorando o trabalho do operário.Para aumentar o lucro desvaloriza o trabalho operário, ao qual remunera com o ‘salário’.

Se de um lado arrocha o salário, do outro lado ao, aumenta o preço dos produtos, diminui o poder de compra do operário. Através da ameaça do desemprego obriga os assalariados/operários a aceitar condições salariais e de vida aviltantes.

Ao exército de desempregados, sem-teto e sem-terra, e a todos os descontentes o Estado joga as Forças Armadas, se utilizando do que chama ‘violência legal’.

Periodicamente realiza eleições para convencer as pessoas que elas decidem alguma coisa–enquanto o poder e as riquezas continuam nas mão da minoria.

Mascarando esses fatos o Estado tenta se apresentar como defensor dos interesses de todos, mas governa para as elites. Basta ver o descaso com a saúde, educação popular.Tira impostos das industrias automobilística e de eletrodomésticos , favorecendo o lucro empresarial, e arrocha os salários dos trabalhadores públicos – tratados com cidadãos de segunda classe, ENQUANTO A ELITE TECNOCRÁTICA TEM PRIVILÉGIOS.

Eis o sinal que dá aos burgueses!

Para garantir a continuidade dessa situação o Estado destruiu os sindicatos livres nos anos 30 e mantem os trabalhadores desorganizados presos numa etrutura sindical vertical,atrelada ao Ministério do Trabalho criada pelo fascista Mussolini, nos anos 20.

Impondo uma organização corporativa e vertical, o sindicalismo oficial de Estado, destrói a consciência de si, da classe trabalhadora – de ser uma força na solidariedade classista para se fechar em interesses mesquinhos e divisionistas. Essas repartições públicas do Ministério do Trabalho a que chamam de sindicatos dividem os trabalhadores, tendo por base interesses partidários, tem a responsabilidade de manter a classe trabalhadora desorganizada e desunida.

Para isso contam com burocracias sindicais pelegas mantidas pelo Estado através de Impostos(Contribuição sindical compulsória, FAT, etc...).

@ SE UNA A COB/AIT! SEM DIRETORES LIBERADOS OU REMUNERADOS!

@ PELA AUTOGESTÃO DAS LUTAS!

 

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@


MORTES NA PERIFERIA DE SÃO PAULO

O governo Alckmin/PSDB, de São Paulo, tem chefiado um verdadeiro extermínio pelas ruas da periferia, com a volta da ROTA (grupo formado pelo ex-governador Paulo Maluf e quase desativado depois do ‘Massacre do Carandiru).

Mas, esse grupo de extermínio a serviço do Estado, invés de ter sido desativado foi sendo ampliado e melhor equipado. Com isso desde maio de 2012 tem se verificado, em diversos lugares das periferias de São Paulo, um aumento da violência e as chacinas se tornaram uma coisa cotidiana.

O governo do Estado tem lançado a culpa dessa onda de violência ao P.C.C., mas não consegue provar, por absoluta falta de provas. Por outro lado sabemos que há policiais envolvidos nesses ataques, por exemplo, no caso da prisão arbitrária de um componente do grupo de RAP “Rosana Brooks/Dubrooks”, ou na chacina em que 15 homens encapuzados invadiram um bar no Capão-Redondo, dizendo que era a polícia e logo em seguida fuzilaram todos que estavam lá. Dentre os mortos estava o DJ do grupo de RAP “Conexão do Morro”.

Na semana anterior a este ataque um morador da região havia filmado soldados da PM arrastando de dentro de sua casa um trabalhador - servente de pedreiro (sem passagem pela polícia) - espancando-o em frente a sua mãe na rua e em seguida assassinando-o sem chance de reação.

Após cada incidente em que um PM está envolvido o governo e as autoridades militares, de segurança pública, aparecem na mídia dizendo que a culpa é do PCC e repetem que vão apurar os fatos, mas o tempo passa e os fatos se repetem sem que nada seja feito!

Some-se a isso a ação desastrosa e truculenta da PM na dispersão da ‘cracolândia’ e agora, com a chamada “Internação Compulsória” – prisão informal de usuários, uma imitação dos Gulags estalinistas da extinta URSS – parece que estamos assistindo a uma “limpeza” da cidade de São Paulo, preparando a cidade para a Copa das Confederações e do Mundo. Assim são retirados, ou exterminados, das ruas qualquer oposição ou desafeto do governo, como já aconteceu no Rio com a militarização das favelas.

DENUNCIE! SE REBELE! SE ORGANIZE E LUTE!
Contra essa situação lamentável de discriminações e perseguições fascistas.
CONTRA A MILITARIZAÇÃO DA SOCIEDADE!
CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DA QUESTÃO SOCIAL!

SINDIVÁRIOS-Capão Redondo-FOSP/COB-ACAT/AIT

 

 

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@


MAIS UM GOLPE?

Há alguns anos temos notado o surgimento de indivíduos que estão se declarando ‘skinheads’ e que estão se infiltrando aos poucos no movimento anarquista. Queremos deixar bem claro que não concordamos e não aceitamos isso!

Todos sabem que esse maldito nome (skinheads) sempre esteve ligado a grupos neofascistas desde os anos 60, na Inglaterra – onde surgiu. No Brasil se declaram nacionalistas (Carecas – cabeças de ovo), alguns francamente nazifascistas (como os “White Power” ou os “Hooligans’ do “Front 88”), todos de extrema–direita, contrários a liberdade e auto-gestão dos trabalhadores.

Por mais que esses ‘novos skinheads’ se declarem antifascistas, na prática estão levando o nome que, principalmente no Brasil, carrega uma imagem negativa e sangrenta de preconceito e violência.

A classe trabalhadora está cada vez mais desorganizada, nas mãos dos sindicatos oficiais - ligados ao Estado – criados a imagem da ‘Carta Del Lavoro’, de Mussolini. Não precisamos de mais um obstáculo na luta operária!

Se estiverem tão interessados em ajudar a luta proletária, por que escolheram esse nome e pose? Por vaidade? Por oportunismo? Para se promover?

O que vemos, na verdade, é uma grande confusão ideológica.

Porém, enquanto estiverem se declarando ‘skinheads’ só confundem ainda mais os trabalhadores e a população, servindo como instrumento da mídia burguesa.

Isso é um golpe! Quem quer o Estado e não a Liberdade não deve brincar de revolução!

Seção de Artes e Espetáculos-SINDIVÁRIOS-SP

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@


Solidariedade com a luta dos trabalhadores no Hospital San Raffaele (Milão)
Enviado por Secretaria -Internacional USI/AIT


Caros camaradas, como você já sabe o governo italiano, com o nome dos poderes financeiros, está acontecendo com a destruição do Estado social, um dos objectivos desta campanha é a assistência à saúde. Nossos companheiros que trabalham no San Raffaele Hospital, juntamente com outros sindicatos, são marcantes para protestar contra a demissão de 244 trabalhadores eo cancelamento do acordo do contrato obtido anteriormente, e entre outras coisas, Graziella (delegado USI) e Daniela têm passou o telhado do hospital para dar mais visibilidade ao protesto.

Para sustentar esta luta dos trabalhadores do San Raffaele estão diariamente envolvidos em greve e protesto (a marcha realizada em Milão no dia 24 de outubro e 14 de novembro foram realmente importante) obstrução da estrada, manifestações em frente ao palácio Regional administrativa e do Municipal palácio administrativo, o protesto realizado em frente importante edifício de mídia de massa e, sobretudo, o protesto permanente na entrada principal do hospital, onde um monte de gente está dando solidariedade aos trabalhadores. No mesmo dia em que os dois companheiros foi no telhado, cerca de 50 trabalhadores ocuparam a Direção. Eles foram aclarado pela polícia, simultaneamente, os delegados solicitaram aos trabalhadores para pendurar as folhas para fora das janelas do hospital para mostrar que o protesto estava acontecendo, o envio de uma imagem poderosa para o exterior. Os trabalhadores estão hoje conscientes de que, se este ataque aos direitos trabalhistas passará será apenas a primeira ação de uma corrente, que no futuro muitos outros contratos serão alterados com piores condições de trabalho e que a primeira vítima, após o próprios trabalhadores, será cada pessoa que precisa de assistência de saúde pública.

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Relatório da IWA-Plenária em Modena 23-25 ​​novembro e do Centenário da USI-AIT
Enviado 12/01/2012


Camaradas participaram Modena do Brasil, França, Grã-Bretanha, Itália, Noruega, Polônia, Portugal, Sérvia, Eslováquia e Espanha e do Plenário foi excelentemente organizado pela USI-AIT. Na noite de sábado do Centenário da USI-AIT foi comemorado por uma demonstração, discursos e com os eventos à noite, como Modena é o lugar em que a USI foi fundada há cem anos. Tanto o Plenário e do Centenário foi realizada em um espírito muito camarada!

Tem no período desde a última Plenária IWA em Varsóvia no final de outubro de 2011 para o Plenário Modena, não apenas medidas de austeridade e cortes foram, mas também uma campanha ideológica contra os trabalhadores. Esta campanha tenta convencer as pessoas de trabalho que a austeridade ea crise é 'culpa' e não a especulação irresponsável e desregulamentação da economia mundial. A "solução" dos estados e capitalistas é a ditar os trabalhadores a aceitar o que eles chamam de "lógica do mercado" e as medidas de austeridade e os ataques são apresentados como "financeiros" necessidades e "leis".

Os sites das seções, o site da AIT-IWA mostrou os Boletins externos que a AIT-IWA e suas Seções e Amigos dia a dia estão aumentando suas mobilizações, presença, atividades e ações diretas: Tem nesses 11 meses desde a última Plenária sido IWA dias de ações contra medidas de austeridade, a exploração ea opressão de 29 de março a 31, uma greve geral em Espanha 29 de março e em Espanha e Portugal, etc em 14 de novembro que eram apoio das Secções, e um lote de ações urgentes de apoio trabalhadores em conflito!

Um referendo na IWA, no final de Janeiro de 2012 que a próxima plenária deve discutir e decidir sobre as mobilizações futuras. Itens para discussão em Plenário em Modena foram: Avaliação de mobilizações anteriores. Esses dias incluídas Iwa de Ações, chamadas internacionais de solidariedade ou outras mobilizações As seções têm tomado parte dentro Valor estratégico de mobilizações internacionais e como escolher potenciais parceiros.

O Plenário decidiu Jornadas Internacionais de Ação contra cortes de empregos e demissões e em apoio aos desempregados, dias de ação relacionados com a habitação e novas Jornadas Internacionais de Ação contra as medidas de austeridade, a exploração e opressão. Também será ações contra a destruição de um cemitério espanhol no Brasil. Todas as ações serão anunciadas em tempo útil antes de serem postas em prática.