Grupos

 

 

 

VAMOS PARAR O BRASIL EM JUNHO!?!

Depois das grandes manifestações de Junho-2013 muito se falou, mas pouco foi feito – exceto na área da repressão às manifestações. A mídia oficial e o Estado tem insistentemente vociferado contra os ‘vândalos e baderneiros’, que eles dizem ser uma organização criminosa – tentando reduzir a questão social a assunto policial. Clamam para que os vândalos do ‘Black Block’ sejam jogados nas prisões, as mesmas superlotadas – escolas do crime -, com greve dos agentes penitenciários, com rebeliões regulares e degolas de presos – vide o caso de Pedrinhas/MA e de Urso Branco/Ac. Os políticos já discutem o endurecimento das leis e a criação de uma “Lei Antiterrorismo”, e os governos ameaçam com a “Lei de Segurança Nacional” – a LSN da Ditadura Militar.

O que eles não explicam é a extensão desse ‘grupo’ - já que manifestações e greves com bloqueio de vias públicas e/ou barricadas em chamas e resistência ativa contra a repressão policial – incluindo enfrentamentos, ataques a bancos e lixeiras  e ônibus – TEM ACONTECIDO EM TODO O BRASIL, inclusive nas pequenas cidades dos rincões da nação (redutos históricos do conservadorismo reacionário). Mas a explicação para isso é óbvia: a classe trabalhadora está de saco cheio das mentiras vendidas pelas autoridades e políticos.

A última pataquada que inventaram é de que “NÃO ADIANTA RECLAMAR DA REALIZAÇÃO DA COPA FIFA AGORA... DEVERIAMOS TER SIDO CONTRA HÁ SETE ANOS ATRÁS, QUANDO FOI ESCOLHIDA A SEDE...”

Essa falácia se desmancha no ar se lembrarmos das mentiras que nos diziam então sobre o ’legado da copa’ (melhorias nos diversos níveis estruturais da sociedade: transportes, vias de acesso, aeroportos, hotéis, hospitais, etc.) e que não se gastaria dinheiro público nos estádios, apesar dos governos terem assumido esse compromisso com a FIFA. Mas AGORA SABEMOS: ERA TUDO MENTIRA!

A COPA será o grande evento capitalista, e alguns irão ter lucros astronômicos, nós é que estamos pagando as contas! E essa é a questão central: o Capitalismo é o reino do Capital - Quem tem a grana pode tudo, lucra tudo; quem não tem, paga a conta com o seu suor e sangue, com a precarização do trabalho, com Saúde precária e Transporte de bestas. A corrupção dos agentes do Estado é só a ponta do iceberg! E passada a Copa restarão as contas a pagar, e um exército de desempregados das obras/estádios que foram feitas.

Nós, da FOSP/COB-AIT, temos denunciado, nos números anteriores do A PLEBE, essas falcatruas desde o nº 77, ao fazermos a avaliação das manifestações de Junho-13. Concluímos que os trabalhadores manifestaram espontaneamente sua insatisfação, mas que não houve organização nem reivindicações claras. Dentro do processo de discussão, com a realização de Plenárias Municipais, Estaduais e Nacional amadurecemos e lançamos a toda a classe trabalhadora nossa proposta: GREVE GERAL ATIVA! VAMOS PARAR O BRASIL EM JUNHO-14!


 
 

è A partir de um processo de discussões locais (de trabalho e/ou moradia), avaliar a possibilidade de pararmos a produção no mês de Junho-14, numa grande GREVE GERAL ATIVA DE TODA A CLASSE TRABALHADORA EM TODO O BRASIL.

è  Conferir um caráter de ASSEMBLÉIA PROLETÁRIA às manifestações de 1 de Maio deste ano. Mesmo que em caráter plebicitário, para aprovar ou rejeitar a deflagração da GREVE GERAL, seu caráter e reivindicações centrais, que unam toda a classe operária.

è A greve se organizaria a partir dessas discussões locais, unindo trabalhadores REGIONALMENTE para viabilizar a greve, constituindo COMITÊS DE LUTA e indicando as reivindicações do movimento paredista num movimento assembleário – onde o poder de decisão  PERMANEÇA  NA MÃO  DE CADA UM.

è As decisões dessas Assembleias Proletárias Locais/Regionais seriam levadas a discussão em Coordenações Distritais e Citadinas, formadas por delegados eleitos – com funções especificadas – nessas Assembléias Proletárias. Esse processo culminaria com a formação de um Comitê Nacional de Agitação Proletária, que se encarregaria de negociar PUBLICAMENTE – através de transmissão televisiva direta – das reivindicações para por fim a Greve.

 

 

è Paralelamente a isso, seriam formadas, da mesma forma assembleária local, Comitês de Negociação Locais – para tratar das reivindicações específicas de cada região e/ou local de trabalho.

è Devem ser tiradas reivindicações gerais que unam toda a classe trabalhadora e que mostrem claramente o que queremos. Propomos, como reivindicações centrais da GREVE GERAL ATIVA, a valorização do trabalho:

- REDUÇÂO DA JORNADAS DE TRABALHO P/ 30 HORAS SEMANAIS + SEMANA INGLESA (de segunda a sexta) – sem Redução Salarial!                                                                  

- PISO SALARIAL NACIONAL DE R$ 3.000,00!                                      

- COLETIVIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO TOTAL dos Transportes Públicos!                                                                    

- CONTRA AS PRIVATIZAÇÕES, AUTOGESTÃO OPERÁRIA!; PELO FIM DAS PRISÕES, PERSEGUIÇÕES, DEMISSÕES E PROCESSOS dos lutadores sociais!                                                                        

 - CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DA QUESTÃO SOCIAL! (PELO DIREITO PLENO A MANIFESTAÇÃO, EXPRESSÃO E ORGANIZAÇÃO PARA A CLASSE TRABALHADORA/OPERÁRIA!)

Coordenação Estadual da FOSP/COB-ACAT/AIT

 

!A ‘REVOLUÇÃO DE 64’ FOI UMA MENTIRA DE 1º DE ABRIL!

ENTENDA O PROCESSO FORJADO

DE ARAXÁ. 

                     

Desde 2010, quando o Núcleo Pró-COB/AIT de Araxá-MG iniciou as suas atividades, a perseguição da patronal e  da prefeitura local começou. Na indústria têxtil local, na empresa responsável pela produção dos produtos da LOTTO e da FINTA, o movimento iniciado pela Comissão de Fábrica-Seção da FOM/COB-AIT por melhores condições de trabalho sofreu a repressão com demissões e a difamação caluniosa pela imprensa local. O movimento local contra a demissão foi duramente reprimida, com prisões forjadas e um processo contra militantes operários do recém-fundado SINDIVÁRIOS—Araxá-FOM/COB-AIT. Mas o movimento não se intimidou e após as grandes manifestações de Junho-2013, que também ocorreram na cidade, os Estudantes de Araxá  se uniram ao SINDIVÁRIOS-Araxá em sua luta apartidária, de ação direta. Novamente a reação dos poderosos locais foi a repressão com perseguições, prisões forjadas e processos político-policiais. Mas a luta continua, com a SOLIDARIEDADE ATIVA DE CLASSE, inclusive de vários países (Polonia, Espanha, Itália, Russia).

 

É fato evidente a todos, que anarcossindicalistas são organizadores das lutas por melhorias nos transportes na cidade de Araxá. Estas lutas sempre tiveram um caráter horizontal e autogestionário, sem a presença de políticos ou lideranças. São lutas vitoriosas ou parcialmente vitoriosas que culminaram em redução da tarifa, fim das duplas funções na companhia de ônibus local e que tiveram seu ápice, com as lutas desde dezembro de 2012 até as marchas de junho de 2013,sempre de forma organizada e dentro de nossos princípios de apoio mutuo e solidariedade.


Um dos setores que mais se destacou durante estas lutas foram os estudantes, estes mesmo abandonados pela entidade que deveria trabalhar a organização por direitos, seguiram nas ruas e desenvolvendo lutas legítimas.


Do abandono e da inércia da entidade representativa da categoria saíram diversos questionamentos, como a exigência de que sejam entregues estatutos e o local da entidade sirva a estes companheiros, mas tiveram todas estas reivindicações negadas, oque levou a uma campanha(ainda nas ruas),por liberdade de organização na união estudantil local,e esclarecimentos imediatos sobre os gastos, dando inicio da campanha pró-C.P.I. desenvolvida por juventude libertária e apoiada por este sindicato dentro dos princípios de apoio mutuo e solidariedade.


Mas logo que este sindicato se mostrou solidário diversas ameaças tiveram inicio, a mais grave delas um processo forjado em que um companheiro deste sindicato supostamente ameaçaria uma liderança da União dos Estudantes de Araxá.


Foi feito um perfil de facebook, com o nome de nosso companheiro e deste perfil saiu a tal ameaça a pessoas ligadas a UEA. Detalhe: este falso perfil foi criado no dia 24/10/2013, o mesmo dia em que lideranças desita entidade tiveram acesso as reivindicações de J.L.; a suposta vitima é o único seguidor deste perfil "fabricado" para incriminar anarquistas, a justiça de Araxá aceita esta denúncia sem a mínima investigação o que mostra que está ao lado dos exploradores do povo. Expressamos nossa indignação com a Justiça de Araxá-MG que aceitou essa falsa denúncia, acatou uma prova claramente forjada para tentar nos silenciar e levar constrangimento as nossas famílias.


Esclarecemos que, a desfaçatez do Estado e dos que desejam nos incriminar é tão grande que o tal processo foi remetido a uma vara de pequenas causas, onde não pode haver perícia, impedindo a ampla defesa e "protegendo" aquele que realmente fabricou esta prova,  um caso de violação de direitos e perseguição ideológica.


Desafiamos a justiça a quebrar  sigilos, desafiamos os que nos acusam a provarem as calúnias contra este sindicato, porque fomos solidários a Juventude Libertária, e em contrapartida sofremos todo tipo de ataque, para nos calar, para tentar coagir  e manter a situação atual. Esta fácil culpar desafetos em Araxá-MG ,a justiça não investiga e os descontentes com a luta social podem se aproveitar disso para incriminar membros de comitês de luta. Nós declaramos publicamente a revolta com este processo por ameaça, respondido por nosso companheiro, e por todos deste sindicato, porque nosso princípio é:se toca em um, toca em todos e todas, sem passo atrás, sem pedir arrego e sem medo!


Araxá é a cidade dos absurdos e este apenas mais um, companheiro processado sem provas, processos políticos para nos calar porque sabem que a luta autogerida não poderá servir de instrumento aos de cima, é uma ferramenta de defesa dos de baixo. O interessado em incriminar esta seção e seus sócios apagou o perfil clonado de nosso companheiro, e nos perguntamos onde estava o estado e sua perícia, é sempre possível provar a origem desta montagem mas exigimos agilidade. Repudiamos a mentira, repudiamos a tentativa de criminalização e nos manteremos em pé!

Este processo segue, e o Sindivários Araxá COB/AIT exige a identificação de quem quis incriminar este sindicato, faremos todo o possível para dar publicidade a este caso e as razões para tal.


O tempo dos repressores acabou, o apoio mutuo e a solidariedade são armas quentes no combate a repressão e a mentira.

 

 
                                                     

SINDIVÁRIOS-ARAXA-FOM/COB-ACAT/AIT

 

 

 

A SOLIDARIEDADE É UMA ARMA QUENTE!   CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DO PROTESTO SOCIAL!


BRASIL, CAMPEÃO MUNDIAL EM ACIDENTES DE TRABALHO

 

VIDA: VIA CAPITALISTA E CAÓTICA

A cada dia que passa nós vemos o caos que se estabelece nos meios de transporte. O Estado e seu gerenciamento levou ao grande número de casos de corrupção que vem ocorrendo, como se já não bastasse a superlotação, as altas tarifas, a falta de segurança, etc....

Os escândalos nas Companhias de Trens e Metro, ora divulgados pelos meios de comunicação, revelados por meio de delações dos próprios corruptos das empresas, que ganharam licitações por meios escusos. Mas qual será o motivo para que estes fatos venham ocorrendo?  

Estas empresas lutam entre si para obterem mais contratos de vultosas somas de dinheiro público.  Para ganhar esses contratos empregam meios mais escusos (que garantam para elas o maior tempo de permanência nas reformas de trens, redes elétricas e nos sistemas de vias).  Dessa forma garantem a sobrevida destas empresas nos paises que se desenvolvem com mais eficiência. Sendo no exterior, principalmente na Europa, estão sendo investigadas por casos parecidos com o que esta acontecendo por aqui agora.  A Siemens- alemã, Alston – francesa, Bombardier – canadense, tentam assim dominar esse mercado de licitações e contratos com os governos federais, estaduais e municipais.

Tripudiam com a gente trabalhadora como fazem com o dinheiro público e com usuários dos meios de transporte. Temos que ficar alertas para que possamos lutar contra essas tripudiações!  Já sabemos que o Estado e seus feitores participam efetivamente desta funesta roubalheira.

Usam seus métodos repressivos para acabar com a luta popular que está se espalhando pelas ruas. Se utiliza de armas jurídicas como a leis federais (como a LSN da Ditadura Militar) de repressão a manifestações, de serviços de “inteligência” das policias (câmeras interligadas nas ruas, metros, trens, ônibus, infiltração de agentes, rastreamento via Internet, etc..), prisão de manifestantes no momento das próprias manifestações, usando tropas infiltrados no meio dos manifestantes, para que se destrua sua organização e lideranças do movimento. Não podemos deixar que voltem a época da ditadura (que muitos já sentem saudades – FASCISTAS).

 

Partidos e sindicatos atrelados não fazem coisa alguma contra estas atitudes arbitrárias, lógico que deles não esperamos e nunca esperaremos nada. Temos que continuar unidos para evitar que as pessoas sejam presas, processadas e condenadas por crimes que a elas são imputadas. Como o povo trabalhador está cada vez mais revoltado com a carestia, superlotações e péssimos serviços e pela falta de perspectivas a que estamos sempre submetidos. A violência, que ora surge, não pode ser imputada aos manifestantes, pois surge da própria atividade do Estado – violenta e corrupta!  

Logo chegará a “tal Copa” e depois as eleições, temos que dar respostas não somente a eles mas também para nós que temos condições de autogerir todos os macros e micro-processos da organização social, não nos deixemos abater e VAMOS À LUTA COMPANHEIROS!

PELA COLETIVIZAÇÃO E INTEGRAÇÃO TOTAL DOS TRANSPORTES PÚBLICOS!

    Comitê de Solidariedade e Auto-Defesa Antifascista

 

CONTRA AS DEMISSÕES E O DESEMPREGO!      

PELO DIREITO AO TRABALHO!

PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 6HS/DIA

– 30 HS/SEMANA DE 5 DIAS (Semana Inglesa) –  SEM REDUÇÃO SALARIAL!

Trabalharmos menos para trabalharmos todos!

 

REPARTIR O TRABALHO, REPARTIR A RIQUEZA!

6 HS DE TRABALHO + 6 HS DE ESTUDO + 6 HS DE LAZER FAMILIAR + 6 HS DE SONO

 

 

Primeiro de maio: é luta, é luto!

O ‘1 de Maio’ tem sua origem como dia de luta da classe operária em 1886, quando se realizou uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago, U$A. Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a Redução da Jornada de trabalho para 8 horas diárias com a participação de milhares de pessoas. Se iniciou uma Greve Geral nos EUA.

Na época se trabalhava até 15 horas, numa jornada sem fim de semana ou férias, que recaia sobre os ombros de mulheres, crianças e idosos – sem nenhum direito, como assistência médica ou aposentadoria.

No dia 3 houve um pequeno enfrentamento com a polícia com a morte de alguns operários. No dia seguinte, 4 de Maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores. Dezenas de milhares acompanhavam o Ato, cercado por tropas policiais. Quando já se encerrava a manifestação uma bomba explodiu no meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes. A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a ‘Revolta de Haymarket’.

O governo e a policia culparam os militantes anarcosindicalistas da AIT e condenou 8 deles a morte por enforcamento, em praça pública – hoje conhecidos como os ‘Mártires de Chicago’. Mas a luta deles não foi em vão, pois os trabalhadores seguiram seu exemplo de luta, marcando o 1 de Maio como dia internacional da luta proletária, conquistando a redução da jornada para as 8 hs/dia e os atuais direitos operários.

Hoje a luta continua e está em nossas mãos. Organizemos Assembleias Proletárias em nossos locais de trabalho e/ou moradia e escolas, para discutir/decidir e organizar uma grande Greve Geral. No dia 1 de Maio do ano da Copa iremos as ruas protestar e decidir coletivamente em grandes Assembléias, em que se converterão as manifestações de 1 de Maio, a deflagração da Greve e as reinvindicações centrais do movimento: 

PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 6 hs/dia, com 30 hs/semanais SEMANA  INGLESA                     – SEM REDUÇÃO SALARIAL!;

PELO PISO SALARIAL de R$ 3000,00!;

CONTRA A CARESTIA DA VIDA E A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO!

CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DO MOVIMENTO SOCIAL!

A partir das primeiras horas da manhã estaremos realizando comícios no bairros

chamando todos para a

CONCENTRAÇÃO NA LADEIRA DA MEMÓRIA,

ao lado do Metro Anhangabaú, ao lado da praça das Bandeiras, no centro,

a partir das  12 horas

– leve suas faixas, cartazes e bandeiras –

para manifestarmos todo o nosso repúdio

ao governo/sistema capitalista explorador

e começar a construir o comunismo libertário!

“A emancipação de nossa classe é e será nossa própria obra!”              

SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT

 

PARA ORGANIZAR A GREVE GERAL

Vamos organizar ASSEMBLÉIAS POPULARES nos locais de Trabalho (Fábricas, repartições, bancos, escolas, o dficinas) e locais de moradia (bairros, vilas, etc) para unificar nossa classe em luta pela valorização do trabalho (REDUÇÃO DA JORNADA P/30 HS SEMANAIS, SEM REDUÇÃO DE SALÁRIOS!, PISO SALARIAL (Salário Mínimo) de R$ 3000,00!; CONTRA A PRECARIZAÇÃO DOS DIREITOS e o Trabalho sem direitos! PELO FIM DAS TERCEIRIZAÇÕES!)

 

Para não perdermos nossos direitos – que já são poucos, conquistas históricas do movimento operário – e para avançar em nossa luta pela emancipação dos trabalhadores, precisamos mostrar nossa força. Vamos organizar a GREVE GERAL e PARAR A PRODUÇÃO em todo o Brasil na véspera da Copa do Mundo. Os garis do Rio mostraram como fazer! Só assim conseguiremos colocar a patronal contra a parede, pois nossa situação não é boa e irá piorar após a Copa, com a diminuição dos grandes empreendimentos e o aumento do desemprego.

0 comentários | publicado por PROFOSP/COB-AIT

 

 

 

SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT

A LUTA CONTINUA,
CONTÍNUA
E NUA!

128 ANOS DE LUTA!

 

 

 


                                                               Primeiro de maio: é luta, é luto!

 


O ‘1 de Maio’ tem sua origem como dia de luta da classe operária em 1886 realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago, U$A. Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas. Nesse dia teve início uma Greve Geral nos EUA.

Na época se trabalhava até 15 horas, numa jornada sem fim de semana ou férias, que recaia sobre os ombros de mulheres, crianças e idosos – sem nenhum direito, como assistência médica ou aposentadoria.

No dia 3 houve um pequeno enfrentamento com a polícia com a morte de alguns operários. No dia seguinte, 4 de Maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores. Dezenas de milhares acompanhavam o Ato, cercado por tropas policiais. Quando já se encerrava a manifestação uma bomba explodiu no meio da policiais que começavam a dispersar os manifestantes. A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a ‘Revolta de Haymarket’.

O governo e a policia culparam os militantes anarcosindicalistas da AIT e condenou 8 deles a morte por enforcamento, em praça pública – hoje conhecidos como os ‘Mártires de Chicago’. Mas a luta deles não foi em vão, pois os trabalhadores seguiram seu exemplo de luta, marcando o 1 de Maio como dia internacional da luta proletária, conquistando a redução da jornada para as 8 hs/dia e os atuais direitos operários.

Passados 128 anos a luta continua hoje, e está em nossas mãos! Organizemos Assembleias Proletárias em nossos locais de trabalho e/ou moradia e escolas, para discutir/decidir e organizar uma grande Greve Geral. No dia 1 de Maio do ano da Copa iremos as ruas protestar e decidir coletivamente em grandes Assembléias, em que se converterão as manifestações de 1 de Maio, a deflagração da Greve e as reinvindicações centrais do movimento: 

- PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 6 hs/dia, com 30 hs/semanais SEMANA  INGLESA – SEM REDUÇÃO SALARIAL!

- PELO PISO SALARIAL de R$ 3000, 00!

- CONTRA A CARESTIA DA VIDA E A PRECARIZAÇÃO DO TRABALHO!

- CONTRA A CRIMINALIZAÇÃO DO MOVIMENTO SOCIAL!



A partir das primeiras horas da manhã estaremos realizando comícios no bairros chamando todos para a CONCENTRAÇÃO NA LADEIRA DA MEMÓRIA, ao lado do Metro Anhangabaú, ao lado da praça das Bandeiras, no centro, a partir das  12 horas– leve suas faixas, cartazes e bandeiras – para manifestarmos todo o nosso repúdio ao governo/sistema capitalista explorador e começar a construir o comunismo libertário!

“A emancipação denossa classe é e será nossa própria obra!”

MÁRTIRES DE CHICAGO
128 ANOS DEPOIS:
1º de MAIO
É LUTO, É LUTA!

Manifestações locais pela manhã.
a partir das 12:00 hs
CONCENTRAÇÃO NA LADEIRA DA MEMÓRIA

(no antigo Mercado de Escravos de São Paulo)
- ao lado do Metrô Anhangabaú e da Pç. das Bandeiras -
ASSEMBLÉIA PROLETÁRIA
pela Greve Geral Ativa

SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT

E-mail:
profosp@bol.com.br
Blog: