Grupos

NO FIM, QUEM PAGOU O PATO FOMOS NÓS! Depois de amarelar, dançando na frente do PATiO da FIESP na Paulista, vamos redescobrindo que quem paga o pato é sempre a classe trabalhadora! Depois de anos de falsa polarização da sociedade, dividida entre direita e esquerda, pela propaganda intensiva da mídia que muitos abraçaram: coxinhas X mortadelas! E o povo passando fome, desempregado, arrochado com contas a pagar... E a FIESP nunca paga o pato mesmo. Quem vai pagar o pato é você, através dos impostos escorchantes e preços que devoram os salários! Aumenta o desemprego, a multidão de sem-teto, os presos massacrados diariamente nos presídios – Bastilhas modernas! Aumenta a Pressão da Panela.... Enquanto lançam tanta cortina de fumaça, a verdadeira polarização da sociedade se dá entre os diferentes, e opostos interesses de patrões e trabalhadores. E nessa briga quem está perdendo somos nós proletários! Nós trabalhadores, depois das manifestações massivas de 2013 e dos 7X1, de 2014, só vimos perdendo: direitos, empregos/postos de trabalho e poder de compra – além da vida de combatentes pela igualdade, nos campos e nas cidades. Por que não conseguimos reagir? Nós, que conquistamos com nossa luta direta a Jornada de 8 horas diárias de trabalho, o direito ao descanso semanal remunerado, o direito a férias e a assistência médica – como tantos outros direitos conquistados nas Greves Gerais de 1917-19... É por que durante a ditadura do Estado Novo destruiram nossa organização sindical autônoma, a COB, e em seu lugar colocaram repartições públicas com a placa de sindicatos, mantidas pelo Imposto Sindical para controlar a luta operária – enquanto desviam nossas energias para a luta político-eleitoral. Mas a nossa luta pelo pão é a mesma! Quem paga suas contas é você com o seu suor! Se ninguem trabalha por você, nem paga suas contas por que deixar que outros decidam o que será feito da sua vida e dos seus filhos e filhas? Temos que retomar o controle de nossas vidas. E o primeiro passo para manter nossas cabeças erguidas e retomar nossa dignidade é reconstruir nossos sindicatos de luta e resistência, livres e revolucionários, sob nosso controle coletivo e assembleário, reativando as federações regionais e a Confederação Operária Brasileira (COB-AIT), ligados as lutas operárias em todos o mundo. Unidos por laços de solidariedade, desde as oficinas, escolas e escritórios, até os nossos locais de moradia, exercitando o espírito de comum unidade, para poder lutar por nossos direitos, ao trabalho, lutando - PELA REDUÇÃO DA JORNADA DE TRABALHO PARA 6 HS/DIA, 30 HS/SEMANAIS (Sem Redução Salarial!), para combater o desemprego! - PELO SALÁRIO MÍNIMO CONSTITUCIONAL DE R$ 4500,00!, para combater o arrocho salarial! - TERRA PARA QUEM NELA TRABALHA! -> Pela REVOLUÇÃO AGRÁRIA IMEDIATA! (Ocupar, Resistir, Autogerir!), com a Demarcação das Terras Indígenas! E, para não se deixar desviar do caminho da luta direta, VOTE NULO, ou nem vá! NÃO SUTENTE PARASITAS NO PODER! ORGANIZE-SE E LUTE! UNA-TE A COB-AIT! 1º de Maio de 2018 SINDICATO DE ARTES E OFÍCIOS VÁRIOS DE SÃO PAULO-FOSP/COB-ACAT/AIT