voltar para página principal

grupos.com.br

a vida acontece em grupos


Comunicacoes

informação do grupo
.: acesso
*usuário:
*senha:

sempre identificado
Esqueci minha senha
.: grupo

Comunicacoes

66 assinaturas
0 mensagens (mês)
Assinar RSS


Aberto:
Usuários podem participar deste grupo sem aprovação

Visível:
Este grupo é visível no diretório de grupos

Mensagens
Mensagem anterior | próxima
De: "adriano soares" <sgt...@hotmail.com>
Assunto: canção de tropa
Data: Mon, 14 Mar 2005 00:42:22 +0000
por favor, quem tiver ou souber canções diferentes destas, me passem.. tô na tropa e precisando desta merda... abraços!!
adriano soares
 

Xambioá

Brasil!

1973!

No Araguaia

Operações

Contra-guerrilha

Missões reais

Xambioá

 

Foi em Xambioá, foi em Xambioá

Quem nunca ouviu falar que fique a escutar

Contos de glória que agora vou contar

 

Quando eu era pequeno ouvi meu pai a me contar

“Hei meu filho lá estive a atuar

Vi guerrilheiro na selva a tombar

E pra casa nunca mais voltar...”

 

A guerrilha não era brincadeira

Era patrulha, patrulha a noite inteira

Alguns de nós éramos faca na caveira

O perigo em todo canto a rondar

Pára-quedistas chegavam pelo ar

A todo o momento um sinal de congelar

 

Cabo mateiro lá na frente a avisar

Tem guerrilheiro de tocaia a emboscar

Ordem à patrulha na mata se infiltrar

 

A fadiga, a sede e a fome

Carapanã, muito charque e lamaçal

Mesmo assim sustentei meu para-FAL

 

Ouvi os guerrilheiros lá de Xambioá

Durante muitas noites o meu nome a gritar

No intuito de me amedrontar

 

Não gostei, logo revidei

Dei rajadas pro inimigo perfurar

Fiz emboscadas para eliminar

Vi o inimigo com medo a me olhar

E o desespero em sua alma a reinar

 

Ó meu filho se alguém lhe perguntar

Se seu pai esteve em Xambioá

Responda com orgulho que eu estive lá

 

Foi em Xambioá que cumpri nobre missão

Defendi com orgulho essa nação

 

 

 

Pantaneiro

Todo pantaneiro tem no gorro um jacaré

Lá em Corumbá se aprende como é que é

Forte Coimbra, forte Junqueira

Uno Sete Batalhão Infantaria de Fronteira

 

“A” de Acurí, “B” de Bocaiúva

“C” de Corumbá, é pra lá que eu vou voltar

 

“D” dia D, “E” Embarcação

“F” de Fronteira, vou levar meu pelotão

 

“G” de Guerra, “H” Hoje acontece

“I” de Porto Índio que merece uma prece

 

“J” Jângal, “L” Lamaçal

“M” de Maluco, olha minha cara de mau

 

“N” de Navio, “O” Operações

“P” Pantanal, o farol da região

 

 

 

 

 

Canção dos Tamoios

Não chores meu filho

Não chores que a vida

É luta remida

Viver é lutar

 

A vida é um combate

Que aos fracos abate

E aos fortes e bravos

Só faz exaltar

 

Já vi cruas brigas

De duras fadigas

Combates eternos

Da guerra provei

 

Andei longes terras

Vaguei pelas serras

Vi fracos caírem

Num golpe mortal

 

 

Meu último amigo

Cansado e ferido

Caiu junto a mim

 

E agora sozinho

Sem lar, sem carinho

Pela pátria vagando

Rejeitado da morte

Estou só triunfando

 

Sou forte e sou bravo

Sou guerreiro audaz

Não temo a morte

Só dias de paz

 

 

Guerreiro de selva

Tem gente por aí querendo invadir

Tem gente por aí querendo ocupar

Mas a Amazônia é nossa, ninguém vai meter a mão

E quem se habilitar vai enfrentar minha fração

 

Senhor!

Senhor!

Tu que ordenaste o guerreiro de selva

Sobrepujai todos os nossos oponentes

Dai-nos hoje na floresta

A coragem para persistir

A paciência para emboscar

A astúcia para dissimular

E a fé

E a fé!!

Para lutar e vencer

 

Mas se defendendo essa brasileira Amazônia

Tivermos que perecer a Deus

Que o façamos com dignidade

E que mereçamos a vitória

 

 

Guerreiro alado

Quem és tu

Que desce do céu

Com asas de prata por sobre o Brasil?

 

Guerreiro alado

Que não sente dor

É o pára-quedista, irmão do condor

 

Sua missão

É destruir

A tropa inimiga que tenta invadir

Boina grená, multibrevê...

És Deus, é diabo... és tu PQD!!

 

Morte e desespero

Mochila

Pesada

FAL

Granada

A cara

Pintada

A noite

Escura

A água

Gelada

 

Me pergunte de onde eu venho

E qual é minha missão

Trago a morte e o desespero

E a total destruição

 

Armadilhas camufladas

Acionadores de pressão

E quem vier atrás de mim

Só vai ouvir a explosão

Só vai ouvir a explosão

 

Quero ver o inimigo

Rastejando pelo chão

Com a perna amputada

Implorando o meu perdão

Implorando o meu perdão

 

 

Maria bonita

Acorda Maria Bonita

Levanta, vai fazer o café

Que o dia já vem raiando

E a Bateria já está de pé

 

 

 

onça

Olha a onça dele no chapéu

Olha que essa onça é o seu troféu

 

Olha que essa onça não é fácil de se ter

Se rala e sofre pra valer

 

Onça pintada que tanto me orgulha

Serás o estandarte da minha patrulha

 

Onça pintada quem foi que te pintou?

Foi um guerreiro louco, louco como eu sou

 

 

Bicho danado

Bicho danado pra sofrer que nem o diabo

É o soldado, é o soldado

 

Bicho danado pra correr que nem o vento

É o sargento, é o sargento

 

Bicho danado pra querer punir a gente

É o tenente, é o tenente

 

Bicho danado pra puxar uma flexão

É o capitão, é o capitão

 

Bicho danado pra querer ser o maior

É o major, é o major

 

Bicho danado querer chegar ao céu

É o coronel, é o coronel

 

Bicho danado pra ser o maioral

É o general, é o general

 

 

Montanha

Se a guerra escolher como palco

As montanhas do nosso Brasil

Levarei minha fé, minha força

Junto a mim estará o meu fuzil

 

A altitude e o ar rarefeito

Adaptado tornei-me assim

Hoje eu sinto que sou parte dela

E que ela é parte de mim

 

O meu grito de guerra é montanha

“Montanha” responde o rochedo

Vencerei o inimigo com garra

Sou guerreiro que luta sem medo

 

Escalando as paredes de pedra

Hei de ver a vitória chegar

E do alto contemplo o horizonte

A planície, o planalto ou mar

 

E lutar bem mais perto do céu

Essa é minha nobre missão

Minha alma se eleva ao topo

A seguir os meus pés lá estarão

 

O meu grito de guerra é montanha

“Montanha” responde o rochedo

Vencerei o inimigo com garra

Sou guerreiro que luta sem medo

 

 

Comunicante

Eu sou de comunicações (Pararará)

Opero rádio e lanço fio (Pararará)

Multicanal é meu amigo (Pararará)

Guerra eletrônica é comigo (Uh, selva, comunicante... Eu sou de COM eu sou vibrante)

Câmara de gás

O soldado foi ao inferno

Convidar o satanás

Pra passar 5 minutos

Lá na câmara de gás

 

O capeta aceitou

Mas logo se arrependeu

Lá de dentro ele gritava:

“Abre pelo amor de Deus”

 

Depois dessa baixaria

Ele tomou uma decisão

Quero ser bem esperto e forte

Vou pra 3ª seção

 

 

 

3 divisas

Pode preparar as 3 divisas de metal

Ou pode preparar para o nosso funeral

 

Pois sargento do EB eu hei de ser

Nem que para isso eu tenha que morrer

 

 

 

Atiradores

Atiradores prontos

Ferrolho à reta-guarda

Vamos alimentar

E destravar as armas

Na linha de combate

Nossa segunda casa

Autocontrole, confiança e decisão

Esse é o lema pro tiro de precisão

Manter o inimigo na mira do meu fuzil

Esse é o lema do guerreiro do Brasil

FaCA NA CAVEIRA

Fui chamado para guerrear

Mas na hora quem diria

O meu fuzil resolveu falhar

Com a faca entre os dentes a ordem era atacar

 

Peguei o couro do inimigo e pus no mastro da bandeira

Por isso sou chamado de “faca na caveira”

 

É faca, é faca

É faca na caveira

Patrulha, patrulha

Patrulha à noite inteira

 

Cuidado, cuidado

Cuidado com o armamento

Patrulha, patrulha

De reconhecimento

 

Esquece, esquece

Esquece a cervejinha

Patrulha, patrulha

Patrulha ribeirinha

 

Esquece, esquece

Esquece a namorada

Patrulha, patrulha

Patrulha de emboscada

 

 

GUERREIRO DE CAATINGA

Escravos do pó aceitam a rastejar

Guerreiro de caatinga vai até o Ceará

 

Seu chapéu é de couro, uniforme é o gibão

O seu prato predileto é o camaleão

Essa não, essa não... Minha língua tá no chão

Essa sim, essa sim... Mas eu vou até o fim

dona MAG

Olha a dona MAG no terreno camuflada

Pronta para ser a qualquer acionada

 

Olha o seu morteiro lá na cota escondido

Pronto para ser a qualquer hora percutido

 

Eu já não corro mais

Só executo lanços

Cobertas e abrigos, assim faço meus avanços

 

 

 

Alegria, alegria

Alegria, alegria

Sinto no meu coração

É, pois já raiou o dia

Eu vou cumprir minha missão

 

Alegria, alegria

Sinto no meu coração

Pois já findou o dia

Eu já cumprir minha missão

 

 

 

Faca de combate

Tenho a faca de combate

E a pedra de amolar

Mantenho a faca afiada

Para o inimigo degolar

 

O inferno não tem fogo

Lá tem muita água e enche os meus pulmões

A fé remove montanhas

Mas não ressuscita o afogado

 

 

 

Muitos querem

Muitos querem mas não podem

Muitos podem mas não querem

Eu quero!!

Eu posso!!

Serei!!

Serei um bom soldado audaz

E não vacilarei jamais

Estando em guerra ou em paz

Junto ao meu fuzil

 

 

 

FESTA DE PÁRA-QUEDISTA

Fui numa festa de pára-quedista

O MS que me convidou

Havia doc-side percussores

Salto enganchado foi o que mais rolou

 

Senti na pele aquela ventania

Quando cheguei na porta do avião

A luz vermelha apaga num segundo

E na luz verde haja coração

 

Eu me lancei no espaço

Eu me lancei no espaço

Agrupei, preparei pra aterrar

O salto foi perfeito

Minha missão agora vou terminar haha

 

 

PÓ DE DIAMANTE

Não foi ouro nem foi prata

Nem foi pó de diamante

Foi a fibra, foi a raça

Que me fez comunicante



MSN Busca: fácil, rápido, direto ao ponto. Encontre o que você quiser. Clique aqui.

anterior | próxima

Carregando Carregando...