Grupos

Como no Brasil temos pouquíssimas lojas da starbucks, geralmente em Shopings com segurança interna - que impossibilitariam a manifestação em frente ao estabelecimento - resolvemos proceder a uma campnha pública de denúncia da rede, concentrada nas regiões onde mantém lojas e realizando comícios relâmpago em frente aos estabelecimentos.

O manifesto abaixo, distribuído pelo Comitê de Luta Contra a Carestia/Santo Amaro-SP, é parte das atividades da FOSP/COB-AIT em solidariedade internacionalista à Seção da CNTE-AIT/Sevilha.

SOLIDARIEDADE É UMA ARMA QUENTE!

Coordenação do
SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

5 DE JULHO: DIA DE AÇÃO GLOBAL CONTRA STARBUCKS

O CARNAVAL DO POVO É A REVOLUÇÃO!

Vivemos espezinhados: nossos passos vigiados, nossos direitos – conquistados pela luta – desrespeitados e destruídos, nossa infância, jogada na ignorância e na desesperança, se tornam alvos do sistema de corrupção que domina a vida social.

Nós, construtores de um mundo novo, vivemos na penúria e sem moradia decente – submetidos a um terrível arrocho salarial frente ao fantasma do desemprego – morremos ao léu, sem atendimento médico e hospitalar. A comida que nos vendem é cara e de má-qualidade (até leite com formol e farinha com vidro!) pesos adulterados, composição fraudulenta, obesidade mórbida!

O salário não dá para nada, a própria lei já mostra a mentira do governo:  diz a constituição, sobre o Salário Mínimo (SM), QUE ele deve poder sustentar em condições dignas uma família com 2 filhos e deveria ser de cerca de R$ 1800,00 – mas o governo de Frente Popular de Lula diz que quem ganha R$ 2000,00 é rico! A verdade é que R$ 400 ou 500 de SM é desrespeito com aqueles que criam a riqueza dos abastados: dos Hermírio, dos Matarazzo, dos Safra...

Ainda nos obrigam a usar um transporte de péssima qualidade, tendo que dormir menos e já chegar cansado no trabalho, a um preço exorbitante e ainda dizem que não há inflação!!! Em 94, quando começou o R$ (real), a passagem de ônibus era de R$ 0,35 e o SM era de R$ 100,00!!! Isso aconteceu com tudo! Os alugueis dispararam e o poder de compra do trabalhador-operário despencou! Essa é a dupla face da exploração: arrocho salarial e carestia da vida. 

Quando vamos a luta pelos nossos direitos nos deparamos com sindicalistas profissionais da política, que submetem o interesse dos trabalhadores aos acordos e interesses partidários. De fato nós estamos desorganizados, esses falsos sindicatos políticos controlados pelo Estado e dominados pelos partidos vivem de nossa fraqueza!

Precisamos nos organizar de verdade para recuperar nossa força! E isso tem que ser feito desde os locais de trabalho e com a participação de todos nas decisões. Aí construiremos sindicatos de verdade, livres, que unam toda a classe trabalhadora dentro dos laços de SOLIDARIEDADE que marcam a história das lutas sociais, pois a classe trabalhadora não tem fronteiras, como não tem fronteira a exploração capitalista.

Nesse dia 5 DE JULHO está sendo realizado um dia internacional de denúncia e protesto contra aqueles que não respeitam a liberdade de organização da classe trabalhadora, em especial contra a rede STARBUCKS, dos U$A, que explora e persegue os trabalhadores que lutem pelos seus direitos – denunciamos a perseguição e demissão de uma funcionária desta rede em Sevilha-Espanha, por ser delegada da CNT-AIT, da Seção local. Lá, como aqui, lutamos diretamente pela liberdade e autonomia de organização dos trabalhadores rumo a auto-gestão generalizada da sociedade.

CONTRA O ARROCHO E O DESEMPREGO!
CONTRA A CARESTIA DA VIDA!
CONTRA A PERDA DE DIREITOS!
POR UMA EDUCAÇÃO INTEGRAL E CRÍTICA!
POR MORADIA DIGNA!
POR UM TRANSPORTE PÚBLICO DE QUALIDADE!
(Completa integração dos sistemas, expansão de linhas de Trem e Metrô, abertura todos os dias de todas as estações)
PELA LIBERDADE DE ORGANIZAÇÃO, MANIFESTAÇÃO E EXPRESSÃO!
PELO SOCIALISMO LIBERTÁRIO!  
VIVA A FOSP/COB-AIT!

------ Comitê de Luta Contra a Carestia – Santo Amaro ----------------- 

"A emancipação dos trabalhadores será obra dos próprios tabalhadores!"

SINDIVÁRIOS-SP (Sindicato de Artes e Ofícios Vários de São Paulo)
E-mail: profosp@bol.com.br
Blog: http://www.grupos.com.br/blog/sindivariosspfospcobacatait/
Filiado a:
FOSP - Federação Operária de São Paulo.
E-mail: fospcobait@yahoo.co.uk
http://fospcob.blogspot.com/
Filiada a:
COB - Confederação Operária Brasileira.
E-mail: cobforgs@yahoo.com.br
http://osyndicalista.blogspot.com/
http://cob-ait.revolt.org/

ACAT - Associação Continental Americana dos Trabalhadores.
http://iwa-ait.org/spanishindex.html
AIT-IWA - Associação Internacional dos Trabalhadores.

Movimento Pela Reativação da COB/AIT - 22 anos de luta autônoma!(1986-2008)
http://www.grupos.com.br/blog/sindicalista.2001/

Os Causadores da Fome

19:12 @ 11/07/2008

Os Causadores da Fome

 

Nestas últimas meses [1], os motins motivados pela fome espalharam-se como um rastilho de pólvora por um grande número de países. Estes acontecimentos, pela sua gravidade, são reveladores do estado de crise no qual se encontra imersa, hoje, a população mundial. Uma crise que, na verdade, não é consequência do acaso! A alta infernal dos preços dos produtos alimentares, que condena à fome por todo o mundo milhões e milhões de seres humanos, tem certamente várias causas. Mas a principal, a de efeitos maciços, a mais directa, é a especulação.

Os açambarcadores, primeira causa da crise alimentar mundial

Devido à crise desencadeada pela especulação desenfreada que atingiu os mercados de crédito de alto risco em geral, sobretudo no sector do crédito hipotecário à compra de habitação, os especuladores, verdadeiros açambarcadores dos tempos modernos, afastaram-se desses mercados financeiros para se lançarem, como a miséria sobre o pobre, para um outro mercado: o das matérias-primas alimentares. O resultado não se fez esperar: para os especuladores, lucros gigantescos; para as populações do terceiro mundo, a reaparição em força da fome e da miséria extrema, e para as populações dos países ditos desenvolvidos (e que se encontram, de facto, em plena regressão social), o aperto do cinto em mais alguns furos. Esta semana, soube-se que o arroz já se encontra racionado nos Estados Unidos e em Israel. Depois do racionamento motivado pela falta de dinheiro, o racionamento propriamente dito, do género do dos anos de guerra.

Uma outra razão tem de ser levada em conta na mesma direcção que a da especulação: o desenvolvimento, em países onde até agora era incipiente, de uma classe burguesa tão ávida de consumir como a nossa própria burguesia, e que por isso se apropria de uma boa parte dos recursos alimentares apenas para ela própria. Outras “explicações” têm sido avançadas periodicamente pelos média. A primeira assenta sobre as variações climáticas: secas aqui, inundações acolá, afectaram as colheitas. A outra grande explicação di respeito aos bio-carburantes. O seu fabrico requer, com efeito, uma enorme quantidade de plantas, cujas superfícies de exploração deixaram de estar disponíveis para as culturas de produtos alimentícios. Estas duas razões são na verdade reais, mas os média esquecem-se em geral de referir a sua causa. Pois nem o aquecimento climático nem a escolha de áreas para a produção dos bio-carburantes (tal como, igualmente, o desperdício generalizado dos carburantes tradicionais) se devem ao acaso, mas são, sim, do mesmo modo que a fome, uma consequência directa da existência do capitalismo e do Estado.

Durante a fome, a mundialização continua

Sendo a situação bastante explosiva, os hipócritas que nos governam fazem de conta que descobrem que as suas políticas económicas conduzem à fome. Através das instituições internacionais eles lançam, embora sem firmeza, o alarme: é preciso dinheiro para salvar os pobres. Sente-se que preparam um grande apelo ao nosso bolso e ao nosso coração, uma grande operação mediática de recolha de fundos que supostamente se destinarão aos esfomeados. Entretanto, prosseguem a toque de caixa com a mundialização da economia e com a concentração dos meios de produção num pequeno número de mãos, isto é, trabalham activamente para o desaparecimento dos pequenos produtores locais de culturas de produtos alimentares, preparando assim as próximas investidas da fome. A crise que actualmente vivemos não irá parar por si própria!

Os altermundistas propõem-nos as suas soluções: um novo tipo de organização do comércio mundial, um comércio mais justo, mais respeitador do ambiente. Ora isto é esquecer quem hoje em dia lucra com o comércio existente. É esquecer que as grandes multinacionais, tal como os hierarcas dos Estados (de países desenvolvidos ou não), acumularam vastas fortunas à custa dos pobres, e isso precisamente graças à sua “lei do mercado”. Uma pseudo-lei da qual não esperam ter de renunciar aos seus benefícios! Quem acredita que os poderosos vão abdicar sem mais nem menos dos seus privilégios, se a isso não forem obrigados? Nunca antes o fizeram, nem agora o farão. Para além disso, a sua reacção face aos motins da fome é clara: bem podem lançar um alerta humanitário nos países ocidentais, para evitarem que as suas populações venham a ter alguns problemas de consciência, que não é por essa razão que hesitam em disparar sobre as multidões a fim de as submeter.

Para nós, é evidente que o conflito deixou de ser entre o “cá” e o “lá”, entre o ocidente e o terceiro mundo, tal como não é entre a esquerda e a direita. É entre os de baixo e os de cima. Entre a classe daqueles que são oprimidos e a classe dos que oprimem. Não é de dirigentes que é preciso mudar, nem de leis, mas sim de sistema, na sua totalidade. É uma revolução, à escala planetária, aquilo que é necessário pôr em marcha. E para esse objectivo, cada um de nós, pela sua acção quotidiana, pode contribuir.

Michel
  - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Associação Internacional dos/as Trabalhadores/as - Secção Portuguesa

Tradução livre do artigo Les affameurs, saído no nº 106 de Anarchosyndicalisme! (publicação da CNT-AIT, a secção francesa da A.I.T.), de Maio/Junho de 2008.

O Anarchosyndicalisme! veio substituir a anterior publicação da CNT-F, Le Combat Syndicaliste, a partir do nº 101. (artigo traduzido por Paulo Ferreira - Seção Portuguesa da AIT-IWA).

http://cnt-ait.info/article.php3?id_article=1530

http://www.cntaittoulouse.lautre.ne...

Envoi gratuit du format papier sur demande à CNT AIT 7 rue St Rémésy 31000 TOULOUSE ; abonnement 10 euros, soutient 20 euros et plus.

Forum : http://cnt.ait.caen.free.fr/forum


[1] este artigo foi escrito no passado mês de Abril 2008 - N.T.

JORNADAS INTERNACIONALISTAS
PREPARANDO O XXIV CONGRESSO DA AIT-IWA
_____________________________________________________________________

PLENÁRIAS DO MOVIMENTO PELA REATIVAÇÃO DA COB/AIT

PLENÁRIA ESTADUAL DA FOSP/COB-ACAT/AIT

SÁBADO (12/07/2008)
das 9:00 hs as 19:00 hs

PLENÁRIA NACIONAL DA COB/AIT

DOMINGO (13/07/2008)
ds 9:00 hs as 19:00 hs

Na sede da "CORRENTE LIBERTADORA", Pça. Marechal Floriano.
Santo Amaro - São Paulo/SP

JORNADA LITERO-LIBERTÁRIA
(Tributo a Fedrico Garcia Lorca e a Revolução Espanhola-1936/1939)

TERÇA (15/07/2008)
das 18:00 Hs as 22:00 Hs
Filme: TERRA E LIBERDADE
Debate e Sarau Poético-Musical

Na Casa de Cultura de Santo Amaro
(Av. João Dias, altura do nº 800)

Iniciativa e Apoio:
SINDIVÁRIOS-SP-FOSP/COB-ACAT/AIT
ASSESA (Associação dos Escritores Santamarenses)
Associação CORRENTE LIBERTADORA
FOSP/COB-ACAT/AIT
FORGS/COB-ACAT/AIT

JORNADA LITERO-LIBERTÁRIA

HOMENAGEM A GARCIA LORCA E A REVOLUÇÃO ESPANHOLA

Entrada do 'CORRENTE LIBERTADORA', que cedeu sua sede para a realização da Plenária da FOSP/COB-AIT.

Já no interior do local, cartazes e murais divulgam as lutas da FOSP/COB-AIT. Alguns dos delegados a Plenária saudam a luta pela autogestão generalizada.