Grupos

 

PROTESTO OPERÁRIO:                       

TRABALHADORES DESTROEM CANTEIRO DE OBRAS

 

Em campanha de lutas contra as promessas não cumpridas em relação aos salários, alojamentos, condições de trabalho e formas de demissão, a luta se radicaliza as margens do Rio Madeira, na região amazônica.

 

Depois de duas semanas da entrega de uma lista de reivindicações à hierarquia da ‘Camargo Corrêa’, construtora contratada pelo governo Lula para levantar a maior obra em andamento no Brasil hoje, a Usina de Jirau, a paciência dos trabalhadores se esgotou. Nessa quinta-feira, 17 de março,  em meio a uma manifestação pacífica dessa campanha de lutas, promovida pelos operários, num enfrentamento com a polícia, os trabalhadores, que erguiam em meio a selva a Usina de Jirau - em Rondônia – destruiram toda a estrutura do canteiro de obras.

O posto de saúde, o almoxarifado, todos os escritórios, alojamentos (35) e ônibus (45) foram destruídos  e incendiados por, cerca de 1.000 trabalhadores, que assim reagiram contra a prisão arbitrária de um de seus companheiros. Por volta de 22.000 operários trabalham no canteiro de Jirau – com previsão de investimento na ordem dos R$ 11 bilhões. Tendo a maioria dos operários vindo de outros estados, trazida por promessas de recrutadores, em suas cidades de origem. Mas lá chegando viram rapidamente que a verdade era bem outra, nem sequer pagavam pelas horas-extra e mantinham os operários numa disciplina de “presídio em que o trabalhador controla o horário do banho de sol” – disse Adriano Rocha, que veio do Sergipe.

  

Com uso de bombas de gás a políca conseguiu expulsar os trabalhadores, por questões de segurança – de acordo com a ‘Camargo Corrêa’. Ao sair da área da Usina os trabalhadores fizeram um bloqueio na rodovia BR-364 com paus e colchões incendiados. Os trablahadores se queixavam da ‘Camargo Corrêa’ que além de não responder a reivindicação de reajuste salarial, nem de outras, como melhoria do vale-alimentação e no tratamento aos que ficavam doentes.

  

O Sindicato (atrelado ao Estado) dos Trabalhadores da Indústria Civil de Rondônia condenou o quebra-quebra e disse que o grupo envolvido nos incêndios não tem relação com a entidade, mostrando claramente que os operários da Usina lutavam sozinhos, sem apoio desse falso sindicato – que só serve para desmobilizar a categoria.

A ‘Camargo Corrêa’ afirmou que a depredação é “resultado da ação de vândalos que agiram criminosamente...” ao mesmo tempo em que insistem não ter recebido nenhuma pauta de reivindicações(!!!). Agora prometem garantir o alojamento e alimentação aos trabalhadores. Palavras ao vento...

TODO APOIO À LUTA DOS TRABALHADORES DA USINA DE JIRAU!

“A EMANCIPAÇÃO DOS TRABALHADORES HÁ DE SER OBRA DOS PRÓPRIO TRABALHADORES.”

PELA LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO PARA A CLASSE TRABALHADORA!

SINDICATOS LIVRES E REVOLUCIONÁRIOS, ARMAS DA REVOLUÇÃO SOCIAL!

VIVA O SOCIALISMO LIBERTÁRIO!

São Paulo, 18 de março de 2011.

SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT

 

 

CARTA DE SOLIDARIEDADE AO MAP CONTRA AGRESSÃO FASCISTA DE SKINHEADS

Na tarde do dia 25 de Fevereiro, após realizar uma manifestação antifascista em memória de Edson Neris, adestrador de cães espancado até a morte por um bando de skinheads/carecas do subúrbio em fevereiro de 2000, um grupo de punks ligados ao Movimento Anaro-Punk (MAP) foi covardemente atacado por um grupo de skinheads, ferindo gravemente 5 deles –e também um catador de papelão.

Após a manifestação  realizada pelo MAP na praça da República, parte das atividades do Movimento Libertário Brasileiro (MAP) no FEVEREIRO ANTIFASCISTA,  um grupo de 5 anarco-punks se dirigiu a uma festa, num espaço nas proximidades da praça da Sé, quando foram surpreendidos e atacados  por um grupo de skinheads armados com punhal, soco inglês, taco de beisebol, cadeado e espingarda calibre 22. Já na praça da República, durante a manifestação, os atritos começaram quando um skinhead passou por ela com provocações e usando uma camisetacom um ‘a na bola’ – simbolo do movimento libertário. Ao ser inquerido por que usava o símbolo anarkista se militava num movimento neo-fascista – ele se retirou e ficou de tocaia, enquanto contatava seus comparsas. Quando a manifestação se dispersou seguiram alguns punks e depois invadiram a festa já armados. Chegaram e atacando no estilo nazista, Blitzkrieg Bop – Ataque Relâmpago – pegando todos de surpresa.

 

       

O catador de papelão e deficiente físico Marcio da Silva de Oliveira chegava à festa por volta das 17h30 sendo agredido com um taco de beisebol na nuca. Caído, levou chutes e socos do grupo de skinheads – havia oito ou dez, segundo testemunhas. Oliveira fugiu e pediu socorro no batalhão do Corpo de Bombeiros. Os carecas então continuaram sua ação fascista agredindo a todos indiscriminadamente. Os casos mais graves entre os feridos foram o autônomo Silvio Rodrigues Moreira, de 34 anos, levou um golpe de faca na barriga. Um outro foi esfaqueado na barriga. Isaías Lázaro Lopes, levou um golpe do taco de beisebol na cabeça e em seguida foi esfaqueado na testa,continuaram internados no Hospital Vergueiro por vários dias e já não correm mais risco de vida.

Com a rápida chegada da polícia, alertada pelo catador de papelão, cinco pessoas foram detidas no local, sendo apreendidas as armas. Inicialmente negaram ser nazistas e até se declararam também ‘punks’ – tática há muito usada por eles para confundir a opinião pública, se declarando ‘rashs’ antifascistas (como fazia aquele que iniciou as provocações na praça da República. Mas swe mostraram muito estúpidos, já que seu8s corpos denunciavam sua opção prática: todos estavam cobertos de tatuagens com símbolos nazistas (suásticas, cruz de malta e busto de Hitler).  Foram então indiciados e presos, mas financiados por pessoas e grupos de alto poder aquisitivo – integralistas e organizações ligadas aos corretores de imóveis – contam com bons advogados. Por isso a história naão nos permite omissões senão um vigilânicia cotidiana. Todos devemos combater o fascismo de forma ativa e solidária. Ara isso é fundamental unificar todo o movimento antifascista num grande Comitê de Luta e Auto-Defesa Anti-Fascista.

http://www.chechosladisco.com/watch.php?type=youtube&v=eJJFw6hCXS8

Infelizmente, os governos social-democratas (PSDB, PT e até o novo PSD, de Kassab) e a totalidade dos partidos políticos tem mantido sua política de omissão, sem se envolver na questão – até por que contam com esses grupos para alianças eleitorais. A verdade, com isso dão um tiro no pé já que mantem o espaço aberto para o avanço da reação fascista, enquanto estes cumprem o seu papel histórico de defender a burguesia e o capital contra todos aqueles que ameacem ou lutem contra a hegemonia capitalista. São os grandes aliados dos patrões em sua polítca de precarizar e arrochar a classe operária.

  

Nós não cometemos esse erro! Participamos ativamente do FEVEREIRO ANTIFASCISTA realizando também manifestações de denúncia contra o fascismo e nos colocamos a disposição do MAP em total solidariedade prática, denunciando a agressão fascista em nossos jornais e chamando a população a também lutar contra essa corja de ignorantes que se esconde atrás de falsos discursos nacionalistas, homofóbicos, rascistas e de submissão da mulher.

CONTRA O FASCISMO E O PRECONCEITO!

MORTE AO FASCISMO!

LONGA VIDA AO MOVIMENTO PUNK!

OPERÁRIOS UNIDOS CONTRA O FASCISMO!

São Paulo, 19 de março de 2011.

SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT

SINDIVÁRIOS-ALTO TIETÊ-FOSP/COB-ACAT/AIT

SINDIVÁRIOS-CAMPINAS-FOSP/COB-ACAT/AIT

FEDERAÇÃO OPERÁRIA DE SÃO PAULO (FOSP)

SOLIDARIEDADE É UMA ARMA QUENTE!

@@@@@@@@@@@@@@

Skinheads invadem festa punk e ferem cinco em São Paulo

Os anarcopunks repetiam pelo 11.º ano um evento em memória do adestrador Edson Neri, assassinado por skinheads

Cinco homens foram presos ontem depois de invadir uma festa e agredir com facas, tacos de beisebol e soco inglês ao menos quatro jovens que fazem parte do movimento que se denomina Anarco-Punk de São Paulo e um catador de papelão. Os agressores, segundo a polícia, são skinheads.

Os anarcopunks repetiam pelo 11.º ano um evento em memória do adestrador Edson Neri, assassinado por skinheads na Praça da República em fevereiro de 2000. No encontro de ontem, em um prédio onde movimentos comunitários se encontram, na Rua das Carmelitas, na Sé, cerca de 25 pessoas assistiam às apresentações de bandas punks.

O catador de papelão Marcio da Silva de Oliveira, de 25 anos, chegava à festa por volta das 17h30 quando foi agredido por um taco de beisebol na nuca. Caído, levou chutes e socos do grupo de skinheads – havia oito ou dez, segundo testemunhas. Oliveira fugiu e pediu socorro no batalhão do Corpo de Bombeiros.

Depois de agredir Oliveira, que é deficiente físico, o grupo entrou no prédio da festa, onde mostrou o que levava dentro de uma capa de violão: facões, punhal, soco inglês, cadeado e espingarda calibre 22. Um dos agredidos, o autônomo Silvio Rodrigues Moreira, de 34 anos, levou um golpe de faca na barriga. Ele não corre risco de morrer. Outro, identificado como Isaías Lázaro Lopes, foi esfaqueado na testa e continuava internado no Hospital Vergueiro na noite de ontem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Fonte: http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/sp/skinheads+invadem+festa+punk+e+ferem+cinco+em+sao+paulo/n1238120106653

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Ataque Relâmpago

Hey, ho! Vamos lá!

Hey, ho! Vamos lá!

Hey, ho! Vamos lá!

Hey, ho! Vamos lá!

 

Eles estão formando em uma linha reta

Eles estão indo junto com um vento forte

Os garotos estão perdendo suas mentes

O Ataque Relâmpago

 

Eles estão se amontoando no banco de trás

Eles estão gerando uma névoa de calor

Pulsando para a pancada por trás

O Ataque Relâmpago

 

Hey, ho! Vamos lá!

 

Acerte-os nas costas agora...

O que eles querem, eu não sei

Eles estão todos agitados e prontos para avançar...

 

Eles estão formando em uma linha reta

Eles estão indo junto com um vento forte

Os garotos estão perdendo suas mentes

O Ataque Relâmpago

 

Eles estão se amontoando no banco de trás

Eles estão gerando uma névoa de calor

Pulsando para a pancada por trás

O Ataque Relâmpago

 

Hey, ho! Vamos lá!

 

Acerte-os nas costas agora...

O que eles querem, eu não sei

Eles estão todos agitados e prontos para avançar...

 

Eles estão formando em uma linha reta

Eles estão indo junto com um vento forte

Os garotos estão perdendo suas mentes

O Ataque Relâmpago

 

Eles estão se amontoando no banco de trás

Eles estão gerando uma névoa de calor

Pulsando para a pancada por trás

O Ataque Relâmpago

 

Hey, ho! Vamos lá!

Hey, ho! Vamos lá!

Hey, ho! Vamos lá!

Hey, ho! Vamos lá!

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

1.    PT SÃO PAULO

Skinheads invadem festa punk em memória a Edson Neri e ferem cinco em São Paulo. Os anarcopunks repetiam pelo 11.º ano um evento em memória do adestrador ...

 

www.pt-sp.org.br/noticia.asp?p=São Paulo

 

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

“Sociedade barra passeata nazista"      (NOTADE APOIO DA FASP)

matéria no Diário de São Paulo‏

 

 

31 de julho

Sociedade barra passeata nazista

Alertado por denúncia de leitor do DIÁRIO, Ministério Público proíbe ato no vão livre do Masp em homenagem a auxiliar de Hitler

Denúncia do grupo "Movimento Anarcopunk", que se designa antifascista, levou o Ministério Público de São Paulo a proibir a realização de marcha de uma gangue que faz apologia ao nazismo. A passeata estava marcada para o dia 14 de agosto, às 16h, e partiria do vão livre do Masp, na Avenida Paulista, seguindo até a Praça Oswaldo Cruz, na Consolação.

O "Anarcopunk" registrou em dossiê como o grupo neonazista se organizava para a realização da passeata. O DIÁRIO também recebeu a denúncia e procurou o MP para conhecer suas providências. Alertado pelo jornal, o MP decidiu pela proibição.

A manifestação seria para lembrar os 23 anos de morte de Rudolf Hess, nazista que foi o principal auxiliar de Adolf Hitler durante toda sua trajetória até o governo alemão.

A Promotoria de Justiça de Direitos Humanos de São Paulo interferu na organização da caminhada, pois fere o artigo 20 da lei 7.719/1989, que não permite propaganda com a suástica para divulgar o nazismo.

A caminhada estava sendo discutida em fóruns abertos em sites da internet. O principal site a agregar as informações sobre a passeata, era o da "Stormfront", uma comunidade que se diz nacionalista e defensora da causa dos brancos.

Os integrantes não se identificam nas mensagens de apoio ao movimento. Muitas delas sugerem como a marcha poderia ser feita sem que a polícia interferisse. "Favor não levar nada que cause problemas com as autoridades", dizia o panfleto exibido na internet.

Confrontos
O MP enviou ao prefeito Gilberto Kassab uma carta de recomendação para não autorizar a realização do ato público pois temia-se ocorrência de confrontação física. A Prefeitura informa não ter recebido soliticação a respeito.

"O Ministério não quer violar os direitos e liberdades de outros, mas é preciso ir contra aqueles que ferem as leis. Impedir uma reunião pública dessas, é uma maneira de coibir um possível confronto violento", analisou Adriana Galvão, membro da Comissão de Direitos Humanos da OAB.

O Comando Geral da Polícia Militar, a Guarda Civil Metropolitana, o Delegado Geral e os provedores de internet que mantêm no ar os sites que fazem apologia ao crime, também receberam recomendação do Ministério Público para não aceitar qualquer solicitação do movimento neonazista.

A reportagem do DIÁRIO enviou uma mensagem por e-mail para os organizadores da passeata para ouvi-los, mas não obteve resposta.

Essa é a segunda passeata proibida neste ano com concentração prevista para o vão livre do Masp. O MP também impediu a "Marcha da Maconha", que havia sido marcada para acontecer em fevereiro .

Grupos de skinheads  atacam gays, negros e judeus
A Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) atua em São Paulo na identificação de grupos que se intitulam neonazistas, e atuam com violência contra negros, homossexuais, nordestinos e judeus. A pregação desses grupos é a da segregação, assim como ditava o nazismo.

Um caso recente de violência de neonazistas foi na Parada Gay de 2009, quando o grupo "Impacto Hooligan" jogou uma bomba caseira na Rua Vieira de Carvalho, tradicional reduto de bares gays. Mais de 40 pessoas ficaram feridas. A polícia prendeu sete pessoas envolvidas no crime, que teriam planejado o atentado uma semana antes.

No mesmo ano, foi assassinado o cozinheiro Marcelo Campos Barros, de 35 anos, que passava pela Praça da República após a Parada Gay. Ele foi agredido com pancadas na cabeça e morreu dias depois. Em 2007, no mesmo evento, o francês Gregor Erwan Landouar, de 35 anos, foi morto com uma facada no abdômen pelo punk Genésio Mariuzzi Filho, apelidado de Antrax. Ele se disse integrante da gangue "Devastação Punk", e que também tinha relações com o "Impacto Hooligan". A agressão ao francês foi justificada como "pura revolta".

Em maio de 2009, uma quadrilha de neonazistas foi desarticulada no Rio Grande do Sul.  Pelo menos 50 pessoas  planejavam atentados a sinagogas no país, inclusive em São Paulo.  Um dos grupos era o "Blood & Honor".

de
http://www.diariosp.com.br/_conteudo/2010/07/3109-sociedade+barra+passeata+nazista.html

        Nota Faspiana: A FASP é uma Entidade Politica de constituição juridica da Esquerda Libertária e apoia integralmente todo ato contra o altoritarismo, seja na mascara que for, sobre o titulo que for (nazismo, fascismo, ismo...).
Mas adverte: Os Portugueses, o chamado rosto da Europa, não perde tempo, pois um maior chega logo atraz dele, saião da frente, pois quem cú tem ... ou gosta ou chora !

Em Solidariedade ao Movimento Anarco Punk (M.A.P.).

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Justiça de SP condena dupla por bomba em Parada Gay

http://www.reporterdiario.com.br/Noticia/37976/justica-de-sp-condena-dupla-por-bomba-em-parada-gay/

A Justiça de São Paulo condenou dois homens pelo atentado a bomba que feriu mais de 13 pessoas que participaram da 13ª Parada do orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais), em junho do ano passado, em São Paulo. Rodrigo Alcântara de Leonardo, de 24 anos, e Guilherme Witiuk Ferreira de Carvalho, de 20 anos, foram condenados na sexta-feira (17) a dois anos de prisão em regime fechado por associação criminosa. Eles são integrantes do grupo neonazista "Impacto Hooligan", que pratica crimes violentos contra homossexuais e punks.

O bando jogou o artefato no dia 14 de junho de 2009, por volta das 21h40, na Avenida Vieira de Carvalho, esquina com a Rua Vitória. O ataque foi planejado pelo grupo. O juiz Luiz Raphael Nardy Valdez, da 29ª Vara Criminal do Fórum da Barra Funda, entendeu que os réus, juntamente com outras sete pessoas, associaram-se em quadrilha ou bando armado, no primeiro semestre de 2008. Durante as investigações, a polícia apreendeu na casa de Guilherme sete cartas endereçadas a ele e uma que ele escreveu para Rodrigo, que já estava detido por outros crimes. As cartas confirmam o planejamento do crime.

"Fica clara a simbologia utilizada pelos integrantes do bando, especialmente os numerais 88 e 98. Conforme demonstrado nos autos de inquérito e confirmado pelos adolescentes membros da quadrilha, os números se referem à localização da primeira letra das palavras no alfabeto. Especificamente, 88 refere-se a HH, que por sua vez indica a saudação nazista "Heil Hitler", enquanto 98 se refere a IH, que tem o significado óbvio de Impacto Hooligan. Vale ressaltar que Guilherme, como confirmado em audiência, ostenta o numeral 98 tatuado em seu corpo", disse o magistrado.

 

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Sociedade barra passeata nazista

Alertado por denúncia de leitor do DIÁRIO, Ministério Público proíbe ato no vão livre do Masp em homenagem a auxiliar de Hitler

 

Denúncia do grupo "Movimento Anarcopunk", que se designa antifascista, levou o Ministério Público de São Paulo a proibir a realização de marcha de uma gangue que faz apologia ao nazismo. A passeata estava marcada para o dia 14 de agosto, às 16h, e partiria do vão livre do Masp, na Avenida Paulista, seguindo até a Praça Oswaldo Cruz, na Consolação.

O "Anarcopunk" registrou em dossiê como o grupo neonazista se organizava para a realização da passeata. O DIÁRIO também recebeu a denúncia e procurou o MP para conhecer suas providências. Alertado pelo jornal, o MP decidiu pela proibição.

A manifestação seria para lembrar os 23 anos de morte de Rudolf Hess, nazista que foi o principal auxiliar de Adolf Hitler durante toda sua trajetória até o governo alemão.

A Promotoria de Justiça de Direitos Humanos de São Paulo interferiu na organização da caminhada, pois fere o artigo 20 da lei 7.719/1989, que não permite propaganda com a suástica para divulgar o nazismo.

 

LUTE CONTRA O FASCISMO!

 

 

 

 

ABAIXO A NOVA GUERRA NO NORTE DE ÁFRICA!

Secção AIT, Antimilitarismo, comunicados, KRAS-AIT   

 

A intervenção “humanitária” dos estados da NATO na Líbia com o propósito principal de dar apoio militar a um dos lados em confronto numa guerra civil local, provou mais uma vez que não há “revoluções”no Norte de África e no Médio Oriente, o que há é uma obstinada e amarga luta pelo poder, por lucros, por influência e controlo sobre os recursos petrolíferos e áreas estratégicas.

O profundo descontentamento e protestos sócio-económicos das massas trabalhadoras da região gerados pela crise económica global (ataques às condições de vida dos trabalhadores, aumento do desemprego e da pobreza, alargamento do trabalho temporário) são usados pelos grupos políticos de oposição para organizar golpes, derrubando a tirania de ditadores senis e corruptos e ocupando os seus lugares. Mobilizando os desempregados, os trabalhadores, os pobres, como carne para canhão, facções descontentes da classe dirigente desviam-nos das suas reivindicações sociais e económicas, prometendo-lhes “democracia” e “mudança”. Mas de facto aquele bloco multicolor de “recuperados” da elite dirigente, liberais e fundamentalistas religiosos, não trarão aos trabalhadores quaisquer melhorias. 

Sabemos bem as consequências da vitória dos liberais: novas privatizações, reforço do caos do mercado, surgimento dos novos bilionários e maior agravamento da pobreza, sofrimento e miséria dos oprimidos e dos pobres. O triunfo dos fundamentalistas religiosos significaria o crescimento da reacção clerical, a supressão de direitos das mulheres e das minorias e o inevitável avanço para uma nova guerra israelo-árabe cujos custos recairiam novamente sobre os ombros das classes trabalhadoras. Mas, mesmo no caso da opção “ideal” de estabelecer regimes de democracia representativa nos países do Norte de África e Médio-Oriente, o povo trabalhador nada ganhará com isso. Os trabalhadores prontos a arriscar as suas vidas pela conquista da “democracia” são como um escravo que prefere morrer pelo seu “direito” de escolher o seu amo! A democracia representativa não merece que se verta por ela uma única gota de sangue humano!

Na luta pelo poder que assola a região, os estados europeus da NATO e os Estados Unidos tomam cada vez mais abertamente partido pelos grupos políticos de oposição na esperança que a vitória dessas forças e o modelo de “democratização” da dominação política lhes traga novos benefícios e privilégios. Apoiando a “democracia” na Tunísia e no Egipto, eles esperam fortalecer aí a sua influência, demarcar os seus “investidores”da corrupção dos ditadores e tomar parte da privatização em vias, das riquezas dos clãs dirigentes. Apoiando a oposição liberal, monárquica e fundamentalista na Líbia – que actua em conluio com um certo número de velhos oficiais do regime de Kadaffi, eles esperam tomar o controle das ricas reservas de petróleo. Com eles pelo caminho, alguns estados árabes entram também na luta pela conquista de influências, tendo eles próprios ambições sobre a região. Os poderes efectivos actuais estão a avançar de novo com bombardeamentos para “salvar” as vidas do povo e para “libertá-los” das ditaduras… matando pessoas do povo. Os governos dos países da Europa Ocidental e os Estados Unidos mentem e são uns hipócritas! Ontem apoiavam os ditadores, protegiam-nos e vendiam-lhes armas. Hoje exigem que se vão embora e “que ouçam as exigências do povo”, mas não hesitam em reprimir os protestos das populações dos “seus próprios” países ignorando completamente as suas reivindicações! Quando uma vasta maioria dos habitantes da França ou da Inglaterra, da Grécia ou de Espanha, de Portugal ou da Irlanda dizem que não querem pagar do seu próprio bolso os apoios do Estado aos bancos e ao mundo dos negócios, e exigem o cancelamento das medidas de austeridade, do regime anti-social de pensões e apoios e de reformas laborais, as autoridades respondem-lhes que democracia “não é dirigida da rua”!!!

Uma “intervenção humanitária” dá aos dirigentes da Europa Ocidental e dos Estados Unidos uma grande oportunidade de distrair a população dos países onde eles detêm o poder das consequências da actual crise. A “pequena guerra vitoriosa” para “salvar o povo e a democracia” tem o objectivo de fazer esquecer aos trabalhadores europeus e norte-americanos as políticas anti-sociais dos governos e capitalistas e de uma vez mais sentirem o orgulho pelos seus governantes, tão “humanos” e tão “justos”, na próxima versão de uma “santa aliança” entre opressores e oprimidos.

NÓS APELAMOS AOS TRABALHADORES DO MUNDO INTEIRO PARA QUE NÃO EMBARQUEM NESTA FRAUDE “DEMOCRÁTICA” E “HUMANITÁRIA” E A QUE SE OPONHAM  DECIDIDAMENTE A ESTA NOVA ESCALADA DA BARBÁRIE CAPITALISTA NO NORTE DE ÁFRICA E MÉDIO ORIENTE!

Se conseguirmos levar a nossa voz aos pobres, oprimidos e explorados naquela região, por cima das longas distâncias de milhares de quilómetros e apesar das barreiras linguísticas, poderemos encorajá-los a regressar aos temas e motivos sociais e económicos dos seus protestos, a rebelarem-se, a fazer greves e manifestações contra os seus baixos salários, contra o aumento de preços e contra o desemprego, pela emancipação social – mas não a que se envolvam nos jogos políticos e lutas pelo poder entre as diferentes facções das classes dominantes.

Apelamos aos trabalhadores da Europa e da América a que vão para as ruas protestar contra a nova guerra “humanitária” de defesa dos interesses dos Estados e dos capitalistas. Apelamos às secções da AIT- Associação Internacional dos Trabalhadores, a que aumentem a sua agitação internacionalista e anti-militarista e a que iniciem manifestações e greves contra a guerra!

ABAIXO A GUERRA!   
ABAIXO TODOS OS ESTADOS E EXÉRCITOS!  
NEM UMA GOTA DE SANGUE POR DITADURAS OU “DEMOCRACIAS”!   
NÃO A TODOS OS GOVERNOS E “OPOSIÇÕES”!    
PELA SOLIDARIEDADE COM AS LUTAS DO POVO TRABALHADOR PELA EMANCIPAÇÃO SOCIAL!       
VIVA A AUTOGESTÃO GERAL DO POVO TRABALHADOR!

KRAS - secção russa da AIT - Associação Internacional d@s Trabalhadoras/es  

(traduzida e difundida pela AIT-SP – SOV do Porto sovaitporto@gmail.com)